Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Cela

 

Imagem do Ionline 

 

"O Estado português foi condenado a pagar 15 mil euros a um homem acusado, julgado à revelia e preso durante um mês por um crime que afinal não cometeu. Bacar Baldé foi alvo de usurpação de identidade e acusado de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência."

 

Não sei o que me deixa mais estupefacto, se o perceber que este homem teria ficado anos preso e teria a sua vida completamente destruida se lhe tivvesse calhado em sorte outro advogado, se o facto de o estado português depois de ter colocado injustamente um homem na prisão recorre de uma indemenização de 15000 Euros.

 

O mesmo estado que deixa prescrever multas de milhões a condenados em processos que duram anos e anos, não só é lesto a condenar pessoas inocentes, como ainda acha que 15000 Euros é uma indemenização alta de mais para alguém que viu a sua vida virada do avesso de um momento para o outro.

 

Então e terem um pouco de vergonha?

 

A reportagem é da Rita Marrafa de Carvalho e pode ser vista no site da RTP, aqui.

 

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:53

Serviço Público

 

Imagem de aqui

 

Há coisas que são difíceis de explicar, e quando se trata de governantes ou gestores públicos é muito mais difícil ainda, o post da semana passada sobre os salários dos gestores do banco de  fomento deixou muitos comentários, na sua grande maioria parece que as pessoa ou não leram o que eu escrevi, ou simplesmente não querem saber. Quando se trata de dinheiro ou salários públicos todo o mundo critica, na maior parte dos casos sem sequer se parar para pensar, seja quem for, está lá a mais e só pelo dinheiro... e claro, todo o mundo faria melhor por muito menos... 

 

Felizmente há quem pense, o seguinte texto foi escrito por alguém que assina Ricardo Silva e diz exactamente o que eu penso, só que muito melhor escrito:

 

"Deveríamos viver numa sociedade onde deveria reinar a méritocracia mas vivemos numa sociedade de incompetência e compadrio. E a verdade é que muitos dos que criticam, pura e simplesmente fariam exactamente o mesmo daqueles que lá estão.

Ninguém, no seu bom senso, iria sair do privado para ir fazer "caridade" para o público. Sou da opinião que se queremos o melhor, temos que pagar por isso. Uma das lições que aprendi na minha vida profissional foi que o ordenado deve ser proporcional à responsabilidade da função desempenhada! Sim, acho muito bem que um presidente de um banco ganhe um salário que corresponda à responsabilidade que esse mesmo cargo acarreta.

Coloca-se aqui outra pergunta: Será que as pessoas que são nomeadas para estes cargos são as mais competentes? A resposta é simples e directa: Não! Não pela simples razão que quem tem competência, experiência e capacidade para desempenhar estes cargos com elevado nível de qualidade não vai para o sector público, mas sim para o privado e, aliás, muitos até vão para o estrangeiro.

Aos meus olhos, parece-me óbvio que ninguém queira trabalhar para o estado. Porque raio haveriam de se querer misturar com esta corja que governa o nosso país? Já para não falar na questão de, como o nosso grande e maravilhoso ex-primeiro ministro colocou, se sujeitarem à opinião pública. Basta pensar na questão dos swaps, um produto financeiro complexo que poucos conseguem entender, mas todos ficaram muito revoltados apenas porque se falou disso na comunicação social.

Resumindo, este país encontra-se numa espiral descendente onde a incompetência e o compadrio reinam de onde muito dificilmente conseguiremos sair seja por falta de vontade ou por falta de interesse.

O outro é que tinha razão: "Não sejam piegas e toca de emigrar!!"

 

Ricardo Silva

 

É que é mesmo isto, obrigado Ricardo.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28

SOS Venezuela 

 

 

Se a morte é a única certeza da vida, que não seja por pensar diferente

 

Si la muerte es lo único cierto en la vida, que no sea por pensar diferente 

 

Já passam de quarenta os mortos durante os protestos do povo venezuelano contra o governo de Nicolás Maduro, quantos mais serão necessários?

