Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Deus não existe, ponto final!

por Jorge Soares, em 10.12.15

solidao.jpg

Imagem retirada da internet

 

O post de ontem deu muito que falar, pelos vistos um ateu é capaz de chatear muita gente (tanta intolerância) e gerar muitas  opiniões, já que estamos numa de recordações, o texto seguinte é de 11 de Dezembro de 2008 (aqui).

 

A propósito do post sobre o natal que escrevi há dois dias, recebi o seguinte comentário por email:

 

 "Espertinho o menino!...  "como é o vosso natal, falem-me do vosso natal..." ;-)) Ora nega lá que o que esperas mesmo é ver aí a malta  a dissertar sobre o primeiro parágrafo..."

 

O primeiro parágrafo falava sobre o facto de eu ser ateu e de "deus não existe, ponto final". A minha amiga Linda achou que o resto do post era para encher e que o verdadeiro motivo era este... pois não, a minha ideia era tentar perceber os sentimentos das pessoas sobre o natal... aquele parágrafo era só para explicar o contexto do meu sentimento sobre o natal.

 

Mas ela dizia mais, dizia o seguinte:

 

"Sabes que eu acho um nadinha pretensioso esse teu jeito de afirmar; "sou ateu, Deus não existe e ponto final"

Na minha modesta opinião, alguém que como tu, perentóriamente, se afirme assim, tem de provar que Deus não existe."

 

Qualquer tentativa de demonstração da existência ou não de deus é tempo perdido, porque algures vai esbarrar no "É uma questão de fé"... e isso é algo que não tem discussão. Sou sincero, eu não consigo perceber qualquer argumento que comece ou termine em, "é uma questão de fé", e portanto resta-me um só caminho, deus não existe, ponto final.

 

Fui batizado e educado na religião católica, catequese e comunhão solene incluida. Um dia dei por mim a pensar que aquilo não fazia sentido, primeiro deixou de fazer sentido tudo o que dizia respeito à igreja, a católica ou qualquer outra, aquele deus capaz de perdoar e de castigar, Jesus, a virgem, os santos, a criação, o pecado, nada fazia sentido. Com o tempo o próprio conceito de deus deixou de fazer sentido.

 

Dei por mim a pensar que as pessoas precisam de um deus porque se sentem sós, porque não conseguem encontrar carinho e apoio em quem os rodeia. O conceito de deus existe porque falhamos como seres humanos, porque não somos capazes de ajudar e apoiar as pessoas que estão à nossa volta. Muita gente se escuda na fé, vão à igreja, rezam, acreditam, mas não são capazes de dar um bocadinho de si para tornar mais leve e mais feliz a vida de quem os rodeia. Deus é tantas vezes a ultima esperança, porque já batemos a muitas portas e elas não se abriram, porque já apelamos a muitos sentimentos e só recebemos o vazio como resposta, ou porque já batemos tantas vezes com a cabeça na parede e não fomos capazes de aceitar a ajuda que se nos oferecia, que já não há quem seja capaz de nos ajudar.... nessa altura, deus é a resposta. Quando todas as pessoas à nossa volta nos falharam ou quando nós próprios falhamos, resta-nos a fé.

 

Devemos ter fé sim, mas é em nós, nas nossas capacidades e nas das pessoas de quem gostamos e devemos ter a humildade de suficiente para aceitar que somos simplesmente humanos e que por vezes precisamos de ajuda. A vida é dar e receber, mas é dar e receber de seres humanos como nós, não de um qualquer deus. Os primeiros humanos chamavam deus a tudo o que não conseguiam explicar, com o tempo tudo se foi explicando, agora, chamamos deus à nossa solidão.

 

Pronto, e agora podem dissertar à vontade.... sobre, deus não existe, ponto final!

 

           NATAL
"Leio o teu nome
Na página da noite:
Menino Deus...
E fico a meditar
No milagre dobrado
De ser Deus e ser menino.
Em Deus não acredito.
Mas de ti como posso duvidar?
Todos dias nascem
Meninos pobres em currais de gado.
Crianças que são ânsias alargadas
De horizontes pequenos.
Humanas alvoradas...
A divindade é o menos."
 
