Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Post sem titulo!

por Jorge Soares, em 07.09.08

Chora

 

«Todos os outros vieram

Tentaram fazer-me rir

Brincaram comigo

Algumas vezes para rir e outras a sério

E depois partiram

Abandonando-me nas ruínas das brincadeiras

E eu não sabia quais eram a sério.

Quais eram para rir e 

Vi-me sozinha com os ecos de risos

Que não eram os meus.

 

E depois chegaste

Com os teus modos estranhos

Nem sempre humanos

E fizeste-me chorar

E não pareceste importar-te que chorasse.

Disseste que as brincadeiras tinham acabado

E esperaste

Até que as minhas lágrimas se transformassem

Em alegria.»

 

 

Torey Hayden in : A criança que não queria falar.

 

Jorge

Imagem retirada da internet

 

publicado às 21:28

Amigos são ....

por Jorge Soares, em 06.09.08

Só

 

Estava eu em casa com a perna levantada como mandaram os médicos e a Ana apareceu no messenger, a conversa foi mais ou menos assim:

 

Ana:Olá Jorge

Eu:Olá Ana

Ana:Como estás?

Eu:Optimo, e tu?

Ana:Viste a minha frase do messenger?

 

A frase de que se fala é a seguinte:

"Amigos são aquelas pessoas raras que nos perguntam como estamos e depois ficam à espera da resposta"

 

Acho que a Ana pensou que eu não estava a ser sincero com ela, se eu estou em casa com um pé aparafusado, como é que posso estar óptimo? ela não disse, mas acho que foi isso que pensou.  

 

Na verdade a Ana tem alguma razão, todos temos uma pergunta e uma resposta padrão para quando encontramos alguém. Na realidade quando perguntamos "como estás", o ultimo que estamos à espera é ouvir um rol de lamentações, o "estou bem obrigado", é mesmo o que pretendemos ouvir.

 

Por outro lado, quantos de nós somos capazes de despejar os nossos problemas à primeira pessoa que nos pergunta "Como estás?", mesmo que seja um amigo?

 

Vivemos numa sociedade em que cada vez estamos mais voltados para o nosso interior, não estamos dispostos a dar ou a receber de modo a que o "Como estás hoje" seja mais que uma mera formalidade.

 

E quantas vezes o nosso estado de espirito é tal que o que queremos é que nem nos perguntem nada, o silêncio e a companhia são o que pretendemos mesmo?

 

Sabes Ana, tens toda a razão.... mas naquele dia, eu estava mesmo óptimo....dadas as circunstancias.

 

Jorge

 PS:Imagem retirada da internet

 

publicado às 22:03

Chegou o Chrome do Google

por Jorge Soares, em 04.09.08

 

Há muito que este informático não falava aqui de informática, é hoje. Ontem ao fazer uma pesquisa deparei com o anúncio de um novo navegador do google, não fazia a mínima ideia de que esta empresa estava a trabalhar num concorrente para o Internet Explorer e o Firefox.. mas era de esperar,  eles estão mesmo em todas. Ao ler este post do Ima fiquei com a ideia de que seria bastante parecido ao Firefox e que não traria grandes mais valias.

 

Hoje fiz o download e instalei, a primeira impressão é que realmente não traz grandes novidades, e até dei pela falta de algumas coisas, a barra de status da página por exemplo, mas parece-me que é muito mais leve e mais rápido que o Firefox. De resto acho o interface leve, intuitivo e fácil de utilizar,  e a nova funcionalidade que mostra os screenshots das últimas páginas visitadas é uma excelente ideia.

 

Já li algumas queixas sobre supostos bugs principalmente quando se tenta ir ao Youtube, não dei por nada, fiz posts no SAPO, andei pelos blogs, pelas páginas da internet, ouvi musicas no Youtube e até agora funcionou muito bem. Apesar de ser uma versão Beta, eu diria que vai por muito bom caminho e que o Firefox e o Internet Explorer encontraram um concorrente de peso.

 

Existe uma versão em Português de Portugal que vem com um dicionário incluído (o firefox também tem!), podem e devem fazer o download aqui:Chrome

 

Jorge

 

 

publicado às 22:01

O nosso sistema de saude 2

por Jorge Soares, em 03.09.08

Hospital do Outão

 

Sabia que se deixasse o post sobre o atendimento nos hospitais para hoje... já não o escreveria, por isso saiu ontem.

 

Tinha marcada a primeira consulta para hoje, disseram-me para estar às 8 que a secretaria abre às 9 e o atendimento é por ordem de chegada, cheguei às 8:30, tirei a senha para o RX e a senha para  a médica, que chegou às 10 ..... fui atendido depois do meio dia.

 

Não sei o que entendem eles por ordem de chegada.... mas não é de certeza o mesmo que o resto do mundo. Estive mais de 3 horas à espera para ser atendido durante 3 minutos e receber um papel da médica para ir fazer o penso. De certeza que há uma maneira qualquer de fazer isto sem obrigar as pessoas a estar 3 e 4 horas à espera.... a irritarem-se, a ver que não há cadeiras suficientes, que a ordem de atendimento é no minimo arbitrária e que pessoas incapacitadas não tem lugar onde sentar-se,..enfim.

 

Quando questionei a médica sobre qual o critério que utilizavam para a ordem de atendimento, disse que não estava de acordo mas havia pessoas que tinham prioridade.... acho que para a próxima chego ao meio dia... afinal não interessa a ordem de chegada!.

 

Há muito que não coloco um vídeo, ontem uma amiga querida que sabe que eu gosto de música portuguesa enviou-me este, musica portuguesa.

