Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Falas de civilização

por Jorge Soares, em 23.06.09

Falas de civilização

 

 

Falas de civilização...

 

Falas de civilização, e de não dever ser,

Ou de não dever ser assim.

Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos,

Com as coisas humanas postas desta maneira,

Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.

Dizes que se fossem como tu queres, seriam melhor.

Escuto sem te ouvir.

Para que te quereria eu ouvir?

Ouvindo-te nada ficaria sabendo.

Se as coisas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo.

Se as coisas fossem como tu queres, seriam só como tu queres.

Ai de ti e de todos que levam a vida

A querer inventar a máquina de fazer felicidade!

 

                                          Alberto Caeiro

 

Acho que vou precisar de um tempo para digerir e pensar..... entretanto, fala Pessoa... de civilização

 

Jorge

publicado às 22:05


12 comentários

Sem imagem de perfil

De José A a 23.06.2009 às 23:19

Amigo Jorge, nem vou comentar o post... vou simplesmente desejar-lhe um feliz aniversário e que conte muitos mais...pelo que conheço por aqui nos blogs, é uma pessoa fantástica.
Parabéns e um grande abraço.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.06.2009 às 00:41

Olá

Obrigado pelos bons desejos... um bocado exagerados.. mas pronto, agradeço muito

Jorge
Sem imagem de perfil

De Maria Eugénia Pinto a 24.06.2009 às 00:32

Olá amigo
Tal como tu e o Sérgio Godinho dizem "A vida é feita de pequenos nadas" hoje, os pequenos nadas que saíram das bocas das pessoas que interviram naquela sessão serviram, mais não seja, para pintalgar de preto o "panorama cor-de-rosa" que foi apresentado sobre o estado da adopção em Portugal.
Conclui que a Missão Criança tem muito para fazer, basta querer e... nós queremos!
Beijinhos e mais uma vez muitos parabéns...
Celebra q vida com todos os que te são queridos!
Eugénia
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.06.2009 às 00:41

Olá

Sim, temos mesmo muito que fazer, porque pelos vistos, a situação actual agrada a muita gente

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De Óscarito a 24.06.2009 às 01:44

Pelo que leio completas mais um aniversáriode nascimento.
Deixo-te um abraço de Parabéns!!!

E obrigado por partilhares estes versos que, ontem como hoje, têm acuidade!
Abraço/Oscar
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.06.2009 às 00:42

Obrigado eu pela tua presença e bons desejos.

Abraço
Jorge
Sem imagem de perfil

De entremares a 24.06.2009 às 10:29

"Se as coisas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo."

Bom... em primeiro lugar, parabéns. Espero que ainda continues com aquela sensação de que ainda falta fazer tanto... e portanto é melhor não perder tempo.

As coisas são como são. Esse é o sentido da vida, não é? Aquele que todos procuram. A vida é aquilo que cada um quiser, não vale a pena arranjar receitas que sirvam para todos...

Portanto, faz o favor de ser feliz...

Um abraço.
Rolando

Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.06.2009 às 00:44

Olá

Sim, cada vez mais tenho essa sensação... a vida é tão curta e as vontades são tantas.

Obrigado pelos bons desejos

Jorge
Imagem de perfil

De Pedro Oliveira a 24.06.2009 às 11:55

Um grande abraço amigo Jorge!
Pois, essa cena da felicidade tem muito que se lhe diga....
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.06.2009 às 00:46

Olá Pedro

Tudo na vida tem muito que se lhe diga...

Obrigado pela tua presença

Jorge
Imagem de perfil

De DyDa/Flordeliz a 24.06.2009 às 15:51

Eu pus um sonho a voar
Nas asas duma gaivota...
Um sonho de liberdade
De paz, amor e carinho;
Num impulso sobre o mar
Ela tomou sua rota
Cheia de força e vontade
De vencer todo o caminho.

Esperei dias, esperei noites
Pelos ventos de mudança...
Mas chegou-me um vento frio
Gélido todos os dias;
Ondas do mar em açoites
Rodopiam numa dança
Batendo no cais vazio
Em alvoradas sombrias.

Talvez a minha gaivota
Tivesse perdido o rumo...
Quem sabe se o sonho voa
Pelas terras de ninguém...
Ou ao lembrar-me em risota
Tenha perdido o aprumo,
Não achando ideia boa
Levar um sonho de alguém.

Talvez tenha sucumbido
Caindo nalguma vaga,
Sem cumprir essa missão
Que eu com afecto pedira;
Talvez não vendo o sentido
Ou achando não ser maga
Largasse o sonho-ilusão
Como mais uma mentira.

Vou ao cais de vez em quando
Como quem inda acredita,
Mas perdendo quase a esperança
De alguma coisa mudar...
De gaivotas vejo um bando,
Vou escolher a mais bonita!
A ver se leva e não cansa,
Este meu sonho a voar.

Joaquim Sustelo

Espero que o sonho não desvaneça e esta ou outra gaivota o continue a alimentar.
Um beijo

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D