Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mama, nã qué sopa!!

 

Hoje a D disse a primeira frase completa:

 

-Mamã nã qué sopa!

 

Estava com sorte, porque não havia mesmo sopa, mas está visto que temos uma Mafaldinha em potência, o que vale é que tirando a sopa, tudo o resto que aparecer no prato, marcha.

 

Eu sou dos que acha que ter filhos, sejam eles naturais ou adoptados, é antes de mais um acto de egoísmo, bom, às vezes nos naturais é um acto de outra coisa... mas isso agora não interessa nada. Adoptar uma criança é em 90% dos casos, um acto do mais puro egoísmo, as pessoas acham que adoptamos porque somos muito boas pessoas, ou porque somos muito caridosos, ou porque gostamos de fazer o bem.... desenganem-se, quem adopta é porque quer ter filhos, e se conseguisse de outra forma não adoptava.. é claro que há excepções, mas até nas excepções há quem o faça por egoísmo, porque não gosta de bebes por exemplo....  

 

Em suma, nós não somos santos e sobretudo, os nossos filhos não são uns coitadinhos que tiveram muita sorte porque nós os adoptamos, pelo contrario, nós é que tivemos muita sorte em os poder ter, amar e acarinhar.... e acreditem ou não, sentimo-nos pais exactamente da mesma forma que qualquer outro pai, nem mais nem menos.

 

Deixo aqui um conjunto de frases que pude ler hoje no meu mail, desabafos de pais adoptivos, vejamos:

 

Uma mãe com 3 

 

Sinceramente...não aguento mais que:

- me digam quanto me admiram por ter adoptado a ......

- me digam que à ..... lhe saiu a sorte grande

- me digam que eu sou uma mulher cheia de coragem

- que indagam como é que os irmãos estão a reagir


Ora vamos lá por os pontos nos iiiii


- a única admiração que eu mereço é por ter aguentado os 18 meses de espera e mau funcionamento da Seg Social.

- se à .... lhe saiu a sorte grande, a mim saiu-me o euromilhoes...porque miúdas assim, há uma num milhão!

- Coragem ?, Sim, mas é a mesma coragem que é necessária para nos decidirmos ser mães de mais um. A gravidez da ...., foi uma santa gravidez, sem sustos sem enjoos, sem dores nas costas ou insónias, o parto foi +/-, mas nada de traumatizante, correu tudo bem, mas na verdade é que a quantidade de coisas que podem correr mal numa gravidez são imensas. Sim, se pensarmos nisso, também é preciso coragem para engravidar, tanto como para iniciar um processo de adopção.

- mas só poderiam estar a reagir bem! Bem se vê que não conhecem os meus 3 filhos!

 

Futura Mãe:

 

Eu ainda não sou mãe adoptiva e já vou ouvindo cada uma que me deixa perplexa…

Uma das piores que já ouvi foi quando disse que tínhamos pedido manos,  e que não tínhamos definido muita coisa, nem os sexos, as idades dissemos que preferíamos até 6 anos mas que na prática dependendo das circunstâncias estávamos abertos a outras idades, e que considerávamos adoptar 3 manos . Resposta: ahhh, vocês devem ser santos!!!!”  Ficámos mesmo pasmados… : santos??? Santos por quê?

Por felizmente termos condições económicas para os recebermos?

Por receber 3 de uma vez em vez de fazermos 3 processos chatos de burocracia ?

Por passarmos a ser 5 em vez de 2?

Esta entre muitas outras…

Claro que não vão ser tudo maravilhas mas é a vida.

E se eu engravidasse de 3?????? Aí sim é que acho que dava em doida mas mesmo assim acho que se fazia (com muita ajuda!!!)

 

Pai de 2 adoptados

 

Então só mais uma perguntinha - Então e como é que o teu marido está a  reagir? Hiii Hiiii Hiiiii 

 

Futura mãe 2

 

Olha  eu ainda não sou mãe mas sempre que falo sobre isto a alguém e ainda por cima digo que nos candidatámos a 2 irmãos (sempre com a deixa que se fossem 3 também não fugia muito do nosso desejo, embora tenha consciencia de que à partida e sem experiência seja...muito, assim como uma gravidez seria, como vocês referiram) toda a gente fica de boca aberta e diz essas coisas todas de tão bons e que bem tão grande vcs estão a fazer e por aí em diante...

