Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Devemos pagar portagens nas SCUTS?

por Jorge Soares, em 28.05.10

Portagens nas SCUTS

 

Imagem do Ionline

 

Ora aqui está um tema polémico, à priori não tenho uma opinião definitiva  sobre o assunto, se por um lado entendo que estamos a falar de vias que não têm grandes alternativas, por outro o país está cheio de exemplos de outros lugares onde não há grandes alternativas e em que é necessário pagar portagens.

 

Eu moro em Setúbal e trabalho em Loures, todos os dias para ir trabalhar eu tenho que atravessar o Tejo e todos os dias tenho que pagar portagens, sendo que não tenho absolutamente nenhuma alternativa. Nunca ninguém colocou em causa o pagamento das portagens nas pontes sobre o Tejo. Qual é a alternativa para o pessoal que utiliza a A8 e se desloca das Caldas para Lisboa?

 

Esta semana falamos sobre isto cá em casa, a questão é "Porque é que nós temos de pagar a A2, a A12 e as pontes para irmos trabalhar e os turistas no Algarve não têm que pagar a via do infante?" ou o pessoal de Aveiro a A29 para ir ao Porto?. ou....

 

É claro que podemos pensar que se deveria formar um movimento para acabar com as portagens nas pontes... mas para mim é claro que não há dinheiro para tal coisa, sem as empresas que gerem as pontes e sem o dinheiro das portagens simplesmente não haveria Vasco da Gama, o Estado não tem capacidade financeira para tal, assim como não tem capacidade financeira para continuar a pagar as Scuts ..

 

Nem é uma questão de os meus impostos estarem a pagar algo que eu não utilizo, é mais uma questão de eles serem necessários para muitas outras coisas, é uma questão de não haver dinheiro, nem para isto nem para muitas outras coisas..e de estar na altura de se começarem a fazer escolhas.

 

Entretanto, li uma noticia no Ionline que diz o seguinte:

 

Identificador obrigatório nos automóveis a partir de 1 de Julho

A mim quer-me parecer que o estado não faz ideia do numero de carros que há a circular em Portugal e isto só pode ser uma anedota, estamos no fim de Maio e ninguém faz a mínima ideia de que é que se está a falar, deve ser inicio de Julho de 2011.. e  mesmo assim tenho a minhas dúvidas.

 

Estive a reler o que escrevi.. afinal sempre tenho opinião... acho que todos devemos pagar.

 

Jorge Soares

publicado às 21:54


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Ora bolas a 28.05.2010 às 22:42

KLARO QUE DEVEMOS PAGAR PORTAGENS
Sem imagem de perfil

De xana a 29.05.2010 às 00:47

Claro que todos temos que pagar. Se eu quiser ir a Lisboa, sem ser pela A2, também tenho um longo e penoso percurso para lá chegar, da mesma forma que todas as pessoas que moram por cá e trabalham em Lisboa, e não andamos a fazer manifestações para que se acabem as portagens. Somos penalizados porque além da portagem das vias rápidas de acesso, ainda temos de pagar a portagem da ponte, seja pela 25 de Abril, seja pela Vasco da Gama. O que fazer? Usar os transportes públicos para minorar a questão. Então nas Scuts, se as pessoas não querem ter de pagar portagens, usem transportes públicos, poupam no combustível no estrago do carro e muito mais importante poupam no ambiente. Se as alternativas são morosas e sem condições, por cá ir para Lisboa não é melhor, e ninguém se queixa por pagar duas portagens para lá e uma para cá. O português é muito comodista, refila porque o Estado só fez estradas, mas depois passa o tempo a andar de um lado para o outro, gasta o carro, estraga combustível, polui, e ainda refila se tem de pagar portagem, e só não leva o carro até ao sítio onde vai, porque já não tem espaço, porque se pudesse era ver os o pessoal levar o carro para o posto de trabalho, ou centro comercial adentro sem sair do seu rico carrinho. Que tal, andarem mais um bocadinho, usar transportes públicos, e parar de refilar por ter de pagar uma coisa que tem custos de manutenção elevadissímos, e que só se usa por comodismo? Porque não me venham com a questão das alternativas, porque os trasnportes publicos são uma alternativa, salvo algumas excepções. Refilam das portagens, mas não refilam, do preço dos bilhetes de avião e da diária do hotel das férias... O dinheiro dos impostos devia ser melhor aplicado onde faz falta, como na saúde, na educação, do que termos de pagar estradas que as pessoas usam porque não querem dar uma volta maior, ou porque é mais cómodo para eles. Se eu tiver que tratar algo em Lisboa ou em Coimbra, ou no Algarve, ou pago portagens, ou uso transportes públicos, mas não reclamo. Agora andarmos nós a pagar para outros andarem à borla, não me parece que seja justo. E não pagarmos todos, também não, por isso, acho que devem ser criadas portagens nas Scuts, e todos pagarem como deve ser, porque a manutenção é cara, e porque é mais justo que se pague o que se utiliza, em beneficio de alguns, construído com os impostos de todos.
Bom fim de semana, bjks
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 31.05.2010 às 22:22

