Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pela sua saúde, preste atenção: O Melanoma

por Jorge Soares, em 12.05.11

 

 

 

O MELANOMA

O melanoma é o tipo de cancro da pele mais grave. Em Portugal surgem, anualmente, cerca de 700 novos casos de melanoma maligno.

Nos países ocidentais, todos os anos o melanoma tem aumentado.

O QUE É O MELANOMA?

O melanoma é um tipo de cancro de pele. Tem início nas células da pele, os melanócitos. Para perceber o melanoma, é útil conhecer a pele e os melanócitos: qual a sua função, como crescem e o que acontece, quando se tornam cancerígenos.

A PELE

A pele é o maior órgão do corpo: protege-o do calor, da luz do sol, de feridas e de infecções. Ajuda a regular a temperatura corporal, armazena água e gordura, e produz vitamina D.

A pele tem duas camadas principais: a epiderme (exterior) e a derme (interior).

A derme contém vasos sanguíneos, vasos linfáticos, folículos pilosos e glândulas. Algumas destas glândulas produzem suor, que ajuda a regular a temperatura do organismo. Outras glândulas produzem sebo, uma substância oleosa que contribui para que a pele não seque. O suor e o sebo atingem a superfície da pele, através de pequenas aberturas: poros.

MELANÓCITOS E SINAIS

Os melanócitos produzem melanina, o pigmento que dá à pele a sua cor natural. Quando a pele é exposta ao sol, os melanócitos produzem mais pigmento, fazendo com que a pele bronzeie, ou seja, escureça.

Por vezes, surgem umas proeminências de grupos de melanócitos e de tecido circundante, chamados sinais. Os sinais são muito comuns. A maioria das pessoas tem 10 a 40 sinais. Os sinais podem ser rosados, castanhos claros ou escuros, ou de uma cor muito parecida com o tom normal da pele. As pessoas de pele escura tendem a ter sinais escuros. Os sinais podem ser achatados ou volumosos. São, geralmente, redondos ou ovais e mais pequenos do que a borracha de um lápis; podem estar presentes desde o nascimento ou aparecer mais tarde – geralmente antes dos 40 anos. Tendem a desaparecer nas pessoas mais velhas. Quando os sinais são removidos cirurgicamente, normalmente não voltam a aparecer.

MELANOMA

O melanoma surge quando os melanócitos (células pigmentares) se tornam malignos. A maioria das células pigmentares encontra-se na pele; quando o melanoma tem início na pele, a doença chama-se melanoma cutâneo. O melanoma pode, também, ocorrer nos olhos (melanoma ocular ou melanoma intra-ocular). O melanoma raramente surge nas meninges, no aparelho digestivo, nos gânglios linfáticos ou noutras áreas onde há melanócitos. Os melanomas com origem noutras zonas, que não a pele, não serão aqui abordados.

O melanoma é um dos tipos de cancro mais comum. A probabilidade de desenvolver melanoma aumenta com a idade, embora a doença afecte pessoas de todas as idades. Pode ocorrer em qualquer superfície da pele. Nos homens, o melanoma encontra-se, muitas vezes, no tronco (zona entre os ombros e as ancas), ou na cabeça e pescoço. Nas mulheres, desenvolve-se muitas vezes na zona inferior das pernas. A ocorrência de melanoma, na raça negra e noutras raças com pele escura, é rara; quando se desenvolve em pessoas de pele escura, tende a ocorrer sob as unhas dos pés e mãos, na palma das mãos ou planta dos pés.

Quando o melanoma se espalha, ou dissemina, podem aparecer células cancerígenas nos gânglios linfáticos vizinhos. Os gânglios linfáticos "captam" bactérias, células cancerígenas ou outras substâncias nocivas, que possam estar presentes no sistema linfático. Se o tumor atingiu os gânglios linfáticos, pode significar que as células cancerígenas se espalharam já para outras partes do corpo, tal como o fígado, pulmões ou cérebro. Neste caso, as células cancerígenas do "novo tumor" são, ainda, células de melanoma, e a doença chama-se melanoma metastizado, e não cancro do fígado, do pulmão ou do cérebro (sistema nervoso central).

 

Fonte Info Cancro


 

Porque a informação e a atenção com a sua saúde nunca estão demais

 

Jorge Soares

publicado às 22:33


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.05.2011 às 23:27

“Obrigado”

Ó Manuel António Pina
Recebe lá este Camões
Tua escrita vale milhões
Nos astros estava a sina

Castelo com cinco quinas
Só existe um em Portugal
Situado na vila do Sabugal
É também terra dos Pinas

Era a coisa mais inesperada
Que ele diz poderia esperar
Assim é com não espera nada

Mas só o seu melhor sabe dar
Um dia, talvez de madrugada
O reconhecimento pode chegar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.05.2011 às 19:14

“Sócrates evolution®”

O Louçã recusa Sócrates ajudar
Portas com ele recusa governar
Coelho nenhum golpe vai aparar
Nunca vi homem com tanto azar

É por ser sexta-feira dia azarado
Mas por pouco, amanhã é sábado
E logo veremos o azar afastado
Talvez o azarado requalificado

E no meio deste azar sem par
Resta-nos até dia cinco esperar
Para saber quem nos irá governar

Que o povo é sábio na decisão
Talvez decida pela continuação
Ou por outra forma de evolução.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.05.2011 às 19:16

“Campanha pentelhuda”

Campanha ao nível dos mentores
Sejam engenheiros ou doutores
Pobre povo este, de sofredores
Sempre às mãos destes senhores

Emitiram cautelas de penhores
Conseguiram penhorar a vontade
De grande parte desta sociedade
Que não se revê na teia de favores

Discurso para apresentar miudezas
E esconder as imensas fraquezas
Este circo é da república o espelho

Em que o polvo absorve riquezas
E aos figurantes sem trambelho
Se oferece a discussão do pentelho.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.05.2011 às 00:07

“A troika”

Estão os três na corrida
E são sérios candidatos
Têm os melhores sapatos
Para a levar de vencida

Vai na frente com os Prada
Tem uma vantagem notória
Com uma aparência finória
De Gucci segue na peugada

Vem um pouco mais atrasado
Com par de sapatos marado
Um candidato muito suado

Com largo sorriso reluzente
Veremos quem chega na frente
Para ser aplaudido pela gente.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D