 

No meu simples entender é um exagero. A nossa vontade é tão grande e às vezes tão egoista quanto a deles mas também já estou como o ...., só respondo ou avanço com "explicações" quando acho que não vai cair em saco roto, de outra forma também já deixei de ter paciência não só para ouvir como para falar e depois ficarem igualmente com cara de parvos (desculpem mas é mesmo essa a expressão)! Além disso é mesmo o que a .... diz e é o que eu respondo: nós queremos e sabemos já que queremos, pelo menos 2...vou ser parva para passar pelas mãos daquela gente mais vezes do que o estritamente necessário????Nem pensar!!!!!!!!!

 

Mãe de 2

 

Mas acho que isto depende muito da forma como as pessoas encaram a maternidade/paternidade. No meu 1º dia da mãe que passei com eles fui à escola com as outras mães e lá pelo meio a prof. pediu às mães para escreverem 1s palavrinhas num cartãozinho para ficar de recordação. Eu escrevi qq coisa sobre a benção que eles eram na minha vida e como todos os dias aprendia coisas com eles que me faziam crescer como pessoa, etc.. e tal. A prof. ficou de boca aberta a olhar para aquilo pq a maior parte das outras mães punha a coisa na perspectiva contrária (elas é que ensinavam os miudos).

 

Mas essa conversa de que me admiram e tal.. Não há paciência!

Outra coisa que me tira do sério é qd me perguntam sobre eles... Não perguntam como é que eles estão (que é o que normalmente se pergunta qd se pergunta pelos filhos de alguém), perguntam: como é que está a correr? Como se não estivesse a correr bem nós os pudessemos devolver, corrigir, ou coisa assim... Claro que quando me perguntam isso eu devolvo um: "td bem. E com os teus? também td a correr bem? Algum problema?..."

 

No nosso caso às vezes ainda apanhamos pessoas que nos fazem perguntas sobre a "mãe verdadeira" e se eles se lembram dela e como está a ser a adaptação (eles estão connosco à 1 ano e oito meses) se eles nos tratam por pais e etc... 

Não há paciência!!!

 

Mãe de 1

 

...já ouvi os seguintes comentários:

- "desculpe, mas com quem é que ela á parecida?" ao que respondi muito seriamente se ela não tem os olhos iguais aos meus e o sorriso doce como o meu!!!

- "o pai é de cor"

- "que gira, veio de áfrica?"

- "ó filho anda ver uma menina como tu!" - olhei para o miúdo e ele era branco, "normal"...era adoptado!!!

- "não há a possibilidade da mãe biológica encontrá-la?"

- "pois é, ela dá trabalho, é como um filho..." - como um filho???? ela é minha filha!!!!!!


são perguntas de quem não sabe o que é adoptar, que talvez tenha um desejo ou seja mãe de maneira diferente...não sei.

e sim, fazem de mim uma raínha, uma santa, por ter adoptado, por ter adoptado sozinha, por ter adoptado em cabo verde. e dizem que saiu o totoloto à .... ao que eu sempre respondo que a mim me saiu o euromilhões.


bjs, haja paciência e sejamos muito felizes!!!!

 

 

E por fim, pai de 1

 

experimenta responder "se quizesse ser herói não tinha adoptado, apenas queria ser mãe" ;-)

 

Eu hoje passei por isto e tive que estar a explicar a uma das minhas colegas que não, que ter adoptado não faz de mim nem pior nem melhor que ninguém, só faz de mim pai... mas acho que ela não acreditou... 

 

haja paciência e que os nossos filhos sejam muito felizes!!!!

 

Jorge Soares

PS:Copiei isto sem autorização.... espero que ninguém se chateie.

