Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Parvos que nós somos... não?

por Jorge Soares, em 06.02.11

em círculos e vamos sempre dar ao mesmo

 

"Sou da geração ‘casinha dos pais’,
se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou
Filhos, maridos, estou sempre a adiar
e ainda me falta o carro pagar
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar."

 

 

Este é mesmo um país de incongruências, 15 dias depois das eleições em que 53% não pôs lá os pés para votar e dos que lá foram, a grande maioria votou nos candidatos dos partidos que levaram  o país a esta situação, eis que surge do nada uma música que já foi classificada como "o hino de uma geração", "canção de protesto", "hino dos descontentes", "hino da geração adiada", os jornalistas esmeraram-se. Curiosamente os Deolinda num claro tiro ao lado, deixaram esta música de fora do seu ultimo álbum.

 

A verdade é que a educação para todos tem um preço, a luta dos anos 80 e 90 para que todos tivessem direito à educação está a resultar agora naquilo que já se viu antes em tantos países, o mercado não tem capacidade para dar trabalho a tantos engenheiros, advogados, professores ... o resto é conhecido, excesso de mão de obra resulta sempre em salários mais baixos, não há volta a dar.

 

Nós vivemos em Democracia, não somos a Tunísia, o Egipto ou o Portugal de antes do 25 de Abril, isto para quem já acha que a forma como foi acolhida esta música pode ser um passo para algo parecido ao que se está a passar no Cairo, desenganem-se.

 

Em Democracia as revoluções fazem-se nas urnas, todos e cada um de nós pode contribuir para a revolução indo votar e mostrando o nosso descontentamento... Nós sabemos quem são os culpados da situação actual, sabemos quem  governou e como o fez...  o que fazemos?, bom, há 15 dias elegemos de novo um dos que mais tempo esteve a governar o país. E dizem os barómetros que se as legislativas fossem agora, só mudavam as moscas

 

Em que ficamos, estamos ou não fartos disto? no fundo no fundo,  a frase com mais sentido na música dos Deolinda é esta: "Sou da geração ‘vou queixar-me pra quê?"

 

 

 

 

Jorge Soares

publicado às 22:22


66 comentários

Sem imagem de perfil

De in-perfeita a 06.02.2011 às 23:07

"Vou queixar-me pra quê"... podemos protestar, achar que a música tem sentido (e tem) apesar de não falar nos licenciados.
Mas nós somos responsáveis pelas escolhas. O que parece é que não aprendemos nada, porque queremos continuar a levar com o "cavaco". Acredito que hoje nada mudaria, porque as pessoas têm preguiça, medo de mudanças. Suportam até empregos medíocres com salários baixos mas certinhos, com medo de arriscar mudar e ganhar mais um pouco. Falta de confiança nas suas capacidades? Nós só arriscamos quando saímos do país... aí o nosso esforço é redobrado e quase sempre somos bem acolhidos e encontramos um trabalho satisfatório ou mesmo de acordo com a nossa formação. Mas cá teremos feito o mesmo esforço?
O mercado está saturado de pessoas com cursos que não se adaptam ao que o país precisa.
Vivemos em democracia e as mudanças não se fazem com canções (não se confunda com a revolução de Abril 74 e a Grândola Vila Morena - vivíamos numa ditadura).
Muitas vezes me questiono se as pessoas sabem a diferença entre ditadura e democracia...quando ouço muita gente com saudades do passado. O que nos falta? Olhar mais além... mas sei, sabes que muita gente nunca saiu sequer da terra onde nasceu, nem o nosso país conhece...nem nunca viu o mar. Daqui se depreende que se as barreiras físicas são muitas as mentais são bem mais e difíceis de entender e de fazer compreender.
Sem imagem de perfil

De Sergio a 07.02.2011 às 01:05

"A democracia muitas vezes significa o poder nas mãos de uma maioria incompetente."
( George Bernard Shaw )
Sem imagem de perfil

De Luso a 07.02.2011 às 12:02

O que pretende com isto? Acha que a maioria ficará melhor com uma "elite" dirigente, que "sabe" o que é melhor para os outros? E quem disse que Bernard Shaw, é habilitado a pensar pelos outros? Quem o elegeu? Foi Deus? Só faltava essa, faltava não, há quem diga isso mesmo. Estes "pensadores" em vez de dizer asneiras, perdoem-me o arrojo, deviam sim, ajudar os outros a elevarem a encontrar um caminho esclarecido que seja mais responsável, lutar por uma sociedade mais informada e culta que fosse possível e, não, arrogantemente, dizerem aos outros para estarem quietos que "eles" sim sabem o que é bom, são os predestinados. Não há nada de mais perigoso neste discurso, também Hitler e Stalin e outros afins diziam ser os únicos capazes de encontrar o melhor caminho para as suas nações. Tem-se visto o resultado.
Sem imagem de perfil

De João a 07.02.2011 às 10:34

Não nos podemos esquecer que o principal responsável pelo estado da nação é o Sócrates e a sua corja, e não o P.R ., uma mera figura decorativa...
Quanto a esta "geração", são os papás os maiores culpados, que tudo dão aos filhos, sem que exijam nada em troca (contra mim falo). A verdade é que há muito trabalho, embora os EMPREGOS escasseiem.
Além do mais, o ensino está apenas virado para as estatísticas e não prepara minimamente os jovens para o mercado de trabalho.
Sem imagem de perfil

