Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





cavaco.jpg

 

Imagem do Facebook 

 

Hoje Cavaco foi igual a si próprio, primeiro ele, depois o partido dele, depois os políticos ao lado dele e no fim, se ainda for preciso, o país.

 

Acho que para além de uma ténue esperança de que a lucidez pudesse aparecer por milagre, ninguém tinha duvidas que Passos Coelho e o PSD seriam indigitados para o governo, é este o presidente da República que elegemos, logo, é este o que temos.

 

De resto tudo foi como era esperado, até o discurso no que não poderia faltar o apelo à tradição, ninguém explicou ao senhor que até em política a tradição já não é o que era e que ao contrário do que ele tentou mostrar, não é a tradição que faz com que os governos se aguentem sem uma maioria de deputados.

 

De resto o discurso dele não esteve longe do que ouvi estes dias a alguns conhecidos quando finalmente quem votou no PSD deixou a vergonha e se começou a assumir.

 

Parece que agora a esperança radica em que alguns deputados eleitos pelo PS irão ir em contra da disciplina de voto e votando em consciência, resta saber na consciência de quem, irão votar em contra do PS e a favor do programa de governo.

 

Ao contrário do que Cavaco tentou explicar no seu discurso, a decisão dele não é a favor da estabilidade, é precisamente o contrário, com esta decisão o mais certo é o país passar os próximos meses sem orçamento e com um governo de gestão, gostava de perceber onde está a estabilidade no meio de tudo isto e o que irão achar os mercados e a união europeia.

 

Num país normal após o chumbo do programa de governo Passos Coelho apresentava a demissão e Cavaco chamava Costa a formar governo.... mas depois do que ouvimos hoje, o mais certo é Passos Coelho demitir-se e a seguir Cavaco chamar Paulo Portas ou quem sabe quem,  a formar governo, nunca António Costa, não vá ele trazer consigo aqueles senhores que comem criancinhas ao pequeno almoço.

 

Só gostava de perceber para que raio é que o Presidente da República ouviu os partidos e o que estes lhe disseram, afinal ele é que dita as regras...

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


51 comentários

Sem imagem de perfil

De José a 23.10.2015 às 10:10

Já se antevê o governo ficar em gestão até, até, até... Sempre é bom, - para eles - terão tempo para dar emprego a mais uns assesorzecos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 10:12

Eu espero que nas próximas eleições a esquerda se apresente como troika e apresente um programa com alguma coerência na medida dos possíveis ... assim já não enganariam ninguém ... onde chega a sede do poder: um dia cospem-se na cara uns aos outros, ... no dia seguinte andam de mãos dadas... enfim.
Sem imagem de perfil

De poetadoricso a 23.10.2015 às 10:26

Bem escrito.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 23.10.2015 às 10:40

Concordo IRREVOGAVELMENTE consigo!
Sem imagem de perfil

De Jota Marques a 23.10.2015 às 12:40

Companheiro, desculpe, não sabia que em política e em Portugal é assim...? Olhe para sua informação, eu que resido no Brasil desde Julho 2012, por aqui é muito pior e a todos os níveis.
Sem imagem de perfil

De Ze Coelho a 23.10.2015 às 10:17

Cavaco 1 País 0? Não entendo como temos país 0 pois na realidade o resultado das eleições deu vitória ao primeiro ministro apontado por Cavaco Silva. O que eu vejo aqui é a vontade do país a ser feita.
Quanto ao que a Europa vai pensar desta situação - Já foram multiplas as notícias no diário económico de líders Europeus a virem em defesa do PSD/CDS visto que o que acontece na democracia normalemente é que o partido eleito forma governo. O que estamos a ver na esquerda neste momento são pessoas que não sabem aceitar uma derrota. Estão a correr por todo o lado no parlamento à procura de pessoas para conseguir uma maioria para justificar esta asneira. Cresçam e aprendam a perder.
Sem imagem de perfil

De poetadoricso a 23.10.2015 às 10:26

Bem escrito.
Sem imagem de perfil

De Hugo Mota a 23.10.2015 às 11:27

Caro Zé Coelho,

Consegue escrever sem recorrer ao uso de falácias?

