Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Homenagem às mães de crianças com THDA

por Jorge Soares, em 03.05.15

 

 

Homenagem às mães de crianças com THDA (transtorno de hiperactividade e défice de atenção)

Está em Espanhol... mas vale na mesma

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:08

Então e o superior interesse das crianças?

por Jorge Soares, em 10.12.14

criança.png

 

Imagem do Sol

 

Acho que já o disse antes em algum post, não gosto da expressão "Superior interesse da criança", não gosto porque na maior parte dos casos ela é usada na conveniência dos adultos e não na verdadeira defesa das crianças... mas hoje lembrei-me dela, talvez porque neste caso ninguém a utilizou.

 

O caso é simples de explicar, há dois ou três dias a GNR mandou parar um carro (não sei em que circunstâncias) e verificou que lá dentro iam uma mãe e 4 filhos, dois deles ainda bebes e os outros dois de 5 e oito anos. Após os devidos testes verificou-se que a senhora ia a conduzir com uma taxa de álcool de 2.27, a seguir parou outro carro onde ia o pai das crianças, após os testes verificou-se que o senhor ia a conduzir  com uma taxa de álcool de 1.4. Como o limite é 0.8, e estavam ambos embriagados, as crianças forma encaminhadas para um centro de acolhimento.

 

Li algures que a família já estaria sinalizada pela comissão de protecção de menores tendo sido aberto um processo de promoção e protecção que foi entregue em Novembro, no Tribunal de Família e Menores da Comarca de Aveiro. Entretanto, após mais este episódio, foi-lhes sugerido que deixassem as crianças institucionalizadas até que eles resolvessem os seus problemas e organizassem a sua vida, coisa que não aceitaram e portanto, após a cura da bebedeira, estas foram-lhes entregues.

 

Vamos supor que não tinha aparecido a GNR e a senhora se tinha estampado contra uma parede com as crianças dentro do carro.... de quem seria a responsabilidade?... E se amanhã a senhora voltar a beber e voltar a conduzir ébria com as crianças dentro do carro e se estampar?... não vamos todos bater em quem lhe devolveu as crianças?

 

Eu sei que são muitos ses, mas será que neste caso o superior interesse daquelas 4 crianças não seria mesmo estarem institucionalizadas?

 

Mas sabem o que mais me irrita, é ler alguns comentários às noticias e ver como há tanta gente que acha que as crianças estão bem mesmo é com os pais... mesmo que estes bebam uns copos de vez em quando... até porque há quem beba muito mais e se aguente em pé.

 

Voltando à frase do titulo do post, qual acham que será mesmo o superior interesse destas 4 crianças? será ficar com pais que ébrios conduzem carros com eles lá dentro ou estar  institucionalizados para sua protecção?

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:27

Em Espanha há mães despidas de preconceitos

Imagem de aqui

 

 

Em Montserrat, uma pequena localidade perto de Valência, Espanha, a crise levou a que a autarquia retirasse os fundos para o transporte escolar, como a necessidade aguça o engenho, um grupo de mães decidiu despir-se de preconceitos e literalmente, despiram-se para aparecerem num calendário erótico e assim recolherem o dinheiro suficiente para garantir que os seus filhos não tivessem de ir a pé para a escola.

 

Começou por ser uma forma de chamar a atenção para a forma como o estado estava a cortar nos fundos para a educação, mas a  verdade é que neste momento as senhoras já conseguiram garantir o aluguer de um autocarro para os próximos 3 meses e as expectativas são que desta forma se consiga pagar o transporte para o ano inteiro.

 

Por cá há quem se dispa em manifestações contra a crise... mas há sem dúvida iniciativas muito mais inteligentes.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

Adopção crianças devolvidas

Imagem de aqui

 

"Ele é muito dócil mas há outra face, ele não queria saber da escola!"

 

Juro que me vieram as lágrimas aos olhos, como é possível?..estou para aqui a tentar verbalizar o que me vai por dentro e não consigo, como é que é possível?, como é que esta senhora tem a lata de vir dizer uma coisas destas para a televisão?  Mudava de roupa todos os dias..e isso é defeito?, teve 3 negativas num período... e isso é motivo para se abandonar uma criança ao fim de cinco meses e meio do período de pré-adopção?

 

Supostamente a imbecil, desculpem mas hoje não vou estar com meias palavras e não me ocorre nenhuma outra forma de me referir a ela, tem dois filhos biológicos, será que eram ambos perfeitos?, tiveram sempre boas notas, nunca se portaram mal, nunca fizeram uma asneira? Nunca os devolveu porquê? Porquê escolheu uma criança que já tinha sido abandonada antes, que viveu uma grande parte da sua vida na expectativa de encontrar uma família,  para a voltar a abandonar e a fazer sofrer?