De jorge a 07.02.2011 às 13:21

100% de acordo....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 16:40

100% em desacordo.
Sem imagem de perfil

De Teresa Maia a 07.02.2011 às 13:45

Completamente de acordo!
Sem imagem de perfil

De Maria a 07.02.2011 às 13:54

estou 100% de acordo! Mas não há neste País um maluco ou vários malucos que matem estes corruptos onde o principal é o 1º. Onde estão os bravos portugueses!!! tenho vergonha de ter nascido neste sítio!!!!!!!!!!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 16:43

Quem vergonha de ter nascido em Portugal, saia.

Eu continuo a querer um Portigal melhor mas tenho mto orgulho em ser português.
~
100% em desacordo quando dizem que os pais é que têm a culpa. Os pais dão aos filhos, melhor educação, melhor oportunidades, mas não têm culpa de que só os filhos dos "Cunhas" entrem directamente para lugares de emprego compatíveis com esses sacrifícios. Para trabalhar de sol a sol e ganher pouco chegam os pais.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 16:46

CONCORDO, com esta opinião.
Os jovens vão ter que mudar o país.

Eu e outros lutamos por um 25 de Abril para todos.

Há que seguir o nosso exemplo. MUDAR, SEM DERRAMAR SANGUE INOCENTE E HÁ FORMAS, BASTA SER CRIATIVO.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 07.02.2011 às 17:26

Tambem eu tenho vergonha do seu comentário. Emigre !!
Sem imagem de perfil

De jaldares@gmail.com a 07.02.2011 às 11:00

Velho que eu sou, 62 anos, há muito que venho alertando os muitos jovens com que trabalho: "Se esta gente entre os 20 e os 40 não der a volta a isto os vossos filhos, meus netos e bisnetos, vão ser escravos de facto". Atenção que ainda trabalho e há muitos anos a recibo verde.
Acabem, nem que seja há força, com esta corja do PS e PSD que desde 0 25 de Abril mais não tem feito que ROUBAR o PAÍS. Obriguem a que a politica seja assunto de gente séria. VIVAM E SEJAM FELIZES porque o que se está a fazer, neste jardim há beira mar plantado, para a maioria é tudo menos viver.
Sem imagem de perfil

De João a 07.02.2011 às 12:29

Tantos anos e ainda não aprendeu nada? E culpa os partidos por não saber lutar pela SUA vida, afinal alguém o obriga a isso? Não terão sido das escolhas que fez ao longo da vida? E os outros é que têm culpa? E porque razão espeta o PSD no governo? Há quanto tempo que são oposição? O senhor será mesmo aquilo que diz ser? Os resultados que obtive devo-os a mim mesmo e digo isso mesmo ao meu filho, é um dos melhores alunos de toda a escola, os seus colegas, tal como provavelmente os seus netos, porque a maioria faz isso, não acreditam em nada, em vez de ir para as aulas e serem o melhor que poderem, vão passear para o centro comercial andar como os maricas presos do Arizona, com as calças a meio o rabo, e só sabem usar o telemóvel, falar de telenovelas e futebol! Repare como lutam os alunos estrangeiros (vindos da Europa) nas escolas Portuguesas, tornam-se logo dos melhores. Para alguns, estudar cansa, trabalhar ainda mais, é preferível culpar os outros por sermos uns incapazes. Pergunte aos seus netos, se sabem alguma coisa sobre a História do nosso país, economia e politica, e se calhar ficará surpreso! É mas fácil culpar o governo que de facto é muito mau, mas isso muda-se. A sua alternativa é, fazer um grande alarido, não preparar essa mesma juventude para o futuro dar-lhes instrumentos para que, não precisem de ninguém e menos ainda do Estado e sobretudo, dos subsídios, um veneno à inteligência e capacidade de luta! Mas não, o senhor fala como se todos fossemos parvos e, não soubéssemos que a vida tem mais para dar do que as "ajudas" do Estado. A sociedade, somos nós que a construímos, não o governo! Como quer um bom governo, com gente que apenas sabe queixar-se e, no fim de contas, também pisca olho à corrupção, quantas vezes usou uma "cunha"? O governo é um espelho da sociedade que construímos se é mau, certamente essa sociedade não deverá ser melhor.
Sem imagem de perfil

De Pastor a 07.02.2011 às 13:31

Pois não sabia que essa moda parva de andar a mostrar o rabo era inspirada nos "maricas presos do Arizona" mas deixe que lhe diga que sempre que os vejo me dá vontade lhes se soltar uma matilha nos calcanhares..... devia ser hilariante vê-los a correr com o rabo ao léu....
Imagem de perfil

De metralha a 07.02.2011 às 13:36

Ò João, francamente... então o Governo não tem responsabilidade na sociedade? Eu quando estudava, tinha de 'marrar' a sério senão não passava de ano,tanto que ainda hoje com 40 anos me lembro de coisas que dei no 8º ano. Agora um conjunto de Governos que administrativamente leva os jovens até à Universidade sem se preocupar minimamente com o futuro dos mesmos para poder ficar bem na fotografia da OCDE tem de ser responsabiliado por esta geração dos 500€..... é que eu se puder também vou pôr o meu filho em escolas pariculares. Haja dinheiro para isso.....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.10.2012 às 18:45

