Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





clifebarbosa.jpg

 

Imagem do Facebook de Clife Barbosa

 

Ser diferente não é um problema,

o problema é ser tratado de forma diferente

 

 

Eu não gosto de tatuagens, tal como não gosto de piercings, não gosto, logo não uso, mas isso não quer dizer que não entenda que existam pessoas que gostam e usam, infelizmente há neste mundo muita gente que mede os outros por si mesmo e não é capaz de entender que há lugar no mundo para todos e não há pior defeito que a intolerância.

 

O trecho seguinte foi retirado do Facebook de Clife Barbosa, que é senhor ali da fotografia acima, que como podemos ver, gosta de tatuagens.

 

"É com alguma tristeza que partilho isto com vocês, ou seja nós demos a inscrição da Mel num colégio para o próximo ano lectivo e asseguraram-nos que tínhamos vaga numa IPSS, o problema veio depois quando chegou aos ouvidos da directora que eu tatuava. Fomos contactados para uma reunião com a suposta educadora, afinal qual não foi o nosso espanto que a reunião era com a directora que fez logo cara de nojo quando viu os meus braços. Durante a reunião sempre com a mesma expressão a olhar para mim, e até comentou "pois essas tatuagens...", e perguntou se no primeiro ano não tínhamos ninguém para ficar com ela, por exemplo os avós, a qual pergunta à minha mulher respondeu que não, e a directora perguntou logo a seguir como não? " então? Não aceitaram o casamento foi?", ficamos chocados e sem fala praticamente para não dizer que nos deu uma proposta de mensalidade acima dos rendimentos que apresentamos porque era intenção não podermos pagar, para a Mel não ficar lá por eu estar tatuado!!"

 

Infelizmente, pelo menos que eu visse, ele não divulgou o nome da senhora ou da instituição, deveria, porque mais não seja para que mais ninguém seja sujeito a atitudes destas, estas coisas devem ser denunciadas com nome e apelido. Se virmos bem, a "senhora" inclusivamente cometeu pelo menos uma ilegalidade já que nas IPSS as mensalidades tem de ser calculadas com base nos rendimentos e evidentemente não podem variar de acordo com o número de tatuagens dos pais das crianças.

 

Há quem ache que somos um povo tolerante, depois acontecem estas coisas, e quando não é com as tatuagens é com as pessoas de cor, ou com os ciganos, ou com os emigrantes de leste, ou.... a verdade é que há muita gente que continua a viver noutro mundo, num mundo em que cada um julga os outros por si mesmo e em que quem as diferenças não existem... 

 

Quando é que as pessoas vão perceber não há problema nenhum na diferença, que o problema é tratarmos os outros  de forma diferente?

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:59

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


2 comentários

Imagem de perfil

De Kok a 23.07.2015 às 12:04

Pois é, há ainda cabeças que precisam de ser "tatuadas interiormente"; continuam a existir mentalidades pouco menos que medievais, em pleno século XXI.
Se não são pelas tatuagens será por serem de cor diferente, ou por serem estrangeiros, ou por serem... o que lhes vier à cabeça.
E assumem atitudes de pequenos ditadores como foi o caso. Má sorte de quem deles precisa.

1 abraço pah!
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 23.07.2015 às 15:57

Nao ha problema nenhum na diferenca?

o tema e polemico porque lavanta outras questoes, por um lado todos somos iguais perante a lei, sem duvida. mas por outro lado todos somos iguais socialmente? Aqui e que a coisa se complica, a primeira carta de apresentacao para quem nao nos conhece e a nossa aparencia, se as pessoas nao tem obrigacao de nos conhecer ou vir a conhecer profissionalmente, a unica via de criar empatia ou antipatia e a aparencia, e aqui entram conceitos que formamos ou nos formaram durante o nosso crescimento os estereotipos por exemplo .

A nivel privado isto tem muita importancia, conheco pessoas com pequenos negocios que dizem que nunca lhes passaria pela cabeca discriminar outros. quando confrontados com a questao se empregariam um cigano por exemplo, a cara muda logo de expressao e a resposta e nao. porque a resposta e basica e fundamental, a confianca, nao tem confianca. de onde vem esta falta de confianca? pois da um tratado sociologico.

Nao gosto de tatuagens, de pessoas que escondem o corpo debaixo desenhos e mais desenhos, nao quer dizer que me repugne uma ou outra tatuagem com um significado especifico para a pessoa, mas repugna a minha estetica visual um amontoado de desenhos num corpo, se nao prejudicaria ninguem ou descriminaria ninguem por isso legalmente, noutras circunstancias ja seria um impeditivo para me aproximar ou a escolha de alguem com essas caracteristicas.

Comentar post








Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D