Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Imagem do Pontos de vista

 

Não ando nos meus dias e isso nota-se até na forma como às vezes deixo passar as conversas e prefiro estar calado a entrar em discussões que no fim não me levam a lado nenhum.

 

Um destes dias à hora do almoço discutia-se o Eurogrupo e as decisões sobre a Grécia, havia alguém espantado em como Grécia não só não quer pagar a dívida, como se prepara para a seguir a não pagar, pedir mais dinheiro a quem "ficou a arder"

 

Ainda esbocei um "mas ninguém disse que eles não querem pagar...", a pessoa estava com tanta atenção à sua sabedoria que (felizmente) não me ouviu, 

 

Há muito quem pense como ele, assim como há muita gente que acha que a saída do Euro significa não pagar as dívidas, deve ser o que pensam alguns iluminados que acham que Portugal deve voltar ao escudo, eu sinceramente não percebo o que tem uma coisa a ver com a outra.

 

Saindo ou continuando no Euro as dívidas vão continuar a existir, seja para Portugal ou para a Grécia. Se a Grécia sair do Euro vai deixar de estar tão controlada, vai ter liberdade para fazer orçamentos mais liberais e não ter tantas preocupações com défices e rácios, mas por outro lado irá ter muitas mais dificuldades em ter crédito. Em lugar de ter uma moeda forte passará a ter uma que poderá desvalorizar para obter liquidez, mas como a sua dívida continuará em Euros ou em último caso em Dólares, o que vai acontecer é que esta irá aumentar de forma exponencial e além disso, como tem uma balança comercial negativa, a inflação tomará conta do país e a população verá o seu salário e as suas poupanças desaparecer ao ritmo que aumentam os preços dos bens importados.

 

Há quem veja algo de positivo nisto tudo, eu sinceramente não consigo ver onde estará esse lado positivo, e também não acho que alguma vez a Grécia abandone o Euro..a menos que seja para aderir ao rublo.... mas para isso o preço do petróleo terá que aumentar muito mesmo..

 

Quer isto dizer que a única solução é a Troika e a austeridade? Não, é claro que não, assim como acho que a Grécia não sairá do Euro, também acho que nas condições actuais, nunca conseguirá pagar a sua dívida, o mesmo se aplica a Portugal, como é que com um crescimento de 1 ou 2 % se consegue gerar riqueza para pagar juros  de 4 ou 5%? A resposta é simples, não se consegue, é impossível.

 

Mesmo com a austeridade e os impostos brutais dos últimos anos, a dívida Portuguesa não parou de aumentar,  da Grega nem se fala, como é  possível que alguma vez se amortize?

 

Não sei se será agora, se será daqui a uns anos, mas mais tarde ou mais cedo alguém vai ter que parar para pensar noutro caminho qualquer para se conseguir sair deste circulo vicioso de divida que  tem juros que geram dívida que geram juros que geram dívida. 

 

Diz a imagem acima que as revoluções começam sempre em ruas sem saída, acho que a Europa chegou a uma dessas ruas agora só falta mesmo tirar as cadeiras aos velhos do Restelo que insistem em esconder o muro.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


6 comentários

Imagem de perfil

De CM a 25.02.2015 às 17:27

Eu não teria conseguido resumir a situação de melhor forma! Curto, claro e conciso! Parabéns!
Imagem de perfil

De cheia a 25.02.2015 às 19:34

Sou da sua opinião. A saída do Euro não é boa nem para Grécia, nem para Portugal, nem para qualquer outro País. Por isso, fico muito preocupado quando oiço : " temos de nos preparar para a saída do Euro", quanto a mim, são os que, quanto pior, melhor. Quando deveríamos aproveitar a luta dos Gregos, para que a CE volte a discutir políticas, em vez de impor empobrecimento, atiramos- lhes pedras!
Sem imagem de perfil

De s o s a 25.02.2015 às 23:50

a primeira expressao que me ocorreu apos a leitura do texto foi justamente "parabens" mas hesitei, para nao correr o risco de ser mal interpretado, mas por outro lado os leitores nao sabem que já anteriormente li mais textos neste blog. A parte "circulo vicioso de divida que tem juros que geram dívida que geram juros que geram dívida " só por si retrata bem a situaçao . Também nao sei o que é melhor, mas tambem nao tenho de decidir por todos. Mas concordo com a grecia de que a divida deve ser paga com os lucros do crescimento, e nao com o sangue do empobrecimento.
Imagem de perfil

De J.S.M.suave e nas tintas a 26.02.2015 às 03:45

Há dias, ouvi numa Comissão Parlamentar, criada com o propósito de analisar a saída dos americanos da base das Lajes, uma deputada comunista indignar-se com o ministro da Defesa por, segundo ela, o governo não ser capaz de obrigar os americanos a abandonar as Lajes - como sempre defendeu o seu partido, por nunca concordar com a presença militar imperialista no território português - e, simultaneamente - pasme-se - não os obrigar a manter os postos de trabalho criados pela sua presença no territorio.
Lembrei-me deste episodio, agora, ao ler o seu post , por me parecer que o absurdo dessa afirmação também se aplica ao seu raciocínio em relação ao problema grego, isto é: queremos mantermo-nos na zona euro mas não queremos cumprir as contrapartidas: a solução é continuarem a emprestar-nos dinheiro e os credores desampararem a loja - Queremos os credores fora da Grécia e o seu pilim dentro. Perfeito! É pra já.
Quanto ao facto de não pagarem se saírem do euro, é, parcialmente verdade, visto que, os empréstimos contraídos com a TROIKA passam a ser considerados perdidos pelos estados credores, pela natureza dos compromissos estabelecidos , já as dividas aos mercados financeiros mantêm-se válidas como é obvio.
Mas o que as feras do Syrisa queriam - quais pedintes envoltos em maltrapilhos , era de fato um perdão caridoso (cristão), uma caridadezinha de conveniência muito pouco digna de ateus marxista.
Moral da história: estes senhores nem parar fazer revoluções servem, e o povo grego rapidamente vai deixar de querer brincar ao faz de conta com eles.
Imagem de perfil

De golimix a 26.02.2015 às 11:16

Há outros caminhos certamente mas que nào interessam a quem lucra com os juros da dívida. Para uns enriquecerem outros empobrecem!
Nunca me aconteceu ser tão difícil fazer render o dinheiro que ganho até ao fim do mês. E olha que não vou a cafés, nemreutaurantes, não fumo e tenho tentado poupar mas, mesmo gastando o essencial, no fim do mês estou a zeros! Como é que dá para poupar algum?
Sem imagem de perfil

De Para que tb conste. a 17.03.2015 às 18:53

Venho em missão: divulgar este artigo de um jornal belga: http://www.20minutes.fr/economie/1563175-20150316-hjalmar-schacht-banquier-adolf-hitler-genie
Deixo aqui um aperitivo - " L’Allemagne est le pays qui a connu le plus fort allègement de sa dette au XXe siècle –il a bénéficié d’une autre réduction conséquente après la Seconde Guerre mondiale- et au XXIe siècle, il est celui qui se montre le plus intransigeant pour que les autres pays s’acquittent des leurs…"
Tradução (para o caso de não saber tocar piano :) " A Alemanha é o país que teve o maior alívio de dívida no século XX - beneficiou de mais uma redução consistente depois da 2ª G. Mundial - e no XXI é o mais intransigente em relação ao alívio da dívida dos outros países ..."

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor






Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D