Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Preso por escrever mensagem de amor na parede.. não, por ser pobre

 

Imagem do Sol

 

Chama-se Nuno Ribeiro, é de Peniche e um rapaz apaixonado... tão apaixonado que decidiu declarar o seu amor deixando uma mensagem à namorada na parede da escola. Teve azar, foi apanhado, levado a tribunal e condenado a pagar uma multa de 312 Euros.

 

Filho de uma família pobre, não houve forma de arranjar o dinheiro e num abrir e fechar de olhos o Nuno deu por si atrás das grades... 69 dias de prisão efectiva por pintar uma mensagem de amor numa parede... como está caro o amor em Portugal. Diga-se de passagem que depois de ser apanhado o Nuno limpou e pintou a parede que tinha danificado.

 

Eu não gosto de grafittis, já o deixei claro no Post Grafittis, arte, ou vandalismo?, e por muito que me tentem convencer vou continuar a achar que em 99% dos casos é puro vandalismo e uma falta de respeito pelas cidades e por quem as habita. Como é evidente acho que quem é apanhado a pintar paredes, já seja com mensagens de amor, com insultos ou com simples tags, deve ser castigado... 

 

Haverá evidentemente casos e casos, mas acho que passar 69 dias na prisão, não por pintar a parede mas porque nem ele nem a família tem forma de pagar os 312 Euros da multa, é um exagero de todo tamanho. Acho que a justiça portuguesa tem que pensar muito bem o seu peso e a sua medida, haverá de certeza outras formas de  castigar o Nuno, trabalho comunitário por exemplo. 

 

A prisão deve ser para os verdadeiros criminosos, não para os jovens que cometem um erro e são apanhados, de que serve obrigar o Nuno a passar esses 69 dias na prisão só porque é pobre?... sim, porque a prisão não era por pintar a parede, era por ser pobre e não ter os 312 Euros... o verdadeiro caso em que se vai parar à prisão por se ser pobre.

 

Veja a reportagem da RTP:

 

 

 

 

 

 Jorge Soares

 

publicado às 21:53


18 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.03.2011 às 23:40

“Esfera da morte”

Desce o rating cá da malta
Não é grande a nossa sorte
Entrámos na esfera da morte
A uns sobra e a outros falta

Para que a coisa se amanhe
Vamos apertar mais o cinto
Engana-se a fome c’um tinto
Está muito caro o champanhe

Por mais voltas que tu dês
É sempre curto o raciocínio
Olhas míope pr’o fim do mês

Pões-te às voltas na tua esfera
Se a vida foge ao teu domínio
Tens o fisco e a morte à espera.
Sem imagem de perfil

De xana a 03.03.2011 às 00:23

Eu, do que li, foi que ele também se recusou a fazer trabalho comunitário em vez de pagar a multa. Em todo o caso, prender alguém por 312€ de uma multa... oh, pá... onde íamos arranjar cadeia para tanta gente... e aqueles que roubam milhões, e ficam em casa com uma pulseira, ou com idas à GNR lá da terra para dizer que estão ali, mas que na hora seguinte podem estar a dar continuidade à vida de antes? Tanto ladrão à solta... e se vamos prender toda a gente só porque é pobre...
bjks
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 22:59

Por acaso tinha lido no Sol que os pais tinham sugerido trabalho comunitário e não tinha sido aceite... mas é verdade, na reportagem ele diz que se baldou.. e concordo que há coisas que não devem ficar impunes.. mas acho que 69 dias de prisão por isto é mau... e é claro que com este rigor, o melhor era converter o país numa prisão.

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Entremares a 03.03.2011 às 09:00

Tenho VERGONHA de chamar JUSTIÇA aos actos que são praticados, interpretando sem bom senso meras palavras escritas num papel.
Ser justo não é fazer cumprir a lei.
Ser justo é saber ver quando a própria lei não deve ser cumprida, por estar errada.
As leis devem reflectir as pessoas... não a elas próprias.
Mas para isso, é preciso coragem.

E por isto, haja VERGONHA.

Um abraço, Jorge
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 23:01

Vergonha.. é isso, porque num país em que os arguidos gozam com quem espera nos centros de saúde, os pedófilos condenados andam à solta, todos os dias ouvimos falar de criminosos a sério que são mandados para casa, ver uma coisa destas só pode envergonhar-nos... mesmo.

Abraço
Jorge
Sem imagem de perfil

De essência a 03.03.2011 às 09:23

É caso para dizer: "E assim vai a justiça em Portugal"!

Paula
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 23:02

Olá

É caso para dizer.. vai mal, muito mal.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Cristina a 03.03.2011 às 12:12

Na essência concordo com o Jorge...mas...E quem se recusa a pagar essas multas ou a fazer trabalho comunitário? Fica impune?

Cristina M.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 23:06

Cristina, concordo, os crimes não devem ficar impunes.. mas a questão é que 69 dias de prisão é algo completamente fora de proporção.. até porque ele tinha limpo e pintado a parede... de certeza que haveria outra forma de o obrigar a fazer o trabalho comunitário... há tantos criminosos a sério que são mandados para casa, culpados que não passam um único dia na prisão porque sabem aproveitar todas as falhas da lei... convenhamos que há aqui dois pesos e duas medidas.. com prejuízo para quem tem menos culpa.

Mas, concordo, os crimes não devem ficar impunes.

