Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Truta salmonada com alho e bacon

por Jorge Soares, em 18.06.08

Hoje é um daqueles dias em que a vontade de escrever e a inspiração decidiram tirar folga, espero que voltem um dia destes. ..entretanto, é dia de receita.

 

No sábado passado quando fui ao supermercado vi que haviam umas trutas salmonadas enormes, fiquei a olhar para elas e lembrei-me desta receita de Truta com presunto, mas a truta era tão grande que decidi pedir para cortar às postas.

 

Fiz uma refeição nesse dia com metade das postas, o resto  foi para o congelador, hoje foi dia de truta no forno com alho bacon.

 

Ingredientes

 

5 Postas de truta salmonada

Alhos

Azeite

Ervas aromáticas  para peixe grelhado

Sal

 

Já disse aqui, se o peixe está congelado vai congelado para o forno, nunca descongelo peixe.

 

Num pirex coloque azeite, alhos picados e duas ou três tiras de bacon, coloque o peixe por cima do bacon, junte as ervas e o sal.

 

Leve ao forno durante 45 minutos..

 

Eu servi com puré, a truta estava mesmo deliciosa.

 

Mais um grupo Português, Mesa

 

 

 Mesa - Vício De Ti

 

 

 

Jorge

 

publicado às 22:49

Mudanças!

por Jorge Soares, em 17.06.08

Viagem

 

Estou prestes a mudar de casa, estive agora a recordar, e se não me engano, se contar com os 3 quartos em que morei em Lisboa, esta vai ser a 13 casa donde vivi.... são muitas casas, muitas mudanças de casa, muitas mudanças de vida. Há pessoas que moraram toda a vida na mesma casa, ou no mesmo bairro, eu já vivi em dois paises, em 3 cidades, duas aldeias e pelo menos 13 casas. É dificil criar raizes, são muitas memórias, muitos sitios, muitos começar de novo.....

 

Talvez seja este constante mudar de sitio o que me faz aferrar-me às pessoas, às coisas, aos sentimentos, aos amigos, este ter saudades antes de sequer partir.

 

VIAGEM

Aparelhei o barco da ilusão
E reforcei a fé de marinheiro
Era longe o meu sonho, e traiçoeiro
O mar…

(Só nos é concedida esta vida
Que temos;
E é nela que é preciso
Procurar
O velho paraíso
Que perdemos.)

Prestes, larguei a vela
E disse adeus ao cais, à paz tolhida.
Desmedida,
A revolta imensidão
Transforma dia a dia a embarcação
Numa errante e alada sepultura...
Mas corto as ondas sem desanimar.
Em qualquer aventura
O que importa é o partir, não o chegar.
 

Miguel Torga

 

HUMANOS - QUERO É VIVER

 

 

Jorge

PS:A imagem não é retirada da internet, é mesmo minha!

PS2:O prometido é devido

 

 

publicado às 22:32

Livro:Luz na Neve, Anita Shreve

por Jorge Soares, em 16.06.08

Luz na neve

 

Eu não conhecia esta autora, nunca tinha ouvido falar, considero-me uma pessoa interessada pela literatura, já li umas dezenas muito largas de livros, mas salvo raras excepções, a minha atenção vai para os escritores latinos, para a corrente literária do realismo mágico e para alguns autores portugueses. Esta escritora tinha-me passado ao lado.

 

No outro dia, encontrei este livro na estante e chamou-me a atenção, um livro que estava na minha estante e que eu não tinha lido.....  e chamou-me a atenção precisamente porque não conhecia o livro.

 

Como estava sem leitura para a hora do almoço, decidi levar, em boa hora.

 

Nicky é uma menina de 12 anos que vive com o seu pai numa quinta da América rural, um lugar  que fica no fim do caminho. O local foi escolhido pelo pai de Nicky precisamente porque era um lugar isolado, um lugar donde ele podia viver longe de tudo e de todos, longe dos seus pensamentos e recordações.

 

Naquele dia Nicky e o pai foram dar um passeio ao fim do dia através do campo gelado e coberto de neve que rodeava a sua casa, após algum tempo a andar, eles encontram no meio da neve abandonada ao frio e à morte, uma bebé recém nascida, uma bebé que apesar do abandono e do frio se aferra à vida e sobrevive para mudar a vida Nicky e a tristeza do seu pai.

 

Um excelente livro, com um enredo simples mas que a mim me prendeu, muito bem escrito e com uma mensagem forte e clara. Um  livro que aconselho e que me deixou com vontade de ler mais coisas desta autora.