Vê lá Joãozinho a importância que dou à merda.
Como no teu comentário, sem me conheceres, me ofendes dá a cara aparece marca encontro terei muito gosto em te rebentar a tromba.
E na mesma moeda quanto a ti e ao teu filhinho querido digo "JÁ NO MEU TEMPO DE LICEU OS PANELEIROS ERAM BONS ALUNOS".
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.10.2012 às 18:48

Como não gosto de ser publicado como anónimo cá vai de novo (Por jaldares@gmail.com) volto a dizer-te que tu e o teu filhinho querido não passam de PANELEIROS.
Sem imagem de perfil

De xana a 06.02.2011 às 23:33

É como te digo, Jorge! Memória de 6 segundos... as pessoas nem se lembram do que comeram ontem, quanto mais lembrarem-se de quem lhes lixa a vida no Governo. Toda a gente se queixa, mas é só da boca para fora, porque depois na hora de mudar, ninguém se mexe.
bjks
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 16:50

Nós demoramos 50 anos a mudar um regime.
Fomos lentos mas demos o exemplo.
Todos os que lutaram em 1974 estão orgulhosos por não derramar sangue, normalmente de inocentes porque os "culpados" raramente são apanhados nas revoluções.
Os jovens estão a aguentar e qualquer dia o caldo intorna, Esperem pela gota de água.
Sem imagem de perfil

De xana a 07.02.2011 às 22:57

Concordo com os ideiais do 25 de Abril, e foi por eles que nos anos 80 o meu pai lutou para ter melhores condições de trabalho e para que hoje eu também pudesse ter condições dignas para uma vida activa e produtiva. Eu aprendi a lutar para ter o que tenho, tanto em termos académicos como profissionais. Só que a meio do caminho o jogo mudou, subverteram-se os ideiaias de Abril, e este país começou a andar para trás, a viver da mama dos subsídios, toda agente a roubar, grandes autmóveis na garagem, grandes casas na periferia da cidade, e mais umas herdades no Alentejo e férias à grande e à francesa. A corrupção tornou-se o pão nosso de cada dia, vive-se mal, mas tem de haver Tv cabo, internet, férias e boa roupa para fazer boa figura na rua, vai-se de carro para p trabalho mesmo que os transportes passem à porta de casa, e depois tudo se queixa do preço dos combústiveis. As empresas de transportes reduzem a oferta porque não há passageiros e não compensa andar de um lado para outro a mostrar as vistas ao motorista, maquinista ou piloto que seja. A culpa é de quem? Olhe, é de todos, é sua, é minha e de todos nós que deixámos que as coisas descambassem para o ponto em que estamos. Por mais eleições que possam haver, nada mudará certamente, porque mudam apenas as moscas, e vamos andar muitos anos nisto de viver de subsídios, a ver os lucros chorudos da banca, das empresas do Estado, e depois somos nós classe trabalhadora que somos enrabados todos os dias para pagar as mordomias e o caviar que eles comeram. Eu fui ensinada a lutar e a chegar onde queria pelo meu mérito. Nunca achei graça às cunhas e fui saltando de trabalho em trabalho porque mesmo sendo boa trabalhadora, nunca fui de me rir só para fazer jeitos, e sempre achei que para trabalhar tinha de ser profissonal e não andar a lamber botas. Por essa razão, de vez em quando lá me via eu nas filas do desemprego, mas sempre procurei e arranjei trabalho por mim mesma, em pouco tempo, e claro quando os contratos chegavam ao ponto de se tornarem vinculativos e eu não era de dar graxa e lamber botas, lá era mandada para casa. Tive de aceitar uma cunha para hoje ter um ordenado e poder seguir com a vida em frente, mas continuo a não lamber botas, porque ser profissional não é rir com os administradores e lamber as botas aos chefes. Gostava de ir para a universidade, porque se antes não fui, foi pelo tal espírito de sacríficio, por achar que seria estar a ser encargo demais para o meu pai, e resolvi só ficar pelo secundário e tentar trabalhar para mais tarde então ir para a universidade ao mesmo tempo que trabalhava, só que como referi, nunca consegui até aos 34 anos ter um trabalho com uma remuneração que me permitisse chegar um pouco mais à frente. Nesta idade, já não é tempo de estar em casa dos pais, e a universidade mais uma vez foi posta de lado porque há que criar condições para ser independente, e tive de avançar para esse novo rumo da vida, a independência. Tenho um ordenado que é um pouco mais que o mínimo, e uma casa que tem de ter a renda paga a tempo e horas, e todas as depesas inerentes à minha independência, pois sou solteira. Trabalho num local para onde não existem transportes publicos a servir a zona, logo há mesmo mais um carro na estrada, e como o horário que tenho não coincide com nenhum colega, não dá para partilhar. A economia está de rastos e o sector automóvel estagnou, logo estou a ver a vida a andar muito devagar, e espero que não páre. Como vê para a malta da minha geração, os nascidos na década de 70, os que supostamente hoje estariam a viver bem depois dos ideiais de Abril, não é fácil gerir a vida de hoje, mas luta-se todos os dias.
Sei que me alonguei contando a minha história como exemplo, mas quero com isto dizer, que os ideiais de Abril, morreram logo na década de 80, e com o advento da mama da UE, foi tudo por água abaixo. Não podemos culpar só o 1º Ministro, todos os que lá estiveram antes, nada fizeram que nos permitisse viver por nós próprios, e que levasse as pessoas a querer mais e melhor com o seu esforço em vez dos subsídios. Orgulho-me de ser filha dessa década, e de pessoas que viveram antes, e me passaram os valores da luta e de mérito próprios. Para os jovens de hoje, o caldo irá entornar quando acabar a mama... (acabo + abaixo)
Sem imagem de perfil

