Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Alguém ganhou nestas eleições?

por Jorge Soares, em 04.10.15

Catarina Martins

 

Por norma as eleições em Portugal tem sempre muitos vencedores, para além de quem tem mais votos há sempre quem de uma forma ou outra consegue olhar para os seus (muitos ou poucos votos) de forma a ver o copo meio cheio... porque de uma ou outra forma ganhou algo... nesse sentido somos um país sui generis.

 

Olhando para o resultado destas eleições em que a maioria dos portugueses que foi votar escolheu manter no poder os mesmos e as mesmas políticas contra as que tanto ouvimos falar, não sei se haverá muita gente com razões para sorrir e festejar.

 

Para mim há uma vencedora clara, Catarina Martins, o Bloco de Esquerda teve o melhor resultado de sempre em eleições legislativas, cresceu em votos e em deputados, evidentemente um partido são muitas pessoas e há no bloco muita gente com imenso valor, mas não há duvidas que durante a campanha eleitoral ela teve um papel decisivo. Fez uma campanha em crescendo com uma enorme garra, uma mulher de armas e uma líder enorme.

 

Evidentemente o PS foi o grande derrotado, apesar da crise, da Troika e da austeridade, António Costa não se mostrou à altura e não conseguiu convencer os portugueses que seria capaz de fazer mais e melhor pelo país, uma derrota em toda a linha

 

Há outro derrotado claro, o PCP, ao contrário do que é habitual não havia grande ambiente de festa na sede do partido comunista, foram claramente ultrapassados pelo bloco de esquerda e não conseguiram capitalizar os votos dos descontentes.

 

Quem teve mais votos foi a Coligação PSD/CDS, e quem tem mais votos costuma vencer, só que quanto a mim foi uma vitória insuficiente, já ouvimos Catarina Martins e Jerónimo de Sousa dizer que não irão viabilizar qualquer governo com o PSD/CDS, e António Costa já mandou  o recado "A coligação tem de perceber que há um novo quadro e que não pode continuar a governar como se nada tivesse acontecido".

 

Não vai ser fácil formar o próximo governo em Portugal e não seria nada estranho que as próximas legislativas fossem lá para meados do ano que vem.

 

Quanto ao resto dos partidos, eu pessoalmente tinha algumas expectativas em quanto a um resultado positivo do LIVRE, as primeira projecções da RTP davam a hipótese da eleição de um deputado, mesmo que se cumpram essas previsões, não deixa de ser um resultado curto para um movimento que conseguiu juntar tantos nomes de peso, sobretudo porque ficaram muito atrás, em número de votos, de partidos como o PAN, o PDR de Marinho Pinto e até do PCTP/MRPP.

 

Ia dizer que quem perdeu de certeza fomos todos nós, mas tendo em conta que 40% votou em seguir com a austeridade, o desemprego e as politicas da Troika..... se calhar sou eu que não percebo nada disto.

 

Update: O PAN conseguiu eleger um deputado por Lisboa e assim se converteu no quinto sétimo partido com assento na assembleia, quinto grupo parlamentar.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:43

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


36 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.10.2015 às 23:44


"Não vai ser fácil formar o próximo governo em Portugal e não seria nada estranho que as próximas legislativas fossem lá para meados do ano que vem."

eleicoes la para o meio do ano talvez nao, depois das presidenciais sim. entretanto poderemos ter um governo paf minoritario, com apoios pontuais,e vitimizando-se por nao conseguir levar a cabo as suas politicas, procurando a sua queda e se isso acontecer aqueles que o fizerem vao provocar eleiçoes e dar-lhe uma maioria absoluta como puniçao peo atrevimento de o terem feito cair, onde ja aconteceu isto? nos governos de cavaco e com o prd, que depois desintegrou-se. O voto foi conservador e como sempre a cdu reforcou a sua posicao real, eh eh eh tudo na maior.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 15:02

mais uma vez a história do coitadinho, 1º coitadinhos de nós temos que cortar e aumentar porque a troika é má, agora vai ser coitadinhos de nós que não nos deixam fazer nada, no fundo coitadinhos de todos nós..
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 19:07

E isso mesmo coitadinhos. Quem e que havia de aguentar com isto tudo ao fim e ao cabo, os coitadinhos.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 05.10.2015 às 14:12

Sétimo partido...
PSD
PS
CDS
BE
PCP
PEV
PAN
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.10.2015 às 14:44

Tem toda a razão, sétimo partido, quinto grupo parlamentar...

Obrigado pela correcção

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 19:11

Alguem se lembra do manuel sergio e o partido dos reformados? Prevejo-lhe igual destino
Sem imagem de perfil

De Pedro Andrade a 05.10.2015 às 15:25

O buraco negro do parlamento aumentou.
Sem imagem de perfil

De Cláudio Franco a 05.10.2015 às 16:04

"Olhando para o resultado destas eleições em que a maioria dos portugueses que foi votar escolheu manter no poder os mesmos e as mesmas políticas contra as que tanto ouvimos falar"

Errado, a MAIORIA dos portugueses que foi votar escolheu outros partidos que não os do poder.

Caso tivesse sido como descreve, o PSD/CDS teriam.... maioria.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 19:00

La isso e verdade, agora na pratica servira de alguma coisa.
Sem imagem de perfil

De Johnny a 05.10.2015 às 16:41

"Ia dizer que quem perdeu de certeza fomos todos nós, mas tendo em conta que 40% votou em seguir com a austeridade, o desemprego e as politicas da Troika..... se calhar sou eu que não percebo nada disto."