Miguel Torga 
(Obrigado Linda)

 

Jorge Soares

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:32

Imagem do Pontos de vista

 

Raif Badawi é blogguer e co-fundador do site Rede Liberal Saudita, segundo quem o condenou é culpado de: ser activista dos direitos humanos, ateu, criticar o poder dos líderes religiosos da Arábia Saudita e a sua ingerência na vida politica no país. Por estes crimes foi condenado a 10 anos de prisão e a receber 1000 chicotadas que deverão ser dadas em público ao longo de 20 semanas. A mulher e os dois filhos fugiram entretanto para o Canadá com medo de represálias por parte das autoridades sauditas e/ou fanáticos religiosos.

 

Há uma semana atrás recebeu as primeiras 50, na sexta feira passada, a pedido dos médicos da prisão,  foram adiadas as segundas 50 devido a que as feridas das primeiras ainda não tinham sarado o suficiente.

 

Tal como Raif eu sou blogguer, quem me lê sabe que sou ateu, que muitas vezes critico os lideres religiosos portugueses e mundiais, e é habitual criticar o governo e o presidente da república... felizmente vivo num país onde ainda existe liberdade de expressão, é possível pensar, ter opinião e onde os castigos com chicotadas foram abolidos algures no século XIX quando por cá terminou a idade média.

 

Há muita gente que não percebeu o porquê da gigantesca manifestação em Paris, ou o que significa "Je suis Charlie", aqui está a explicação. Tal como explicava há pouco à minha filha adolescente e blogguer recente, se cedermos agora, se formos na conversa idiota do "Eles estavam a pedi-las", o mais certo é que a seguir usem a força para calar os bloguers ocidentais, depois serão os jornais normais, e quando dermos por nós  terminaremos todos em silêncio com medo das chicotadas.

 

A liberdade de expressão é um bem precioso, a maioria das pessoas nem dá pela sua existência no dia a dia, em Portugal, como em muitos outros países, custou muitas vidas e muito sofrimento para poder ser conquistada, é portanto um direito do qual não podemos de forma alguma abrir mão.

 

A Amnistia Internacional já condenou esta pena e tem em curso uma campanha e uma petição que exige a libertação imediata do ativista.

 

#FreeRaif

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:59

O fio pouco aprumado de Helena Sacadura Cabral

por Jorge Soares, em 07.01.13

Pagar impostos é um sinal da cultura civica

Imagem de aqui

 

"Se não chegar, arranjo um ou dois explicandos, cuja receita é integralmente para mim. Voltarei, deste modo, aos anos sessenta, quando tinha o primeiro emprego. Só que não tenho a mesma idade. Mas, em compensação, sou muito mais sabida..." Helena Sacadura Cabral no seu Blog Fio de Prumo

 

Alguém me explique qual a diferença entre dar explicações e embolsar toda a receita sem declarar os rendimentos ao fisco e fazer obras sem passar factura para não se pagar o IVA, ou dar consultas e ter um preço para quem quer recibo e outro para quem não quer, ou ter um restaurante e ir à caixa registadora apagar a conta após a saída dos clientes que não pedem factura, ou ter um café e para uma conta de 4 ou 5 Euros registar os 60 cêntimos de um café?

 

Qual a diferença entre os feirantes da reportagem de ontem na feira do Relógio e quem dá explicações embolsando todo o lucro?.. para mim não há nenhuma, tudo isto faz parte da economia paralela que contribui em boa parte para o estado do país.

 

Mas é claro que há uma diferença entre a cigana que vende meias na feira e Helena Sacadura Cabral que até é mãe de um dos ministros do governo actual. A primeira não é exemplo para ninguém, a segunda é uma figura pública que até é economista de formação e que deveria saber que defendendo-se ou não a política deste governo, não é com exemplos destes que o país vai sair do atoleiro em que nos colocaram  os políticos que nos tem governado e as pessoas que acham que a economia informal é a solução ou a forma de combater uma má política económica.

 

O país somos todos nós e enquanto continuarmos a achar que as obrigações são só dos outros, não há Governo ou Troika que nos tire do buraco em que estamos. Pagar os impostos devidos é um sinal de civismo, pactuar com a economia paralela é um sinal de quê?


Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:09

2013, 365 oportunidades de ser feliz

por Jorge Soares, em 31.12.12

365 oportunidades para ser feliz

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

 

 

Todos sabemos que não vai ser fácil, mas não se esqueçam de ser felizes, em 2013 ou em qualquer outro ano

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:56

Janela

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Não parece nada, mas estou de volta, eu estou cá, hoje até já voltei ao trabalho, mas na realidade o que sinto é que parece que a minha mente se recusa a voltar ao ritmo normal.. à vida...estou aqui há meia hora a tentar debitar meia dúzia de letras e está complicado... não é que não tenha tema, tenho até vários de que queria falar, mas alinhavar 4 ou 5 palavras para que formem uma frase que diga algo coerente.... não está fácil...

 

Bom, desisto, por hoje, só vou dizer.. estou de volta. já lhes falarei das férias, dos campings, do excepcional verão que tivemos este ano nas Astúrias... agora vou ali olhar para as mais de 1300 fotografias que tirei e ver o que se aproveita...

 

Jorge Soares

 

PS:Acabo de descobrir que o Sporting perdeu em casa com o Rio Ave, isto está-se a compôr {#emotions_dlg.porto}

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:06

O que é uma doença rara?

por Jorge Soares, em 29.02.12
Dia mundial das doenças raras

 

 

O dia internacional das doenças raras celebra-se todos os anos no último dia de Fevereiro, e foi estabelecido como uma forma de chamar a atenção para importância do estudo destas doenças que afectam cerca de 7% da população mundial. Chamamos doenças raras a todas as que afectam a um número muito reduzido da população, o facto de estarem catalogadas mais de 5 mil destas patologias, faz que com que mesmo afectando cada uma a um número reduzido de pessoas, todas juntas elas são perto de 10% das doenças existentes e no seu conjunto afectam a um numero enorme de pacientes.

 

Estas doenças caracterizam-se por uma  ampla diversidade de distúrbios e sintomas cuja variação não se dá apenas de doença para doença, mas também de paciente para paciente, mesmo entre os que padecem uma mesma doença. Normalmente são muito difíceis de diagnosticar e normalmente não tem uma cura efectiva.

 

Mais de 75% destas doenças afectam as crianças, sendo que destas 35% morrem antes dos 5 anos de idade. 80% são de  origem genética, outras são o resultado de infecções (bacterianas ou virais), cancros, alergias e causas ambientais, ou de outras causas degenerativas e proliferativas.

 

São doenças que até porque normalmente não existe conhecimento científico anterior, são de diagnóstico demorado, que na sua generalidade tem tratamentos caros, demorados e que por norma são perturbadores da vida normal dos pacientes e das suas famílias.

 

 

Deixo aqui as palavras da Caracolinho, alguém que vive este assunto na primeira pessoa, que conheci na blogosfera e de quem aprendi a gostar:

 

"Sou uma pessoa rara. Sim, somos todos diferentes mas temos os meus problemas...nós 'raros' apenas temos uma luta diária, lutamos por pequenas coisas, essenciais, que as pessoas não costumam dar importância. Muitos das pessoas não nos vêem, ou não nos querem ver, e muitos quando nos vêem olham-nos como diferentes, sinceramente não sei o que é pior...deixo-vos a pensar nisso. Já não me incomoda (tanto).

 

Independentemente de tudo, no final do dia...não importa se somos raros ou não, o que realmente importa é a nossa resposta à pergunta mais original que um médico já me fez (e acreditem que durante os meus 28 anos já corri muitos médicos), o meu cardiologia no dia que me conheceu perguntou-me "És feliz?". E a verdade, pura e simples, é que sou muito feliz. E tu és feliz?"

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:04

Violência Doméstica

Imagem de aqui

 

Há coisas que me saltam à vista, mas que parece que ao mundo lhe passam ao lado, no outro dia numa reportagem na RTP sobre o Estripador de Lisboa foram falar com a vizinhança, ficamos a saber que o senhor era bom rapaz, quer dizer, de vez em quando a mulher andava na rua toda pisada, detalhes, mas nem isso não fazia dele um mau rapaz.

