Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Adopção em Portugal

 

Imagem da Internet

 

Confesso, eu não gosto da Idália Moniz, é muito difícil para mim gostar de pessoas que só olham para os números que lhes aparecem à frente, para o que está escrito e que se negam a acreditar que exista uma realidade para além das letras e dos números.

 

Tudo começou com a lista nacional de adopção, uma coisa que apareceu com a alteração da lei em 2003 e que hoje, 7 anos depois, continua a ser ignorada pelos centros distritais da segurança social que continuam a falar dos seus candidatos e das suas crianças.. e isto foi reconhecido por mais que um responsável de centros distritais em Outubro passado no Encontro nacional de adopção que se realizou em Lisboa. Durante anos, as assistentes sociais diziam aos candidatos, a mim disseram-me em 2008, que não existia uma lista nacional, ou que esta não é utilizada, e a senhora insistia em que esta existia e era utilizada...

 

Ontem foi entregue na assembleia da república o relatório sobre a situação das crianças em acolhimento, hoje ouvi mais que uma vez as declarações da senhora secretária de estado às televisões e confesso, deixou-me irritado... ela e a imprensa. O relatório falava das crianças em acolhimento, mas para não variar,  os títulos das noticias focavam a adopção... e os candidatos que só querem as crianças perfeitas..e as crianças que ninguém quer..e as crianças que são devolvidas...

 

Curiosamente, não vi ninguém perguntar porque é que há quase 300 crianças sem projecto de vida definidos, crianças estas que vivem no Limbo, porque é que das quase 10000 crianças entregues ao estado só  2776 podem ser adoptados, o que acontecerá às restantes?. Ninguém pergunta quem fiscaliza as instituições?, quem fiscaliza os tribunais?,  quem avalia as equipas de adopção? Porque é que há crianças que entram com meses para as instituições e só seguem para adopção quando já estão numa idade em que  será muito difícil serem adoptadas?

 

Depois temos as 500 crianças que supostamente ninguém quer, porque tem mais de 3 anos, porque não são brancas, porque tem doenças...  Vamos lá ver,  é verdade que há muitíssimos candidatos que só querem crianças brancas e menores de 3 anos, mas também é verdade que nós não colocávamos restrições de raça, queríamos uma criança até à idade escolar e aceitávamos doenças que não fossem impeditivas do desenvolvimento...  estavamos há espera há mais de ano e meio e as ultimas estimativas eram de quase 5 anos de espera.... então, e essas 500 crianças que ninguém quer? não havia nenhuma com menos de 7 anos, que não fosse branca e com algumas doenças?

 

Eu conheço muitíssimos candidatos à adopção, a R. e o P. são uns desses candidatos, eles aceitam irmãos.. a ultima estimativa era que tinham mais de 50 pessoas só no seu distrito à sua frente, que também aceitavam irmãos... mais de 5 anos de espera... então, entre essas 500 crianças não há irmãos?... podia continuar... tenho mais exemplos....

 

Das duas uma, ou esse número é um disparate para deitar a culpa aos candidatos, ou então, a informação sobre a existência dessas crianças à espera não circula e os candidatos de um distrito não são válidos para as crianças dos outros..e cada distrito vai acumulando as suas crianças até que aparece, no mesmo distrito,  um candidato que as leve. Só isso explica que em lugar dos poucos meses de que falou a Senhora secretária de estado, a mim  as assistentes sociais da segurança social de Setúbal, me falassem de anos, quase 5 anos.

 

É verdade que há muita gente que só aceita crianças até 3 anos, e brancas, e perfeitinhas... não concordo, já discuti várias vezes com pessoas destas. A minha opinião é que não se deveria poder escolher a idade, ou a raça... mas respeito quem tem uma opinião diferente... e a verdade, é que quem não coloca estas restrições tem que esperar na mesma... e ninguém resolve a vida das 7000 crianças que nunca irão para adopção.... vá-se lá saber porquê.