 

Gostava sinceramente de falar com as assistentes sociais que fizeram a avaliação do processo, gostava de saber como foi avaliada esta senhora, porque entregam uma criança a alguém que está à espera que esta seja perfeita. Não faço ideia da história de vida da criança, mas não é difícil de entender que não terá tido uma vida fácil, como pode alguém estar à espera que ela seja perfeita?..existem as crianças perfeitas?

 

Eu sempre disse que adoptar é um acto de egoísmo, ninguém adopta por querer ajudar as criancinhas, todos adoptamos porque queremos ter filhos, mas um filho não se escolhe, e não se escolhe quando é biológico como não se escolhe quando é adoptado, um filho é uma davida que se recebe de braços abertos e se aprende a amar, com virtudes e defeitos.

 

Entretanto alguém deixou o seguinte comentário na noticia da TVI:

 

"Esta criança no dia em que deixou a instituição para ir com esta família irradiava alegria, felicidade, e sempre o ouvi dizer que queria ser adoptado. Sou voluntária nesta instituição e esta criança já tinha laços com esta família antes de lhe ser entregue."

 

Ainda por cima eles já conheciam a criança desde antes, coisa que não acontece na maioria dos casos, como é que há gente tão anormal que consegue destruir assim os sonhos de uma criança?

 

O mais grave é que estas coisas passam impunes, como dizia a Susana há pouco no Facebook, se alguém abandona um filho biológico é recriminado e  criminalizado, esta gente abandona as crianças desta forma e não só não é responsabilizado, como continua na lista de adopção e há quem lhes entregue outras crianças.

 

Vídeo com a noticia da TVI aqui

 
Jorge Soares
Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13

 

Barrigas de aluguer já são um negócio em Portugal.

 

Imagem do Público  

 

Já se tinha falado sobre isto por cá, foi neste post, hoje voltamos ao assunto. Ficámos a saber que alugar a barriga de uma mãe pode custar entre 30 e 100 mil Euros e pelos vistos acontece muito mais que aquilo que estaríamos à espera. Como dizia no primeiro post, não tenho uma opinião formada sobre o assunto, haverá quem o faça por altruismo e a pensar em ajudar quem desespera por ter um filho, haverá quem o faça por necessidade, há de certeza quem o faça porque é só mais uma maneira de vender o seu corpo.

 

O aluguer do útero é desde 2006 “punido com pena de prisão até dois anos ou pena de multa até 240 dias” O trabalho de investigação é da Jornalista Sandra Martinho, da Lusa, e pode ser lido aqui, o assunto é tratado em profundidade e nas suas várias vertentes.

 

Na verdade nada do que lemos na noticia me estranha, há uns dias estava a olhar para os logs aqui do blog e seguindo o google, fui parar a um fórum brasileiro onde para além de muitas senhoras a oferecerem-se para serem barrigas de aluguer, encontrei um casal português que se oferecia para "com urgência, contratar uma barriga de aluguer ou comprar uma criança", era o que estava lá escrito preto no branco e com telefone para contacto.

 

O trabalho jornalístico é interessante e permite retirar algumas conclusões, do que foi dito e sobretudo, do que não foi dito. Podemos discutir se será mais ou menos ético, mas de uma coisa não há dúvida, é ilegal!.

 

Sendo ilegal levantam-se algumas questões, a começar por, como registam estas pessoas a criança? partimos do principio que quem entra num esquema destes vai querer registar a criança, ninguém paga cem mil Euros para depois ficar com um filho de outra pessoa, por outro lado, o estado português é picuinhas nestas coisas, não descansa até saber quem é o pai e a mãe das crianças.

 

A principal conclusão que eu retirei, é que há alguém, um hospital?,  uma clínica?, um médico?, que está a fazer desta situação um negócio. Não só as pessoas pagam pelo aluguer da barriga, como pagam pelo esquema de legalização da criancinha.

 

Parece que depois da legalização do aborto e com o fim de uma galinha dos ovos de ouro, outra terá nascido, é urgente que o estado português se debruce sobre este assunto, não vale a pena fazer de conta que não se passa nada, as mulheres portuguesas e os seus filhos não se podem tornar numa mina de ouro para gente sem escrúpulos. É urgente um debate aberto sobre tudo isto.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:22

Barriga de aluguer

 

Imagem do DN

 

O assunto apareceu já a madrugada ia alta, tudo a propósito do filho do Cristiano Ronaldo, por aqueles dias falava-se de uma barriga de aluguer, coisa em que eu não acreditava.. também não interessa nada, porque rapidamente deixamos a pobre (rica) criancinha para trás e passamos a discutir o conceito.