Ponto 1: A vontade dos eleitores, é de que Passos Coelho não fosse PM. São 62% contra 38%. Cavaco olhou apenas para a vontade dos eleitores LARANJA. Não os eleitores PORTUGUESES.

Ponto 2: A maioria dos líderes europeus são de que quadrante político? Não acha normal virem defender os seus correlegionários. Menos normal, ultrajante e vergonhoso, é ver o PM de Espanha a mandar bitaites sobre quem deve governar em Portugal, sob a complacência e sorriso da direita. Que saiba, Portugal não mandou bitaites para Espanha sobre o que fazer com a Catalunha.

Ponto 3: Quanto a derrotados, há muito que dizer. A direita obteve o seu 2º pior resultado desde o 25 de Abril. Não é por porem-se em bicos de pés e andarem a berrar em tudo que é local na internet, que multiplica a quantidade de eleitores de direita.

Cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 12:05

A grande falacia do ponto 1
os eleitores ate podiam nao querer o passos coelho primeiro ministro no entanto votaram tantos na coligaçao que esta ganhou. pelo contrario nunca votaram numa hipotese de primeiro ministro por junçao de votos votando em programas antagonicos
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 12:12

"pelo contrario nunca votaram numa hipotese de primeiro ministro por junçao de votos votando em programas antagonicos" Bloco central PS+PSD com Mário Soares e Mota Pinto diz-lhe alguma coisa?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 12:25

diz que os eleitores votaram em partidos, e o que ganhou coligou-se a posterior. o que ganhou e foi votado. nao o perdedor
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 12:36

so para esclarecer

https://pt.wikipedia.org/wiki/IX_Governo_Constitucional_de_Portugal

https://pt.wikipedia.org/wiki/Elei%C3%A7%C3%B5es_legislativas_portuguesas_de_1983
Sem imagem de perfil

De CS a 23.10.2015 às 12:46

Deve ter um problema com a matemática, pois a esquerda é que ganhou nas eleições, basta contar os numero de votos da esquerda e os da direita.Se a direita (PAF, neste caso) tivesse ganho tinha maioria absoluta
A mim parece-me que só que o que a direita faz é que é válido.
À 4 anos ninguém votou numa coligação, pois não?
Mas pelo que o Presidente decidiu, tenho esperança que agora a direita vá perceber quem ganhou na realidade, tal como os mais incultos que acham que a direita ganhou.
Vai ser exemplificado no parlamento.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 12:50

As falacias continuam, ha quatro anos ninguem votou numa coligaçao, mas o partido vencedor decidiu fazer essa coligaçao, o partido vencedor e nao o perdedor.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 23.10.2015 às 10:39

Aquilo que o PR fez mais parecia uma conferência de imprensa do Jorge Jesus, tal foi o baixo nível, provavelmente pela primeira vez em democracia terá de ser afastado um PR por este não cumprir a constituição (assumindo que o governo cai e ele não dá posse a um governo que se apresente como alternativa e de maioria)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 11:14

O governo pode cair, depois convocam-se novas eleições em 2016, e aí PS, PCP e BE podem concorrer em conjunto anunciando à partida um programa eleitoral comum, evitando a troca de insultos e acusações que marcaram a anterior campanha eleitoral, e que tornam muito difícil acreditar num acordo entres estes partidos por uma razão que não seja a de serem uns mercenários ainda pior que aqueles que actualmente estão no governo.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 23.10.2015 às 11:26

Já referi que o PR mais parecia o Jorge Jesus que outra coisa, e o seu comentário parece referente a um benfica-sporting. Acho que não podemos chegar a niveis mais baixos neste país, estamos bem entregues, estamos...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 10:45

o cavaco fez o que tinha a fazer, quem ganha governa, se o parlamento nao concorda, chumba o governo e os eleitores tiram as devidas ilaçoes e os partidos assumem os seus onus. claro que muitos queriam ir para o poder pela porta da secretaria, nao deu, veremos se tem forma de ir pelo parlamento, pois que quanto a novas eleiçoes acho que vao ser muito esclarecedoras sobre esta embrulhada toda.
Sem imagem de perfil