Olá Xana

Nem mais..

Beijinho

Jorge
Imagem de perfil

De Existe um Olhar a 30.05.2010 às 13:56

Olá Jorge
Eu acho que não devíamos pagar portagens, os impostos que pagamos deveriam ser suficientes para suportar a construção das vias de comunicação, muitas delas construídas com a ajuda de fundos comunitários. Penso nas pessoas que as utilizam diariamente para ir trabalhar, na exorbitância que têm de pagar para as poderem utilizar. Poderão dizer que há sempre os transportes públicos como alternativa...e será que eles funcionam e dão resposta ás necessidades das pessoas? Penso que não.
Ainda bem que falaste na A8, porque cada vez que penso ir a Lisboa, fico arrepiada com o estado do piso, com as obras intermináveis e com um traçado que deixa muito a desejar. Já que tenho que pagar uma portagem caríssima, pelo menos enquanto durassem as obras ela devia ser abolida ou que o preço baixasse.

Bjs
Manu
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 31.05.2010 às 22:27

Olá Manu

A verdade é que os impostos que pagamos não são suficientes para pagar tudo o que o país necessita, e sem portagens não haveria autoestradas, nem pontes... A maioria de nós acha que pagamos muitos impostos, mas a verdade é que se compararmos com a maioria dos países mais desenvolvidos, pagamos pouco... e sem dinheiro não há luxos.

Quanto às obras, há uma lei que diz que pagas menos quando há obras nas autoestradas... basta ires ao site das concessionárias imprimir o impresso e exigir a devolução... sabias? é claro que a maioria das pessoas não está para ter o trabalho... não coneço ninguém que alguma vez o tenha feito.

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De Maionese a 30.05.2010 às 16:22

dever dever não deviamos... mas parece que não temos escolha...
post relacionado em

http://forcanamaionese.com

aparece por lá!
Hasta Luego!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 31.05.2010 às 22:28

Eu até lá ia.. mas o link dá erro.

Jorge
Imagem de perfil

De Existe um Olhar a 30.05.2010 às 18:31

Mais uma vez em destaque!
Parabéns Jorge!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 31.05.2010 às 22:28

A malta do SAPO foi simpática e deixou-me o fim de semana todo :-)
Imagem de perfil