De xana a 07.02.2011 às 23:09

Para os jovens de hoje, o caldo irá entornar quando acabar a mama... e desta vez não irão haver cravos nos canos das armas.
Acho que os que lutaram por Abril, deverão manter o orgulho pela luta, pelos ideiais, pela Revolução pacifica sem derramento de sangue inocente. Permitiram que hoje possamos estar aqui a discutir todos estes assuntos, sem medos, sem receios, e que hoje sejamos pelo menos ainda um pouco livres. Tenho pena que as pessoas não saibam dar valor a essas conquistas, como é o poder de voto. Viveu-se tanto tempo sob uma ditadura, e hoje todos deviamos honrar os que lutaram para que acabasse essa ditadura. É imperativo que algo mude, mas teremos de ser todos, a mandar estes parasitas para o seu lugar. Teremos de ser eu, você, e todos os jovens que amanhã serão quem pode ter este pais para Governar. Sei que é provavelmente um lutador da Abril, mas certamente nunca pensou que chegado aos dias de hoje fosse ver este país no estado em que está, completamente à deriva, e ninguém a assumir a culpa de 36 anos de más governações.
Sem imagem de perfil

De Fachada a 07.02.2011 às 00:42

Eu votei, sim, contrário às minhas convicções para poder dizer que quero mudança. Com isso eu defendi o meu direito de poder continuar votando e de me expressar sobre a "geração" presente e vindoura. Quem não o fez que se não queixe. Quem reelegeu o carniceiro não se admire de ser levado ao matadouro... e os Deolinda que continuem... estou a gostar do seu trabalho.
Mais de resto, haja quem cante... pobrete mas alegrete.
Bom blogue. Cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De Sérgio a 07.02.2011 às 00:53

Nem mais..!
Sem imagem de perfil

De antoniopestana a 07.02.2011 às 08:35

A Democracia não garante um bom governo,apenas garante os meios de eleição.
É a capacidade intelectual do eleitorado que o capacita para discernir o bom do mau,e vai determinar a qualidade do governo.
Essa capacidade adquire-se através da educação e da experiência de vida.
Um povo com uma escolaridade abaixo da média europeia,não pode estar habilitado para eleger um governo de qualidade superior,mesmo que sejam respeitadas todas as regras democráticas nas eleições.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 08:56

A apropiação da música, com a qual me identifico, pela esquerda extremista é claramente um acto abusivo.

Se calhar deviam pensar porque é que os Portuguesitos preferem votar sempre nos mesmos aos pseudo intelectuais do vosso campo político.
Sem imagem de perfil

De Luso a 07.02.2011 às 10:46

Nem mais! Esta gentinha julga-se dona da verdade e, chega ao ponto de ser incongruente. Vejamos os comentários acima. Uns dizem que temos licenciados a mais, outros porque, a votação realizada não foi do seu agrado, chama a esses mesmos licenciados ignorantes! Isto faz algum sentido? É curioso que os esquerdistas quando alguém opta num sentido de sociedade que não o seu, tem-se sempre como elogio, no mínimo, a ignorância, mas gostava de saber a que fonte de sabedoria foram eles beber tanta cultura, informação e sabedoria, deve expressa só para eles. Que votou no Presidente, sabe que este em Portugal tem um poder moderador, não é o responsável pela governação, mas isso de estudar e ler a Constituição e, estuda-la como eu fiz não é para todos, menos para aqueles que já nasceram ensinados. Nunca um partido de esquerda em lado algum deu riqueza ao seu povo, não há nenhum exemplo algum na História o que vemos é uma covardia parda que dá cabo dos valores Ocidentais e, a tudo que nos liga a eles como se estes fossem uma praga, sinal de quem está farto da fartura e boa vida com que vive. Limito-me a perguntar o velho lugar comum: se estão tão mal o que fazem por aqui? Quanto às votações qual dos candidatos teria melhor perfil? Um Traidor à pátria e pateta,apoiado por um perigoso e partido que fala em nome do povo, mas para o qual o povo é um obstáculo e não um fim? Um choné, que nem sabe como falar e julga qiue o Mundo é cor de rosa, um comunista cuja linguagem perde-se numa retórica bacoca e saloia nada trazendo de novo ao MUndo, num cómico de circo ou num socialista ressabiado? A alternativa era óbvia e, quem não votou, sabia à partida quem ganharia e que nada estava em causa. Agora, virem para aqui com "post's" de frustrados só porque perderam e, os "seus" candidatos preferidos uma vez mais perderam exemplarmente é uma covardia, pois chamar a quem livremente optou de ignorante é insultar todos aqueles que votaram no candidato preferido e melhor preparado para assumir um lugar que é mais de honra do que executivo, isso pertence ao governo, mas mais não se pode esperar de quem insulta os outros chamado-os de ignorantes e ao mesmo tempo licenciados em excesso! Procurem o vosso lugar, deixem de estar à espera que os outros o façam por vocês, se são tão inteligentes não vejo qual o objectivo de tanto ódio, deviam viver e deixar viver, por nas penúltimas eleições presidenciais um dos candidatos dizia que não iria dormir com Cavaco Silva como PR e, afinal parece que nunca perdeu uma noite, nem ele, nem ninguém. Com demagogia barata e com gente assim esta Nobre Nação é que não vai a lado nenhum, em vez de lutar e trabalhar para o bem comum da Nação, só sabem atrapalhar e falar mal, isso, cura-se num consultório de psiquiatria.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 07.02.2011 às 10:51

