Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A viagem da cegonha e a licença parental

por Jorge Soares, em 03.02.09

A viagem da cegonhaA viagem da cegonha é um programa que passa na Antena 1 e em que é descrito o dia a dia da Ana e do Hugo, sendo que a Ana está grávida. Todo o programa gira em volta da gravidez e da criança que está por nascer. Costuma passar um pouco antes das 18 horas na altura em que estou a regressar a casa e  costumo ouvir.

 

Esta semana o tema tem andado à volta da licença parental. Dizia a Ana que ela nunca percebeu porque é que tem que ser as mulheres a ficar o tempo todo em casa com as crianças, acha que é muito injusto e não percebe porque é que deveria ficar 5 meses em casa e o pai ir trabalhar. É claro que todas as grávidas que  conheceu durante este tempo estavam exultantes porque iam poder ficar 5 meses em casa sem terem que trabalhar... coisa que ela definitivamente não entendia.

 

No caso deles, a Ana vai gozar 3 meses e o Hugo um mês, o ultimo mês. Casualmente hoje a Zaka falava do assunto neste post, no caso deles foi o pai que gozou toda a licença, e pelo que vou percebendo dos emails que recebo do grupo nos adoptamos, nos casos de adopção é muito comum os casais dividirem o periodo, sendo que há até casais que tiram periodos intercalares, um mês um, um mês o outro.... as pessoas que adoptam são mesmo especiais.

 

Eu trabalho numa empresa em que há muita gente nova, o tempo todo há mulheres grávidas ou colegas meus que acabam de ser pais. Nunca existiu um caso em que o pai partilhasse a licença.... e há bem pouco tempo um dos meus colegas referia que o chefe o tinha tentado convencer a não tirar os 15 dias de lei. Um destes dias deverá terminar a minha espera. De vez em quando a P. brinca com o assunto, é algo que nunca pensamos sériamente,  mas é algo que está aí.

 

Conheço a empresa onde trabalho e o meu chefe, sei que será algo que terá custos monetários e não só, mas o que é mais importante que os nossos filhos? Eles só são crianças uma vez, e nós trabalhamos a vida inteira....

 

Como dizia e muito bem a Ana, está na hora de mudarmos algumas mentalidades, até porque se os pais partilharem a licença começará a cair por terra aquela ideia de que as empresas preferem não contratar mulheres porque estas engravidam e ficam meses em casa.... 

 

E vocês, o que acham?

 

Podem ouvir os programas aqui:A viagem da cegonha

Jorge

PS:Imagem retirada de aqui:http://ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?prog=3331

publicado às 21:35


30 comentários

Sem imagem de perfil

De Sofia a 04.02.2009 às 22:33

Bateste à minha porta :) !!!!
Estou há 3 meses em casa e já só penso em voltar ao trabalho! Sei que não é politicamente correcto dizer isto e que poucas pessoas compreenderão que nada tem a ver com gostar mais ou menos da minha bébé! E ainda por cima com este inverno rigoroso que nem me permite por o nariz fora da porta! No nosso caso tb não seria nada bem visto o pai tirar 1 mês de licença, aliás já foi o cabo dos trabalhos para tirar os 5 dias + os 15 seguidos! Disseram que podia, mas frisaram bem que era coisa "nunca vista" e que alguns colegas nem tiravam os 15 dias! Afinal porque se lutou tanto pelos direitos se depois não usufrimos deles? Sei que a licença de maternidade é muito importante mas devia ser dividida. Estar em casa o dia todo com 1 criança sem poder sair é desgastante! Se fosse dividido custava menos! E quando tento explicar isto recebo sempre a mesma resposta, até de amigas que já passaram pelo mesmo: "Ainda vais ter saudades desses dias!" Pois, e isso faz com que fique tudo bem???? A maternidade já foi uma experiencia muito mais comunitária do que é hoje, envolvia os avós, as tias, as vizinhas.... agora é algo solitário porque nos desenraizamos da nossa familia e fomos viver a muitos km de distância em nome de um trabalho melhor e de mais qualidade de vida! Mas será que a temos????
beijinhos
sofia
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.02.2009 às 23:15

Olá


Sabes uma coisa... tu não mudas.... ainda bem.

O que achas que vai acontecer lá para os lados de Loures? :-) paciência.... alguém tem que ser o primeiro!

