Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Adopção, pelo direito a uma família

 

Em Novembro, no workshop sobre a adopção em que participei, a Sandra perguntou directamente às responsáveis da Segurança social, porque não se utilizava a adopção internacional como solução para as crianças para as que não há candidatos em Portugal, a resposta foi lapidar:

- Porque tal como em Portugal, não há candidatos na adopção internacional para estas crianças, os candidatos dos outros países, tal como os portugueses, querem bebés.

 

A Alexandra Borges é uma jornalista que sempre se preocupou com o tema da adopção, são muitas as reportagens que já fez sobre o assunto, é alguém que está por dentro, sabe o que se passa realmente, por isso, para mim a reportagem da TVI foi uma enorme desilusão, porque não esclareceu nada, porque não informou e pior do que isso, deixou uma ideia muito errada da situação da adopção em Portugal e ao nível da adopção internacional não esclareceu absolutamente nada.

 

Neste, como na maioria dos programas em que se fala de adopção, a ideia que ficou foi que há muitas crianças que esperam por uns pais e não os tem porque os candidatos são os maus da fita, que só querem bebes loiros e de olhos azuis e os processos são lentos por causa disso... uma tremenda mentira. 

 

Eu sou candidato à adopção, quero uma criança até aos 6/7 anos, de qualquer raça ou etnia, estou disposto a aceitar algumas doenças que não sejam impeditivas do desenvolvimento, estou à espera há ano e meio e segundo me dizem na Segurança social de Setúbal, tenho que esperar mas dois ou três anos.... expliquem-me lá onde é que eu me encaixo, sou racista?, só quero bebés de olhos azuis?, onde estão essas crianças que saem dos parâmetros que todos querem?, não há uma para mim?

 

Mas há coisas mais graves, só entre as pessoas que eu conheço, há duas que foram adoptar a Cabo Verde, aceitavam portanto crianças de cor,  porque na altura em que aquela menina da reportagem foi para adopção internacional porque supostamente não havia pais para ela em Portugal,  foi-lhes dito que não havia crianças para elas. Alguém me explique, porque mandam a criança para outro país e os candidatos nacionais para a adopção internacional... ao mesmo tempo!!!! Porque é que a segurança social não entregou aquela criança aos candidatos nacionais que na altura a aceitavam?... 

 

O programa deixou-me indignado, irritado, porque uma vez mais há muita gente, até do estrangeiro, a deitar as culpas para os candidatos, quando o problema está claramente no sistema. Aquele menino que foi para França foi abandonado aos seis meses, e só foi decretado que ia para adopção aos 5 anos, alguém se pergunta porquê? porque é que ele teve que estar 5 anos à espera? à espera de quê? A maioria dos candidatos que conheço aceitava aquela criança com 5 anos e com estrabismo, porque foi ele para adopção internacional?

 

O programa deixou muita gente com lágrimas nos olhos e vontade de adoptar, porque tem pena das pobres criancinhas que estão à espera, desenganem-se, há muito poucas criancinhas à espera de serem adoptadas, e as que há, estão lá por incúria de assistentes sociais, juízes, procuradores, comissões de defesa de menores, responsáveis de instituições de acolhimento e sobretudo, por culpa de pais irresponsáveis que durante anos tentam impedir que seja decretada  a adopção.

 

Não há pior cego que o que não quer ver...  não é Alexandra Borges?

 

Jorge Soares

PS:Para quem quiser ver o vídeo do programa, está aqui

publicado às 21:15


1 comentário

Sem imagem de perfil

De lua a 11.01.2010 às 18:39

Ola Jorge. Há quanto tempo !
Mais um post sobre adopção, mais um post que me diz muito. Tbem eu não quero um filho bébé de olhos azuis. quero uma filha de 9 anos... É verdade Jorge continuo à espera... É uma vergonha, uma verdadeira vergonha!!!!!

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D