Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Ontem andava por aí  vaguear pela internet e encontrei este vídeo, contrariamente ao que é costume, não vou comentar, quero só recordar que sou pai biológico e adoptivo e que estou neste momento num segundo processo de adopção.... como dizia alguém no Sábado, estou oficialmente grávido.

 

Vejam o vídeo e se quiserem, comentem, digam da vossa justiça.... hoje, quero ouvir opiniões, as vossas opiniões sinceras, digam-me o que pensam.

 

 



Jorge

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:50

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


31 comentários

Sem imagem de perfil

De Sofia Gaivota a 16.03.2009 às 22:20

Parabéns pela gravidez! :)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 16.03.2009 às 23:03

Olá Sofia

:-)

Obrigado
Sem imagem de perfil

De Óscarito a 16.03.2009 às 22:54

Vi/ouvi atentamente e vou dizer-te o quê?
Sendo o mais importante a felicidade das crianças, acho que está conseguido.
Serem homossexuais deixa de ser importante, mesmo porque as crianças estão cientes da realidade. E creio que a compreendem.
Abraço.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:32

Olá

Sim, ante uma história destas...tudo deixa de ser importante, excepto a felicidade das crianças.

Esta historia marca porque conseguimos ver o desespero daquela criança por ter uns pais.... e ante isso...

Abraço
Jorge
Imagem de perfil

De DyDa/Flordeliz a 16.03.2009 às 23:28

Quem não tem nada está de coração aberto para receber tudo que lhe é presenteado. Tenho a certeza que estas quatro crianças darão muito mais que o que lhes é ofertado.
Para eles, não importa quem os recebeu. Mas como os recebeu. E como os fez sentir queridos e desejados.
Acreditemos que a luta da irmã mais velha tenha valido a pena e que possam crescer rodeados de esperança, carinho e em família.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:37

Olá

Sim, acreditamos...e depois de ver a tristeza e a ansiedade daquelas crianças por ter uma familia..... tudo o resto passa a segundo plano.... é isso que tento transmitir.. o que importa é a felicidade das crianças..e amor, todos conseguimos dar.

Beijinho
Jorge

Sem imagem de perfil

De Inês a 16.03.2009 às 23:36

Obrigada Jorge! Que vídeo bonito :)
Eu penso exactamente o mesmo que pensava antes de ver o vídeo, na minha sincera opinião a adopção não tem nada a ver com orientações sexuais. Tem apenas a ver com Amor. E esse pode vir de qualquer lado. Só é preciso que venha. Muito! :)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:39

Olá Inês

Ora nem mais, o Amor só tem a ver com amor... porque impedir quem está disposto a dar de chegar até quem está disposto a receber?....

Sem imagem de perfil

De António Manuel Dias a 16.03.2009 às 23:36

-- Ah e tal, nós somos namorados.
-- Ganda novidade... dâ-a!

E criança é burra, é? Burro é quem pensa que família é a santíssima trindade. E quem acredita que homossexualidade se pega.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:40

Olá António

Infelizmente ainda há muita gente burra por aí... mesmo muita

Abraço
Jorge
Sem imagem de perfil

De Sandra Cunha a 16.03.2009 às 23:39

Oi,

Por acaso estou mesmo com a mão na massa. Ando às voltas com um artigo sobre as concepções de família e ainda ontem li um texto que falava (também) sobre a adopção por casais homossexuais.

É referida uma revisão dos estudos existentes na América sobre o tema, da autoria da Associação Americana de Psicologia, que conclui, e cito: "nem um único estudo encontrou crianças filhas de casais homossexuais que evidenciassem qualquer desvantagem, em nenhum aspecto relevante, em comparação com as crianças filhas de casais heterossexuais" Fisher , Allen , 2003, Still Not Quite as Good as Having Your Own ?" Toward a Sociology of Adoption in : Annu . Rev . Sociol ., nº 29)

Também a American Bar Association e a American Academy of Pediatrics emitiram, em 2002, um relatório em que concluem pela "inexistência de dados científicos que apontem para a possibilidade de riscos para crianças que cresçam em família com um ou mais pais homossexuais" (Fisher , 2003, idem).

