Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Em Portugal há quem morra de solidão

por Jorge Soares, em 07.01.10

Em Portugal há quem morra de solidão

Imagem minha

 

Amanhã discute-se na assembleia da República a alteração da lei dos casamentos, há quem ache que se discute o casamento, há quem ache que se discute a família, há até quem tenha feito da adopção um cavalo de batalha.... eu continuo a achar que se discute a discriminação e o direito a ser diferente.

 

Entretanto a vida segue, e há tantas outras coisas mais importantes com que nos deviamos preocupar, andou um batalhão de pessoas a recolher assinaturas nas igrejas, no futebol, nos centros comerciais, tanta energia que se podia ter gasto de alguma forma bem mais útil.. porque todos sabemos que as assinaturas não vão servir para nada.

 

No DN online podemos ler o seguinte

 

Entre  as 10.00 e as 22.00 de domingo  foram encontrados mortos nove idosos, sete homens e duas mulheres, que viviam sós.


"Janeiro e Fevereiro levam e o velho e o cordeiro", diz o adágio popular a admitir que aqueles meses são os mais ameaçadores para a vida dos idosos. Mas as nove mortes, sete homens e duas mulheres, que a PSP registou entre as 10.00 e as 22.00 de domingo apresentam características que violam a ordem natural da existência humana. Uns morreram abandonados, outros em situação de solidão, outros provavelmente às mãos de gente criminosa, e outros porque os desespero ditou o fim da linha.

 

Enquanto o país monta um circo em volta de algo que nem devia ser tema de discussão, há quem morra de solidão..... 

 

«Morrer é só não ser visto.»

 

A morte é a curva da estrada,

Morrer é só não ser visto.

Se escuto, eu te oiço a passada

Existir como eu existo.

 

A terra é feita de céu.

A mentira não tem ninho.

Nunca ninguém se perdeu.

Tudo é verdade e caminho.

 

Fernando Pessoa

 


Jorge Soares

publicado às 21:26


12 comentários

Sem imagem de perfil

De xana a 07.01.2010 às 23:55

Como é óbvio, pelos meus comentários no teu blog, e pelo meu último post no meu blog, eu concordo contigo. Gasta-se o tempo a complicar o que não tem complicação, e aquilo que deveria ser realmente assunto de interesse passa ao lado.
No entanto, os velhos já não interessam a ninguém, estão velhos e em fim de linha, para quê a preocupação, nem sequer já descontam para os impostos, e ainda dão despesa... e alguns tem a ousadia de se queixarem da reforma, dos medicamentos, essas coisas de que só os velhos se queixam, a ver se alguém lhes dá atenção.
Ainda há os que são deixados em casas de gente que os tranca, não vão eles ter também a ousadia de fugir, e só lá vão deixar o almoço, a meio do dia, que já é comida a mais para quem nada faz... ( até ser irónico por vezes faz doer a alma, de pensar que a brincar se dizem verdades tão cruéis)
Assim sendo, dá mais interesse bater nos homossexuais, que tem a ousadia de querer casar, e misturar familia, e adopção no mesmo saco, que é para defender a moral e bons costumes da nação.
Bjks
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 11.01.2010 às 00:14

Olá Xana

Como sempre, tens carradas de razão, vivemos numa sociedade hipócrita que vive na superfície e em que até os mais velhos são esquecidos... quantas vezes escondidos, porque não ficam bem na fotografia... enfim.

Beijinho ne boa semana
Jorge
Sem imagem de perfil

De Isa_ a 08.01.2010 às 07:00

mas k é isto?... "morrer é só n ser visto"... a morte n é kestao de vaidade... outra vida bem mais rica te espera, pq razao n acreditas nela??...

este mundo escuro e pekeno onde só cabe kem tem esperteza é completamente insignificante, é como uma casa c varias divisoes, cheia de enfeites e distracçoes, mas s portas nem janelas, e as pessoas têm medo de destruir as paredes, têm medo de arriscar e ver o q tá lá fora, fora dos limites férreos da sua consciencia q elas mesmas se auto-impoem... é tao facil arriscar, n é preciso mudar de cidade nem de país nem nada q se pareça... só é preciso mudança de mentalidade, e tb n tem nada a ver c regras nem moral, toda essa podridao do seculo 13 q nos inculcam na mente desde miudos...