 

Eu gostei mesmo do grupo per7ume:

 

PER7UME - Má Sorte

 

 

 

Jorge

PS:Imagem retirada da Internet

 

 

publicado às 22:43

Atraso de vida!

por Jorge Soares, em 15.06.08

Relogio

 

 

Somos um pais atrasado, não, não estou a falar do nível tecnológico, ou financeiro, estou a falar de tempo, neste pais não há nada que comece a horas, porque para a maioria das pessoas o tempo parece ser algo relativo, e as horas marcadas uma simples formalidade que evidentemente não é para cumprir. O facto de haver outras pessoas à espera,..é relativo, partimos do principio que esse alguém também vai chegar atrasado...e o mais triste é que é verdade, porque a tendência é  que tudo comece atrasado, e se alguém chega a horas... que espere, ninguém lhe mandou ser totó!

 

Lembro-me que quando estava na faculdade, participei num seminário dado por um grupo de uma universidade alemã, invariavelmente na hora do inicio das sessões, estavam os alemães e eu.... no segundo dia, depois do almoço e após a espera dos 20 minutos da praxe, o alemão que ia dar a palestra iniciou a tarde com uma piada.

 

-Os portugueses não sabem lá muito bem ver as horas...

 

Todo o mundo achou imensa graça, mas no fundo é triste, porque a imagem que eles levaram foi de desleixo e incumprimento... o que não deixa de ser verdade.

 

A maioria das pessoas nem liga, e acha muito normal, tão normal que já há quem se dê ao luxo de chegar atrasado a entrevistas de emprego. Qual é a imagem com que ficamos de alguém que chega atrasado a uma entrevista de emprego? e no momento da escolha, entre alguém que chegou pontual e alguém que chegou com meia hora de atraso e deu uma desculpa esfarrapada, qual escolhemos?

 

Vem tudo isto a propósito dos 20 minutos que tive de esperar para a entrevista na Segurança Social, que eu achei uma falta de respeito, mas que muita gente achou normal. Do meu ponto de vista, é uma questão de responsabilidade, a mim não me passa pela cabeça deixar alguém à espera 20 minutos, seja pelo motivo que for.. portanto, não aceito que façam isso comigo.

 

Ora, se eu consigo organizar-me para estar nos sítios antes da hora, para estar nas reuniões a horas, para chegar cedo aos encontros, os outros também conseguem, só não o fazem porque não querem, porque saem de casa tarde, ou em cima da hora e sem prever que possa haver transito, ou acontecer qualquer coisa...e desculpem, mas isso é sinal de irresponsabilidade e de falta de seriedade.

 

Jorge

PS:imagem retirada da internet

 

publicado às 22:08

Intervalo

por Jorge Soares, em 14.06.08

Ontem era dia de vídeo, mas acontece que estava uma noite espectacular, estive sentado a conversar num terraço com vista sobre a cidade...e como a conversa é como as cerejas..... deixei-me estar, ainda por cima alguém levou cerejas refrescadas com gelo...... quando dei por mim.... já era hoje...e não houve post.

 

Hoje por acaso encontrei esta musica, que não conhecia...... mas que adorei... espero que gostem

 

Intervalo - Per7ume com Rui Veloso

 

 

 

    
Vida em câmara lenta,
Oito ou oitenta,
Sinto que vou emergir,
Já sei de cor todas as canções de amor,
Para a conquista partir.

Diz que tenho sal,

Não me deixes mal,
Não me deixes…

No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto aonde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…
Vida á média rés,
Levanta os pés
Não vás em futebois, apesar…
Do intervalo, que é quando eu falo,
Para não me incomodar.
Diz que tenho sal,
Não me deixes mal,
Não me deixes…

 


No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto aonde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…
Não me deixes já
Historia que não terminou
Não me deixes…
No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto aonde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…

No livro que eu não li,
No filme que eu não vi,
Na foto aonde eu não entrei,
Noticia do jornal
O quadro minimal… Sou eu…

 

Jorge

 

 

publicado às 22:32

120 Anos de Fernando Pessoa

por Jorge Soares, em 14.06.08

 

 

Fernando pessoa nasceu tal dia como ontem, 13 de Junho, em 1888, fez portanto 120 anos.  É um poeta que tenho vindo a descobrir pouco a pouco nos últimos tempos, e a quem tenho recorrido várias vezes naqueles dias em que a  falta de tempo, de vontade ou de inspiração me atacam.. e não tenho posts.