Ainda de referir que no Congresso Internacional de Adopção de 2008 (Fundação Calouste Gulbenkian), Jesús Palácios, um conceituado especialista Espanhol nas questões da adopção, reconheceu que após a legalização dos casamentos homossexuais em Espanha, e consequentemente, da adopção por casais homossexuais, a Espanha foi confrontada com um considerável acréscimo de petições para adopção por casais homossexuais. No entanto, o que se aperceberam foi que a esmagadora maioria destas petições de adopção não passavam de regularizações e legalizações de situações já existentes. Ou seja, as crianças (muitas actualmente já no fim da adolescência) já se encontravam inseridas em famílias homossexuais (em que apenas um tinha adoptado = adopção singular) há uma carrada de tempo e não apresentavam qualquer problema de desenvolvimento emocional ou outro, estando perfeitamente integradas na família, com níveis de "sucesso" escolar, profissional ou social perfeitamente normais e similares às outras crianças/jovens inseridas em famílias heterossexuais.

Tenho dito :)

Beijos
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:42

Olá Sandra...

Um comentário e peras.

Obrigado.
Jorge
Sem imagem de perfil

De susana Rodrigues a 17.03.2009 às 00:41

As crianças não podem ser bandeiras de lutas que não lhes pertencem. Já são o escudo de muitas coisas feias que lhes impuseram. O que estas crianças precisam é de amor. Forte, com grande nível de compromisso, alerta para as suas necessidades. Se ele vem de uma avó, de um tio, primo, casal heterossexual, homossexual ou monoparental é indiferente. A adopção nutre o sumo interesse da criança e é nela que se deve focar. Felizmente as crianças têm uma maior capacidade de adaptação do que nos crêmos que elas possuiem, pelo que, mesmo que utilizemos como argumentação de que a sociedade vai penalizá-las de algum modo por essa diferença, é - no meu entender - um argumento egoísta porque enquanto serve a sociedade aos seus ideais, priva uma criança de afecto e abandona-a a uma vida de instituição. Num mundo em que a multiplicidade na construção de familias é próspera, deixa a desejar ao potencial de amor e intelecto humanos que ainda nos entreguemos a este tipo de quisílias. Mais um tema interessante e um video forte. Bom trabalho Jorge.
Um abraço su
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:45

Olá SU

As crianças querem é carinho e calor humano, para elas não é problema de onde ele vem.... infelizmente ainda há muita gente com preconceitos, o problema está nos adultos...não nas crianças que querem é ser felizes.

Obrigado Su.
Sem imagem de perfil

De eva lima a 17.03.2009 às 09:38

O AMOR não tem que ver com género, casamento ou falta dele, com cor ou orientação sexual ou religiosa.
Quantos de nós conhecem crianças pouco bem tratadas? Alguém pode generalizar? Ou há capacidade para amar ou não.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:53

Olá

Bem vinda a este meu cantinho

O AMOR só tem a ver com amor...felizmente as crianças percebem isso muito mais rápidamente que qualquer adulto cheio de preconceitos.... o que interessa é a felicidade das crianças.. o resto está demais.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Sónia Pessoa a 17.03.2009 às 10:26

Já sabes a minha opinião. Adorei o vídeo e vou levá-lo comigo. "Ser Diferente é (afinal) bom"!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:55

Olá

Amiga..leva à vontade..... o que interessa é ser... porque na verdade no mundo há 6000 milhões de pessoas diferentes, infelizmente há para aí algumas cabecinhas que se acham iguais...

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De Sofia S a 17.03.2009 às 10:40

Há limites para o amor? Acho que não...
A questão da homossexualidade a mim não me afecta. Concordando ou não, para mim são pessoas que amam tal como as outras, que têm um bom coração tal como as outras, que conseguem constituir familias tão boas ou melhores do que muitas famílias ditas "normais".
Para mim, o facto de 2 pessoas terem tido a abertura e coragem suficientes para acolher e tornar suas 4 crianças ao mesmo tempo, amá-las e fazê-las felizes como se vê na peça, é muito mais importante do que a sua orientação sexual.
O importante é que aqueles 4 irmãos esperaram, lutaram e conseguiram ter finalmente a sua familia de coração. Têm agora um Lar, e mais do que um têm agora dois pais que os amam e que os ajudam a crescer em harmonia.
Beijinhos,
Sofia (também oficialmente grávida há 8 meses)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.03.2009 às 22:57

Olá Sofia.

Na verdade haveria muito poucas pessoas com coragem e vontade de adoptar estas 4 crianças, o que importa sexo ou orientação sexual...se o que é necessário é carinho e amor para estas crianças?....será que alguma das pessoas que é contra a adopção homossexual seria capaz de adoptar estas crianças?...claro que não,..nem estas nem nenhumas....

Jorge

Comentar post


Pág. 1/2



Ó pra mim!

foto do autor






Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D