Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Keylor Navas

 

O senhor ali da fotografia chama-se Keylor Navas, e é de certeza de longe a pessoa mais famosa da Costa Rica, passou muito pelas suas mãos de ferro e que pareciam ter imanes que atraiam as bolas, a excelente carreira que levou a selecção deste pequeno país da América Central até aos oitavos de final do mundial do Brasil.

 

O percurso dos Ticos terminou ontem nos penalties contra uma selecção holandesa que na hora da verdade foi mais certeira nos remates à baliza. Navas foi enorme durante todo o jogo mas na hora decisiva não foi tão grande como o enorme guarda redes holandês que Van Gal, para espanto de meio mundo,  tirou da cartola no último minuto do jogo.

 

Ontem todos eramos Ticos, não tinha visto a minha filha tão nervosa num jogo de futebol nem quando joga Portugal, mas sendo justos, a Holanda  jogou mais e mereceu a classificação... 

 

Aproveitei aquele entusiasmo todo dela para uma pequena lição de história.. Sabiam que a Costa Rica é um dos poucos paises do mundo sem exército? 

 

Pois é, em 1948 e como forma de parar com os sucessivos golpes de estado militares, foi decidido acabar com o exército no país, foi o primeiro país do mundo a faze-lo, desde 1949 que essa decisão está inscrita na constituição. O resultado é que desde então o país vive em Democracia e é um dos 22 países com as democracias mais antigas do mundo.

 

É também um dos paises com melhor desempenho ambiental e propõe-se ser em 2021 o primeiro pais com desmepenho neutral em emissões de carbono. ... está visto que gastam bem o que poupam ao não terem forças armadas.

 

Quem disse que não se aprende nada com o futebol?

 

Jorge Soares

publicado às 23:05

Conto - Sina

por Jorge Soares, em 05.07.14
Sina
Dagoberto descendia de uma linhagem muito especial. Desde o século XIX, quando Dagoberto Lemos de Castro batizou seu primogênito como Dagoberto Filho, uma tradição teve início naquela família: todos davam seu nome ao filho mais velho. O sobrenome da mãe sumia em meio a Dagoberto Filho, Neto, Bisneto. Quando chegou a vez da quarta geração, optou-se pela numeração, dando origem a Dagoberto Quinto, Sexto, Sétimo... Fosse por ignorância acerca da terminologia, fosse por considerar, no íntimo, que o número conferia um ar meio de realeza à família, todos, desde então, reproduziam ad eternum a sina de Dagoberto.

 

Tudo ia muito bem, até que a mulher do Bertinho – ou Dagoberto Lemos de Castro VII – decidiu pôr fim àquela tradição que, segundo ela, além de machista, era ridícula.

 

– Eu não quero nem saber dessa palhaçada! – ela esbravejava, indignada. – Filho meu não vai ter o nome do seu tataravô!

 

– O que é isso, Lurdinha?!  É o meu nome também...

 

– E o do seu pai, do seu avô, e de gente que eu nunca conheci. E é nome antigo, Berto! Eu quero um nome atual pro meu filho...Tipo Pedro, Gabriel... – ela suspirava, sonhadora.

 

– E desde quando nome de apóstolo é atual, Lurdinha? E Gabriel foi o anjo que anunciou a vinda de Nosso Senhor...

 

– Mas você vê crianças com esse nome, homem! Já Dagoberto, só você... E toda a sua família. Eu quero que meu filho seja feliz!

 

Os dias se passavam, e o irmão teve dois filhos. Para manter a tradição, batizou os gêmeos de Zé Roberto, e Humberto.

 

– Zero e um. Sorte a deles não serem trigêmeos – caçoou Lurdinha.

 

– E o nosso filhinho, quando vem?­­­­  pedia, esperançoso.­­

 

– Se depender de mim, nunca! Não quero ser a chocadeira de mais um Dagoberto pra essa ninhada. Quero que meu filho seja feliz!