Os tais 40% de portugueses votaram no realismo e não em demagogos que iam rapidamente embater no controlo orçamental de Bruxelas e do euro. Esses 40% perceberam que, num país com 130% de dívida pública, os programas e propostas despesistas vão ter de ficar na gaveta... ou então se calhar sou eu que não percebo nada disto :)
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 05.10.2015 às 17:03

você é mesmo BURRO! não votar é a melhor opção???
Sem imagem de perfil

De João Carlos Reis a 06.10.2015 às 07:37

Prezado Johnny,
«40% de portugueses votaram no realismo»??? Errado...
Primeiro: não foram 40% dos Portugueses - foram 40% dos Portugueses que foram votar, o que é bastante diferente...
Segundo: ficámos a saber que cerca de 20% dos Portugueses são masoquistas, pois apoiam e defendem quem os enganou, vigarizou e mentiu descaradamente, com quantos dentes têm na boca e desavergonhadamente com o ar mais sério, circunspecto e natural deste mundo... e depois queixam-se de que vivem cada vez pior...
Sem imagem de perfil

De Maddie a 05.10.2015 às 16:46

"Ia dizer que quem perdeu de certeza fomos todos nós, mas tendo em conta que 40% votou em seguir com a austeridade, o desemprego e as politicas da Troika"

Errado, o desemprego não aumentou com o governo anterior. Desemprego em junho de 2011: 12.3%. Desemprego em julho de 2015: 12.1%. Houve muita coisa que piorou (emigração, PIB, dívida, etc.), mas o desemprego nem foi uma delas...
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 05.10.2015 às 17:06

...e que tal juntar a emigração (por não conseguir arranjar emprego) e os desempregados de longa duração (esgotaram o tempo e saem das listas), e as "formações profissionais", parece-me que você até sabe, está é a mandar areia para os olhos do outros
Sem imagem de perfil

De Maddie a 05.10.2015 às 17:46

Não se chateie que a vida é curta demais para isso.

Dou-lhe outro número relativamente ao desemprego (desta vez relativo a um periodo de governação socialista): desemprego janeiro 2005: 8.3%; desemprego junho 2011: 12.3%. Ou seja, não obstante a política de aumento de gastos públicos e da dívida pública, o desemprego aumentou 4% durante os 6 anos da governação Sócrates, pelo qe essa também não parece ser a solução.

Vamos continuar a acompanhar os números do desemprego e esperar que a tendência de redução se possa manter :)
Sem imagem de perfil

De João Carlos Reis a 06.10.2015 às 07:49

Prezada Maddie,
«esperar que a tendência de redução se possa manter»??? Não me diga que ainda acredita no Pai Natal??? Porque não diz que essa tendência de redução está a ser feita às custas da emigração e/ou dos que saem das listas e/ou e das «formações profissionais»???
Para se reduzir efectivamente o desemprego sustentavelmente, governos e empresários têm que elaborar uma estratégia consistente de desenvolvimento económico do país, o que NENHUM GOVERNO PÓS-25 DE ABRIL DE 1974 FEZ...
Enquanto não se elaborarem políticas económicas que transformem Portugal num país de imigrantes, podem ter a certeza absoluta de que não passaremos da cepa torta... para nossa miséria...
Sem imagem de perfil

De Herodes a 05.10.2015 às 17:27

Venha depressa a contestação à coligação PSD/CDS, para novamente irmos a eleições.
A esquerda é mesmo burra, então não vê que se assim for se avizinha uma maioria esmagadora da coligação? Podem crer ser mesmo uma maioria nunca visto. A esquerda está a ser mais pa pista que o papa, todos querem poleiro e isso vai sair - lhes muito caro. Solução, deixem o governo governar e na devida altura actuem. Os dividendos vêem depois.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 19:03

O ps ja percebeu isso.
Sem imagem de perfil

De Lusitano a 05.10.2015 às 18:11

Caros Portugueses e Portuguesas, continuem a berrar contra quem nos tem desgovernado e continuem a votar sempre nos mesmos, assim é que são felizes...
porque não mudam o sentido do voto, têm medo que os outros partidos "comam" criancinhas ao pequeno almoço???????????
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 21:48

O grande problema é que eles berram mas são ceguinhos, coitados. Oxalá que os que andaram 4 anos a mamar e a dar porrada aos que agora de novo votaram neles, voltem a dar mais porrada, mas por favor, deem nos mesmos sitios porque assim já não dói tanto... cambada de tótós...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 18:27

De onde vem esta arruaceira Catarina Martins??
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 21:35

Você deve ser uma granda besta...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 18:35

Vem do nada, pede tudo, contra tudo.
Não entendo como é que os portugueses e portuguesas ( como se diz agora ), votaram numa pessoa e num partido que é contra tudo, não viabiliza nada e só tem soluções teóricas para resolver os problemas de Portugal.
É tempo de encontrar consensos e não extremismos...a Catarina tem a mente distorcida e a declaração dela durante os resultados eleitorais revelou uma pessoa amarga, radical e sem vontade de ajudar Portugal a ter uma futuro melhor.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 21:42

Custa,não custa??? Ver um politico que "vem do nada" - como dizem as por aqui as porcarias intlectuais - e ser muito mais verdadeiro e mais direto do que toda aquela porcaria de passos coelhos e portas e nunos melos, que mamaram toda a vida à conta da politica e dos nossos impostos. E chato, não é, uma politica séria ter agora na mão o fiel da balança, não é? Agora é que vocês vão aprender a terem de trabalhar para comer e não comerem da politica, suas bestas!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.10.2015 às 23:45

O fiel da balança, deixa-me rir, quem e que quer um fiel da balança anti europa anti tudo, como os sirizas, que tiveram que levar uma cura de "desintoxicaçao", estes partidos de esquerda jamais entrarao em coligaçao por causa destas suas politicas.

Comentar post


Pág. 1/2



Ó pra mim!

foto do autor






Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D