Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Armando Vara e a falta de vergonha

 

Ainda há coisas neste país que me conseguem deixar estupefacto, e confesso que não sei o que neste caso me deixou mais espantado, se a lata do Armando Vara para se achar com direito a passar por cima de tudo e todos, se a passividade de seguranças e empregados do centro de saúde, a estupidez da médica que passa o atestado  ao senhor sem questionar porque está ele a passar à frente dos restantes doentes, ou a passividade de quem foi ultrapassado e não reclamou por isso.

 

Armando Vara é uma figura pública, até  já foi ministro, pelos vistos em Portugal as figuras públicas estão sujeitas a um qualquer regime especial, mesmo aquelas cuja notoriedade vem mais dos maus que dos bons motivos, este senhor acha-se impune e acha que pode simplesmente pôr e dispor de quem entende, o pior é que a julgar por este exemplo, a coisa funciona.

 

Já agora, o senhor ia apanhar um avião????, neste país qualquer pobre diabo que seja apanhado a roubar um pão para comer, se tiver a sorte de não ficar em prisão preventiva é de certeza obrigado  a apresentar-se  periodicamente na esquadra ou no tribunal, e é claro que nem pensar em sair do país. Este senhor está acusado de participar em não sei quantas negociatas, negócios de milhões, mas mesmo assim, passa a vida a viajar pelo mundo, a propósito de quê?

 

Ainda não vi ninguém questionar o papel da médica e dos responsáveis do centro de saúde, porquê? o Centro de saúde não tem seguranças?, não tem funcionários? servem para quê? para abrir alas ao senhor?..e a médica?  passou o atestado porquê? E não me venham com a história de que não sabia que não era a vez dele, por norma os médicos tem consigo a ficha de quem vão atender... se não tinha a dele, porque passou o atestado? cai-lhe alguém de pára-quedas no consultório, pede um atestado médico e a senhora passa? a propósito de quê?

 

Tudo isto só se tornou público porque um utente se sentiu lesado e decidiu reclamar, então e os restantes? encolheram os ombros? 

 

É sabido que eu tenho mau feitio, é pá, nestes casos tenho mesmo, estivesse eu naquele centro de saúde em Lisboa ...e o senhor iria apanhar o avião, depois de eu e as pessoas que estavam antes de mim serem atendidas... isso é certinho... uma coisa são os brandos costumes, outra coisa é a falta de vergonha na cara.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:51


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.02.2011 às 23:26

“Mundo em chamas”

É um mundo maravilhoso
Eu próprio não diria melhor
Mas só numa carta de amor
Onde cada ilusão dá gozo

O nosso é uma preocupação
Vejo uma imensa fumarada
Espíritos desfeitos em nada
Parece-me um imenso clarão

Não estás tu a vê-lo lá atrás?
Não sentes tu o cheiro além?
Odor assim do inferno provém

Será o novo êxito de satanás?
Tudo em chamas que desgraça
Ou de um pesadelo não passa?
Sem imagem de perfil

De xana a 23.02.2011 às 00:30

O chico-espertismo neste país é o pão nosso de cada dia...
bjks
Sem imagem de perfil

De João Carlos a 23.02.2011 às 12:20

Se há ainda coisas neste país que me conseguem deixar estupefacto, é o desconhecimento... no antigo regime era escondido, mas agora está para quem quiser saber. Deixa-me dizer que discordo completamente com a atitude do Sr. Vara e que concordo contigo, deverá (deveria) haver culpados... mas como se sabe cá a culpa morre solteira.
Esse Sr. Vara foi deputado à Assembleia da República nas IV, V, VI e VII Legislaturas desde 1985 até 1999, e em 2000, passou a ministro da Juventude e Desporto. Teve 15 anos de privilégios, depois foi para o sector bancário onde, em Novembro de 2009 suspendeu as funções que desempenhava no BCP, renunciou ao cargo a 2 de Julho e recebeu 260 mil euros de indemnização (mais privilégios).
Somado tudo, são quase 25 anos de privilégios... e como se sabe o ser humano é um animal de hábitos... (isto não serve e desculpa ou justificação para a atitude que ele teve, que fique claro).

