Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Adopção:Sou mãe adoptiva - preciso desabafar

por Jorge Soares, em 20.07.09

Adopção

 

 

Um destes dias recebi este email:

 

"Caro Jorge, descobri o seu e-mail no seu blog. Parece-me uma pessoa muito bem informada sobre esta temática (a adopção).


Eu e o meu marido, fizemos o nosso processo de adopção correctamente, através da Seg. social e estivemos quase cinco anos à espera que o telefone tocasse. Temos a viver connosco duas  irmãs já fez um ano. Quando vieram viver connosco, tinham sete e quatro anos. Recentemente, fomos à audiência para a adopção plena e qual não é o nosso espanto, quando o juiz nos diz que por ele estava tudo muito bem, mas que no nosso processo falta um documento - o da autorização dos pais biológicos - e que portanto tinha de pedir ao tribunal onde foi decretado que as crianças iam para adopção, que verificasse se se tinha extraviado, senão teria de mandar a GNR ir à procura dos pais biológicos para obter o seu consentimento!!!! (nesta altura do campeonato!).


Ficámos em estado de choque, mas com esperança de que o tal documento aparecesse, parecia-nos irreal que a incompetência ocorrida fosse para além do extravio de um documento - como é que o juiz original pode ter decretado a adopção e a seg. social ter-nos entregue as miúdas, sem existir o tal papel??!!! No entanto, agora não sabemos em que pé estão as coisas, porque o processo está em segredo de justiça, e não o podemos consultar, nem acompanhar que diligências estão a ser tomadas! Ficamos assim com a nossa vida em suspenso sem saber se neste momento estão a relembrar aquela senhora de que teve dois filhos, sem saber qual a reacção dela... isto se a encontrarem, e se não a encontrarem? quanto tempo levam a desistir de procurar? quanto tempo vamos ficar à espera, admitindo que no fim tudo vai correr bem?

Desculpe o desabafo, nem o conheço, mas não conheço ninguém que tenha adoptado, e parece-me que a nossa situação é absurda,......."

 

Quando terminei de ler o mail fiquei com um nó na garganta, porque eu sei a dor que uma situação destas causa,..eu sei a dor destes  pais, eu sei, passei por isso....... mas já falarei disso, para já deixo-vos com este apelo desta mãe, em forma de reflexão.

 

Agora só falta mesmo que encontrem os senhores, que estão há anos sem ver as crianças, e eles decidam que não autorizam e que depois vão  acampar para a porta do tribunal e levem a comunicação social atrás.

 

Há coisas pelas que as pessoas não deveriam ter que passar, e a dor da perspectiva de podermos perder um filho é algo que definitivamente ninguém merece passar, e muito menos assim, pela estupidez das pessoas...

 

 Jorge Soares

 

PS:Email copiado com autorização, alterei pequenas coisas de modo a evitar a identificação de pessoas e crianças.

 

 

publicado às 21:26


33 comentários

Sem imagem de perfil

De miepeee a 20.07.2009 às 23:32

Como e que e????? Mas anda tudo doido neste pais a comecar pelos juizes???
Definitivamente nao ha respeito nenhum por quem adopta e por quem e adoptado.
So faltava mesmo agora os paizinhos biologicos lembrarem-se que ja querem as criancas.
Papeis estraviados ... alguma corrente de ar mas no cerebro do juiz.
Oh pa estas coisas dao-me ca uns nervos.
Afinal ha 35 anos era mais simples adoptar do que hoje em dia.
INADMICIVEL !!
Beijinho.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 00:05

Olá

Pois, está mesmo tudo doido, há 10 anos atrás passamos por algo muito parecido, mas eu achava que essas coisas já não aconteciam...

Os pais daquelas crianças não apareceram nos dois últimos anos... as crianças estão integradas, tem uma vida, uma família... como é que alguém pode pensar que isto pode andar para trás por causa de um papel?

