Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Abstenção

 

 

Quem ganhou estas eleições europeias? Não há como fugir à matemática, quem tem mais votos ganha, e esta vez quem teve mais votos foi o PS, ainda que esta vitória seja relativa.

 

O PS estava à espera de uma enorme derrota do governo para já esta semana lançar uma moção de censura e tentar que o presidente da República convocasse legislativas antecipadas, uma diferença de 4% não é uma vitória por aí além, e não me parece que convença alguém de que há legitimidade para fazer cair o governo de Passos Coelho e Paulo Portas.

 

A CDU, tal como em quase todas as eleições, declara-se como um dos vencedores, terá tido perto de 12% dos votos, também não me parece que seja motivo para grandes euforias, afinal supostamente o país está descontente com as políticas do governo e dos partidos do arco do poder, parece-me sim que terá sido este partido quem mais beneficiou da enorme abstenção, os seus votantes são fieis e não faltam nunca.

 

O Bloco de esquerda é sem dúvida nenhuma o maior derrotado destas eleições, para um partido que já esteve acima dos 10% em outras eleições, 4% são a prova de que há algo de muito errado com as linhas políticas escolhidas pelos seus actuais dirigentes, a perda do eleitorado tem sido uma constante ao que se tem juntado o abandono do partido por algumas das figuras mais carismáticas também elas descontentes com o rumo das ideias.

 

Por fim, do meu ponto de vista o maior vencedor destas eleições será Marinho Pinto, que levou o Movimento partido da Terra acima dos  7%, eu não gosto de populistas, não gosto de Marinho Pinto nem comungo com as suas ideias. Mas não deixo de reconhecer que numa campanha vazia de ideias ele terá sido quem melhor conseguiu chegar aos eleitores, mas isso não é só mérito dele, é sobretudo demérito dos partidos políticos, de todos os partidos políticos.

 

Há outras ideias que podemos retirar destes resultados:

 

Em primeiro lugar os partidos do arco do poder, os que nos levaram à situação onde estamos,  tiveram 60% dos votos, e isso só pode significar que afinal, não há assim tanta gente descontente com a austeridade e os cortes como por vezes parece, só isso explica que se continue a votar nos mesmos.

 

Se fosse verdade que quase metade da população está mais pobre e uma boa parte na miséria, de certeza que os resultados seriam outros.

 

Por fim, há muita gente que acha que quem ganhou as eleições foi a abstenção, isso não é verdade, a abstenção só serve para as estatísticas, não elege nem castiga ninguém. O facto de que dois terços do país não tenha ido votar só mostra que as pessoas não se importam com o seu futuro ou que estão contentes com quem governa, de resto, as eleições valem o mesmo quer votem 100% ou um por cento.

 

Por fim, e olhando para o panorama Europeu, começa a ser assustador o avanço da extrema direita na Europa, que em França ganhe Le Pen mesmo depois daquelas declarações sobre o ébola, é mesmo muito assustador.. eu sei que a história não se repete... mas ainda não passou assim tanto tempo desde a segunda guerra mundial como para isto já estar a acontecer outra vez.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Eu a 26.05.2014 às 01:18

O Sr Jorge deve ter andado a questionar a abstenção para chegar a essas respostas do não se importam ou estão contentes... ou deve ser essa a sua opinião? Diga-me então, será votar num partido em que se está filiado estupidez ou fanatismo? É que realmente nunca percebi as atitudes de certas pessoas... O que não faltam são ideias que se podem tirar de qualquer resultado... Ideias é o que não falta ao nosso ser...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.05.2014 às 08:48

Não é preciso questionar nada, tirando algunscasos que serão uma minoria em que as pessoas por motivos alheios À sua vontade de votar não se podem deslocar às urnas, o resto se não vota é porque não quer saber.... ou seja, não se importam ou estão contentes.

Qual é a sua explicação para que 66% dos portugueses não ponham lá os pés?

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Cris a 26.05.2014 às 07:11

Quem disse que a história não se repete, Jorge? Não faltam repetições da história ao longo da mesma. Principalmente se há ignorância por parte das pessoas pela história passada. É certinho que esta se repete. Só para teres uma ideia, pergunta a um jovem inglês quando foi a segunda guerra mundial e ele ficará a olhar para ti com cara de lorpa. Sabes porquê? Não deu isso na escola...
Sem imagem de perfil

De Miss_Moi a 26.05.2014 às 13:59

Para mim a CDU foi uma das vencedoras.
O BE foi o grande derrotado. Espero que o partido perceba que a coordenação bicéfala não resulta. Perderam os votos de protesto que foram para Marinho Pinto. Não sei bem o que esperar dali, mas a ver vamos.
Quanto a Le Pen, estou preocupada. A História repete-se e a verdade é que em grandes crises económicas a extrema-direita ganha projecção. A Europa está a enfrentar uma grande crise, abandonou os seus valores e os países já se estão a virar contra os imigrantes (França e mais recentemente a Alemanha), ignorando todos os tratados europeus.
Quanto à abstenção, isso também me assusta. Como é possível os portugueses estarem tão descontentes com uma democracia tão nova como a nossa?
O Governo devia reflectir sobre isso.
Boa semana,
Miss_Moi
Imagem de perfil

De golimix a 26.05.2014 às 19:08

A abstenção, para além de me assustar, choca-me.

1º- Ou temos muita gente que, não entanto informada sobre o que realmente se passa na política, resolve não votar para não fazer asneira. E se não estão informadas deveriam estar, ou deveriam fazer por isso. Mas se não lhes interessa a política, um direito que lhes assiste, pelo menos deveriam interessar-se por quem batalhou para que todos tivéssemos o direito de votar. E deveriam, pelo menos em memória desses, ir exercer o seu direito de cidadãos.

2º- É grave que num país em crise haja muita gente a não querer saber o suficiente para se deslocar às Urnas de Voto!

3º- Quem foi o grande perdedor não foi nenhum partido. É como sempre o povo Português, que escolhe mais dos mesmos que os levaram até onde todos estamos.
Imagem de perfil

De Kok a 29.05.2014 às 20:50

O ganho do Sr. Pinto veio da sua popular truculência (perdoem-me se estou errado na apreciação) como advogado que as televisões gostavam de mostrar e do silêncio a que foi votado nesta campanha.
Também o desencanto que os políticos profissionais (???) provocam/demonstram na/e para a maioria das pessoas.
Tudo isso sem esquecer que votaram pouco mais de 1/3 da população.
No próximo ano e para as legislativas espero bem que todo este cenário não se repita!

1 abraço pah!

Comentar post








Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D