 

Mas o destino estava do lado de Dagoberto, e a mulher descobriu-se grávida. Na tentativa de apaziguar os ânimos, ele ensaiou um trato:

 

– Vamos fazer o seguinte: se for uma menina, você escolhe o nome. Se for menino, quem escolhe sou eu.

 

– Escolhe nada: aí é mais um Dagoberto na área. Nada feito. Quero que meu filho seja feliz! – e encerrou a conversa.

 

 Chegou o dia do parto, e a polêmica continuava. Nem o sexo eles quiseram saber antes, para manter a paz até o nascimento da criança. Na hora de entrar no centro cirúrgico, Lurdinha ainda teimava:

 

– Eu não quero esse nome no meu filho! Não quero, ouviu??!!

 

– Tudo bem, meu amor. Mesmo que seja um menino, você escolhe o nome.

 

– Eu só quero que meu filho seja feliz – repetia ela, entre uma contração e outra.

 

– Está bem, Lurdinha. Tudo bem.

 

O menino nasceu lindo e saudável. Dagoberto olhava nos olhos da criança, tentando encontrar uma saída para o impasse que se criara.

 

No dia seguinte, Berto foi visitá-los no quarto da maternidade. A mulher e o filho ainda pareciam mais belos à meia-luz.

 

– Registrei nosso menino, querida! Fiz o que você me pediu. – disse ele, agitando a certidão nas mãos. A mulher olhou-o, incrédula.

 

– Ele não tem o meu nome, Lurdinha. Ele será Feliz...berto.

Tatiana Alves

 

Retirado de Samizdat

publicado às 21:19

David Luiz marcou o golo decisivo

 

 

 

A imagem do dia é sem dúvida o fantástico golo de David Luiz, um golo só ao alcance de quem trabalha muito, não desiste e mesmo em jogos desta importância, não tem medo de assumir o risco, desde aquela distância não há muita gente com valor suficiente para tentar o remate directo e muito menos com a capacidade de colocar a bola com o efeito, a velocidade e a direcção certa para que ela entre ali, no canto,  fora do alcance de qualquer guarda redes.

 

Hoje finalmente e ao contrário do que tínhamos visto nos jogos anteriores, tivemos um Brasil sem medo de pegar e assumir o jogo, um Brasil que chegou ao jogo com a lição muito bem estudada, pegou no jogo desde o primeiro minuto e com a agressividade suficiente como para impedir que a Colômbia dispusesse de espaço para chamar ao jogo a magia de James Rodrigues.

 

Sem espaço e sem que a bola chegasse ao número 10 da Colômbia em condições de que este conseguisse pensar e distribuir o jogo, hoje os cafeteros não conseguiram mostrar o excelente futebol com que tinham encantado o mundo nos jogos anteriores.

 

Até hoje não tínhamos visto um Brasil com capacidade de ser campeão mundial, há muita gente, brasileiros incluídos, que dizem que se o mundial não fosse no Brasil, a canarinha já teria sido eliminada, a jogar da forma determinada e dominadora em que o fizeram hoje, talvez tenham ganho uma nova vida para o que resta do mundial

 

Não gostei do árbitro do jogo, não que tenham havido erros evidentes, mas achei que o espanhol teve uma atitude muito prepotente na forma como se dirigiu aos jogadores, principalmente com os jogadores da Colômbia... vai de aí e o choradinho do Scolari já teve algum efeito.

 

No outro jogo do dia, cumpriram-se os prognósticos, a Alemanha não teve a vida facilitada mas com maior ou menor dificuldade desenvencilhou-se de uma França que quanto a mim só chegou até esta fase porque nunca enfrentou adversários de valia real

 

Segue-se um Brasil Alemanha, que assim de repente e dado o pouco que tem mostrado a Argentina, soa a final antecipada.