PS2:Sim, é verdade, sou um pai babado

 

publicado às 21:59


18 comentários

Imagem de perfil

De Existe um Olhar a 03.03.2010 às 22:44

Olá Jorge
Apesar de tudo o que dizes e de tudo o que é dito ácerca de quem tem a coragem de adoptar, eu continuo a pensar que adoptar não é egoísmo.
Comparar uma gravidez com uma adopção é como comparar a luz do sol com a escuridão da noite...quando se engravida sabe-se de antemão o que se quer, as mulheres ficam naturalmente preparadas para um acontecimento que faz parte da natureza humana.
Na adopção parte-se para uma aventura, começando pela burocracia, pelos atrasos , pelas longas esperas e pela incerteza. Não será isto um acto de coragem e altruísmo?!
Claro que não sou apologista do elogio fácil , nem considero que uns são melhores que os outros, mas permite que sinta admiração por todos os que não se acomodaram e que transformaram a vida em prol do bem estar de alguém .
Beijos
Manu
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:09

Manu...

Há muitas formas de ver as coisas, se tu soubesses as discussões que eu tive com algumas pessoas sobre as escolhas, e as restrições..e tantas coisas inerentes À adopção.

No fundo amiga, o que está por trás deste post é o nosso desejo de que vejam os nossos filhos como crianças e a nós como pais...e acredita, há muita gente com dificuldade em ver.. como podes ver por algumas das frases que copiei.

Eu não me sinto nem mais nem menos que outro qualquer pai...

Sem imagem de perfil

De xana a 04.03.2010 às 00:08

Olha trocamos! A tua D. pela minha D. A minha D. só quer sopa, ou canja, todos os dias, ao almoço e ao jantar. Haja o que houver para a refeição tem de haver sempre sopa ou canja. Ela é estratega... é que se a comida não lhe agradar, pede logo sopa, embora se agradar também pede sopa na maioria das vezes. Quando dizemos que não há sopa, pergunta logo "_Há canja?" Sei que é raro nas crianças e que a sopa é essencial, por isso, há sempre sopa ou canja, mas por vezes há que dizer que não há, ou ela não come outros alimentos, porque acha que não gosta, embora sejam raros os casos em que só come mesmo sopa. Há dias em que come duas refeições... a da minha mãe... e a da tia... é que faça eu o que fizer, nem que seja uma autêntica desgraça, ela diz logo que quer da comida da tia, que a tia é que sabe cozinhar. Ontem cheguei a casa já depois de todos terem jantado, e fui cozinhar para mim, ela apareceu logo na cozinha, e começou a fazer a "vistoria", e mal viu o que eu ia cozinhar, desatou a rir. Claro que eu já ia cozinhar a contar com ela, cozinho sempre. É nos dias que eu também cozinho, além da minha mãe ou irmã, que ela come duas refeições, o que não se nota porque é como a tia... não engorda nem que comesse três vezes mais.
De resto, não faço comentários, afinal quem sabe também fizesse algumas perguntas do género, mas apenas por ingenuidade.
bjks
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:12

Nã nã nã, não troco a minha D. por nada, agora que tenho uma filha que nem de encomenda arranjava uma assim..e tu achas que eu a trocava?... além disso, quando o pai está presente, ela come a sopa....

Quanto aos comentários... eu sei que tu és uma pessoa sensata.. e mais não digo.

beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De dida a 04.03.2010 às 00:12

Perguntas eu?
Nunca mais!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:15

Onde é que está o boneco com a língua de fora?.. pera........
Sem imagem de perfil

De Sandra Cunha a 04.03.2010 às 02:42

Jorge,

Uma rectificação: eu gosto de bebés!! (Sim, que sei bem em quem é que estavas a pensar :) )

Desde que sejam dos outros, gosto muito deles. Delicio-me, brinco, faço aquelas figuras todas tristes que os adultos costumam fazer na presença de bebés.

Para aqui a denegrir uma pessoa! :)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:16

Na minha terra diziam:

