Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Parabéns ao INEM

 

Eu sou uma pessoa com mau feitio, é um facto,  se há coisa que não faz parte da minha personalidade é comer e calar, sou dos que reclama, muitas vezes,  principalmente quando sinto que os meus direitos estão a ser pisados, ou quando sinto que estou a pagar um serviço e este não corresponde ao que estava contratado... eu reclamo, e peço o livro de reclamações e já  muitas vezes aqui escrevi sobre estas situações

 

Já aqui relatei vários casos com empresas privadas  e organismos do estado,  ontem falei do INEM, ainda que em si o post não era uma reclamação contra esta instituição, era uma chamada de atenção para uma situação que aconteceu e que teve como protagonista uma criança na escola.

 

Mas assim como reclamo quando sinto que fui maltratado, também acho que se devem reconhecer os bons exemplos e os bons serviços, hoje fiquei muito surpreendido quando recebi o seguinte email:

 

"Exmo. Senhor Jorge Soares,

 

Boa tarde,

 

Teve o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) conhecimento da denúncia publicada no seu blog, na data de hoje, com o título «Como cuida o estado da saúde dos nossos filhos na escola?».

 

Neste sentido, vem o INEM questionar sobre a possibilidade de nos informar relativamente ao dia e hora aproximada em que a ocorrência relatada teve lugar.

 

Efectivamente, todas as reclamações/denúncias são devidamente analisadas neste Instituto, pois essa é uma das formas que temos para melhorar continuamente a qualidade dos serviços prestados.

 

Muito obrigado."

 

O INEM utiliza uma funcionalidade do google que os avisa cada vez que algo é publicado com a palavra INEM.. e na posse dessa informação dão-se ao trabalho de tentar perceber o que aconteceu, mesmo quando o que eu escrevi não é uma denuncia ou uma reclamação directa, nem podia ser, dado que o que contei não se passou comigo.

 

Desde aqui dou os meus parabéns ao INEM, é um exemplo que deveria ser seguido por muitas gente, por muitas empresas, por todo o estado e são atitudes como esta que me fazem pensar que ainda restam coisas positivas neste nosso país.

 

De minha parte tentarei obter a informação que me pedem de modo a ajudar no que for possível.

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:56


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.03.2011 às 23:13

“Corrida de camelos”

Chegou a hora d’ir ao pote
Que está lá na Alemanha
A ver se a malta s’amanha
Vamos de camelo e a trote

Alguns camelos já partiram
E estão bem posicionados
É vê-los muito atarefados
Como os que os seguiram

Nós que pagamos a corrida
Torcemos pl’o seu sucesso
É que por cá está dura a vida

Mas com o ouro desse pote
Viramos o país do avesso
Passos largos deu-nos o mote.
Sem imagem de perfil

De xana a 26.03.2011 às 00:36

Eu não comentei o teu post de ontem, porque achei muito estranha a atitude do INEM.
Mesmo nos idos de 80, a ambulância vinha à minha escola buscar as crianças que tinham dado uma queda e aparentemente só tinham nódoas negras. Na agrupamento onde anda a D. aqui no meio do nada, é rara a semana que a ambulância não vai lá pelo menos uma vez, e creio que não devem ser telefonemas para os bombeiros, mas para o Inem, que após verificar que não é para eles, reencaminha a urgência para os bombeiros. Mesmo que o Inem tenha dito que não seria caso para eles, se não reencaminhou para os bombeiros, a escola deveria ter telefonado para o serviço mais próximo. Qualquer escola deve ter o número dos bombeiros que prestam serviço nessa área. Acho que no meio dessa confusão, errou mais a escola, porque os bombeiros de certeza que se deslocavam à escola para transportar a criança.
Eu liguei para o Inem, mais que uma vez e sempre fui atendida dentro dos parâmentros da urgência, não podemos querer que mal antendam o telefone, a ambulância já esteja à nossa porta, há estrada para andar. Numa das vezes que liguei por causa da D. a pessoa do outro lado da linha dispôs-se a ajudar-me a tentar fazer a reanimação com os meus conhecimentos de primeiros socorros, até que chegasse o Inem à minha porta. Felizmente no momento que pedi à minha irmã que pusesse uma manta no chão para colocar a criança, que estava inerte no meu colo, a D. abriu os olhos e começou a acordar do desmaio, pelo que a sra do Inem mandou a ambulância dos bombeiros à minha casa. Até hoje, acho que só tenho a agradecer o apoio prestado. Agradeço também aos bombeiros de Águas de Moura, que são sempre do mais profissional que se pode encontrar, e ao contrário do que por vezes ouço, até nem demoram muito tempo, se tivermos em conta o tempo entre a chamada para o 112, o reencaminhar para os bombeiros, e a estrada a percorrer até aqui, que são cerca de 9 kms, digamos que 20 minutos não será tempo demais. Embora quando se está em urgência todos os minutos contem, não podemos pedir que voem, há mais trânsito na estrada, e há sempre alguns kms entre os bombeiros, ou o hospital onde está o médico do Inem e o local onde necessitamos deles. Ainda não existe o tele-transporte...
Um bem haja a todos os profissionais e voluntários das emergências, Inem ou bombeiros que fazem o que está ao seu alcance para salvar vidas.
São de louvar os bombeiros que prestam serviço aqui na minha área, mesmo quando se liga directamente para eles, o socorro é imediato. Mesmo que sejam chamados a salvarem um cão num poço, um gato numa árvore, ou uma ovelha entalada, eles sempre acorrem de sorriso na cara prontos a ajudar.
Nós portugueses temos a mania de reclamar de tudo ( eu sou como tu...) e por vezes também de exagerar. É certo que maus profissionais há em todo o lado, e mesmo no Inem, ou nos bombeiros, ou hospitais também podem existir... ou até nas escolas...
Bom fim de semana.
bjks
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 27.03.2011 às 23:16

Olá Xana

A minha critica não era ao INEM, era à situação em si, mas olha que não é o primeiro caso de que ouço falar, haverá que ver de quem é realmente a culpa.

Jorge
Sem imagem de perfil

De xana a 28.03.2011 às 22:53

Jorge, eu percebi que o teu comentário era à situação no seu todo. Claro que nestas situações há que averiguar o que se passou realmente. E é claro que a história não chega cá fora como aconteceu na realidade, já vem com mais um ponto pelo menos...
:)

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D