se as pessoas fossem realmente iluminadas, andavam todas em guerra mas sem se tocarem c as maos, sem se mataram, usando somente as palavras e a liberdade de expressao...
Imagem de perfil

De Abigai a 08.01.2010 às 09:05

Olá Jorge, antes de mais e uma vez que este é o meu primeiro comentário do ano, desejo-te a ti e à tua família um bom ano.
A minha sogra ainda é nova e vive sozinha. Tem os seus defeitos como toda a gente mas preocupa-se muito com todos, conhecidos e desconhecidos. Tem por conta própria ajudado muitas idosas que vai conhecendo e que não têm ninguém (pelo menos ninguém que se interesse!) Uma senhora a quem ela arranjou um lar, sem família e que apenas confiava nela, faleceu antes do Natal, no mesmo dia em que a minha sogra teve um pequeno acidente e partiu a perna. O lar, que iria também ficar com todos os bens da senhora tratou do funeral. Apesar de não nos pertencer, a senhora era para nós como família, há anos que a minha sogra tratava dela e o meu filho consderava-a avó. Apesar das dificuldades em movimentar-se, a minha sogra fez questão de ir ao funeral.
Nunca assisti a nada assim, fiquei profundamente chocada. Houve uma pequena homilia no lar com meia dúzia de gatos pingados e seguimos para o cemitério. Estavam presentes a minha sogra, o meu marido, eu e o coveiro! Não foi acompanhado pelo padre, não houve uma palavra, foi um despejar de um corpo numa campa...
É triste ficar só, é triste não ter família, é triste não haver ninguém que se interesse pelos mais idosos que em tempos deram muito.
O lar ficou com os bens, recebeu o subsidio de funeral e das associações da senhora, mas nem um funeral digno lhe deu, nem uma presença, nada!
Uma morte esquecida, uma morte roubada!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 11.01.2010 às 00:16

Olá

É cada vez mais o reflexo do mundo em que vivemos, ´so contam os interesses... infelizmente.

Beijinho boa semana

Jorge
PS:Então e leituras para o clube?
Imagem de perfil

De Pedro Oliveira a 08.01.2010 às 10:45

Pois meu caro,
A hipocrisia Humana tem destas coisas, deve ser porque já é tradição da Humanidade haver pessoas sós e na pobreza.
abraço
bom fds
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 11.01.2010 às 00:28

Olá Pedro

A mim continua-me a admirar que este tipo de coisas aconteça... deveríamos ser capazes de fazer melhor, deveríamos ser capazes de lutar para que estas coisas não aconteçam.. infelizmente parece que só somos capazes de discutir o sexo dos anjos.... pera.. dos anjos não :-)

Abraço e boa semana
Jorge
Sem imagem de perfil

De Leamar a 08.01.2010 às 11:17

Bom ano Jorge!!
É muito triste, mas a mais pura das verdades! É realmente uma coisa que me assusta muito. Muitos de nós pensamos que nunca nos vai acontecer porque temos família, gostam de nós etc etc etc. Mas o dia de amanhã nunca o sabemos. Sabes, também conheço gente que fez tanta maldade (mas tanta!!) que em velhos não lhes desejo melhor! Eu sei que posso parecer má, mas olha-me para este caso que aconteceu aqui em Fátima:

"O Tribunal de Ourém considerou culpadas duas mulheres residentes em Fátima acusadas pelo Ministério Público de 15 crimes de maus-tratos a menores. Mas as arguidas, Maria de Oliveira e Julieta Rodrigues, respectivamente directora e cozinheira da Casa do Coração de Maria - Obra das Gaiatas, não foram condenadas por estes 15 crimes nem por mais três crimes de maus-tratos que o tribunal lhes imputou. “Porque o procedimento criminal extinguiu-se em Agosto de 2002”, lamentou Fernanda Ventura, a juíza que presidiu ao tribunal colectivo que julgou, durante cinco meses, aquelas duas mulheres.
“Para a consciência não há absolvição”, foram as últimas palavras da juíza no final da leitura do acórdão que decorreu na tarde da passada quarta-feira.
O colectivo de juízes considerou provado que a Obra das Gataias acolhia “crianças desvalidas”, tendo recebido durante anos “jovens do sexo feminino com idades compreendidas entre os dez e os 17 anos” de agregados familiares com dificuldades sócio-económicas sem que existissem limites estanques nas idades de admissão.
As utentes, refere o acórdão, eram obrigadas a levantar-se às 6h30 da manhã, indo à missa uma hora depois, sendo que eram essas utentes que faziam a limpeza da casa, ajudavam na cozinha e serviam os hóspedes. Uma situação que levava a que muitas delas se deitassem por volta das 23 ou 24 horas, mesmo em período de aulas.
Quanto às gorjetas que recebiam dos hóspedes - que pernoitavam na casa quando se deslocavam a Fátima em peregrinação - eram entregues à directora da insituição ou a outra funcionária, de seu nome Paula Ramalho. A esta mulher foi por várias vezes atribuída a responsabilidade de situações de maus-tratos, embora não tivesse sido constituída arguida.

Alimentação deficiente. Para o Tribunal de Ourém, não ficaram dúvidas quanto ao facto de a alimentação que era fornecida às crianças ser de “deficiente qualidade”, além de que “os alimentos eram escassos e de pouca variedade” e se apresentavam “estragados”. Por outro lado, não raras vezes as crianças “comiam o que sobrava das refeições dos hóspedes”. O colectivo de juizes admitiu também que houve utentes obrigadas a comer vomitado.
Quanto à higiene pessoal, explica o acórdão, “as internadas só estavam autorizadas a tomar um banho semanal - normalmente à sexta-feira -”, e não tinham objectos de higiene pessoal. Por outro lado, as crianças viviam permanentemente com o temor de castigos corporais.
Como prova, o tribunal considerou os depoimentos das vítimas, mas Fernanda Ventura particularizou várias situações: as palavras de duas jovens - de seus nomes Edna e Tânia -, de Ilda, que tem problemas psíquicos, e ainda de Liliana, uma utente que sofria de paralisia infantil e “foi sujeita a muitos maus-tratos psíquicos”. Considerou ainda como válidos os depoimentos de uma psicóloga, de uma assistente social e, por fim, da actual responsável pela casa, hoje sob a alçada do Santuário de Fátima.
“Apesar de todos estes factos estarem provados, apesar de todos estes crimes, estes estão prescritos”, disse a juíza que acrescentou: “as senhoras não são condenadas. É uma situação dolorosa, mas não somos nós que fazemos as leis”, sublinhou a juíza."
in região de Leiria - ed. 3501, 23 de Abril de 2004

Agora diz-me lá...não merecem estas "estimadas senhoras" um destino do pior. Por mim...jamais as ajudaria!!
PS- Desculpa o alongamento
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 11.01.2010 às 00:29

Olá

Este teu comentário dava um post ..e vai de aí... tu já ouviste falar da Missão criança? ... também é para lutar contra isto que ela foi criada.

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De barrigacheiadefelicidade a 08.01.2010 às 12:02

Olá Jorge
nao tens nada que pedir desculpa...
eu percebi perfeitamente o teu comentário e a tua indignação. Só quis que percebesses o meu...
E nao sabia que eras Pai! nem que desejavas voltar a ser... Parabéns! Eu tenho três pirralhos, mas tb, como já percebeste, ainda quero ter mais um ou dois.
É um gosto ler-te. na forma e no conteudo. Bjs
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 11.01.2010 às 00:30

Olá

Sim.. pais, de dois adoraveis diabinhos.. um diabinho e uma diabinho..e muito berevemente.. espeor, de mais uma :-)

Ainda bem que gostas.

Jorge
Sem imagem de perfil

De MMorgado a 08.02.2012 às 20:49

Boa noite Sr Jorge Soares.
Permita-me por favor que assine por baixo.
Realmente discute-se tanta coisa, gasta-se dinheiro com tanta coisa que nao tem por vezes aproveitamento.
Eu questiono porque nao se fazem mais centros de dia para que estas pessoas possam estar durante o dia e recolherem ao seu espaço a noite. Era uma das formas culmatar este vazio na vida de cada uma destas pessoas. So quem esta so sabe o que e a solidao. E morre-se de solidao. E tao triste.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D