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De José A a 21.07.2009 às 00:51

Custa a crer que isto seja real... o pior é que é mesmo a realidade da adopção em Portugal.
Simplesmente lamentável...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 13:34

Pois, a mim não me custa a crer, já ouvi algumas destas historias, a começar pela minha, achava é que já não aconteciam... é triste que as pessoas tenham que passar por isto.

Abraço
Jorge
Sem imagem de perfil

De Ouriço a 21.07.2009 às 01:22

Não imagino a dor, a frustração, o medo... Não imagino. Mas já era tempo de deixar de tratar as pessoas como coisas. Tanto os pais como as crianças, olhadas como objectos. O que será delas se, depois do amor, conhecerem quem não as quis?
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 13:38

Sim, é tempo que os juizes percebam que há mais coisas para além da letra morta, como é que a falta de um papel pode ser mais decisivo que o facto de as crianças terem estado anos sem o minimo interesse por parte da família?, Tantas vezes se diz que não há candidatos para fratrias de irmãos, tantas vezes se diz que os candidatos só querem bebes, tantas vezes se acusam os candidatos de escolherem as crianças, e agora que temos uns candidatos que aceitaram estas duas crianças, há um juiz que decide ser mais papista que o papa.... há pesoas que só a tiro.

Jorge
Imagem de perfil

De Pedro Oliveira a 21.07.2009 às 10:25

Este País é uma tristeza!
A minha solidariedade a este casal e toda a preocupação pelas meninas.mais uma que contribui para o estado da (in) Justiça no nosso Portugal.
abraço

p.s.quase ,quase de férias
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 13:40

Olá Pedro

Não é o país, são as pessoas, as pessoas é que são uma tristeza.

Abraço e boas férias
Jorge
Sem imagem de perfil

De Ana a 21.07.2009 às 11:09

Também sou candidata a adopção (três anos à espera de um telefonema ), e são situações destas que me deixam angustiada. A minha solidariedade para com estes pais, e que tenham muita força e coragem.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 22:29

Olá Ana

É verdade que os casos negativos nos marcam mais que todos os outros, mas assim como há estes, há muitos mais que correm bem, não desanimes...e que o telefone toque rapidamente.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Ana a 23.07.2009 às 11:03

Olá Jorge , obrigada pelo apoio!
Fiquei feliz por encontrar este blog, pois o apoio que nos é dado pela segurança social é muito pouco.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá Jorge , obrigada pelo apoio! <BR>Fiquei feliz por encontrar este blog, pois o apoio que nos é dado pela segurança social é muito pouco. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Comprendo</A> o desabafo desses pais, o sofrimento e a angustia que estão a passar. Sim é muito bom este cantinho de partilha, de pessoas que afinal não se conhecem, mas que partilham a mesma dor, ou alegrias, que espero que também existam, acredito, tenho esperança que no final compense. <BR>Um abraço, <BR>Ana
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 23.07.2009 às 23:44

Ana, a adopção implica sempre uma espera angustiante, e uma enorme incerteza, mas no fim, o amor e a alegria dos nossos filhos compensa tudo isso e muito mais.

Espero que voltes sempre, porque por aqui haverá sempre palavras para quem está a passar por isso.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Ana a 21.07.2009 às 14:31

Olá Jorge,

Mais uma vez estou estupefacta com o que vemos acontecer nos processos de adopção em Portugal. Quando me inscrevi, e mesmo depois de ser esclarecida pelas técnicas, estava longe de imaginar que este tipo de coisas pudesse acontecer.

Para mim não existem pais biológicos VS adoptivos, nem pais de primeira ou pais de segunda. Aliás o que me foi explicado foi que a partir do momento em que a criança fosse para a adopção não haveria volta a dar... o que pelo que temos visto nos ultimos tempos não é bem assim.

Não sei se sou demasiado ingénua mas na altura acreditei no que me explicaram e nem questionei, mas hoje vejo que a realidade está longe de ser tão fantasiosa como a pintaram. Até nem sei até que ponto o "factor C" interfere ou não com os processos...