Jorge
Imagem de perfil

De naterradosplatanos a 03.03.2011 às 17:19

Também estou de acordo que talvez a pena tenha sido desproporcionada , mas também é certo que teve a hipótese de fazer trabalho comunitário e não o fez!
Pelas declarações dele no vídeo talvez a prisão tenha tido um aspecto positivo!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 21:53

Talvez... talvez de tudo isto tenha saído algo de positivo..e até já serviu para avisar as criancinhas cá em casa que no dia em que forem apanhados a pintar grafitis... bem que podem esperar sentados que eu leve o dinheiro da multa... vão presos e pronto.

Mas não deixa de ser um facto que 69 dias por uns riscos na parede que ainda por cima ele já tinha corrigido limpando e pintando a parede é um enorme exagero.. até porque todos sabemos que da prisão raramente alguém sai melhor do que entrou...e não deixa de ser verdade que neste caso.. ele ia mesmo preso por ser pobre... porque qualquer outro pagava os 300 e esquecia o assunto.

Jorge

Jorge
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.03.2011 às 20:56

“Ontem”

Tentei uma vida inteira
A vida é que me tentou
E à morte me entregou
Não será dessa maneira

Não me vais daqui levar
Ó minha morte traiçoeira
Já tentei uma vida inteira
E irei continuar a tentar

Mas ela não foi na cantiga
E acabou por me chamar
Obrigado aqui vou amiga

Mais tarde pus-me a pensar
Ainda ontem por esta hora
Estava vivo e a barafustar.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 21:50

Há sempre uma hora certa para tudo na vida... mas há dois momentos que estão mais que garantidos .. o da vida e o da morte... e não há como lhes escapar.
Sem imagem de perfil

De manuel a 03.03.2011 às 21:19

O Jorge que me perdoe, mas os sonetos do Anónimo são espectaculares no conteúdo…

Quanto ao tema da liberdade do jovem, pronto já sabem temos mais um pobre que aprendeu que tem que lhe dar jeito para cumprir o trabalho comunitário senão, ai senão não leva a ameaça de 69, leva mesmo 69 …dias de cadeia (dizem que o meu humor se assemelha ao britânico, mas como não creio em tudo o que me dizem, calha bem), ou então seja rico mesmo.

Apetecia-me mesmo escrever mais umas graças, mas não era justo, digo eu!..Porque isto de justiça tem sempre que contar, ora não tem não…

Abraço
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.03.2011 às 21:48

Manuel.. tá perdoado.

Eu também acho, eu até já sugeri ao senhor Anónimo que ele deveria criar um blog... respondeu que não porque não percebe de informática... não tarda nada e ofereço-me para criar eu o blog... desde que ele garanta os sonetos diários.

Sobre a justiça e este caso.. muito haveria a dizer.. aliás, como é visível pelos comentários, há sempre muitas formas de olhar para a coisa.. mas independentemente que existam coisas que não devem ficar impunes, eu acho que os 69 dias desta pena eram um exagero.. principalmente porque todos sabemos de milhentos casos de criminosos a sério, párias da sociedade que não demoram mais que 5 minutos a sair livres... há muitos pesos e muitas medidas.

Jorge
Sem imagem de perfil

De São a 06.03.2011 às 16:59

Raramente estamos de acordo, Jorge, mas desta vez, finalmente, por acaso, estamos. Este rapaz foi mesmo preso por ser pobre porque se tivesse tido os 312 euros para pagar não teria sido. Mais uma coisa para me provar que, neste mundo o dinheiro compra (quase) tudo, inclindo a liberdade. E ele pode ter-se baldado ao trabalho comunitário, mas de qualquer forma, acho que os 69 dias de prisão ou mesmo os 312 euros eram um exagero, tendo em conta que a mensagem não era ofensiva, ele já a tinha acabado e, pelos vistos, era a primeira vez que fazia aquilo. Não me parece que se trate de um rebelde como os graffiters vulgares... Deve ser um rapaz imaturo, que deve ter visto isto nos filmes e resolveu fazer o mesmo... não o fez com maldade nem para odender ninguém. Ninguém ficou prejudicado por causa da acção dele. Acho que, ainda por cima sendo a primeira vez, uma pequena multa que desse para pagar uma nova pintura seria suficiente... Aind amais, tendo em conta que há quem tenha feito muito pior e tenha sido absolvido... Até mesmo pessoas pobres... Isto os juízes são como qualquer profissão... É calhar com eles... Podemos ter sorte ou não...
Sem imagem de perfil

De São a 06.03.2011 às 17:01

Uma correcção: quando escrevi "acabado", a ideia era escrever "apagado"...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.03.2011 às 05:58

Não esquecendo o aforismo bíblico que diz que « O pobre até ao amigo aborrece » , ele há sítios do mundo em que aborrece mais que noutros. Na América do Sul o NOJO/ÓDIO das classes médias sul americanas pelos pobres é proverbial. No mundo latino, o fascínio pelo poder e suas encenações, a dignidade do Estado é coisa sagrada, é de carácter religioso. Portugal é do tipo "pobrezinho mas muito asseado" mas se levantas a garipa levas pela medida forte que "o respeitinho é muito bonito". Antes do 25/4/74 era mais parecido com o Magrebe onde entre o gado e o povo a preferência vai para o gado.
Um rico para ir para a prisão tem mesmo que ter sido muito pouco discreto. Agora o pobre considera-se que sofre menos, já está habituado. Aliás o facto de se considerar o pobre mais resistente ao infortúnio está na base de decisões diferentes levando em conta o status. Claro que isto seria negado com indignação por todos os juízes, sem excepção mas olhando o miserável imaginam o torpe que é, olhando o ricaço no seu fato de seda não acreditam na má intenção e compreendem o LAPSO.
Salvo seja do exagero da análise mas lá que parece parece.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D