 

Noticias sobre este tema:

 

TVI 24: Há mais de 500 crianças que ninguém quer adoptar

 

Público : Oitenta por cento dos candidatos querem um filho adoptivo branco

 

Público: Há cada vez mais adolescentes internados nas instituições

 

Ionline : Há 574 crianças que ninguém quer adoptar

 

Jorge Soares

publicado às 21:21


6 comentários

Imagem de perfil

De aespumadosdias a 09.04.2010 às 08:54

A notícia que passou foi só a das crianças que ninguém quer adoptar, mas há outros problemas quando se fala em adpção que não se resolvem. Fazes bem em falar nesss situações.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.04.2010 às 11:00

Olá. Sigo o vosso blog há algum tempo embora nunca tenha comentado.
Foca várias questões, em que realmente tem toda a razão.
Mas em relação à questão da fiscalização das instituições que acolhem crianças, pergunta quem fiscaliza. Existe fiscalização, eu sou inpectora da segurança social e faço essas fiscalizações. Actualmente tenho dois pocessos de inspecção a decorrer, dos quais vão resultar dois relatórios com recomendações às instituições.
Há instituições boas e más, que funcionam melhor e pior, mas o mal está na lei, a lei tem que ser alterada. Deparo-me com crianças que foram acolhidas bebés e hoje, com 16, 17 e até 18 anos que ainda estão nas instituições, ninguém as adoptou, são brancas, não têm irmãos, não têm doenças, não foram adoptadas porque não foi essa a decisão do tribunal, dos pais biológicos.
E hoje, ali estão, com um futuro incerto, infelizes, tristes, com insucesso escolar, com problemas se socialização, etc. A lei tem que ser alterada, repito!
E os relatórios que elaboro têm que ser consequentes, e muitas vezes não o são!

Um dia também eu vou adoptar um menino ou menina, até aos 5 anos...
Um abraço
EHCC
Sem imagem de perfil

De sandra martins a 12.04.2010 às 14:38

Jorge

Sou uma leitora assidua do seu blog. Também sou uma das candidatas que quer uma criança com mais de 5 anos, de raça e sexo indiferente e que pode ter ligeiros problemas de saude e também estou à espera...
Deixe-me que lhe diga, que quem fala assim, ou melhor escreve não é gago como se costuma dizer!
Sem imagem de perfil

De Ana a 12.04.2010 às 15:03

Olá!
Também sou candidata a adopção. O meu processo é de 2006, ainda espero, não sei quanto tempo mais, ninguém sabe. São muitas perguntas sem resposta.
Há muita coisa que não entendo. Não aceito, que a ideia que passe, seja de que a culpa seja nossa, dos pais candidatos à adopção. Será a culpa só dos tribunais, dos pais biológicos? Que interessa de quem á a culpa...O que interessa é de que existem crianças sem pais e pais sem crianças... isto é que é dificil de entender. É dificil suportar.
Todos os dias passo pelo seu blog. Tem um visão muito clara sobre qualquer assunto que trata, em especial este da adopção.
Obrigada
Ana
Sem imagem de perfil

De Ana Dias a 13.04.2010 às 10:37

Para nós a adopção é um processo muito subjectivo e pouco claro, pois estamos desde 2004, à espera de 1 criança até 5 anos, saudável e branca, no Algarve, nunca nos disseram qualquer previsão de tempo de espera, apenas nos dizem que não tem havido nenhuma criança com as características que nós pedimos!
É com grande desespero nosso que vemos os anos a passarem lentamente, sem termos filhos e com tanto amor para darmos!
Sem imagem de perfil

De CAR a 28.04.2010 às 11:42

Olá.Também sou candidato à adopçãp, o meu processo é de Fevereiro de 2008, estou a espera de uma criança até aos 6 anos, sem restrição de côr e até agora nada, algo que não consigo compreender

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D