El que se pica es porque aji come



beijinho Sandra
Jorge
Sem imagem de perfil

De Leamar a 04.03.2010 às 10:20

Bom dia Jorge,

Olha, eu não sou nem mãe adoptiva nem mãe biológica. Sou MÃE...e só!
Nunca adoptei e não adoptarei por uma razão cabal. O meu marido acha que é diferente e esse simples "achar" faz com que eu jamais sujeitasse uma criança à diferença numa família. Sou sincera...o meu marido nem queria ter filhos, mas eu queria muito muito. Cheguei a pensar em separar-me uma vez que os nossos objectivos e ideais de vida eram demasiados diferentes. Ele lá repensou e decidimos então engravidar. Ainda estou para perceber como me fui apaixonar por ele! Mas amo-o mesmo muito...é o meu outro bebé! Dá-me tanto trabalho como a minha N, mas mais dores de cabeça!
Tive a N com toda a satisfação do mundo, mas definitivamente nota-se que ele não é um pai como eu gostaria que fosse. Ele ama a N...disso estou certa! Mas falta-lhe a dedicação, a preocupação! É egoísta .mas até os egoístas são amados! E tinha de me calhar um na rifa!
Andava eu para aí no meu 6º ano, e uma menina da nossa turma havia descoberto que tanto ela como o irmão dela eram adoptados! Foi choro de baba e ranho...ela estava desolada! Era pequena e ficou chocada com a revelação. Sentia-se diferente...dizia ela! Claro que com o passar dos dias, ao ver que continuava a ser igualmente acarinhada por todos, esse sentimento passou. Quando me dizem que um casal são uns santos por adoptarem uma criança, penso imediatamente: Se são eles que estão a concretizar um sonho de uma vida, como podem ser santos?? Já uma criança nunca nasce a querer ser adoptada...as circunstâncias da vida é que a põe nesse lugar! Posso até estar a ser "mázinha " para quem não pode mas devia ter filhos...mas o ideal , embora utópico, seria as crianças serem todas amadas à nascença!
Sobre a pergunta do "Como é que as coisas estão a correr?" Esta é uma pergunta que eu faço frequentemente a todos os pais, desconhecendo se são adoptivos ou não...são pais! Até porque comigo as coisas nem sempre me correm bem! Por exemplo quando saí do hospital com a minha filha, estava cheia de medos, dúvidas, receios...achava que não dava conta do recado! Mas não dizia nada a ninguém para não dar parte fraca. Mas cá por dentro, de tão desajeitada que eu me sentia, cheguei a pensar: "Onde é que eu estava com a cabeça!" Não digo que tenha sido fácil, mas foi de todo prazeroso ! Sinceramente espero do fundo do coração que não seja a única a ter estes medos, receios e dúvidas...senão serei mesmo uma "ET " no meio de todos vós! Se calhar sou ...
Eh...mas não me importo...
Dedicado a todos os pais que amam os seus filhos: "Amar é sentir na felicidade do outro a própria felicidade."...E é isto que eu sinto quando vejo a minha filha a sorrir!
Abraços e beijinhos.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Bom dia Jorge, <BR><BR>Olha, eu não sou nem mãe adoptiva nem mãe biológica. Sou MÃE...e só! <BR>Nunca adoptei e não adoptarei por uma razão cabal. O meu marido acha que é diferente e esse simples "achar" faz com que eu jamais sujeitasse uma criança à diferença numa família. Sou sincera...o meu marido nem queria ter filhos, mas eu queria muito muito. Cheguei a pensar em separar-me uma vez que os nossos objectivos e ideais de vida eram demasiados diferentes. Ele lá repensou e decidimos então engravidar. Ainda estou para perceber como me fui apaixonar por ele! Mas amo-o mesmo muito...é o meu outro bebé! Dá-me tanto trabalho como a minha N, mas mais dores de cabeça! <BR>Tive a N com toda a satisfação do mundo, mas definitivamente nota-se que ele não é um pai como eu gostaria que fosse. Ele ama a N...disso estou certa! Mas falta-lhe a dedicação, a preocupação! É egoísta .mas até os egoístas são amados! E tinha de me calhar um na rifa!<img src="//blogs.sapo.pt/images/mood/EMOTICON_BLINK.png"> <BR>Andava eu para aí no meu 6º ano, e uma menina da nossa turma havia descoberto que tanto ela como o irmão dela eram adoptados! Foi choro de baba e ranho...ela estava desolada! Era pequena e ficou chocada com a revelação. Sentia-se diferente...dizia ela! Claro que com o passar dos dias, ao ver que continuava a ser igualmente acarinhada por todos, esse sentimento passou. Quando me dizem que um casal são uns santos por adoptarem uma criança, penso imediatamente: Se são eles que estão a concretizar um sonho de uma vida, como podem ser santos?? Já uma criança nunca nasce a querer ser adoptada...as circunstâncias da vida é que a põe nesse lugar! Posso até estar a ser "mázinha " para quem não pode mas devia ter filhos...mas o ideal , embora utópico, seria as crianças serem todas amadas à nascença! <BR>Sobre a pergunta do "Como é que as coisas estão a correr?" Esta é uma pergunta que eu faço frequentemente a todos os pais, desconhecendo se são adoptivos ou não...são pais! Até porque comigo as coisas nem sempre me correm bem! Por exemplo quando saí do hospital com a minha filha, estava cheia de medos, dúvidas, receios...achava que não dava conta do recado! Mas não dizia nada a ninguém para não dar parte fraca. Mas cá por dentro, de tão desajeitada que eu me sentia, cheguei a pensar: "Onde é que eu estava com a cabeça!" Não digo que tenha sido fácil, mas foi de todo prazeroso ! Sinceramente espero do fundo do coração que não seja a única a ter estes medos, receios e dúvidas...senão serei mesmo uma "ET " no meio de todos vós! Se calhar sou ...<img src="//blogs.sapo.pt/images/mood/EMOTICON_NOSTALGIC.png"> <BR>Eh...mas não me importo... <BR>Dedicado a todos os pais que amam os seus filhos: "Amar é sentir na felicidade do outro a própria felicidade."...E é isto que eu sinto quando vejo a minha filha a sorrir! <BR>Abraços e beijinhos. <BR class=incorrect <a name="incorrect">Leamar</A> </A>
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:21