 

Dizia a Manu que é contra e que não consegue entender como é que alguém possa fazer algo assim... que ninguém que não seja estéril o deveria fazer, que não é a forma normal de ter um filho, e muito menos se for um pai sozinho a encomendar o filho, dizia ela que um homem não deve ter um filho sozinho... tudo argumentos que para a maioria serão válidos.

 

O nome em Portugal é "maternidade de substituição". Curiosamente, por estes dias no Dias do avesso da antena 1, a Isabel Stilwell e o Eduardo Sá, discutiam o assunto desde outro ponto de vista, principalmente o Eduardo Sá que se colocava no papel da mãe que do seu ponto de vista, vende uma criança.

 

Há muitas formas de olhar para um assunto destes, basta ver um filme ou uma série americana para vermos como este é um conceito comum nos Estados Unidos, tão comum que por vezes é e presta-se a ser, um negócio. Por vezes fico com a ideia de que existem mulheres que fazem disto quase um modo de vida, dar vida a um ser para que uns pais possam de alguma forma ter um filho. Podemos olhar e ver um acto de altruismo, dar felicidade a quem muitas vezes desesperadamente quer o filho que a natureza lhe nega, ou como um acto de egoísmo, gerar dentro de si um ser vivo a troco de dinheiro, muitas vezes muito dinheiro, sem o menor sentimento maternal por esse ser.

 

Não tenho uma opinião formada, qual a diferença entre uma destas mães que aluga o seu útero e outra que simplesmente ficou grávida porque não se preocupou mais que com viver o momento, decidiu ter o filho e depois entrega o mesmo para adopção?... haverá diferença?

 

Qual a diferença entre pegar em dinheiro, muito dinheiro, e ir por exemplo adoptar à Rússia, pagando a mediadores e centros de acolhimento, ou pagar a alguém para que mais fácil e rapidamente se  tenha esse filho?. Afinal, para quem vai criar essa criança não há diferença nenhuma, se a criança vem de um centro de acolhimento onde foi abandonada ou de alguém a quem se pagou.. é um filho, ponto final.

 

Em Cabo Verde em conversa com um dos taxistas, este contava-me o caso de uma mãe que ia a tribunal entregar mais um dos seus filhos para adopção, era  o terceiro processo e a quem a juiza perguntou directamente se ela era barriga de aluguer. Certamente não era, era só mais uma das muitos milhares de mães com uma dezena ou mais de filhos que não conseguem criar.. e que sabe que na adopção garante pelo menos a vida da criança.

 

Sou homem, nunca conseguirei sentir o que é levar um filho dentro de mim, não consigo conceber que se possa sentir tal coisa e não sentir algo por esse ser.. no entanto, já conheci mais que uma mulher que depois dos filhos nascerem, tiveram muitas dificuldades em sentir carinho por eles.. acontece.

 

Uma coisa posso dizer, sou pai adoptivo, e acredito que para mim não faria a menor diferença se os meus filhos tivessem sido abandonados algures ou nascido porque alguém decidiu ser barriga de aluguer..  e imagino que isto será verdade para a maioria das pessoas que adoptam.  A adopção por desejo de ajudar as criancinhas não existe.

 

Barriga de aluguer, será  um acto de altruísmo por quem não consegue cumprir os seus sonhos?, Será um negócio em que alguém se aproveita da ansiedade e do desejo das pessoas que querem ser pais e não conseguem?

 

Jorge Soares

 

PS:Andava à procura de uma imagem para o post..e encontrei este artigo do DN sobre o que se passa em Portugal.. a ler

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28

Diário de um pai de licença parental ... fim

por Jorge Soares, em 03.06.10

A D. nas suas investidas manuais

 

Amanhã volto ao mundo real, foram dois meses diferentes, mas dois meses que definitivamente valeram  a pena. Dois meses em que estive mais tempo com os meus filhos, principalmente com a D. mas também com os dois mais velhos... e acho que eles vão ter saudades deste tempo.

 

A D. está uma criança mais confiante, mais crescida e mais viva, ainda há pouco a P. me dizia que ela perdeu uma série de tiques nervosos em que tínhamos reparado ainda em Cabo Verde; Deixou de roer as unhas, de coçar as orelhas com fúria até se magoar, já não coloca tantas vezes a mão na boca. O único que se mantém é o esfregar os pés até tirar os sapatos quando é contrariada.