De cidadão atento a 23.10.2015 às 11:07

Não sei porque tanta indignação por se ter cumprido o dever de, dar o seu, a seu dono. Então veja-mos, quem foi que ganhou as eleições ? Quem foi que votou e deu a vitória à coligação, não foi o Povo ? Se bem me lembro há uma canção que diz "O POVO É QUEM MAIS ORDENA ", será que esta parte da canção, que tanto legitimava a democracia deixou de ter valor ? O momento é de importância sem par, na história de Portugal Democrático, deixem a democracia prosseguir passo a passo, e até pode ser que na hora das votações na A.R. o queijo limi....., volte a ter preponderância, e a vontade do Povo seja aceite. Se Portugal estiver bem sou um Português feliz.
Sem imagem de perfil

De Pedro Santos a 23.10.2015 às 11:08

Mas alguém acredita em estabilidade quando se juntam partidos tão diferentes? PS é um partido de centro...direita. Esbanja dinheiro (barragens que são desnecessárias, fetiches com TGV e novo aeroporto, auto-estradas por onde não passam carros,...), é uma plataforma para os seus membros conseguirem cargos de topo nas maiores empresas portuguesas, dá esmolas ao povinho incentivando os desempregados a continuarem desempregados e pouco mais.
PCP é o partido do NÃO. É contra tudo e não muda o seu discurso. Perdeu-se na década de 70 e actualmente vive principalmente à custa do saudosismo da terceira idade.
BE, revolucionário, não tem propostas (tirando a legalização do consumo de cannabis e uma redução da idade para votar, tentando conseguir votos entre os adolescentes com pouco juízo). É contra a direita por princípio. Se a direita decidisse legalizar a cannabis , provavelmente estariam contra.
Juntar 2 comunistas radicais com um partido como o PS, nunca resultaria. Bastava que o PS, chegado ao poder, tivesse que aumentar impostos, para os seus dois amiguinhos imediatamente ficarem numa situação muito desconfortável pois são sempre a favor do aumento salarial (mesmo quando não há dinheiro para o mesmo) e da redução dos impostos.

Se tivessem concorrido às eleições em conjunto, a maioria seria dos partidos de direita, porque muito dificilmente os apoiantes do PS concordariam com uma aproximação à esquerda radical, nem tão pouco estariam os comunistas e bloquistas satisfeitos com um acordo com o partido por eles tão criticado durante a campanha.

Nas palavras de António Barreto e Francisco Assis, isto não passa de uma tentativa desesperada de chegar ao poder, com poucas hipóteses de trazer algo de positivo ao país e muito provavelmente significará o suicídio político dos intervenientes e uns próximos mandatos bem confortáveis para a direita.

Tudo isto seria diferente se os partidos políticos realmente se importassem com o nosso país e não vivessem obcecados com o poder. Temos partidos e políticos que colocam os seus interesses pessoais à frente dos interesses nacionais e dos eleitores que neles confiaram. O facto de anunciarem que votarão a favor ou contra um orçamento antes mesmo de o conhecerem já diz muito sobre a nossa classe política. Estes deputados foram eleitos por círculos eleitorais de todo o país e deviam defender os interesses dessas povoações , mas parece que se esquecem imediatamente disso, só se preocupando com o poder central.
Sem imagem de perfil

De Hugo Mota a 23.10.2015 às 12:07

Caro Pedro Santos,

Vejo que é um apreciador de estereótipos. Se fosse utilizar o seu tipo de pensamento e preconceito, dizia-lhe então que você, como eleitor de direita, é um fascista.

