Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





2013, 365 oportunidades de ser feliz

por Jorge Soares, em 31.12.12

365 oportunidades para ser feliz

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

 

 

Todos sabemos que não vai ser fácil, mas não se esqueçam de ser felizes, em 2013 ou em qualquer outro ano

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:56

Vamos todos fazer por isso?

por Jorge Soares, em 30.12.12

Meta para o ano novo?.. ser feliz

 

Imagem do Pontos de Vista 

 

Não vai ser fácil, mas vamos todos tentar fazer por isso?

 

O meu desejo de ano novo para todos os que por aqui costumam passar é esse, nunca desistas de procurar a felicidade!

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:21

Conto - Ano novo

por Jorge Soares, em 29.12.12

Ano Novo

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

Na noite de 31 de Dezembro Tristão acorda em sobressalto. Sonhava com um carrossel de cores quando um estrondo lhe atravessou a cabeça fazendo-o erguer da cama grande.

 

Tudo naquele quarto lhe parece grande e estrangeiro, paredes, portas, armários, mas o que sente não é exactamente medo. Mais uma saudade das cores do sonho. Ali, agora, tudo escuro e enevoado, como nos sonhos falsos dos filmes. Ele vira-se, desce da cama. Um miúdo de três anos e meio com uma cara clara e grandes, espantosos, olhos pretos.

 

No corredor, quadros com imagens de caça. Tristão pensa como são feios os rostos sem sobrancelhas dos cavaleiros. Para não ver mais nenhum, olha para baixo enquanto anda. Os pés descalços na madeira fria. Quando encontra uma porta, empurra-a.

 

A meio da sala, dá conta de ir a chorar baixinho. Esperava encontrar alguém depois da porta, mas não há ninguém. Nem a mãe, nem o pai. E, à medida que vai avançando para a outra porta, adensa-se o medo estremunhado no coração do miúdo. Por um lado, o choro ecoando naquele espaço. Por outro, o terror das coisas, tão quietas e imprecisas. A cadeira fora do lugar, o cinzeiro sujo. Tristão sente que, agora acordado, está dentro de um lugar muito mais vago e nevoento do que antes, quando sonhava. Um lugar vago e escuro e nevoento que é tal e qual um pesadelo.

 

Outra porta: luz, música. Homens com laços debaixo do queixo, mulheres com pescoços nus. Mostram-se espantados e alegres ao verem-no, mas são maus actores. E a luz é violenta, e alguém dá uma gargalhada grossa, e há o estrondo de bombas lá fora. Tristão não chora mais. Está em pânico, olhos perdidos. Vai atirar-se para o chão e enrolar-se sobre si próprio, fechado a qualquer palavra ou gesto, repetindo para dentro "não, não".

 

Mas o mordomo da empresa de organização de eventos vale o seu peso em ouro. Pousa a garrafa de champanhe, pega no miúdo. Sorri aos convidados e sai com ele para a janela, para ver o fogo-de-artifício. "Estás a ver? É isto o barulho", diz-lhe.

 

E Tristão serena porque pensa que aquelas cores explodindo na noite são tão parecidas com as do sonho, tão parecidas, que afinal talvez seja aquilo a "realidade".

 

Jacinto Lucas Pires

 

Retirado do DN

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:39

Laranja Vivo

por Jorge Soares, em 29.12.12

Flores

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Reparei nesta flor no dia em que chegamos, um ponto de cor quente no meio das cores frias do inverno, o primeiro que pensei foi em  como é que ela conseguiu sobreviver e estar assim viçosa nesta altura....  no dia a seguir tudo estava branco e coberto de geada, tudo à volta estava gelado, mas ela continuava lá... um ponto laranja no meio de um mar de branco gelado.

