Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fátima, futebol e to

Imagem do público

 

 

Os zun zuns já andavam pela blogosfera desde há umas duas semanas, o governo estava-se a preparar para mexer nos impostos e no subsídio de natal. Quando escrevi o post sobre a tolerância de ponto da vinda do papa, já tinha lido mais de um blog onde se ventilava o assunto, na altura falava-se no subsidio de férias dos funcionários públicos, os mesmo que tem direito a tolerância de ponto e a dias de férias extra, mas não, não era disso que se tratava, é mesmo no subsidio de natal de todos nós, no Público podemos ler o seguinte:

 

Nova subida de IVA e tributação extraordinária do subsídio de Natal de toda a população, duas medidas ponderadas pelo Governo para garantir o novo objectivo do défice, têm o potencial para, este ano, gerar uma receita adicional para o Estado de mais de 3000 milhões de euros.

 

Antes de mais, devo dizer que eu entendo a necessidade destas medidas, a crise financeira e o custo do dinheiro está a afectar duramente   a nossa economia e se não forem tomadas medidas não demorará muito a estarmos na mesma situação da Grécia com tudo o que isso significa. Mas assim como entendo que é necessário que se tomem as medidas necessárias, não entendo que se gastem milhões em todo este circo montado à volta da vinda do papa e muito menos que um governo que se  prepara para mexer assim no bolso de todos nós, dê dois dias de tolerância de ponto a todos os funcionários públicos.. afinal, o exemplo deve vir de cima.. ou não?

 

Já o disse no outro post e volto a dizer, esta tolerância de ponto é uma vergonha, que se pare o país dois dias para as pessoas irem ver o papa é uma vergonha e é uma falta de respeito por todos nós que com os nossos impostos estamos a pagar todo este circo e que aparentemente com o nosso subsidio de natal vamos pagar a crise.

 

Eu sou pouco de deitar pedras ao governo, este ou outro qualquer,  mas terem escolhido o intervalo entre a vitória do Benfica no Futebol e a vinda do papa para falarem destas medidas, é no mínimo gozarem com a nossa cara, o tempo do Fátima, fado e  futebol  já lá vai, mas este governo prepara-se para nos lixar com F. grande e entretanto dá-nos circo... pena que ao mesmo  tempo se prepare para nos tirar parte do pão.

 

Jorge Soares

publicado às 21:52


28 comentários

Sem imagem de perfil

De Inês Antunes a 12.05.2010 às 00:46

Jorge, não podia estar mais de acordo consigo.
Contudo, discordo no ponto em que Fado, Futebol e Fátima já lá vai. Com todo o respeito pelo meu país e pelos portugueses mas o povo continua estúpido e a iludir-se com o espectáculo montado por quem manda.
Do futebol, já nem vale a pena falar; não me venham dizer que este país adora desporto, porque não é verdade. Este país adora futebol, de uma forma quase doentia. Quando a selecção não joga, somos todos do nosso clube e os outros, verdade ou não, são na nossa boca uns FDP's. Quando joga selecção, temos todos que ser da selecção e ser unidos e não criticar ninguém, mesmo que as coisas não estejam a ser levadas da melhor forma.
Quanto ao que se está a passar esta semana é rídiculo, no mínimo. Em primeiro lugar, o Estado é laico, nada tem que ver com a Igreja, de modo que não percebo por que razão, como sempre e mais uma vez, nos calámos e deixámos a banda passar, vendo o nosso dinheiro ser derretido numa comemoração efémera, ainda por cima estreitamente ligada à Religião. Quem lhes disse que nós, portugueses contribuintes, queremos ver o nosso dinheiro investido na vinda do Papa a Portugal? Em segundo lugar, num país em que nos pedem para apertar o cinto, em que cortam nas despesas da Saúde, Educação, pensão dos reformados, onde o IVA não ia aumentar mas afinal já vai, neste país não existem outras prioridades? Tanta gente pelo mundo fora, Portugal inclusive, que é desse que falamos, a morrer de fome e vem o Papa defender os "coitadinhos dos pobrezinhos", pregando num microfone ornamentado com ouro, feito especialmente para Sua Santidade? O que é isto? Querem mais evidências? Um palco construído e montado em tempo record, bem como as cadeiras e as mesas e todo o material necessário para que Sua Santidade pudesse pregar à sua vontade. Mas do que é que o povo se queixa? O povo gosta! O povo está lá, venera-os e deixa que toda esta hipocrisia se desenrole mesmo debaixo do seu nariz. O povo é gozado, ridicularizado, mal-tratado. Uniram-se esforços para ter tudo apostos para a chegada do Papa, gastaram-se milhões. E quando são obras públicas? Escolas, hospitais, estradas? As obras duram, duram e duram e ninguém tem culpa. Assim como os processos que estão nos Tribunais, "jazem" lá dentro e todos assobiam para o lado.
Enfim, é o país que temos. Podia ser tão maior... bastava lutar por si, com respeito e confiança. Mas não. É disto que o meu povo gosta: de hipocrisia. A contradição da Igreja está à vista de todos. Talvez a hipocrisia não seja dela mas sim de quem não quer ver aquilo que está mesmo à sua frente. Enquanto assim for, não chegaremos a lado algum.
Sem imagem de perfil

