Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




são martinho.jpg

 

Hoje é dia de São Martinho, dia de comer castanhas e de provar o vinho, não guardo grande memória de magustos, na Venezuela não havia castanhas e num país em que é verão o ano inteiro, nunca ninguém ouviu falar do verão de São Martinho.

Na verdade, para mim este dia recorda-me uma enorme solidão, estava em Lisboa, vivia num quarto, lembro-me de ser dia de São Martinho e ir do IST para São Bento a pé. Não sei porquê,  mas recordo-me de uma Rua de São Bento completamente deserta, talvez por isso dei por mim a pensar que naquele momento os meus pais estariam em casa a festejar o dia e a comer castanhas. Senti uma enorme solidão, uma sensação de não ser de ali, nem de lá, de não ser de lado nenhum.

Este é um dia de lendas, há a lenda do Santo, que no inicio era soldado e que um dia de Novembro, muito frio e chuvoso, estando em França ao serviço do Imperador, ia Martinho no seu cavalo a caminho da cidade de Amiens quando, de repente, começou uma terrível tempestade. A certa altura surgiu à beira da estrada um pobre homem a pedir esmola.

Como nada tivesse, Martinho, sem hesitar, pegou na espada e cortou a sua capa de soldado ao meio, dando uma das metades ao pobre para que este se protegesse do frio. Nessa altura a chuva parou e o Sol começou a brilhar, ficando, inexplicavelmente, um tempo quase de Verão.

 
A origem do magusto não é muito clara, mas há quem acredite  que é o vestígio dum antigo sacrifício em honra dos mortos e refere que em Barqueiros era tradição preparar, à meia-noite, uma mesa com castanhas para os mortos da família irem comer; ninguém mais tocava nas castanhas porque se dizia que estavam “babada dos defuntos”. .... felizmente já ninguém se lembra desta ultima parte, é muito mais lógico serem os vivos a comer as castanhas.
 
Quanto ao já famoso verão de São Martinho que é suposto instalar-se por estes dias, lembro-me de algures ter visto um metereologista explicar que mais ou menos por esta altura o nosso anticiclone costuma deslocar-se e permanecer uns dias de forma a impedir a entrada de massas de ar, o que nos costuma trazer um inicio de Novembro soleado, cruriosamente em França, lugar de origem do Santo, costuma chover e até nevar, o que só prova que ninguém é profeta na sua terra.... isso ou o anticiclone não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo 
 
O texto é um repost, foi escrito e publicado em 2009, lá bem no inicio do blog, a fotografia é actual, da semana passada, as castanhas são fritas, numa daquelas fitadeiras sem óleo, experimentem, ficam óptimas
 
Fonte Municipio de Mirandela
 
Jorge Soares

publicado às 19:20

Vamos ter uma vacina?

por Jorge Soares, em 09.11.20

vacinas.jpg

Imagem de aqui

Hoje a notícia do dia veio da Pfizer, os testes da vacina para o Covid 19 estão a correr muito bem, no meio de tanta tristeza e tanta crise, uma noticia boa e muita gente ficou feliz. Vamos mesmo ter uma vacina? Vamos! Quando? Pois, aí a coisa já não corre tão bem.

Eu trabalho na industria farmaceutica, a semana passada  em convera com um dos meus colegas ele dizia que era público que a Pfizer está a fabricar vacinas, muitas vacinas, já à algum tempo. É lógico, a vacina só pode ser vendida depois de ser aprovada, não quer dizer que não possa ser fabricada antes.

A mesma noticia que fala do sucesso dos testes, diz que eles contam ter 50 milhões de doses até ao fim do ano, isso significa que 25 milhões de pessoas vão poder ser vacinadas no inicio do ano, são necessárias duas doses para se ficar imunizado.... 25 milhões de pessoas é muito menos que 1% da população mundial...ou seja, nada... Também dizem que até ao fim de 2021 contam fabricar mil milhões de doses, 500 milhões de pessoas... não sei qual será o limiar da imunidade de grupo, há quem diga que pelo menos 50% das pessoas precisam de ficar imunes, 3 mil e 500 milhões de pessoas.... sete anos de produção da vacina.