 

Serve este post para honrar a memória do poeta e para confessar a minha iliteracia no que aos poetas portugueses diz respeito.. felizmente tenho tido sorte e o mundo da blogosfera tem-me deixado o carinho e a amizade de pessoas que me tem mostrado a beleza da poesia e dos poetas do nosso pais.

 

Isto

 

Dizem que finjo ou minto
Tudo o que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto

Com a imaginação.
Não uso o coração.

 

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,

É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

 

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!

 

Fernando Pessoa

 

 

Anglómano, míope, cortês, fugidio, vestido de escuro, reticente e familiar, cosmopolita que prejudica o nacionalismo, investigador solene de coisas fúteis, humorista que nunca sorri e nos gela o sangue, inventor de outros poetas e destruidor de si mesmo, autor de paradoxos claros como a água e, como ela, vestiginosos: fingir é conhecer-se, misterioso que não cultiva o mistério.

 

Octávio Paz.

 

Jorge

PS:imagem retirada da internet

 

 

publicado às 17:26

A espera .... dia zero!

por Jorge Soares, em 12.06.08

Mãos

 

Ontem foi o dia zero, dia da entrega da documentação na Segurança Social, é curioso, passaram 10 anos desde que iniciamos o primeiro processo de adopção, mas por incrível que pareça, pouco mudou. O local é o mesmo, e ainda que a P. tenha achado que as coisas melhoraram, a mim pareceram-me ... iguais, nem mais nem menos, exactamente iguais. Como é natural, nós mudamos, 10 anos é muito tempo nas nossas vidas, agora não há a ansiedade do primeiro filho, nem a angustia de enfrentar o desconhecido.... agora somos espertos nisto e sabemos o que aí vem.

 

Como dizia, há coisas que não mudam, e o atendimento no serviço publico não muda mesmo, nunca. Chegamos e não havia ninguém para receber as pessoas, e ficamos à espera no patamar da escada, nós e mais 4 ou 5 pessoas que soubemos depois iam a uma reunião, entretanto as funcionárias passavam, viam a aglomeração de gente no patamar..e nem agua vai, nem agua vem.....

 

Por fim, alguém achou estranho a aglomeração de gente no patamar da escada e veio perguntar... depois de encaminhar as pessoas para a sala de reuniões de perguntar ao que íamos, lá foi avisar que lá estávamos..e continuamos à espera, e entretanto, servíamos de recepcionista e íamos enviando as pessoas que iam chegando atrasadas para a tal reunião....finalmente 20 minutos depois da hora.. lá fomos atendidos. Eu sou pontual, sempre, e claro que me irrita que o mundo não o seja.... mas sei, que neste caso tenho que ferver para dentro... porque a verdade é que estamos nas mãos delas..e não há para donde reclamar.

 

Entregues os documentos, resta-nos esperar, o estado tem seis meses para fazer a avaliação, e utiliza-os até ao ultimo dia, as desculpas são as mesmas de há 10 anos atrás, elas tem muito que fazer... mas vá lá, desta vez temos o numero do processo desde o primeiro dia.

 

A espera

 

Deito-me tarde
Espero por uma espécie de silêncio
Que nunca chega cedo
Espero a atenção a concentração da hora tardia
Ardente e nua
É então que os espelhos acendem o seu segundo brilho
É então que se vê o desenho do vazio
É então que se vê subitamente
A nossa própria mão poisada sobre a mesa

É então que se vê o passar do silêncio

Navegação antiquíssima e solene

 

Sophia de Mello Breyner

 

Jorge

PS:Imagem retirada da internet

publicado às 22:18

Como se pára um país em dois dias!

por Jorge Soares, em 11.06.08

Vazio

 

Parece que os temas do momento são a nova vitória da selecção no Euro 2008 e a ida de Scolari para o Chelsea, mas apesar de ter gritado os golos da selecção, a mim preocupam-me muito mais outras coisas que se estão a passar no pais.....

 

Eu faço mais de 100 Kms por dia para ir e vir do emprego, 50 para lá e 50 para cá, o que dá uma média de um depósito de gasóleo por semana, mais coisa menos coisa, dado que tenho o depósito cheio, enchi na segunda quando vi a dimensão que a coisa estava a tomar, posso ir trabalhar até terça ou quarta-feira, depois disso, e dado que é quase impossível ir de transportes públicos de Setúbal para a fábrica em Loures, terei que entrar de férias forçadas, porque em Setúbal e em Loures, já não há donde abastecer o carro.

