Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ainda a adopção em Portugal

por Jorge Soares, em 30.03.09

Adopção de crianças

 

Este mês vou saltar o meu post sobre a nossa espera, o nosso processo foi a semana passada para Cabo Verde e  diz a minha meia laranja que lá para fim do Verão, devemos ter por cá um novo membro da família. Eu não sou nada de criar expectativas, prefiro limitar-me a esperar.

 

Entretanto, no meu post sobre a adopção por homossexuais, tive um comentário que entendo merece um post como resposta. A maioria das pessoas não sabe como realmente são as coisas, e um dos objectivos deste blog, também é tentar esclarecer. Vamos lá por partes, diz a Saia Justa o seguinte:

 

"Desculpa meter a colherada, mas deparei-me com este post e não resisti."

 

Não desculpo nada, agradeço, porque eu gosto de comentários!

 

"Primeiro, a questão da adopção em Portugal é complexa hipocrita e preconceituosa...." 

 

Na verdade, o processo de adopção é bem simples, é responder a um questionário, participar em 3 reuniões com assistentes sociais e esperar. Não é nada burocrático e até é bastante simples. Os processos não são hipócritas ou preconceituosas, as pessoas é que são, principalmente as pessoas que fazem parte da segurança social, mas também muitos dos candidatos.... por muito que eu respeite as opções e decisões de cada um.

 

"......

Existem listas de espera para adopção em Portugal de mais de 5 anos.

A burocracia é tanta que existem casais que optam por países da Ásia e Africa. Em Portugal não se pensa primeiro nos interesses da criança que deveria ser o objectivo mas nos “papeis” e nas (cunhas.) Sim cunha porque para alguns é tão fácil.."

 

Ora lá está, não existem listas de espera na adopção em Portugal, existem é pessoas que esperam muito tempo por uma criança. Uma lista de espera implica que alguém tem um número e tem que aguardar a sua vez... e isso é algo que não existe.  Existe um mito de que existe uma lista nacional de candidatos e uma lista nacional de crianças, mas acreditem isso é um mito, na realidade cada distrito continua a tratar dos seus candidatos e das suas crianças e por vezes quando tem crianças que não se adeqúem aos candidatos do seu distrito, então enviam a informação para os outros distritos... mas isso é por vezes, porque como vimos noutro comentário ao mesmo post que já referi, existem em Setúbal 3 crianças para as que supostamente não há candidatos e existem em Lisboa candidatos que supostamente aceitariam essas crianças...mas nem em Setúbal sabem dos candidatos nem em Lisboa sabem das crianças... logo, não existe lista nenhuma, o que existe sim é muito desleixo e ineficiência.

 

Quanto às cunhas e demais esquemas,... prefiro nem me pronunciar..afinal estamos em Portugal.

 

 

"Da parte dos pais adoptantes existem também vários requisitos que para quem faz questão de adoptar por amor não fazem sentido. Tais como olhos da cor X raça Y e idade W."

 

Ora aí está um tema polémico.... eu sou da opinião de que simplesmente as pessoas não deveriam poder escolher nada, quem queria adoptar adoptava, sem escolhas, sem preferências, sem nada. Era proposta uma criança, aceitava ou não.. ponto final. O principal motivo para que as pessoas tenham que esperar anos e para que existam crianças para as que nunca se encontra pais é precisamente esse, as escolhas.

 

"Também me parece estranho, que a um familiar directo (no caso de morte dos pais da criança) não se possa propor à adopção. Assim como não pode quem recebeu a criança como família de acolhimento. Estes últimos, porque se considerar ter feito uma prestação de serviços e ter sido remunerado para o fazer."

 

Na verdade as crianças só vão para adopção se não existir algum familiar que as queira, antes de determinar que o projecto de vida de uma criança é a adopção, o tribunal pergunta sempre à família alargada se não existe alguém que fique com ela.... e só no caso de ninguém da família a querer, é que vai para adopção.

 

Quanto às famílias de acolhimento, já debati isso aqui várias vezes, mas vou-me repetir.

 

1-As crianças que vão para acolhimento são crianças cujo projecto de vida não passa pela adopção. São crianças para as que o tribunal entende que deverá ser mantida a ligação com a família biológica.

 

2-As familias de acolhimento não podem adoptar porque em primeiro lugar o acolhimento é uma profissão, as famílias de acolhimento recebem mais de 500 Euros por mês por cada criança que acolhem, em segundo lugar, para adoptar é necessário passar pela avaliação, coisa que não acontece com as famílias de acolhimento. Em terceiro lugar, o acolhimento não deve ser utilizado como uma forma de saltar o processo e a espera,..e as famílias  de acolhimento sabem tudo isto quando se propõem a acolher crianças... principalmente a parte em que se diz que aquelas crianças nunca poderão ser seus filhos... a mim custa-me entender as telenovelas que de vez em quando se armam à volta disto.

 

"Portugal trata muito mal as nossas crianças e a adopção é só uma das muitas realidades do pouco caso que por cá se faz ao nosso futuro, sim porque as crianças são o nosso futuro. E para agravar existem as tais (assistentes sociais) , que nem sim nem nim.. Na hora da verdade nunca sabem nada viram nada e a culpa morre sempre solteira."

 

Sim, Portugal trata muito mal as nossas crianças, o estado recebe as crianças ao seu cuidado e esquece a sua existência, ninguém sabe quantas crianças há institucionalizadas, ninguém sabe quantas tem projectos de vida, ninguém sabe se as instituições cumprem ou não as regras, ninguém se preocupa em fazer com que se cumpram as leis. Existem muitas instituições das que nunca saiu nenhuma criança para adopção, existem instituições que não informam o estado do abandono das crianças pelos pais. Ninguém sabe nada e ninguém parece preocupar-se minimamente.

 

Bom, quase ninguém, porque acaba de nascer a associação Missão Criança que tem como objectivo precisamente esse, as crianças que estão esquecidas pelo estado Português.. mas isso é algo de que já falarei.

 

Desculpem lá se me repeti, mas falar e esclarecer, nunca está demais.

 

Jorge

PS:Imagem retirada da internet

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D