Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A segurança dos nossos filhos na escola

 

Contaram-me isto a semana passada, foi algo que aconteceu com um filho de uns colegas de trabalho, por vezes custa-me a acreditar que estas coisas aconteçam mesmo... infelizmente acontecem

 

Numa escola do primeiro ciclo de Setúbal uma criança magoa-se num pé, apesar de não haver sangue a criança não consegue apoiar o pé no chão e tanto a professora como as auxiliares suspeitam que possa haver fractura. 

 

Ambos os pais trabalham em Lisboa pelo que na melhor das hipóteses demoram entre 45 minutos e uma hora em chegar à escola. Posto isto, decidem ligar para o 112.

 

Como não há sangue nem fractura exposta o Inem não se desloca à escola nem se encarrega do transporte da criança para o hospital, terá que ser a escola a tratar do assunto.

 

Todas as crianças tem um seguro escolar que os pais pagam no início do ano, este seguro não paga táxi para transportes de crianças ao hospital, logo, esta terá que ir para o hospital de transportes públicos, o que neste caso implicaria apanhar dois autocarros... recordam-se que no início eu disse que a criança não conseguia apoiar o pé no chão e que se suspeitava de fractura?... 

 

Eu já parti um pé, estava a uns 20 metros da estrada e não consegui andar um passo, tiveram que ser os bombeiros a carregar-me até à ambulância... ora, o estado, ou o INEM, ou o empresa responsável pelo seguro escolar, querem que uma criança que pode ou não ter o pé partido apanhe dois autocarros para chegar ao hospital... alguém me explica a lógica de tudo isto?

 

É da saúde dos nossos filhos que estamos a falar.... porra!

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:26


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.03.2011 às 22:42

Realmente é incompreensível e inaceitável. Mas já agora, eu sei que não é obrigação dos professores, mas eu que trabalho com miúdos colocaria imediatamente o meu carro à disposição, ora bolas.
Imagem de perfil

De sentaqui a 24.03.2011 às 22:58

Claro que os professores colocam logo o carro à disposição, fi-lo algumas vezes, mas não é isso que está em questão e sim o facto do INEM não fazer o deveria ser feito...ora bolas!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 27.03.2011 às 23:07

O Inem, a escola, porque as companhias de seguro não pagam o transporte?.. há muitas coisas a questionar aqui... e é claro que esta não deve ser uma responsabilidade de professores e auxiliares.

Jorge
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 27.03.2011 às 23:05

Concordo, independentemente de quem possa pagar no fim, nada justifica que se deixe uma criança à espera, mas o meu post é uma chamada de atenção para as coisas que se passam na nossa educação, e evidentemente não se pode deixar a responsabilidade de levar as crianças ao hospital na mão de professores e auxiliares escolares.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.03.2011 às 22:54

“Lenços de sangue”

Há na guerra quem chore
Também quem venda lenços
Já por lá vi vender pensos
Os vendedores são imensos

Vender esperança é que não
Querem a vida e a morte
Brincam com a nossa sorte
Impera a lei do mais forte

Com suor, lágrimas e sangue
E carne picada para canhão
Vão tornando o império grande

Nas suas mansões douradas
Primem um pequeno botão
As bombas já foram lançadas.
Imagem de perfil

De Mia a 24.03.2011 às 23:29

Olá, Jorge!

A realidade que tenho conhecimento da escola dos meus filhos é bastante diferente. Os meus 2 "maivelhos" andam numa escola publica. A Ines noutro dia caiu e queixa-se de uma dor forte na cana do nariz. Sem sangue, nada. A directora da escola telefonou-me a dizer o que se passava e que apos o telefonema iria chamar a ambulancia dos bombeiros para a transportar para o hospital. Felizmente eu estava a 5 min. da escola e disse que trataria do assunto. Resumindo... nada de grave, só estava dorida. Varios colegas dela já foram ao hospital, transportados pelos bombeiros, sem ser caso de extremos. Ex. ainda na semana passada foi um colega que partiu um dedo da mão a jogar futebol.
Por isso nem entendo a realidade dessa escola... ou ate mesmo a forma de assegurarem a saude dos alunos. è lamentavel, muito lamentavel....

bjokinhas
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 27.03.2011 às 23:10

Olá Mia

Como dizia no post, isto é o que se passa por cá, haveria que investigar o que se passou realmente, mas já não é o primeiro caso parecido de que ouço falar.

Beijinho e boa semana
Jorge
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.03.2011 às 00:10

Comentado a 24-03-2011 23:35
por Adelaide Costa de Lisboa

Sugiro a estes politicos que abandonem a cena politica portuguesa de uma vez por todas. Que aproveitem o que de "bom" este governo deixa a Portugal: os casamentos gay , o aborto, e a mudança de sexo e de nome. E que se casem uns com os outros. o Assis com o Lacão, o Geronimo com o Paulo Portas, Pedro Silva com o Louça, O Cavaco com o Geronimo, etc ...

http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/Executivo+assume+ja+a+sua+condicao+de+gestao.htm
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 27.03.2011 às 23:12

Adelaide... de certeza que deixaram muito mais que isso... mas olhe que quem os elegeu fomos nós, a estes, aos de antes destes, e aos de antes desses... se calhar está na hora de elegermos outros, não?

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.03.2011 às 07:36

“Aguardente de medronho”

Portugal vai ser resgatado
São pr’aí 80 mil milhões
Isto é como o euromilhões
O país vai ser remodelado

Pelo remodelador ansiamos
Ele que já tem voz activa
Prometeu-nos 25% de IVA
Felizes, à cabeça pagamos

Obrigado pela remodelação
É ver nosso futuro risonho
Com FMI exerço governação

Venha qu’eu não me oponho
E vocês apanhem um pifão
Com aguardente de medronho.
Sem imagem de perfil

De INEM a 12.04.2011 às 15:33

Exmo. Senhor Jorge Soares,

Boa tarde,

Teve o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) conhecimento da denúncia publicada no seu blog com o título «Como cuida o estado da saúde dos nossos filhos na escola?».

Neste sentido, vem o INEM questionar sobre a possibilidade de nos informar relativamente ao dia e hora aproximada em que a ocorrência relatada teve lugar.

Efectivamente, todas as reclamações/denúncias são devidamente analisadas neste Instituto, pois essa é uma das formas que temos para melhorar continuamente a qualidade dos serviços prestados.

Muito obrigado.

Melhores cumprimentos,
INEM

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D