O melhor mesmo é esperar que venham mais noticias destas e que a vacina da Rússia e as da China e as da Europa também corram assim tão bem, acreditem ,vamos precisar delas todas ...e mesmo assim, duvido muito que a generalidade da população tenha acesso à mesma antes de 2021

Há pouco li algures numa rede social que afinal o Trump tinha razão, afinal há uma vacina em Novembro.... há até quem diga que se a noticia tivesse chegado uma semana antes.... pois, há Trumpistas onde menos se espera... e há quem continue a acreditar no que ele diz.

Vamos ter mesmo uma vacina? Vamos!  Mas vai demorar algum tempo a chegar a todos, o melhor mesmo é continuar com o bom senso, fazer a nossa parte, manter a distância social, evitar ajuntamentos, lavar as mãos e sobretudo não estar à espera que o governo ou a OMS ou alguém, faça o trabalho por nós, está nas nossas mãos, não nas de mais ninguém.

Cuidem-se e fiquem bem.

Jorge Soares

publicado às 21:12

A vida em azul eléctrico

por Jorge Soares, em 01.11.20

carros_eletricos_video.jpg

Imagem de aqui

Andei durante 24 anos a fazer pelo menos 110 Kms por dia, Setúbal - Lisboa - Setúbal, não vou fazer as contas aos milhares de Euros em Gasóleo que gastei durante todo este tempo, mas devia ser coisa para comprar uma boa casa.... Tenho um eléctrico igualzinho ao da fotografia, Nissan Leaf de 40 Kw, desde o dia 1 de Abril, não é meu, é da empresa, podia ter escolhido um Diesel Mercedes , mas escolhi um eléctrico, já explico porquê.

Desde que saíram os primeiros carros eléctricos eu comecei a fazer  contas, anos a fazer contas. As contas nunca deram, primeiro não tinham autonomia suficiente, depois o preço não compensava, mesmo quando o carregamento na rua  era gratuito.

Hoje em dia para quem tem que comprar o carro, a autonomia, apesar de já dar para ir (devagar) a Lisboa e voltar, não compensa, o preço não compensa e o carregamento na rua, na maior parte dos casos, não compensa.... mas eu não tive que o comprar.

Vou fazer alguns posts sobre carros eléctricos desde o ponto de vista de quem não tem um eléctrico porque é giro e está na moda, mais um gadget, ou porque é verde, não foi nenhum desses motivos que me levou a escolher o eléctrico, acreditem ou não, há quem escolha um eléctrico como quem escolhe o topo de gama dos telemóveis, se não acreditam dêem uma olhadela aos grupos do Facebook onde se juntam os donos dos eléctricos.

Porque é que escolhi o eléctrico? Por vários motivos: 

Em primeiro lugar  porque posso carregar grátis no trabalho, em situação normal de ir a Lisboa e voltar, o carro tem que ser carregado todos os dias. Os Carregadores da empresa são de 22 Kw e em teoria em duas horas deve dar para carregar, em teoria.

Em segundo lugar porque tenho garagem e consigo carregar em casa quando não carrego na empresa, curiosamente entrei em teletrabalho a 13 de Março e recebi o carro a 1 de Abril, até agora só carregou em casa e duas ou três vezes em postos de carregamento rápido na auto estrada. Numa tomada normal em casa a carga desde zero demora perto de 14 horas.... estando a 50% demora entre seis e sete horas, eu tenho tarifa EDP bi-horária  e o carro está programado para carregar entre a meia noite e as sete da manhã, quando é mais barato. 

Convém dizer que em Setúbal não há nenhum posto de carregamento rápido, e todos os que conheço carregam à mesma velocidade que qualquer tomada de casa, logo, não há cá urgências, na rua também demora 14 horas a carregar.

É claro que também escolhi porque (supostamente) é verde e ecológico, na utilização no dia a dia os carros a combustão contaminam muito mais e isso também nos deve preocupar, mas para o comum dos portugueses antes dessa preocupação há várias outras que entendo devem ser ponderadas, como o facto a maioria dos  eléctricos terem preços de carro de luxo e na prática funcionarem como pouco mais que citadinos, ou tendo em conta o funcionamento actual da rede de carregadores em Portugal, ser quase impossível ter um eléctrico sem se ter um segundo carro para quando se quer fazer uma viagem ou ir de férias.

O post já está longo e vou deixar mais para os próximos dias, também não quero confundir ninguém, eu gosto do carro, a minha meia laranja adora-o, a condução é fantástica, é super espaçoso, é confortável, silencioso e carregando em casa ou no trabalho, super económico.

Fiquem bem e cuidem-se do vírus

Jorge Soares

publicado às 21:14


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D