 

Póvoa Dão, Viseu

Dezembro de 2011

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:57

Em Espanha há mães despidas de preconceitos

Imagem de aqui

 

 

Em Montserrat, uma pequena localidade perto de Valência, Espanha, a crise levou a que a autarquia retirasse os fundos para o transporte escolar, como a necessidade aguça o engenho, um grupo de mães decidiu despir-se de preconceitos e literalmente, despiram-se para aparecerem num calendário erótico e assim recolherem o dinheiro suficiente para garantir que os seus filhos não tivessem de ir a pé para a escola.

 

Começou por ser uma forma de chamar a atenção para a forma como o estado estava a cortar nos fundos para a educação, mas a  verdade é que neste momento as senhoras já conseguiram garantir o aluguer de um autocarro para os próximos 3 meses e as expectativas são que desta forma se consiga pagar o transporte para o ano inteiro.

 

Por cá há quem se dispa em manifestações contra a crise... mas há sem dúvida iniciativas muito mais inteligentes.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

Cais das colunas

por Jorge Soares, em 28.12.12

Pôr do Sol em Lisboa

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Também já ali  estive assim, só, a tentar enganar a tristeza da solidão com a quietude do rio e a beleza do pôr do Sol, foram incontáveis as vezes que a caminho do quarto onde costumava morar, me sentei ali a ver o vai vem dos barcos e o voo das gaivotas. É sem dúvida o meu lugar preferido de Lisboa.

 

Já não recordo a última vez que lá estive ou sequer lá passei, hoje fomos lá com os miúdos, havia uma enorme multidão, muitíssimos turistas e até um grupo de música brasileira... mas há coisas que não mudam, o voo as gaivotas, a serenidade do Tejo e pôr do sol magnifico.

 

Cais das Colunas, 

Lisboa, Janeiro de 2012

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

Adeus ao Outono

por Jorge Soares, em 27.12.12

Adeus ao Outono

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

Adeus

 

É um adeus ... 
Não vale a pena sofismar a hora! 
É tarde nos meus olhos e nos teus ... 
Agora, 
O remédio é partir discretamente, 
Sem palavras, 
Sem lágrimas, 
Sem gestos. 
De que servem lamentos e protestos 
Contra o destino? 
Cego assassino 
A que nenhum poder 
Limita a crueldade, 
Só o pode vencer a humanidade 
Da nossa lucidez desencantada. 
Antes da iniquidade Consumada, 
Um poema de líquido pudor, 
Um sorriso de amor, 
E mais nada

 

Miguel Torga

 

Uma solitária folha de cerejeira que resistiu mesmo até aos últimos dias do Outono.

Portalegre

Dezembro de 2011

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:52

A pálida Luz da Manhã de Inverno

por Jorge Soares, em 26.12.12

Inverno

 

Imagem minha do Momentos e Olhares


A pálida Luz da Manhã de Inverno 

 

A pálida luz da manhã de inverno, 
O cais e a razão 
Não dão mais 'sperança, nem menos 'sperança sequer, 
Ao meu coração. 
O que tem que ser 
Será, quer eu queira que seja ou que não. 

No rumor do cais, no bulício do rio 
Na rua a acordar 
Não há mais sossego, nem menos sossego sequer, 
Para o meu 'sperar. 
O que tem que não ser 
Algures será, se o pensei; tudo mais é sonhar. 

 

Fernando Pessoa 

Poesias inéditas

 

Chegou o inverno

O Sado e o céu em Setúbal

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:51

Outro Natal

por Jorge Soares, em 25.12.12

Outro natal

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

Outro natal,
Outra comprida noite
De consoada Fria,

Vazia,
Bonita só de ser imaginada.
Que fique dela, ao menos,
Mais um poema breve
Recitado Pela neve
A cair, ao de leve,
No telhado.
Miguel Torga
Portalegre
Dezembro de 2011
Jorge Soares
Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:48

A todos um bom natal

por Jorge Soares, em 24.12.12
A todos um bom natal

Pois é isso, que seja um bom natal para todos vós

 

 

João Só & Abandonados, a todos um bom natal

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails

Pág. 1/4



Ó pra mim!

foto do autor






Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D