 

Confesso que estou indeciso quanto ao que penso sobe este bloqueio e quem bloqueia, convém lembrar que esta não é uma greve de trabalhadores, é uma greve de patrões.... patrões que na hora de aumentar os salários não são assim tão reivindicativos, os mesmos patrões que agora reivindicam a baixa dos impostos, são os que obrigam os trabalhadores a conduzir horas a mais sem qualquer respeito pelos horários legais.

 

E já agora, será que eu que sou obrigado a ir de carro para o emprego, portanto, utilizo o carro para trabalhar, também tenho direito a gasóleo profissional? Sim, eu sei, só trabalho em Loures porque quero... mas eles também só tem empresas de transportes porque querem......

 

Neste momento já não se encontra fruta nem alimentos frescos na maioria dos supermercados, se isto dura muito tempo, teremos que entrar numa situação de racionamento, porque não vai haver alimentos para todos...nessa altura.... o que será que iremos pensar dos senhores donos das empresas de transportes?

 

Bom, vamos lá todos pensar que isto se vai resolver..... rápidamente.

 

Jorge

PS:Imagem retirada da internet

publicado às 22:48

Excelente?... Eu? .. nã.....

por Jorge Soares, em 11.06.08

A amiga Leuviah, no seu blog Simplesmente meu, atribui-me um prémio, diz ela que este é um blog Excelente.....Ora, é claro que ela é uma exagerada, mas não há duvida que é um amor de pessoa. Aliás, eu não sei se o blog é excelente ou não, mas certo, certo, é que graças a ele tenho conhecido uma serie de pessoas fantásticas.

 

Excelente

 

Agora é suposto passar o prémio a  10 blogs...10?... desculpem mas não dá...é que eu conheço muitos que merecem este prémio...... a começar por todos os que estão ali ao lado donde diz  "Os que costumo cuscar".... todos esses merecem este prémio.. portanto, considerem-se premiados.

 

Jorge

PS:Hoje não há PS

publicado às 22:30

Sabores da infância.... Sumol!

por Jorge Soares, em 10.06.08

Sumol

 

No Domingo os meus sogros pagaram o almoço, à boa maneira Setubalense, choco frito e Douradas grelhadas.... estava tudo óptimo. O Choco frito acompanha-se com vinho branco das terras do Sado, mas os meus filhos pediram Sumol...e tanto eu como a minha sogra, de imediato  associamos a bebida aos sabores da nossa infância.

 

Há coisas que não se explicam, há sabores que ficam, marcas que nos acompanham pela vida, o Sumol é um dos que me acompanha.. porque o sabor está lá, e é exactamente o mesmo que eu recordo de quando tinha 8 ou 9 anos.

 

Vivemos na era da globalização, o ano passado quando fui a Macau fiquei espantado quando no supermercado da esquina do hotel encontrei desde a agua até ao vinho, todos os produtos portugueses que possam imaginar... alguns mais baratos que cá... mas nem sempre as coisas foram assim. Eu sai de Portugal aos 10 anos de idade e passei 10 anos sem sequer me lembrar da existência do Sumol... mas quando regressei... bastou entrar numa pastelaria... olhar para uma daquelas garrafas verdes..... e algo na minha memoria fez contacto.

 

Eu não via uma garrafa daquelas há 10 anos, mas sabia perfeitamente como era o sabor...e o mais estranho, é que com o primeiro golo, foi como se nunca tivesse deixado de beber.... o sabor era aquele..estava lá e era igual.

 

Talvez para a maioria das pessoas esta seja uma ideia parva, quando crescemos com as coisas e as damos por garantidas, nem lhes damos o devido valor, mas quando estamos anos longe delas...damos um valor diferente.

 

Ontem em animada conversa com a Flor de Liz, além do Sumol, recordamos outros sabores, a laranjada, a gasosa, o Tulicreme, descobri que tínhamos recordações comuns. Planta com bolacha Maria, ao Sábado à tarde a ver o Espaço 1999.....

 

De todos estes sabores da minha infância, o do Sumol é o único que perdura, os outros foram mudando comigo e com o tempo.  Hoje na praia lembrei-me das batatas fritas, acho que o pacote era vermelho.... Pala Pala, sei que eram umas batatas deliciosas... agora já não as fazem com esse sabor.. é pena.

 

Jorge

 

PS:Nem sei quem é que produz e comercializa o Sumol.. .. mas se quiser agradecer a publicidade..estejam à vontade :-)

PS2:À Flor e à Linda.. que recordaram comigo estes e outros sabores das nossas infâncias... obrigado!

PS3:Imagem retirada da internet

 

 

 

publicado às 22:39



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D