O PS opta, e bem na minha opinião, pelo modelo keynesiano de crescimento. Confundir alguns eventuais erros do passado (TGV ou Aeroporto, que não chegaram a se materializar) com a evidência ideológica de que o Estado deve dar o seu contributo directo no crescimento da economia, é no mínimo, má vontade. Que saiba, até o vosso próprio deus Cavaco, esbanjou a torneira aberta (a quase fundo perdido!!!) da então CEE, em tudo e mais alguma coisa, menos em orientar o dinheiro para o crescimento sustentado do país.

O PCP e BE ainda não governaram para que possam ser devidamente avaliados. Como tal, não posso dizer bem ou mal, de uma coisa que não conheço. Sei sim, que durante a sua existência, sempre batalharam implacavelmente pelos direitos dos trabalhadores, e dos desfavorecidos em geral. Sob um ponto de vista humano, é bem mais louvável do que a presente política de empobrecimento e espezinhamento dos mais fracos, tão querida do vosso recém indigitado PM

É fantástica a hipocrisia da direita, que tanto desdenha a esquerda, mas nos vossos empreguinhos já vos dá jeito os direitos para os trabalhadores por ela conquistados.
Sem imagem de perfil

De CS a 23.10.2015 às 12:51

Comentários de quem tem memória curta. À 4 anos o PSD ganhou eleições a dizer que nunca cortaria ordenados, que foi a 1.ª coisa que fez.
Depois como se não bastasse, nessa mesma semana o PM compra um carro de 150.000€, mas isso não é esbanjar.
Mais tarde quer cortar 8% de TSU aos funcionários para dar aos patrões.
Sim, isto não é esbanjar é ROUBAR a quem trabalha.
Só foi o governo que mais gastou COM ELE.
Pelo menos a esquerda pode esbanjar mas também dá.
Felizmente não tenho memoria curta.
Sem imagem de perfil

De cidadão atento a 23.10.2015 às 11:11

Não sei porque tanta indignação por se ter cumprido o dever de, dar o seu, a seu dono. Então veja-mos, quem foi que ganhou as eleições ? Quem foi que votou e deu a vitória à coligação, não foi o Povo ? Se bem me lembro há uma canção que diz "O POVO É QUEM MAIS ORDENA ", será que esta parte da canção, que tanto legitimava a democracia deixou de ter valor ? O momento é de importância sem par, na história de Portugal Democrático, deixem a democracia prosseguir passo a passo, e até pode ser que na hora das votações na A.R. o queijo limi....., volte a ter preponderância, e a vontade do Povo seja aceite. Se Portugal estiver bem sou um Português feliz.
Sem imagem de perfil

De Pedro a 23.10.2015 às 11:47

Claro, este governo de direita aquilo que faz é acordar todas as manhãs e pensar na forma de entalar mais o país...mas alguém ainda acredita nisto ??

Pensam que andamos todos a dormir ?? Depois de 4 anos dificílimos os portugueses mostraram nestas eleições que acreditam que o rumo difícil tinha de facto que ser percorrido e quando toda a gente esperava que as histórias da carochinha e do faz-de-conta vencessem, os portugueses mostraram que estão acordados e que não são parvinhos.

Também não sei quem é que dita as regras de colocar posts em destaque no sapo...tem que se lhe diga. O que esta oposição faz é cuspir sempre o prato que se lhe poe à frente, tá sempre tudo mal feito. E que tal crescer em vez de perguntar à maezinha : "o que é o jantar ?" !!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.10.2015 às 11:58

O discurso mais vergonhoso de um PR desde que há democracia em Portugal.
Já tinha feito um, igualmente manhoso, aquando da sua reeleição, revelando o seu mau carácter intrínceco e o seu espírito mesquinho e vingativo. Este, na qualidade de PR, ultrapassou o que era expectável.
Daqui a 10 dias, mais coisa menos coisa, terá o vexame que merece, com o chumbo do governo que preferiu. E se continuar a marrar e a não viabilizar uma solução governativa apoiada pela maioria na AR (i.e., pela maioria dos que votaram) liderada pelo PS, recorrendo ao expediente do governo de gestão, prevejo uma sucessão de vexames até à sua saída do cargo pela porta das traseiras.

Comentar post


Pág. 1/2








Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D