 

Jorge Soares

publicado às 23:18

Dúvidas

 

Afinal, e ao contrário das nossas piores previsões e até das dos funcionários do registo central, o processo de nacionalização e registo da D. demorou pouco mais de um mês. Cumpridas e aprovadas as burocracias fez-se um cartão de cidadão. Para meu espanto, com o número do cartão do cidadão veio um novo número de contribuinte e um novo número da segurança social. O número da segurança social não é grande problema, mas o novo número de contribuinte deixou-me pensativo.

 

Nas declarações do IRS dos anos anteriores ela consta como dependente com o número antigo, já temos uma série de facturas do colégio e outras coisas com o número antigo do contribuinte e daqui para a frente irão de certeza aparecer outras com o número de contribuinte novo. Já me estou a ver com uma dor de cabeça enorme quando for para preencher o iRS de 2014, tenho três filhos e 4 números de contribuinte.... 

 

Decidimos que o melhor era desde já colocar a questão aos senhores das finanças, a minha meia laranja enviou o seguinte mail para a DSCAC (Informações e Apoio ao Contribuinte)

 

"Eu e o meu marido adoptamos uma criança. Nos últimos 3 anos, fomos tutores dela e esta tinha um NIF, fazendo a criança parte do nosso agregado familiar e da nossa declaração de IRS. Na conclusão do processo de adopção e com emissão de um cartão de cidadão, foi emitido um novo nif. A criança é a mesma, mas a seu nome e o seu nif são distintos. Tal faz com que durante o ano de 2014 eu tenha parte das facturas passadas num nif e outras noutro. Como devo proceder?"

 

Apesar do mail ter ido das finanças para os registos centrais, e de a resposta ter seguido o caminho inverso, eles foram rápidos a responder... e responderam o seguinte:

 

Exmo(a) Senhor(a)
 Agradecemos o seu contacto e em resposta ao solicitado informa-se o seguinte:
Não tereá problema

 

 

Assim, sem mais nada....

 

Não tereá(SIC) problema?... essa é a resposta a "Como devo proceder?"

 

Poupadinhos estes senhores, pelos menos nas palavras poupam que se farta.... pena que não poupem assim nas despesas do estado.... e que não esclareçam nada.

 

Não faço ideia do que querem eles dizer com não tereá problemas, à primeira vista o que me parece é que de repente vou passar de três para quatro filhos.... e com isso vou aumentar em um quarto as deduções ao IRS... é que não me parece que me aceitem as facturas com um nome e um número de contribuinte diferente..... Se depois alguém me perguntar, eu respondo-lhes que não era suposto eu ter problemas....

 

Jorge Soares

 

publicado às 21:18

Em França a justiça é cega

por Jorge Soares, em 01.07.14

Nicolas Sarkozy

 

 

Não fosse o futebol e seria de certeza a noticia do dia, em França o ex-presidente Nicolas Sarkozy foi detido e levado para a esquadra para prestar declarações como arguido num caso de tráfego de influências e violação do segredo de justiça. Antes de Sarkozy, tinham sido detidos o seu advogado e dois juízes do tribunal constitucional.

 

Tudo começou em 2007 quando foi iniciada uma investigação por suspeita de financiamento ilegal da campanha eleitoral  que levou Sarkozy à presidência da república, na altura suspeitava-se que  esta teria sido financiada pelo ditador Líbio Muamar Gadafi. No âmbito desta investigação foram feitas escutas telefónicas a Sarkozy e outras pessoas do seu entorno e foi nessas escutas que surgiram os indícios que levaram às detenções.

 

Como é diferente a justiça em França, quantas vezes ouvimos falar em Portugal de suspeitas de financiamento ilegal aos partidos? Quantas vezes já ouvimos falar de tráfico de influências e de políticos que utilizam todos os truques para fugir à justiça? Quantas vezes já ouvimos falar de violações ao segredo de justiça? ... Quantos políticos ou juízes já vimos ser julgados e condenados?

 

Tudo isto pode até dar em nada, mas alguém já imaginou um ex-presidente da república ou um juiz do constitucional portugueses a serem detidos e levados para uma esquadra a depor?

 

Jorge Soares

 

publicado às 22:04

Pág. 3/3



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D