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Conto . Alice através de si

por Jorge Soares, em 29.03.14
SuicidioImagem de aqui
Era manhã de domingo, rodovia calma. Lá do alto de um viaduto, Alice olhava para os pés descalços, cambaleantes, brincando de equilibrar-se. 
Num minuto Alice vivia, no outro, Alice no chão. Era estranho olhar-se daquela forma. Imaginava que as pessoas, quando caem de altas distâncias, teriam apenas um crânio rachado e muito sangue em volta de si. 
Enfim, esperou um tempo até que encontrassem seu corpo, estranhamente todo retorcido. as pernas formavam um 'v'. Os olhos estavam abertos, vidrados. 
Mas era domingo, havia de demorar. Queria chamar o motorista do ônibus que trafegava por uma via distinta. Decerto, se a visse ali naquele estado, poderia chamar uma ambulância e avisar a família e amigos, para que pudessem todos chorar a perda. Ninguém viu. 
Por sorte, Alice viu aproximar-se um carro. Uma família! Ótimo! Pessoas que vivem em famílias unidas (parecia ser o caso daquela gente em questão) possuem um coração grandioso. Iriam chamar médicos, polícia, a mãe o pai e o irmão de Alice e iriam dizer palavras de pesar "era tão bonita!", "como era jovem...", "quem será que fez isso com ela?"
O sangue que tomava conta de seu corpo - pois certo tempo já havia se passado -  estava viscoso, grudento no asfalto. O carro parou. 
Alice deliciou-se com o estardalhaço feito pela matriarca. Agia como se estivesse vendo um dos próprios filhos estirado no chão. Sim! Se a moça desconhecida protestava daquela maneira, certamente os seus pais e amigos também sentiriam o vazio profundamente, talvez até mais. Quem sabe até quisessem ir para o outro lado apenas para não suportar a vida sem ela. 
Não demorou muito para que a multidão se chegasse. Agora, passava das nove e meia. O domingo começava a tomar forma.O sol ficara mais forte, os mais dispostos saíam para a rua. Havia um dia inteiro para aproveitar. 
Algumas pessoas diziam "burra! garanto que fez isso por causa de homem!" ou então simplesmente Alice ouvia as palavras "covarde!" ou "e a família agora é que sofre! pobre mãe!" 
Era tão injusto pensar daquela forma. Mais um tempo se passou e a mãe de Alice chegou até o local. Desmaiou. O pai e o irmão tiraram forças das profundezas de um lugar desconhecido dentro de si mesmos para conciliar a tragédia da morte de Alice e o estado emocional partido da mãe. 
No entanto, Alice sorria. Sorria olhando aquela cena. Ela importava. Independente do que pudesse um dia poderia ter pensado, ela era alguém. 
- Alice? 
- Ahn?
- Então, como eu estava te dizendo, você precisa assinar essas duas vias para que possamos começar a quimio semana que vem. Você entendeu todos os passos? Tem alguma dúvida? 
- Nâo, claro que não. Começamos semana que vem. 
Alice sorriu com dentes aguados.
E saiu do consultório satisfeita com o trágico fim de si mesma desenhado em sua mente. 

 

Suellen Rubira

 

 

Retirado de Samizdat

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:18

Um travesti, que tem o nome artístico de Conchita Wurst, foi escolhido pela Áustria para representar o país e disputar a competição Eurovisão 2014.

 

Imagem do DN 

 

É apresentado em muitos dos meios de comunicação como "a mulher com barba que vai representar a Áustria na Eurovisão", e há muita gente que é induzido em erro. Na Áustria ele é conhecido como Conchita Wurst e saltou para a ribalta quando participou na versão Austríaca do Factor X.

 

É travesti e apostou numa imagem diferente, corpo e feições femininas e uma barba cerrada que evidentemente não condiz nada com o resto. Conchita já fez saber que a sua imagem tem uma só justificação: reivindicar a igualdade entre sexos

 

Não é a primeira vez que um travesti se apresenta no festival da Eurovisão, Dana Internacional representou Israel por duas vezes, em 1998 e 2011 sendo que em 1998 ganhou mesmo o festival com a música Diva.