Então e depois de tanto ódio contra a esquerda e contra mim, sobre o tema do post, tem alguma coisa a dizer?

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Luso a 07.02.2011 às 11:26

Engana-se, não tenho nada contra si, não o conheço de lado algum, pode muito bem ser uma excelente pessoa. Contra a esquerda, é diferente, tenho, porque faz de mim e de todos portugueses estúpidos! Arruinou após o 25/04, o meu país, fez dele uma bandalheira, alvo de chacota internacional que ainda hoje dura, eu não esqueci, apesar de muito jovem lembro-me que tomou decisões arrogantemente, sem perguntar nada a ninguém, muito menos aos portugueses, donos desta terra! É manipuladora, frequentada por privilegiados que nunca colocaram a mão numa enxada, mas gostam de falar em nome de quem como eu, para se licenciar teve que trabalhar no duro 12/14 horas por dia, em vários empregos, se hoje me tratam por doutor, já trabalhei nas obras e nos campos para arranjar dinheiro para estudar e me sustentar. Poder ir à noite para uma faculdade cheio de cansaço e, quando podia. E vejo, partidos frequentados por filhos de multimilionários outros até de origem nobre, que nunca suaram na vida para trabalhar, sempre rodeados de criados, fazerem de conta que sabem mais do pão que o diabo amassou do que eu! Falam em meu nome, quando nunca souberam o que é ter que se sujeitar à uma vida insegura ou aos ditames de outrem. Ainda por cima são esses mesmos que chamam a quem votam em sentido contrário de ignorantes. Meu caro, eu sei que temos mau políticos, é ponto assente, estamos todos de acordo, mas ser "orientado" por obscurantistas que querem apenas poleiro para uma nomenclatura, não é para mim. Lutei demasiado para obter na vida o que ela me tinha para dar, não tenho que agradecer a ninguém, ninguém me ajudou, estou habituado a ser autónomo e independente, detesto que pensem o que é melhor para mim. EU sei o que é melhor para mim e decido conforme a minha consciência. Se isso para si não vale nada, e por muito que fale, ficaremos sempre na mesma. Eu sei que quem não é de esquerda, é ignorante e, nada diz, o dom da Dialéctica é, algo que só aos de esquerda toca, são os únicos que sabem o que é melhor para todos, deve ser algo que julgam ser de inato às suas personalidades, para eles todos os outros que pensam de forma autónoma, ou são de extrema direita ou ignorantes, eu penso o contrário que são gente livre de todas as amarras fazem o que melhor entendem a cada momento, não têm que obedecer a um qualquer Grande Lider.
Imagem de perfil

De opinandomais a 07.02.2011 às 11:21

Nem mais! Quem fala assim não é gago e digo mais, é de pessoas que pensam assim como "O Luso"que estamos fartos dos seus "silêncios"!
Perdeu aqui uma boa oportunidade para dar aqui um bom contributo.
Cuidado com a azia!
Sem imagem de perfil