Estas histórias deixam-me triste, porque cada vez menos tenho certezas acerca do futuro deste processo.

Obrigada por partilhares, pode ser que daqui a uns anos acordem para a vida e percebam que a realidade tem que mudar.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 22:35

Olá Ana

Estas coisas acontecem mesmo, é evidente que são uma pequena parte no meio de muitas que correm bem, mas acontecem, aconteceu connosco há 10 anos, aconteceu com outras pessoas, sei de um caso em que a criança foi entregue com 4 meses aos pais e a adopção foi decretada 6 ou 7 anos depois, já estava na escola, porque a juíza exigia que a mãe fosse ao tribunal dizer que autorizava a adopção.

O problema é que os juízes são pessoas e não há pior cego que o que não quer ver... é triste, mas é verdade.... estas coisas não deveriam mesmo acontecer.

As coisas mudam se nós nos esforçarmos para isso, é por isso que falo tantas vezes sobre adopção, porque de tudo o que digo, algo deve ficar algures.

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De Sara a 21.07.2009 às 16:44

Incrível... estou simplesmente boquiaberta e chocada depois de ter lido este desabafo! É triste que a realidade por vezes seja tão dura...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 22:41

Olá Sara, sim, é muito triste que estas coisas aconteçam
Sem imagem de perfil

De entremares a 21.07.2009 às 18:02

Pensava eu já ter visto e ouvido quase tudo, em matéria de ridiculo, vindo da nossa justiça... mas estava redondamente enganado.
Este exemplo deixou-me... sem palavras.

Mas pergunto - e a ti, Jorge, porque lógicamente estás a par de certas nuances destes processos, que a maioria de nós desconhece - o que podemos nós, cidadãos anónimos, fazer para denunciar de viva voz este caricato, este abuso irracional de mediocridade que certos juizes ostentam?

A que instâncias se deve bradar?

Estou revoltado.
Um abraço.
Rolando
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 22:46

Amigo Rolando, o que podemos fazer?, na verdade muito pouco, evidentemente estes pais não querem ser identificados, as crianças não devem de maneira nenhuma saber que isto está a acontecer, e nem o juiz nem a segurança social iriam gostar que eles fossem acampar para frente ao tribunal... mas é o que deveriam fazer, se funciona nos outros casos....

Resta-nos dizer ao mundo que estas coisas acontecem, não são só os Martins e as Alexandras, há muito mais...

Para além disso, no âmbito da Missão Criança (Http://missaocrianca.org) estamos a preparar algumas coisas que vão no sentido de mexer consciências.... mas é mito pouco o que se pode fazer.. no queijo dos juízes deste país é muito dificil mexer.

Abraço
Jorge
Sem imagem de perfil

De Rosa Maria a 21.07.2009 às 19:36

Não sei o que dizer, pois a 1ª palavra que me veio à cabeça foi uma grnde asneira!

Olha Jorge, diz a essa mãe que tem a minha solideriedade e estará nas minhas orações. Se houver alguma petição ou algo que possa fazer diz.
Francamente ............... nem digo o que me apetece, é politicamente incorrecto!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 22:47

Olá Rosa

Pois, asneiras é o que apetece dizer....

Amiga, ao contrario do que temos vistos, estes pais e estas crianças, o que menos querem é publicidade, pode ser que assim nem a GNR encontre os senhores e tudo se resolva mais rapidamente.... raio de vida esta.

Jorge
Sem imagem de perfil

De marta a 22.07.2009 às 01:23

e é de ficar com nós na garganta, sim!!!!
Como é possível?

Imagem de perfil

De Jorge Soares a 22.07.2009 às 22:49

Olá Marta

É possível porque há muita gente neste país que não olha para mais além do seu nariz, há muita gente com mentalidade pequenina e tacanha, há muita gente que não percebeu que o que interessa é a felicidade e o bem estar das crianças.... é possível porque há muita gente autista no mundo

Beijinho
Jorge

Comentar post


Pág. 1/2



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D