 

É claro que nem tudo são rosas, com o ganhar confiança aumentam as birras e se ela já era teimosa no inicio, agora é muito mais, e determinada, não gosta de ser contrariada mas em contrapartida tanta determinação faz com que aprenda tudo muito rapidamente... incluindo os esconderijos das bolachas, e é muito independente, tanto que por vezes dá asneira, vejam o mail que a mãe enviou esta semana para o grupo de mail sobre adopção:

 

"Em Dezembro recebo uma foto da minha menina. Um docinho de caramelo...um olhar doce...triste e calminho. Cá pela familia diziam: tão querida...um docinho...tem o ar de um anjo, tão calminha, parece a serenidade em menina.

Pois é, 3 meses em Portugal a conviver com uma mana com lingua afiada e um mano terrorista e cá temos uma Pirata.

Ultimas piratarias:
- Quinta-feira: sobe para a cadeira, da cadeira para a mesa,alcança o frasco do xarope abre-o e bebe meio frasco. Resultado: 1 noite no hospital a ser monitorizada e a receber soro.
- Sábado de manhã: acorda sai da cama, pega nos óculos da irmã...resolve brincar com eles e transforma-os em 3 peças: resultado uns óculos novos para a mana."

 

O médico não queria acreditar que ela tivesse conseguido abrir o frasco do medicamento sozinha, nem bebido sem se sujar ou sujar o chão.... pois... A partir de amanhã vai ficar a mãe com ela mais um mês... e eu vou ter saudades deste tempo... muitas.

 

A licença parental é um direito que nos assiste a todos, e por muito que custe à maioria das mulheres, é muito importante que os homens a partilhem, eu já achava antes e agora, depois destes dois meses fantásticos com a minha filha, tenho a certeza absoluta. Pais não deixem de exigir os vossos direitos, eles crescem num instante e há coisas que devemos viver mesmo... o tempo de qualidade com os nossos filhos é algo muito importante.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:26

Diário de um pai de licença parental

 

Não, este não é mais um dos meus posts de receitas.. ainda que o frango com cerveja de hoje até merecia o destaque.

 

Cá em casa já tivemos as duas versões, primeiro uma comilona que ainda não tinha um ano e já tinha sido colocada a dieta pelo pediatra e depois um que nos levava ao desespero porque utilizava todos os estratagemas para não comer, a comilona continua comilona mas está uma esquisita irritante, o irritante continua a irritar-nos e a comer que nem um pisco.

 

Quando conhecemos a D. ela era uma criança que comia tudo o que aparecia, enquanto havia comida na mesa ela comia, fosse o que fosse. Quando cá chegou descobrimos que: "Mamã, nã qué sopa".

 

Primeiro foi a sopa, depois foi o bacalhau, ela gosta de peixe, mas bacalhau... não é peixe... de resto, continua a comer praticamente tudo e cheira-me que o pediatra não vai gostar da relação peso altura... e vai recomendar cházinho em vez do sumo que ela adora e pede o tempo todo. Hoje estava a fazer fita com a sopa, mas mal viu chegar o frango à mesa... limpou a sopa num instantinho. Ela aprende rápido e já percebeu que quem não tem fome para a sopa... também não pode ter para o resto, que é a regra que impera cá em casa.

 

A semana passada descobri uma coisa engraçada, ao almoço estamos os dois sozinhos, normalmente vejo o que há no frigorífico que tenha sobrado dos dias anteriores, e tento acompanhar com vegetais cozidos ou gratinados; jardineira, macedónia e outras misturas que vou encontrando no supermercado. Ela costuma comer sempre tudo, sem esquisitices e pela mão dela... vegetais incluídos!

 

Um dos dias da semana passada a mãe veio almoçar connosco, já não me lembro o que comemos, mas o acompanhamento era uma mistura de vegetais que incluía entre outras coisas: feijão encarnado, cebola e pimentos vermelhos. Já tínhamos comido antes e ela tinha comido tudo.

 

Naquele dia decidiu que estava preguiçosa e queria ajuda da mãe, qual não foi o meu espanto quando no fim da refeição tinham ficado no prato, os feijões, a cebola e os pimentos.... Quando questionei a minha meia da laranja sobre o assunto a resposta foi:

 

-Ela não gosta!

 

-Mentira, quem não gosta és tu e por isso não lhos deste, ela comigo come sempre Tudo!