De Luso a 07.02.2011 às 11:52

Quanto ao tema do post , se ler bem o que escrevi, está lá tudo, pertenço à tal geração dos 80/90! Insatisfeito? Nem por isso, sei o que quero na vida, não vivo apenas para a satisfação material, há pequenas coisas na vida que me realizam, aprendi com muito esforço dar importância a essas coisas. O que o Post fala, é de gente que nada sabe fazer melhor do que queixa-se eternamente, daqueles que, por limitação própria ou de formação, não sabem encontrar um caminho na vida! O autor do Post , até refere o depressivo e autodestrutivo Sérgio Godinho, onde afirma que viver é das coisas mais difíceis do Mundo, não podia estar mais em desacordo. É difícil, para aqueles que esperam pelos outros, é difícil, para quem nunca está satisfeito com os outros, mas consigo próprio na sua eterna depressão e "auto-misericordiosa", é difícil, para quem não sabe viver e o que é a vida! Se avaliarmos pelo lado negativo é difícil até respirar, dá trabalho. Mas tudo o que tem valor dá trabalho e luta, não é difícil É UM OBJECTIVO, bem vivo e, uma razão para viver. Eu contra tudo e todos, formei-me, com já disse até trabalhei nas obras, provavelmente nenhum de vocês teve a experiência, sei o que é ter calos nas mãos, e arrependi-me? Culpei alguém por isso? Nunca, seria uma covardia. Tento sempre encontrar o meu caminho, as dificuldades são apenas isso, mas um desafio a ultrapassar, NÃO LAMENTAR E, CARPIR FALSAS LÁGRIMAS DE CROCODILO PELAS NOSSAS FRAQUEZAS E MEDOS. Se somos um ser tão inteligente como afirmamos, compete-nos encontrar as soluções e não atribuir aos outros as culpas dos nossos falhanços. A música dos Deolinda, se for coma a letra que o autor do Post escreve, é isso mesmo um Hino aos aselhas, àqueles que esperam que a comida lhes caia no prato, mas "esquecem-se" de como obter o próprio prato. Não tenho paciência nem tempo para perder com gente que nada dá ao Mundo a não ser palavras amargas e sem esperança. Se isso é ódio, alguém aqui deve andar muito enganado.
Imagem de perfil

De opinandomais a 08.02.2011 às 17:40

Pois é, Bem me parecia! Contínua a colocar tudo o que há de mau e mal no mundo no saco da esquerda, será por esse desequilíbrio de pesos nos sacos da esquerda e da direita que o mundo gira?
Imagem de perfil

De nuncaetarde a 07.02.2011 às 14:35

Estou de acordo com tudo o que disse. Grande parte dos portugueses têm a mania que a esquerda é que é boa. Boa em quê ? já se esqueceram do que eles fizeram após o 25 de Abril ? Invadiram habitações, e ocuparam empresas. Redordo-me era minha filha pequena e andava a parender a nadar. Eu ia com ela e, depois apanhava o electrico no terreiro do Paço. Ia para a fila para que ambas viessemos sentadas.
Num dia desses, entrei no electrico e só havia um lugar no chamado na altura, Banco dos palermas e outro nos bancos normais. Ela fui para esse e, eu (palerma), fiquei no dos palermas porque conseguia vê-la sentadinha. Passado um bocado, olho para os que iam em pé e vejo a minha filha. Perguntei-lhe porque estava em pé e logo umas ordinárias que vinham em pé, disseram que tinham sido elas que a tinam mandado levantar para uma velhota se sentar.
Eu respondi, que primeiro teriam de lhe perguntar onde estava a mãe ou pai e então, concerteza que eu não iria contra, mas assim não tinha sido correcto.
Fui chamada de fachista a torto e a direito, a ponto de o funcionário dos bilhetes (ainda era assim) vir para o pé de mim e dizer-me para eu ter calma e não responder. Quando desci mais minha filha, foi demais!!!!!É isto que é liberdade ?É isto que é a chamada esquerda e a extrema esquerda ?
São uma cambada de invejosos que não querem fazer nada e, aliás vê-se que quem trabalhou e trabalha e desconta sobre tudo o que ganhou ou ganha é que está a sustentar os do RIS posto pelo Guterres, a pensão de 3 mil e tal euros da mãe do PM.....etc.etc.etc.
Os governos socialistas só têm feito trampinha e da grossa ! Este PM bate o record em tudo! É o maior!!! hoje diz uma coisa, amanhã diz que não disse nada disso. Recordei-me no tempo do Mário Soares, quando por vezes lhe diziam, mas o Sr.Dr, disse isto assim, assim e, ele dizia não foi isso que eu disse !!!
Portanto isto é um virus esquerdista !!!!!
By, by, que estou doentinha e isto só me faz mal !!!!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 16:53

ESCREVEU TANTO PARA DIZER TÃO POUCO,

O SEU ELEITO E ADMIRADO PR tem pés da barro.

Um cidadão que foi e é PR não pode aldrabar o fisco e pedir aos outros para nascerem 2 vezes para serem tão honestos quanto ele e por aí fora.

Falamos de PORTUGAL e não de uma figurinha.
Sem imagem de perfil

De P.R a 07.02.2011 às 10:29

Ainda que estejamos em Democracia e a "revolução seja feita nas urnas", é importante ter a noção que nesta geração a desilusão já é de tal forma, ou a falta de motivação, que não há quase jovem algum a mover-se pela politica, pela defesa de ideais...
Custa-me entender como é possível que a juventude de hoje em dia, se queixe até mais não, se indigne, mas ainda assim, se conforme e não o demonstre...
Custa-me pertencer à geração que encara uma greve e manifestação estudantil como pretexto para fumar droga e beber...
Que se assista na rua a greves que obedecem a horários de função pública...
Que se reeleja consecutivamente aqueles que nos levam pelo abismo, mas não por convicção, mesmo por falta de opção!
Mas acima de tudo, é com incredulidade que assisto à mobilização de todos para causas alheias à nossa sociedade, mas que no nosso interesse, todos fiquem por casa...
Sem imagem de perfil

De Marta P. a 07.02.2011 às 10:32

"Curiosamente os Deolinda num claro tiro ao lado, deixaram esta música de fora do seu ultimo álbum." Os Deolinda fizeram esta música apenas agora, para ser apresentada nos coliseus. Criaram esta como mais umas duas ou três, só que esta foi a que ficou "melhor acabada" a tempo dos concertos.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 07.02.2011 às 10:39

Marta, eu ouvi uma entrevista da Ana Bacalhau há uns 15 dias na antena 1 em que ela falava das muitas musicas que tinham escritas e da forma como tinham escolhido as do disco. O facto de ele terem trabalhado a música para o concerto, não significa que esta não estivesse escrita à muito tempo.