Como disse no inicio... o desconhecimento... deixa-ma mencionar a Lei n.º 7/93, de 1 de Março no seu Artigo 15.º que se refere ao Direitos dos Deputados, que diz:
1 - A falta de Deputados por causa das reuniões ou missões da Assembleia a actos ou diligências oficiais a ela estranhos constitui motivo justificado de adiamento destes, sem encargo, mas tal fundamento não pode ser invocado mais de uma vez em cada acto ou diligência.
2 - Ao Deputado que frequentar curso de qualquer grau de ensino, oficialmente reconhecido, é aplicável, quanto a aulas, exames e outras prestações de provas académicas e científicas, o regime mais favorável de entre os que estejam previstos para outras situações.
3 - Os Deputados gozam ainda dos seguintes direitos:
a) Adiamento do serviço militar, do serviço cívico ou da mobilização civil;
b) Livre trânsito, considerado como livre circulação em locais públicos de acesso condicionado, mediante exibição do cartão especial de identificação;
c) Passaporte diplomático por legislatura, renovado em cada sessão legislativa;
d) Cartão especial de identificação;
e) Remunerações e subsídios que a lei prescrever;
f) Os previstos na legislação sobre protecção à maternidade e à paternidade;
g) Direito de uso e porte de arma, nos termos do n.º 7 do presente artigo;
h) Prioridade nas reservas de passagem nas empresas públicas de navegação aérea durante o funcionamento efectivo da Assembleia ou por motivos relacionados com o desempenho do seu mandato.
4 - O cartão especial de identificação deve mencionar, para além do nome do Deputado, das assinaturas do próprio e do Presidente da Assembleia da República, o número, arquivo e data de emissão do respectivo bilhete de identidade, em conformidade com o modelo anexo.
5 - O cartão especial de identificação deve ter um prazo de validade preciso fixado em razão do período de mandato de Deputado.
6 - O passaporte diplomático e o cartão de identificação devem ser devolvidos, de imediato, ao Presidente da Assembleia da República quando se verifique a cessação ou a suspensão do mandato de Deputado.
7 - Para efeitos de detenção, manifesto, uso e porte de armas e suas munições, são aplicáveis aos Deputados as disposições constantes do artigo 5.º da Lei 5/2006, de 23 de Fevereiro.

Isto é que neste país que consegue deixar estupefacto... só sabem fazer peixeiradas na Assembleia, e depois tem tantos direitos porquê?...
Um abraço...
Sem imagem de perfil

De João Carlos a 23.02.2011 às 12:54

(sorry) mais um comentário longo... mas espero esclarecedor... ;-)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 23.02.2011 às 21:58

João, os teus comentários nunca são longos demais, são informação pura...l eu pelo menos não sabia quase nada das coisas que referes aqui.. .e o saber nunca está demais... falo por mim e pelos meus leitores, obrigado pelos teus comentários.

Jorge
Imagem de perfil

De sentaqui a 23.02.2011 às 22:06

A indignação é geral, por isso não iria acrescentar nada ao que já foi dito, mas há um assunto que me saltou à vista...como é que é possível passar-se um atestado médico a uma pessoa que vai viajar? que me lembre só uma vez fui obrigada, por questões de saúde a meter um, mas tive que dar a morada, porque a todo o momento poderia aparecer uma inspecção para ver se eu estava realmente doente.
Que eu saiba só baixas psiquiátricas podem andar por aí. Deduzo então que o senhor em questão só pode estar muito mal da cabeça e isso é óbvio, mas daí a meter-se num avião e ir arejar é suspeito, para quem o passa e para quem o pede.
Bjs
Sem imagem de perfil

De João Carlos a 24.02.2011 às 11:11

Subserviência: Qualidade do que é subserviente; servilismo; bajulação. Há varias técnicas... antigamente os professores usavam a subserviência sobre os alunos ao darem as aulas num palanque, o que obrigava os alunos a olhar para cima... pondo-os num estado de servilismo... medo de quem tem mais poder...
Sem imagem de perfil

De São a 27.02.2011 às 00:08

A médica sabia que não era a vez dele, tanto que , pelas notícias que ouvi, ainda disse que não o tinha chamado, mas claro, ao ver que era o "senhor doutor", deve ter ficado rendida. Boa atitude a do senhor que reclamou! Precisavamos de muitos como ele! Permitam-me a expressão: um homem com tomates!
E sim, eu também estranhei a desculpa de ir apanhar o avião e até ainda pensei que fosse um voo regional... Mas pelos vistos era mesmo para o estrangeiro que ele ia, pelo que ouvi depois... quer dizer, está a braços com a justiça e vai para o estrangeiro? Ainda não querem que eu diga que temos uma medida para ricos e outra par pobres? querem mais evidências??
Sem imagem de perfil

De RUI a 18.03.2011 às 13:10

ARMANDO VARA!

1,750 MIL MILHÕES DE EUROS

JÁ ESTÁ (NOUTRA)........ EM MOÇAMBIQUE PARA UMA NOVA BARRAGEM,,,,E UMA MINA DE CARVÃO.....
...

http://noticias.sapo.mz/lusa/artigo/12141916.html

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D