Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Disputa p+elos filhos

 

Nada justifica uma morte, nada justifica que se tire uma vida a alguém, mas quando lemos uma noticia que diz "dois anos à espera para morrer por uma filha" o que pensar?

 

Já aqui falei do assunto, foi num post que tinha por titulo "O filho não é do pai e não é da mãe, o filho é livre é da vida", infelizmente no nosso país ainda há muita gente que para além  que pensar que tem a propriedade dos filhos, se atribui o direito a dizer que o filho é só seu. Li há pouco tempo as estatisticas de casos como este e são às centenas todos os anos. Há quem contra tudo e contra todos pegue nos filhos e vá para o estrangeiro com eles. Há quem apesar das ordens do tribunal se negue a partilhar, quem faça tábua rasa de leis,  das disposições dos tribunais, há de tudo. E o pior é que a sensação com que ficamos é que o crime compensa, porque a verdade é que ninguém faz nada para fazer cumprir as normas e compensa mesmo, ou já alguém ouviu falar de um pai ou uma mãe que tenham sido condenados por desobedecer ao tribunal? Alguém que tenha levado os filhos para o estrangeiro para que eles não vejam o pai ou a mãe e que seja condenado por isso?

 

No caso deste pai que foi barbaramente assassinado há uma agravante, porque a mãe e ex mulher, é uma juíza, alguém que deveria em primeiro lugar respeitar a lei que é encarregada de fazer cumprir. Como é que esta senhora que andou dois anos a brincar com a lei pode ter moral para julgar outras pessoas?

 

Mas há muitas formas de morrer no nosso país, há quem morra de solidão e na maior solidão. Hoje foi encontrada morta num apartamento da Rianchoa uma idosa que que estava desaparecida desde 2002. 9 anos foi o tempo que demorou a ser encontrada, ali, num apartamento, rodeada de outros apartamentos e de pessoas.

 

E só foi encontrada porque o estado que apesar das denuncia dos vizinhos não foi capaz de fazer nada para tentar perceber o que lhe tinha acontecido, conseguiu mover um processo à senhora por falta de pagamento de impostos, e apesar de ela nunca ter aparecido, o processo correu e o apartamento onde a senhora estava morta foi vendido em hasta pública.. sem nunca ninguém lá entrar a ver o que lá estava... sem nunca ninguém tentar ver onde estava a senhora ou  os seus familiares... como é possível?

 

«Morrer é só não ser visto.»

 

A morte é a curva da estrada,

Morrer é só não ser visto.

Se escuto, eu te oiço a passada

Existir como eu existo.

 

A terra é feita de céu.

A mentira não tem ninho.

Nunca ninguém se perdeu.

Tudo é verdade e caminho.

 

Fernando Pessoa

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:46


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D