 

Como seria de esperar, a participação de Conchita no festival está a causar pruridos nas mentes mais mesquinhas, sendo que a Rússia e a Bielorrússia já apresentaram o seu protesto e apelam à não transmissão televisiva da sua actuação... giro mesmo era que ele ganhasse, a ver quem se atreveria a não mostrar a canção vencedora do festival.

 

A musica é bem ao estilo do festival... e  ele não canta nada mal, apreciem

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

A Joana Latino e uma reportagem .... viva

por Jorge Soares, em 26.03.14

Joana Latino

 

 

Imagem de aqui

 

No que toca a noticias sou cliente da RTP, o que significa que esta reportagem (diferente??!!) me tinha passado ao lado não fosse um dos meus contactos do Facebook ter colocado no mural um dos muitos comentários sobre ela.

 

O jornalismo é uma coisa séria e deve em principio ser feito por pessoas sérias, mas sério não significa mal disposto e a Joana Latino é para além de uma excelente profissional, uma pessoa bonita e bem disposta... e isso normalmente nota-se nos seus trabalhos.

 

A reportagem é sobre David Hasselhoff e a sua vinda a Portugal a propósito de um espectáculo qualquer. Quem anda perto dos 40 recordará o David da série o Justiceiro, em que contracenava com um carro que para além de falar, sabia uns truques. Já quem anda perto dos 30 lembra-se de certeza  de uma, ou de várias,  temporadas da serie Marés vivas,  em que ele contracenava com miúdas giras em fato de banho, a série em certo modo até revolucionou a profissão de salvavidas em Portugal e nos vários paises por onde passou.

 

Está visto que a Joana se lembra bem do actor e das suas várias facetas e portanto decidiu-se por uma reportagem diferente. Diferente não quer dizer má, menos interessante ou menos informativa... pode-se gostar mais ou menos, mas não há duvida que a Joana arriscou... e o resultado final foi este:

 

 

Parece que há muita gente melindrada com a Joana e este seu trabalho... sinceramente não estou a perceber porquê. É só uma reportagem diferente e não restam dúvidas que todos ficamos a saber quem é a personagem e o que veio cá fazer.... só faltou mesmo o bikini e a boia salvavidas para o ambiente ser perfeito {#emotions_dlg.tongue}

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:01

Salários, João Baião vai ganhar 25000 Euros

 

Imagem de aqui 

 

 

Está a levantar celeuma que o governo se prepare para gastar meio milhão de Euros por ano em salários só para os três principais directores do novo Banco do Fomento, sendo que um deles irá ganhar mais de 13 mil Euros por mês.

 

Assim de repente, num país onde o salário médio anda à volta dos 800 Euros por mês, 13 mil Euros parece um salário exorbitante, é claro que estamos a falar de alguém que terá a enorme responsabilidade de presidir a um banco do Estado.  Podemos também perguntar para que precisa o país de um banco de fomento quando já existe algo chamado Caixa Geral de de depósitos... mas isso é outra história.

 

Pelo que percebi, as três pessoas em questão tinham cargos de relevo em bancos privados e teriam de certeza salários a condizer com a importância desses cargos, sei que muita gente acha que as pessoas deveriam ir trabalhar para o estado com espírito de missão, mas também é verdade que sempre que alguém me vem com essa ideia eu pergunto se a pessoa deixaria o seu emprego para ir para o estado ganhar menos que aquilo que ganha... ainda estou á espera do primeiro que diga que sim.

 

Para vermos como as coisas são relativas, li esta semana que O João Baião vai deixar a RTP para ir trabalhar para a SIC, onde irá ganhar qualquer coisa como 25 mil Euros por mês a apresentar programas de televisão, mais do dobro do que ganhava na RTP. Não vi ninguém escandalizado com isso, 25 mil Euros é quase o dobro do que irá ganhar o presidente do Banco... alguém quer comparar o nível de responsabilidade?

 

Dei por mim a pensar como são relativas as coisas, um entertainer ganha o dobro do presidente de um banco do estado... visto por este prisma o salário do banqueiro parece-me pouco para a sua importância... a menos que os salários se calculem com base no número de vezes que se aparece nas revistas cor de rosa....