De Abigai a 31.05.2010 às 09:02

Olá Jorge, sabes, nunca tinha visto esta questão por este prisma... Embora não fosse totalmente contra, sendo do Norte e sem grandes alternativas, sentia-me encomodada com as portagens, essencialmente na A29 que utilizo com frequência, mas vendo bem, tens toda a razão, se uns pagam, porque não todos? e além disso, o estado não tem mesmo capacidade financeira.
E quanto ao chip, transcrevo aqui a informação que recebi:
"O 'chip ' da polémica, afinal, não vai ser um ' chip ', mas sim um pequeno aparelho que se coloca no pára-brisas do carro. Surpreso? É
natural. É que a polémica acerca do novo instrumento de pagamento de portagens, agora criado pelo Governo, tem deixado muita informação
prática por explicar. Para dar uma primeira ajuda, e ficar a saber tudo sobre o ' chip ' - que não o é - o Diário Económico enviou várias questões práticas ao Ministério das Obras Públicas. Aqui ficam todas
as respostas.
1. QUEM VAI TER DE USAR O ' CHIP '?
Todos os proprietários de veículos automóveis, reboques, motociclos e triciclos autorizados a circular em auto-estradas e vias equiparadas
têm que instalar o Dispositivo Electrónico de Matrícula (DEM) nos respectivos carros.
2. QUANTO VAIS CUSTAR?
O DEM vai ser gratuito nos primeiros seis meses (o prazo conta a partir da entrada em vigor da Portaria, daqui a dois meses, mais ou menos). Depois, o preço irá de dez a 15 euros.
3. QUANDO ENTRA EM FUNCIONAMENTO?
Entra em funcionamento após a publicação da Portaria Regulamentar. Na prática, é dado um ano para a adaptação de todos os carros, sendo que
só nos primeiros seis meses o dispositivo será gratuito.
4. QUEM O INSTALARÁ NOS CARROS?
Os proprietários ou respectivos titulares, no caso dos carros em circulação (à semelhança do que acontece com a Via Verde). No caso de
carros novos, a responsabilidade é dos representantes oficiais das marcas (quer isto dizer que um carro novo já traz o DEM).
5. QUE PENALIZAÇÕES ESTÃO PREVISTAS NA LEI?
A não existência do DEM na viatura, a partir do momento em que se torne obrigatório (um ano após a entrada em vigor da Portaria Regulamentar), equivale para efeitos do Código da Estrada à ausência da chapa de matrícula - com multas de 600 a 3000 euros.
6. COMO FUNCIONA? É COMO A VIA VERDE?
O DEM é um identificador electrónico que adopta um formato e uma tecnologia em tudo semelhantes ao conhecido identificador Via Verde.
Os princípios de funcionamento são em tudo semelhantes aos princípios de cobrança electrónica através da Via Verde, mas adoptando um
conjunto de regras suplementares que garantem o anonimato do utente, se este assim o entender.
7. SERVE NAS PORTAGENS NORMAIS?
Sim. Com este dispositivo poderão pagar-se todas as portagens, recorrendo à via reservada à cobrança electrónica.
8. QUEM FISCALIZARÁ A UTILIZAÇÃO?
As autoridades policiais fiscalizarão, nos termos do Código da Estrada, a instalação do aparelho nos carros. Nas inspecções periódicas, os Centros de Inspecção Técnica de Veículos controlarão o
funcionamento técnico do aparelho.
9. QUEM VAI FAZER O ' CHIP '?
Os DEM serão produzidos pelas entidades que já fazem os dispositivos da Via Verde e similares. Não está excluída a possibilidade de produção nacional do DEM.
10. E QUEM, E ONDE, SE COMERCIALIZA?
Será distribuído pelas entidades de cobrança de portagem (tipo Via Verde) e pelos CTT no caso dos carros em circulação. No caso de automóveis novos serão os representantes oficiais das marcas a
adquiri-los.
11. OS QUE JÁ TÊM VIA VERDE TAMBÉM SÃO OBRIGADOS A INSTALAR UM ' CHIP '?
Se o titular do contrato Via Verde não se opuser, o seu identificador será convertido automaticamente em dispositivo electrónico de matrícula.
12. AS AUTO-ESTRADAS DEIXAM DE TER PORTAGEIROS?
As auto-estradas continuarão a ter portageiros como até aqui."
Anabela
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 31.05.2010 às 22:31

Olá Anabela

Sim, eu tinha lido esse comunicado... há bastante tempo por certo... mas continuo a achar que vai chegar a altura e não vai haver chips prontos, porque a verdade é que ninguém sabe de onde eles vão vir..nem como vão ser... andam há anos a falar do assunto.. mas coisas que se vejam, zero!
Imagem de perfil

De Zé da Burra o Alentejano a 14.06.2010 às 14:50

Os veículos do estado afinal não vão pagar portagem. Tudo bem, maas pergunta-me a burra: e os ESTRANGEIROS? passam também de borla ou têm que usar as chamadas vias alternativas? Se os estrangeiros ficam isentos, então quero borla também nas autoestradas dos outros países.

Zé da Burra o Alentejano

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D