 

Eu fiquei chocado, toda a vizinhança sabia que ele arriava forte e feio na mulher até ela andar pisada na rua, mas pelos vistos nunca ninguém achou por bem denunciar a situação, o senhor até nem era má pessoa... tirando o pequeno detalhe... eu juro que chamei nomes à jornalista que deixou passar aquilo assim.

 

Custa-me ver como em algumas coisas o século XXI tarda tanto em chegar a Portugal, como ainda se olha para a violência familiar desta forma, em que parece que tudo é normal... Afinal o senhor terá matado 3 mulheres e isso é noticia durante dias, infelizmente a violência familiar mata umas dezenas de mulheres todos os anos e isso não é noticia nunca, talvez porque todo o mundo olha para o lado como olhavam os vizinhos do senhor e como olhou a jornalista que fazia a reportagem  ..... e como olhamos todos tantas vezes... 

 

Em resposta ao post que escrevi no dia internacional contra a violência Familiar, recebi o seguinte por mail:

 

"É incrível como há tão poucos testemunhos, e como tantas mulheres se revêm nesses "poucos".

Passei infernos, pensei muitas vezes que morria ali, mas consegui sair de uma situação assim! O instinto de sobrevivência leva-nos a coisas inimagináveis, que só quem sente a vida em risco é capaz de saber...

É lamentável, muito lamentável que morram mulheres todos os dias e quem sabe destas situações não o denuncie. Basta um telefonema!!!


Geralmente, pensa-se que não vale a pena (como já ouvi), porque a pessoa está lá e não faz nada, "passa a impressão" de que está porque quer, não se vai embora porque não quer...! Nada mais errado. Tudo tem um timing, e o principal nesta situação é aquele que garante a sobrevivência... e uma simples ajuda pode ser esse momento.
 

Eu, esperei de 2 anos para conseguir uma "saída" que garantisse a minha vida. Mas a verdade é que enquanto essa pessoa viver, eu viverei sempre desejando nunca o encontrar numa situação em que esteja sozinha.

 

Era solteira naquela altura, hoje refiz a minha vida, mas a marca vai ficar comigo até à morte. Não procuro a vingança, tomara que não se lembre de mim, mas recordo esta frase, (talvez porque me cruze com ele algumas vezes) "Senta-te na beira de um rio e verás passar boiando o cadáver do teu inimigo" Confúcio. Não me consome, mas torna-me a vida um bocado mais cinzenta..."

 

M.

Obrigado M. a tua primeira frase diz muito, e deixa-nos a pensar, tal como todo o teu testemunho, há coisas incríveis e que nos deveriam envergonhar... já agora, deixo o comentário da Cris ao mesmo Post... para que todos os que por aqui passam pensem um pouco no que significa o seu silêncio e a sua indiferença:

 

De crisn a 27 de Novembro de 2011 às 02:43
Mais importante de tudo , porque é que um post desta importância tem um único comentário ?

 

Cris, gostava de ter uma resposta, não tenho, e isso deixa-me triste.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33

Gritos mudos

Imagem minha do Momentos e olhares

 

Hoje é o dia internacional para a erradicação da violência doméstica, o ano passado morreram no nosso país 43 mulheres vitimas de violência doméstica, quase uma  por semana, este ano e até agora, morreram 23 mulheres vitimas de violência doméstica, de quantas ouvimos falar?, basta que alguém morra vitima de um assalto para  ouvirmos falar do assunto durante semanas, porque não ouvimos falar destas mulheres que morrem às mãos das pessoas com quem decidiram partilhar a sua vida? porque é que a nossa sociedade que discute atá à exaustão temas como o do casamento homossexual, simplesmente decide olhar para o lado nestes casos?

 

O Crime de violência doméstica é considerado um crime público, qualquer pessoa pode fazer a denuncia quando suspeita  da existência de violência familiar, não olhe para o lado, não espere que seja tarde, denuncie!!!!!!! 