De todos modos, o comentário foi uma interpretação minha... e só os membros do grupo podem esclarecer.

Jorge Soares
Imagem de perfil

De Perplexo a 07.02.2011 às 10:32

As revoluções NÃO se fazem nas urnas. Por definição, revolução significa uma mudança do sistema, portanto não se pode fazer dentro dele, numa eleição.
Aliás, que espera que uma eleição em Portugal mude alguma coisa?
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 07.02.2011 às 10:45

Há muitos significados diferentes para Revolução, nem sempre esta tem que ser violenta ou fracturante. Pessoalmente não estou a ver uma alternativa de governo melhor que a democracia, portanto entendo que a única forma de mudar as coisas no nosso país é escolher outras alternativas de governo entre as ideias que se apresentam a sufrágio, está visto que com o que tem lá estado não vamos lá.... e sendo coerente com o que disse antes, sim, eu acredito que nas urnas se podem mudar muitas coisas.

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Luso a 07.02.2011 às 10:59

Meu caro uma revolução não tem nada de democrático! Pode ser dirigida apenas por um núcleo que pode muito bem optar num ou noutro sentido sem perguntar nada a ninguém! Esse é que é o problema, podemos ficar com um regime de esquerda/comunista ou direita/ditatorial. Pergunto, vale a pena o risco? Afinal não deve ser o povo, livremente, a escolher o seu caminho? Não será melhor assim? Quem lhe diz que com revoluções chegamos a algum lado, acha que isso representa a von6tade da maioria? Esta enganado, a maioria quer e gente honesta e governar e limpa de corrupção, apenas isso, porque sabe e nós portugueses particularmente que as revoluções nem sempre nos levam ao caminho que desejamos. O que você defende é uma eterna anarquia experimentação que, em pleno Séc. XXI tem tanto de estúpido como de irracional. Há alternativas bem mais civilizadas e inteligentes, revoluções, só para casos extremos, não parece ser o caso, por muito mal que estejamos vivemos numa democracia, podemos amanhã sempre dizer não. Com uma revolução, quiçá iteramos alguém muito satisfeito no poleiro, sem perguntar nada a ninguém e com a mania que sabe o que é melhor para os outros. Para mim esse tipo de gente, só tem um destino a prisão e bem presa a ferrolhos, que vá mandar naquilo que come e deixe as decisões para maioria, bem ou mal é, esta quem decide, eu sei que para os extremista de esquerda este conceitos são obtusos e próprios de "ignorantes, mas prefiro mil vezes viver mal em democracia, a viver sob um regime que diz que eu tenho que viver bem, mesmo que, passe fome.
Sem imagem de perfil