Ora, o que eu queria dizer neste post é o que tu escreves na primeira linha:

"Olha, eu não sou nem mãe adoptiva nem mãe biológica. Sou MÃE...e só! "

É só isso que queremos que as pessoas entendam..

Todos somos diferentes, cada um de nós é deferente e todos gostamos que nos vejam como iguais...

De resto, este teu comentário dava uma boa conversa de horas e horas... quem sabe um destes dias.

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De Leamar a 04.03.2010 às 10:23

Pronto...sou mesmo naba!! Fui ver a ortografia...não sei o que aconteceu e o comentário saiu dobrado. Peço desculpa! Não foi por querer... Não torno a verificar a ortografia! Vai com erros e tudo!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:24

Não és nada.. isso acontece muitas vezes.. não te preocupes..nem com isto, nem com os erros.
Sem imagem de perfil

De la Niña de las Pompas de Jabón a 04.03.2010 às 11:45

O mesmo se aplica às famílias de acolhimento.
Já ouvi diversas vezes esse género de comentários e para mim, são apenas actos de amor.
Não posso deixar de concordar com a ideia de que são pessoas de coragem: tomará todos adoptarem ou acolher uma criança e não haveria tantas crianças colocadas em instituições onde falta o amor e carinho de um pai e/ou de uma mãe.

Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:25

Olá

Sim, tomara que todas as crianças pudessem ter uma familia e muito amor e carinho...

Beijinho
Jorge
Imagem de perfil

De Pedro Oliveira a 04.03.2010 às 14:34

Deliciosos estes relatos, mostram bem os nossos pré-conceitos...
Um abraço para os egoístas mor
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 05.03.2010 às 00:26

Olá Pedro

Abraço e obrigado

Jorge
Sem imagem de perfil

De eva.lima@email.cz a 11.03.2010 às 11:55

Olha Jorge, os comentários não diferem muito dos que eu ouço por ter 4 filhos :
-São de 2 casamentos?
-viraste-te para a religião (esta de conhecidos que não via há uns tempos)?
- não têm televisão?
-que corajosa!!
-ve-se que tens dinheiro
-és mesmo maluca!! ou versão menos soft sempre foste maluquinha!
etc,etc,etc....
Sem imagem de perfil

De Elsa a 09.04.2013 às 10:53

Bom dia...
Sei que o comentário já é bem antigo mas queria "só" acrescentar mais um comentário que por vezes me "atiram"(sim é o termo certo!), para além dos já mencionados, por ter 3 filhos...

-"vão ficar por aqui certo?!?!"

...acho que este bate todos os outros aos pontos!!! Eu e o meu marido é que sabemos da nossa vida, ninguém tem nada a haver com o facto de termos 3 filhos ou seja quantos forem!!

Mas enfim.... toda a gente gosta de se meter na vida dos outros...

Bjs...

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D