 

 

Gritos mudos

 

 

Neons vazios num excesso de consumo

Derramam cores pelas pedras do passeio

A cidade passa por nós adormecida

Esgotam-se as drogas p'ra sarar a grande ferida

 

Gritos mudos chamando a atenção

P'ra vida que se joga sem nenhuma razão

 

E o coração aperta-se e o estômago sobe à boca

Aquecem-nos os ouvidos com uma canção rouca

E o perigo é grande e a tensão enorme

Afinam-se os nervos até que tudo acorde

 

Gritos mudos chamando a atenção

P'ra vida que se joga sem nenhuma razão

 

E a noite avança, e esgotam-se as forças

Secam como o vinho que enchia as taças

E pára-se o carro num baldio qualquer

E juntam-se as bocas até morrer

 

Gritos mudos chamando a atenção

P'ra vida que se joga com toda a razão

 

Xutos e pontapés

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:46

O blog tem uma nova decoração

por Jorge Soares, em 12.10.11

 

Este blog fez 4 anos no inicio de Agosto, o template antigo tinha mais ou menos 3, sou dos que entendem que os blogs devem chamar a atenção pelo conteúdo, um blog é como um livro em que o template é a capa, esta deve ser apelativa, mas o que realmente interessa é o que está lá escrito. 

 

Eu gosto de templates simples com cores que contrastem perfeitamente com as letras e de preferência sem muitos floreados. Andava há bastante tempo a pensar em mudar o template, principalmente porque cá por casa detestavam o anterior, principalmente a parte das velinhas, que segundo as criticas, não tinha nada a ver comigo... elas lá sabem.

 

A mudança foi sendo adiada principalmente porque quando temos um blog que se chama O que é o jantar?, não é fácil pensar numa imagem que se enquadre no cabeçalho.... há uns dias numa troca de mails com o Pedro da equipa dos blogs do Sapo, ele perguntou se eu não queria ajuda para mudar o template,.. e é claro que ante tanta simpatia e boa vontade, eu só podia aceitar.

 

O Pedro pôs-me em contacto com a restante equipa do SAPO e o resultado é o que podemos ver, simples quanto baste, leve e muito importante, não se sobrepõe ao texto, aliás, com a mudança das fontes a leitura tornou-se mais fácil. Também muito importante, as criticas cá da casa adoraram.

 

Resta-me agradecer à Mia (que saudades amiga) pela fantástica fotografia que durante quase três anos recebeu mais de 500000 visitas que por cá pararam e claro, à equipa do SAPO pelo fantástico trabalho que fizeram no novo template.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:54

Receita: Puré de batata laranja ... ou verde

por Jorge Soares, em 03.10.11

Puré de batata e cenoura

Imagem de aqui 

 

Há muito que não coloco aqui uma das minhas receitas... este fim de semana estive a olhar para os logs do blog e no último mês, se exceptuarmos os posts do Cristiano Ronaldo e da deserção do Ricardo Carvalho, o que regularmente tem mais visitas cá no jantar é o da receita de Bacalhau assado no forno sendo que a Truta Salmonada não anda muito longe... ou seja, a malta quer é comida e eu ando a dar-lhes política e futebol.... não é lá muito inteligente da minha parte.

 

A receita de hoje foi uma sugestão do livro da Bimby que foi mais ou menos adaptada e corrigida por mim  e pela minha meia laranja. Vou deixar aqui a versão para a Bimby, mas é perfeitamente adaptável por quem costuma fazer puré de batata por outros meios... coisa que eu nunca me atrevi a fazer.

Puré de Batata cor de laranja

Ingredientes

750 Gramas de Batata

250 Gramas de Cenoura (ou de brócolos)

250 Gramas de água

Sal

Pimenta

50 Gramas de manteiga ou margarina

 

Descasque as batatas e as cenouras, corte-as aos cubos e coloque-as dentro do copo com a borboleta. Junte a água e o sal.

 

Programe 25 minutos com a temperatura a 100 e velocidade 1

Adicione a Manteiga e pimenta ao gosto

Programe 30 segundos Velocidade 3.

 

Se gostar do puré mais liquido adicione mais água.

 

E Já está, nós por cá já experimentamos com cenouras, puré laranja e com brócolos, puré verde... mas aposto que resulta com couve flor, ou com abóbora e coentros, ou .... o limite é a imaginação....

 

A última vez fizemos para acompanhar os lombos de peixe com ervas aromáticas... e combinou mesmo bem

 

Jorge Soares

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:56

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails







Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D