De João Carlos a 07.02.2011 às 16:12

Para o Luso.
Em primeiro gostava de comentar que achei curiosa o sua escolha de Nome ou Nick “O Luso” em clara referencia ao Povo Lusitano, que curiosamente são considerados, por antropólogos e historiadores, como um povo sem história por não terem deixado registos nativos antes da conquista romana.
Em segundo, que Revolução (do latim revolutìo,ónis : ato de revolver), segundo o Dicionário Houaiss é datada do século XV e designa "grande transformação, mudança sensível de qualquer natureza, seja de modo progressivo, contínuo, seja de maneira repentina"; "movimento de revolta contra um poder estabelecido, e que visa promover mudanças profundas nas instituições políticas, econômicas, culturais e morais". Origem Wikipédia.
Em parte alguma a origem da palavra Revolução fala de Ditaduras ou Democracias, fala sim, contra o poder estabelecido. E desenganesse aquele que pensar que o poder em Portugal não esta estabelecido entre a concertação estabelecida entre os partidos PS e PSD, num parlamento de fachada para cobrir os verdadeiros mandatários, os poderes económicos que financiam os partidos.
Quando aos seus comentários eles são tão ignorantes e cobardes tanto ou mais, como os quais que contra você comenta, pois se aquele que acusa e comete os mesmos erros, é mais parvo que o primeiro que errou, pois nesse caso já o viu errar. Que é claramente o seu caso. Senão veja se.
Você diz que já estudou a Constituição,isso realmente não é para todos, eu não a estudei, no entanto sei que o Presidente da República tem de ser eleito com maioria absoluta, todos o sabem é do conhecimento geral, não se precisa de ter uma Licênciatura, o que não se sabe é que é falso, quem ganha é o candidato que obtiver mais de metade dos votos validamente expressos. Veja se o seu candidato, vencedor e eleito com maioria a primeira volta com com uma votação de 52,95%, ora esse resultado é o equivalente a 2.231.346 votos expressos, dos cerca de 9.519.921 de eleitores inscritos no Centro Nacional de Eleições. Não sei se chegou a estudar matemática, eu estudei, 2.231.346 é 23,44% de 9.519.921. O que quer dizer que o nosso P.R. é eleito por ¼ dos eleitores em Portugal. Bela ideia para uma democracia...
Quanto a sua ideia de governação democrática, quando diz que nunca um partido de esquerda em lado algum deu riqueza ao seu povo, deixe-me dizer que que de direita também não. E ao contrario da sua ideia de um governo dar riqueza, na minha opinião e ideia de democracia, o governo deve distribuir equitativamente a riqueza. Já no caso de Ditaduras, nem me dou o trabalho das comentar, por respeito aos que sofrem ou sofreram com elas, alem de por completo desacordar delas.
Mas ainda assim não queria deixar de lhe dizer que a maior parte dos modelos Europeus de governação socialista assentam ou foram inspirados nas ideias de Karl Marx, um pensador de esquerda, e que acerca dele se afirmou: «No século dezanove foi o pensador que teve, de longe, a influência mais directa, deliberada e poderosa sobre a Humanidade» (Isaiah Berlin).
Este Sr. Marx debruçou-se em particular sobre a formação e a essência do capitalismo considerando que este se fundamenta numa apropriação indevida da mais-valia gerada pelo trabalho numa lógica de acumulação e concentração de riqueza que deixa completamente de lado a função social do trabalho e reduz o proletariado a um estado de alienação em que o trabalho deixa de ser um factor de realização pessoal. Com uma economia mundial Capitalista veja o quão perto isto está de acontecer.
Quanto aos seu feitos, são seus, óptimo para si, desejo-lhe as melhores das felicidades, mas, presunção e agua benta cada qual toma a que quer, e o reconhecimento só é valido, não quando nós valorizamos os nossos feitos, mas quando os outros reconhecem os feitos que realizamos. Concordo consigo quando diz que compete-nos encontrar as soluções e não atribuir aos outros as culpas dos nossos falhanços, não acho é que a vida tenha sido mais fácil aos que nasceram em famílias de esquerda, que aqueles que nasceram no seio das famílias de direita, como tenta insinuar... Esta crise mundial é Capitalista, e o capitalismo nunca foi de esquerda...
Sem imagem de perfil

De Mais uma para o Luso a 07.02.2011 às 17:08

Está equivocado Luso, e cheio de ódio realmente.
É habitual os blogs degenerarem em ruído, escárnio e ódio, onde o tema em debate se perde.

Mas não se preocupe, você é perfeitament Normal.
Nós portugueses odiamo-nos realmente, apenas não o assumimos.

Quanto à sua visaõ da esquerda, devo dizer-lhe que o Prec já lá vai há muitos anos, e não chegou a durar 2 anos. Houve exageros e abusos? Claro que Sim, mas daí a colar essa imagem para todo o sempre à Esquerda parece-me um exagero e um insulto intelectual.

Nos restantes anos pós 25, a governação e a decisão foi claramente dividida por 2 forças partidárias com clientelas inequívocas, as quais à excepção de 2 ou 3 ascendentes eram já as mesmas do período pré revolução.

Aqui penso que está a grande questão, que ainda não li no tema em debate, ou que raramente é abordada. A grande responsabilidade do estado de coisas é a mentalidade e a ganancia do nosso sector empresarial, que esse sim, detém o poder no nosso país.
O PS e PSD apenas têm sido instrumentos para legitimar as suas aspirações, vejam-se as parcerias publico/privadas, a forma como são privatizadas empresas estratégicas do estado, as concessões, entre muitas outras formas do estado garantir encaixes financeiros escandalosos.

Nós, o Povo, estamos e somos sempre muito compreensivos com estes senhores, até subserviêntes, mas é no interesse deles que o País derivou neste marasmo.

Pensem:
A Nova Zelândia é inequivocamente um dos paises com maior qualidade de vida do planeta.
Tem um PIB per cápita semelhante ao nosso.
Como é que eles conseguem? São uma imensa classe média. A riqueza é eficazmente distribuida.

Até numa perspectiva Capitalista, Portugal é um Absurdo.

Meu caro Luso a clientela da Esquerda Radical é o povo, não os grandes interesses económicos
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2011 às 10:52

“Deolinda plus”

O FMI sei já não vem
Que parva que eu sou
Vivo em casa do avô
E os meus pais também

Estou grávida do João
Já daqui não me vou
Vai viver com o bisavô
Pagará a alimentação

Somos felizes assim
Aqui no nosso tê dois
Com o bisavô Joaquim

Já conclui o mestrado
O emprego veio depois
Caixa de supermercado.
Imagem de perfil

De meco8 a 07.02.2011 às 11:38

Chama-se a isto Demo+cracia… quando for grande quero ser político… para ver se em vez de um comprimido passo a tomar dois ou três…
Sem imagem de perfil

De Rui Ficher a 07.02.2011 às 15:06

Com este simples poema nacional, está tudo dito em relação ao Estado da Nação. Ah nunca uma revolução triunfou nas urnas ou com votos. Acho eu A luta continua ???????

Comentar post


Pág. 1/3



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D