Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Miguel Macedo acha que somos parvos.

por Jorge Soares, em 24.09.12

A formiga no Carreiro

 

Imagem do Perguntas Parvas 

 

 

Não restam dúvidas que este governo perdeu o norte, há dois dias quando no primeiro dia de Chuva do Outono inaugurava um quartel de bombeiros em Vouzela, Miguel Macedo foi confrontado com os protestos e desagrados ddo povo e talvez recordando que no fim de semana anterior um milhão de portugueses saiu à rua para protestar contra as políticas do governo de que faz parte, afirmou que Portugal é "um país de muitas cigarras e poucas formigas"


Todos conhecemos a Fábula de Esopo que fala da cigarra que canta o verão todo enquanto a formiga trabalhadora acumula alimentos para o inverno que há-de vir... de certeza que  o senhor ministro quando fala das cigarras se está a referir a toda a corja de boys e políticos que nos tem governado durante os últimos 35 anos e que levaram o país a este estado em que as pobres formigas já só trabalham para alimentar a fome voraz de um sistema que leva tudo o que elas produzem e não deixa nada para garantir o futuro que se adivinha mais negro e frio que qualquer inverno.

 

Mas não contente com o insulto aos portugueses e ao seu direito ao protesto e à indignação, o senhor Ministro acha que somos parvos e veio afirmar que quando disse que havia muitas cigarras e poucas formigas em Portugal referia-se, “em especial”, aos trabalhadores por conta de outrem e aos pequenos e médios empresários, comerciantes e agricultores.

 

Senhor ministro, tenha dó, não faça de nós parvos e por favor, mostre algum respeito, é verdade que o povo é sereno... mas olhe que há limites.

 

 

A formiga no carreiro
vinha em sentido contrário
Caiu ao Tejo
ao pé de um septuagenário

Lerpou trepou às tábuas (bis)
que flutuavam nas águas (bis)
e do cimo de uma delas
virou-se para o formigueiro
mudem de rumo (bis)
já lá vem outro carreiro

A formiga no carreiro
vinha em sentido diferente
caiu à rua
no meio de toda a gente

buliu abriu as gâmbeas
para trepar às varandas
e do cimo de uma delas
...

A formiga no carreiro
andava à roda da vida
caiu em cima
de uma espinhela caída

furou furou à brava
numa cova que ali estava
e do cimo de uma delas

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


5 comentários

Imagem de perfil

De poetazarolho a 24.09.2012 às 22:42

“Cigarras”

As cigarras deste país
Cantam no seu poleiro
As formigas já se diz
Há poucas no formigueiro

O exemplo vem de cima
Ó cigarras trabalhai
Ajudai a mudar o clima
Deste esforço partilhai

E todos numa nota só
Conseguiremos o milagre
De chegar mais além

De contrário tenham dó
Moscas fogem do vinagre
Como as formigas também.
Imagem de perfil

De DyDa/Flordeliz a 25.09.2012 às 00:58

Eles pensam que sim.
Nós deixamos que eles acreditassem que sim.

Uma mentira dita muitas vezes, acaba convencendo como uma verdade.

A culpa não é deles. É nossa que os deixamos "à solta".
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.09.2012 às 22:26

Olá amiga

Pois, disseste tudo, a culpa não é deles, é nossa.

Beijinho
Jorge
Imagem de perfil

De golimix a 25.09.2012 às 17:04

E só para o contrariar criei uma fábula de propósito. ;) Também falei sobre isto lá no meu estaminé.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.09.2012 às 22:26

tenho que lá passar.

Jorge

Comentar post








Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D