 

Sérgio Godinho- Só neste país.

 

 

 

Jorge

PS:Sim Xana.... tinhas razão!

PS2:Imagem retirada da Internet - Hospital do Outão, Setúbal

 

publicado às 21:56

O nosso sistema de saúde

por Jorge Soares, em 02.09.08

 

Imagem retirada da internet

 

Quem me costuma ler sabe que sou exigente com os serviços, se algo está mal reclamo, se sou mal atendido reclamo e não costumo ser brando. Felizmente tenho sido uma pessoa razoavelmente saudável, trabalho numa empresa com seguro de saúde e medico do trabalho, sou um dos milhares de utentes sem médico de família, mas a verdade é que felizmente até agora, isso nunca foi um problema.

 

Nos últimos 15 dias passei por três hospitais, um em Ponta Delgada e dois em Setúbal e confesso que só tenho a dizer bem, nas Urgências fui atendido de imediato tanto nos Açores como em Setúbal e 99% das pessoas que encontrei foram de uma simpatia extrema.

 

No primeiro dia em Ponta Delgada aconteceu uma situação caricata, cheguei com os bombeiros pelo que fui directo à triagem, identificaram-me, colocaram-me numa cadeira de rodas e mandaram esperar, não passou nem um minuto até que ouvi o meu nome.... o auxiliar que me levou ao médico disse o seguinte:

 -O senhor é uma pessoa de sorte.

 -Então porquê?

 -Há pessoas há espera 3 e 4 horas, houve um acidente e os médicos estão todos a operar.... a si chamaram logo.

 

Naquele momento não senti sorte nenhuma, sobretudo porque olhava para o tornozelo e via uma bola enorme... mas fui atendido de imediato... é verdade que a médica nem me tocou, olhou para o pé e limitou-se a mandar fazer os RX... estes foram feitos de imediato e passado pouco tempo tinha um diagnóstico, dito por um outro médico e achei eu, que um pouco a medo.

 

Já em Setúbal a situação foi idêntica, fui chamado de imediato à triagem e levado para a ortopedia, o mesmo diagnóstico e a decisão de operar no mesmo dia.  Tudo isto em menos de 15 minutos..... depois disso, colocaram-me numa maca e tiveram-me quase 10 horas no corredor das urgências sem me poder levantar nem para ir à casa de banho, como disse num post anterior, a ver passar a vida e a morte ao meu lado... Pelo que percebi há pessoas que passam dias assim, enquanto os familiares aguardam na sala de espera das urgências... desculpem, mas deve haver outra maneira de fazer as pessoas esperarem para serem operadas.

 

Já falei da operação no post anterior. fui operado no domingo, e na segunda-feira fui transportado para o hospital do Outão. Este hospital é um caso à parte, acordar e adormecer a ver o nascer e o pôr-do-sol sobre o mar, as varandas dão para uma praia de águas cristalinas, ver os barcos passar, era o lugar perfeito para um excelente hotel. É claro que quando temos um pé feito num oito não damos muita importancia a isto.

 

Quanto ao pessoal do hospital, não há nada a dizer, a simpatia e o profissionalismo a 100%, por vezes dava para esquecer onde estávamos... por vezes até o pessoal esquecia onde estava :-)

 

É claro que há coisas a melhorar, há sempre coisas a melhorar, as casas de banho e o duche por exemplo, uma única casa de banho que eu, que não era suposto sair da cama, encontrava sempre ocupada.

 

Amanhã vou à primeira consulta....e sei que vou esperar horas e que de certeza que vou ter reclamações, a Raquel e o Nuno já partiram ambos algo e já lá fomos com eles..... são horas de espera... mas até agora...... só tenho a dizer bem.

 

Jorge

PS:imagem do exterior do hospital do Outão

publicado às 21:46

Livro:Rio das Flores

por Jorge Soares, em 01.09.08

Rio das Flores

 

Uma das vantagens de se estar no estaleiro, é que há muito tempo e pouco para fazer... pelo menos enquanto estava no hospital e não tinha computador e blogs

 

Durante os 4 dias que estive no Outão lí três livros, um deles foi Rio das Flores. Sempre fui um admirador do Miguel Sousa Tavares, nem sempre estou de acordo com as suas opiniões, mas admiro a sua frontalidade e a sua visão do mundo.

 

Li o Equador e Sul e foram dois livros que adorei, acho que o homem é um grande escritor e que escreve literatura a sério. Só não li este livro de uma só vez de seguida, porque achei que passar a noite toda com a luz acesa na enfermaria onde dormiam mais 3 pessoas era falta de respeito pelos outros doentes..... Mas vontade não me faltou e foi muito difícil largar o livro.... de tal modo que mal acordei voltei a pegar e não o larguei até que li a ultima página.

 

Antes de mais é um livro muito bem escrito que nos leva a uma parte da nossa história como país que poucas pessoas tem a coragem de abordar. Todos deveríamos ler o livro e parar um pouco para reflectir sobre algumas coisas que se abordam ali... porque infelizmente ainda há muita gente que não tem consciência sobre o que se passou em Portugal durante 50 anos.

 

Além da abordagem politica, o livro foca a vida no Portugal Rural dos anos 40, as ideias reinantes, os preconceitos, a condição social dos habitantes do país interior, a emigração, a guerra Civil Espanhola e a nossa participação na mesma, etc, etc.

 

Em Suma, um livro muito bem escrito, ainda que a partir do ultimo terço eu consegui adivinhar como ia terminar..... Um livro que aconselho vivamente, que todos deveríamos ler. um livro de um grande escritor.

 

Jorge

publicado às 22:27

Pág. 3/3



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D