De Leamar a 12.05.2010 às 14:36

Mas será preciso eu escrever algo mais hoje??? Está tudo dito!!!
Ah...a acrescentar que a cadeira onde o pápa se vai sentar hoje aqui em Fátima é feita em Mármore. Eu que trabalho na indústria da pedra sei mais ou menos o valor que só ali está!!! Não é de ouro mas...
Para não lhe arrefecer o rabiosque vem uma almofada especial. E viva a crise que reina no reino dos tesos e em crise! E que tal a igreja passar a pagar impostos como todos nós??
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 12.05.2010 às 23:26

Olá Inês

Li algures no teu blog que és estudante de jornalismo... pois espero que termines rapidamente o curso... porque é de jornalistas como tu.. que sejam capazes de olhar e de pensar que precisamos... e quem fala assim..

Completamente de acordo.. e "Enquanto assim for, não chegaremos a lado algum."

Jorge
PS:E também és uma excelente fotógrafa
Sem imagem de perfil

De Inês Antunes a 13.05.2010 às 13:27

Olá, Jorge!
Obrigada pelas suas palavras. É verdade, frequentei um ano o curso de Ciências da Comunicação mas agora estou em Jornalismo.
Além da imparcialidade, vejo o Jornalismo como um meio que pode dar voz às causas sociais e intervir, de certa forma, denunciando e alertanto, tentando desbravar as malhas que nos impedem de chegar a um ponto mais próximo da verdade (isto porque a verdade absoluta não existe). Desta forma, podemos percorrer um caminho no qual alcancemos um ponto mais próximo daquilo que é a verdade, através do pensamento crítico e do questionamento. Afinal, jornalismo é questionar. Com esta atitude acrítica que consome a sociedade, vão cada vez mais fazer pouco de nós. Criticar e questionar são duas coisas que podem ser feitas através da honestidade e respeito: é isto que muita gente ainda não percebeu e por isso pensa que mais vale ficar calado "para não arranjar problemas". Mais importante que tudo é que viemos ao mundo para viver em sociedade, dependendo todos uns dos outros, mesmo daqueles que nem conhecemos. É impossível negar isto. Devemos então perceber que viemos aqui para ser respeitados e respeitar. O problema não está em calar a boca ou calar as bocas dos outros, porque isto toda a gente consegue fazer; o que nem todos conseguem fazer é aceitar a diferença, a opinião de todos e saber ouvir, dialogando de uma forma respeitadora e honesta. Talvez seja utópico da minha parte dizer isto mas é o que penso. Sei que é impossível chegar-se a uma sociedade perfeita mas espanta-me o medo que as pessoas têm de falar. Falem, expressem-se, não esquecendo nunca o respeito, a honestidade e a boa argumentação. Mas o povo talvez não queira falar nem se expressar, porque ninguém fala, ninguém se expressa, ninguém vota. Será medo, descontentamento ou desinteresse? Se têm medo não deviam, porque ele consome-nos até ao tutano e fecha-nos cada vez mais; se é descontentamento deviam lutar para haver mudança; se é desinteresse então assustam-me mesmo, não consigo conceber uma pessoa sem ideias. Mas se assim é, então depois não se queixem que ninguém faz nada (gostos à parte, toda a gente devia ouvir a música "toda a gente", dos Da Weasel. «...Toda a gente critica
Toda a gente tem muita pica,
Mas é na mesa do café que toda a acção fica... Há quem costume falar de revolução
Mas a revolução não vai ser transmitida na televisão
Ela tem que acontecer dentro de cada um
Caso contrário nunca chegaremos a lugar algum
Há quem queira resolver os problemas do mundo inteiro
De uma só vez, confiante, tal e qual um bom escuteiro
Mas enquanto se perseguem tão nobres ideais
Esquecemo-nos de limpar os nossos quintais
Tentamos combater todos os males da terra
Quando afinal é na nossa casa que começa a guerra
Toda a gente devia parar de falar olhar para dentro e agir...»)

Desculpem lá o desabafo... :)
Beijinho
Sem imagem de perfil

De Inês Antunes a 13.05.2010 às 13:36

E para uma avaliação ainda mais profunda, oiçam FMI, de José Mário Branco, tendências políticas à parte. :)
É de espíritos assim que Portugal precisa.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D