 

Quem  cria os maus hábitos nas criancinhas, quem é?... as mães é claro.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:37

Diário de um pai de licença parental

 

Hoje foi dia da segunda dose da vacina, da primeira vez a coisa não tinha corrido lá muito bem e consta que o berreiro foi de deixar as enfermeiras surdas, lá me preparei mentalmente para a coisa e depois de pagar os 75 Euros (!!!!!!!???????)  na farmácia,  fui para o centro de saúde com a criancinha.

 

Depois de tirar a senha esperei uns 15 minutos e fomos chamados, no gabinete estavam duas senhoras de bata branca, uma sentada ao computador e outra de serviço às vacinas... foi a primeira vez que vi uma enfermeira com secretária privada...

 

- Que miúda tão gira, quantos meses tem?

- Ela vai fazer 3 anos

 

Uma miúda que entra pelo gabinete dentro pelo próprio pé, toda sorridente, a dançaricar e a deitar charme fora.. está-se mesmo a ver que tem meses...

 

- Mostre lá o bracinho direito

 

Peguei nela ao colo e puxei a manga para cima, quando apareceu a agulha a D. percebeu o que vinha, mas já era tarde, movimento rápido e já está.. práticamente nem chorou e passado um minuto já estava a dançaricar cá fora....

 

E com isto já passou mais de um mês... sabem uma coisa, era capaz de me habituar a esta vida... a miúda vai lindamente, sempre sorridente e feliz... cada vez mais teimosa é verdade, mas imagino que isso  faz parte.

 

Antes do almoço passamos pelo parque infantil, duas mães falavam sobre as diabruras das suas criancinhas. .e sobre as palmadas e os castigos. A D. não é uma criança nada problemática, ultimamente tem a tendência para tentar fazer birras, comigo não vai a lado nenhum, normalmente deixo-a chorar até que ela percebe que não é assim que consegue o que quer, outras vezes a coisa resolve-se com uma palmada, como quando ela decide esticar o corpo como um carapau para evitar que eu a prenda na cadeirinha do carro.

 

As duas mães estavam de acordo em que não se devia bater nas criancinhas, deve-se sempre utilizar os castigos, estou de acordo, mas há crianças e crianças. Cá em casa durante muito tempo tentamos utilizar o método da pausa, colocávamos uma cadeira no corredor e o castigo era ir-se sentar para a cadeira durante um bocado para acalmar... a coisa deixou de funcionar quando passaram a ser necessárias duas cadeiras uma em cada ponta do corredor e eles implicavam um com o outro quando estavam ambos de castigo... e principalmente quando o N. passou a estar mais tempo na cadeira que a brincar.

 

Os castigos são sem dúvida importantes e acredito que com muitas crianças funcionem, ... com as nossas não funcionaram lá grande coisa...

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:20

Mulher

por Jorge Soares, em 08.03.10

Rosa amarela

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 BELLA,

 

como en la piedra fresca

del manantial, el agua

abre un ancho relámpago de espuma,

así es la sonrisa en tu rostro,

bella.

 

Bella,

de finas manos y delgados pies

como un caballito de plata,

andando, flor del mundo,

así te veo,

bella.

 

Bella,

con un nido de cobre enmarañado

en tu cabeza, un nido

color de miel sombría

donde mi corazón arde y reposa,

bella.

 

Bella,

no te caben los ojos en la cara,

no te caben los ojos en la tierra.

Hay países, hay ríos

en tus ojos,

mi patria está en tus ojos,

yo camino por ellos,

ellos dan luz al mundo

por donde yo camino,

bella.

 

Bella,

tus senos son como dos panes hechos

de tierra cereal y luna de oro,

bella.

 

Bella,

tu cintura

la hizo mi brazo como un río cuando

pasó mil años por tu dulce cuerpo,

bella.

 

Bella,

no hay nada como tus caderas,

tal vez la tierra tiene

en algún sitio oculto

la curva y el aroma de tu cuerpo,

tal vez en algún sitio,

bella.

 
 
Pablo Neruda
 
No geral sou contra os dias, contra este e contra todos os outros, está em nós fazer de todos os dias um dia especial para as pessoas que nos rodeiam, sejam elas mulheres, pais, filhos, amigos... de todos modos, deixo uma palavra de carinho a todas as mulheres do mundo.. que merecem, hoje  e em qualquer dia
 
 
Jorge Soares
Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:41

Posts relacionados

Related Posts with Thumbnails


Ó pra mim!

foto do autor






Estou a ler

Regressar a Casa

Rose Tremain

 

O Rapaz de Olhos Azuis

Joanne Harris

 

O jogo de Ripper

Isabel Allende

 






Visitas


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D