Adorei o teu comentário...
Beijinho amiga
Jorge
Sem imagem de perfil

De Branca a 04.02.2009 às 23:18

Sinceramente acho que é uma questão cultural que com o tempo se vai dissipar , também para isso ajudará a correcta divulgação dos termos em que se pode gozar a dita licença , embora em ultima análise será sempre uma decisao do casal.
Acho louvável que hajam pais que queiram partilhar a responsabilidade desde cedo na vida de uma criança obretudo numa fase que quem tem filhos sabe ser complicada por ser uma mudança na vida dos pais e um despertar na vida dos filhos , contudo é a fase fantástica da vida de qualquer pai e seguramente irrepetivel
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.02.2009 às 23:57

Olá

Tens razão, é uma questão de mentalidade... felizmente começa a mudar.

Gostei do teu comentário

Jorge
Sem imagem de perfil

De Maldonado a 05.02.2009 às 14:06

As reservas do teu chefe são um reflexo da mentalidade prevalecente na maioria das empresas do nosso país.
Infelizmente cá não existem empresários, mas tão-somente patrões, os quais não passam de azeiteiros. Só vêem o lucro e esquecem-se do resto, nomeadamente dos recursos humanos, não sabendo lidar com eles através da motivação.
Bate o pé com o teu chefe, pois é um direito que te assiste, fundamentado na lei do trabalho. E se ele não gostar, aguente-se à bronca...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 06.02.2009 às 00:00

Olá

O problema na maioria das empresas é que não há gestão de recursos humanos, há umas pessoas que verificam a assiduidade, passam os recibos de vencimento e pouco mais... gestão de recursos humanos, evidentemente não é isso.

Sim... eu vou gozar a minha parte, porque os meus filhos precisam d emim.

Abraço
Jorge
Imagem de perfil

De Paola a 05.02.2009 às 20:10

Olha, amigo, isto é mesmo uma questão cultural...Ainda pesa aquela regra cheia de teias de aranha que a "mulher quer-se em casa e o homem na rua"... Há muitos preconceitos. Muitos dos homens, de gerações anteriores, nunca pegaram num bebé . Nas empresas a maioria são homens... Isto não é fácil. Não se mudam mentalidades por decreto!!! Felizmente que a coisa vai mudando. Devagarinho, mas vai...

Beijinhos
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 07.02.2009 às 22:29

Olá

Pois, é uma questão cultural... mas sabes uma coisa, no programa de sexta entrevistaram uma série de grávidas...e sabes que mais... nenhuma estava disposta a partilhar os 5 meses com o marido.... mas claro que todas iam gozar os 5 meses.... questão cultural... das mulheres?

beijinho
Jorge
Imagem de perfil

De Paola a 07.02.2009 às 22:39

Pois... mas continuo a achar que sim... Há valores que estão enraizados tanto nos homens como nas mulheres... Depois há vidas complicadas, razões que não são ditas... Já pensaste na hipótese de uma mulher dizer que não, porque foi isso que lhe disseram para dizer? Às vezes as coisas não são o que parecem...

Beijinho
Sem imagem de perfil

De bárbara a 13.02.2009 às 10:07

Olá,
Tal como a Sofia eu penso partilhar a minha licença.
Estou há dois meses enfiada em casa, sem tias, nem avós para ajudar e a solidão é atroz! Sou muito mal interpretada quando digo que a amamentação me aprisiona, é que não dá para pôr um pezinho fora e já é hora da próxima mamada. E perguntam todos "porque é que não amamentas fora de casa?", porque NÃO HÁ LUGARES DESTINADOS A ISSO (assim como há os fraldários )! Estamos na era da amamentação "até quando mais tarde, melhor", mas não se dão facilidades para que isso possa acontecer naturalmente. Gostava de poder dar de mamar em qualquer lugar, mas nem eu nem o meu bebé fica à vontade com os olhares e comentários de quem passa.
Voltando à questão... quero ir trabalhar quanto antes e dar ao meu bebé a paternidade que lhe assiste e lhe é de direito.
Os comentários do meu companheiro a isto foram apenas "disseram-me no trabalho que sem mim a empresa pára!"... Já se deviam ter precavido, pois este nascimento foi anunciado há muitos meses! Não deveriam sequer fazer este tipo de comentários, pois a mim não se ousaram a fazê-lo, será que é só porque sou eu a mãe?!

Comentar post


Pág. 2/2



Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D