 

É claro que a comparação não faz muito sentido, a SIC é uma empresa privada e paga o que entender... mas a RTP é uma empresa Pública e pelo que percebi o salário do Baião seria qualquer coisa acima dos 10 mil Euros... o que evidentemente à primeira vista parece um absurdo... se nos esquecermos que a SIC lhe vai pagar os tais 25 mil ...

 

Tudo na vida é relativo, mas será que queremos mesmo um banco com um presidente que ganhe o salário mínimo ou uma pequena parte do que ganharia nos bancos privados?

 

A minha visão de tudo isto é a seguinte: Tudo depende evidentemente do ponto de vista, mas parece-me que  o que está errado não é o senhor ir ganhar os 13 mil Euros, o que está mesmo muito errado é que o salário mínimo seja uma miséria e a média dos salários do resto dos portugueses sejam os tais 800 Euros por mês.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51

Estudantes

Vivo num país onde os estudantes somos terroristas e os ladrões heróis da patria

Vivo en un pais donde los estudiantes somos terroristas y los malandros heroes de la patria

 

 

 

17 minutos de reflexão, tiren as vossas próprias conculsões
Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:20

Conto - O Ponto G de Pâmela

por Jorge Soares, em 22.03.14

Ponto G

 

Ao esquecer o Ponto G na pia de um banheiro, numa loja de conveniências, depois de comprar o próprio peso em mercadorias, Pâmela foi para casa e jamais o viu de novo. Era menina de fendas, de roupas jogadas em cores sugestivas, vermelhos, laranjas e amarelos, e era assim de puro calor na idade e nas curvas.

 

Ó Pâmela, magra de alma, que a uma lágrima do fim culparia o marido, culparia os homens de nenhum comover sua carne nos lençóis de uma cama em cor de vinho.

 

Não sabe ela, não sabe ninguém, é que ao deixar o Ponto G ali, ao ir embora, foi ele encontrando por uma senhora, a pequena e barriguda Neide, cujos pêlos copiosos desenhavam uma sinuosa vereda rumo ao meio de suas pernas; funcionária da loja, guardou-o em um bolsinho e levou-o para o lar, sem querer, e, antes do banho nas seis, ao largar calça e camisa para lavar, achou-o ali, envergonhado.

 

Estudou-o a ponto de o levantar entre polegar e indicador, nua na frente do espelho alongado, de mesmo ligar a lâmpada para vê-lo melhor entre os reflexos. Daí curvou-se e numa paixão de querer fincou-o no umbigo, achando dele um piercing.

 

Cabe falar: foi alegre ao caixão, muito depois, a barriga e curta Neide; sempre que alguém passou os dedos em sua barriga, foi ela a mais abençoada mulher no mundo.

 

As de copas

 

Retirado de Samizdat

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:14

A propósito das eleições europeias

por Jorge Soares, em 20.03.14

Eleições Europeias

Imagem de aqui

 

A propósito doe discurso de Cavaco Silva de ontem, dos apelos à união e ao voto e da importância destas eleições para a Europa e o País vieram-me à memória algumas coisas.

 

As Europeias são as únicas eleições a que me lembro de ter faltado, aliás, não me lembro nem quando nem em quem votei a última vez que lá fui... 

 

Considero-me uma pessoa informada, mas para além do saudoso Miguel Portas , Ana Gomes e Rui Tavares, não me recordo de intervenções ou tomadas de posição de algum outro Eurodeputado português, e tenho uma enorme dificuldade em perceber qual o posicionamento político de cada um dos nossos partidos dentro da assembleia europeia.

 

Imagino que com a campanha eleitoral virão ideias, propostas e esclarecimentos, mas lá está, não me lembro de nas últimas eleições europeias ter ficado esclarecido... nem me lembro se fui votar ou não.

 

Outra coisa de que me lembrei foi de ter visto o seguinte vídeo sobre a forma como vivem os eurodeputados,  que é por demais esclarecedor:

 

Portanto senhores deputados, candidatos e partidos, se por acaso por aqui passarem e quiserem convencer este indeciso, esforcem-se mais, das últimas vezes as coisas não correram lá muito bem.
Jorge Soares
Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:32

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails

Pág. 1/3



Ó pra mim!

foto do autor






Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D