Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Violência, é este o futuro do nosso país?

 

Imagem do Público 

 

Não é fácil que algo me deixe sem palavras, confesso que ver isto me deixou sem palavras, há coisas que que são difíceis de entender. O que vemos ali é violência pura, algo que tem todo o ar de ter sido premeditado e pensado com o objectivo de atacar e agredir. O detalhe de haver quem esteja até preparado para filmar é quase macabro e assustador.

 

Ouvi algures que a mãe da agredida não quer apresentar queixa,  e diz o Procurador Geral da República que não tem meios para investigar este tipo de crimes... pelos vistos os jornais têm, o autor do vídeo é identificado por nome e apelido tanto na noticia do Público como na do Expresso, alguém deveria mandar o senhor procurador geral ler os jornais, ou contratar os jornalistas para que investiguem, se calhar este tipo de coisas deixava de estar impune e de se repetir uma e outra vez.

 

Estas coisas devem deixar-nos a pensar sobre a forma como estamos a educar os nossos filhos, sobre o nosso futuro como país. É este o futuro que queremos?, Violência gratuíta divulgada e aplaudida como se de um espectáculo se tratasse?... e se a seguir em lugar das mãos elas decidem utilizar uma arma?, e se a próxima vez morre uma criança?, ou um professor?, ou um pai?

 

Este tipo de coisas não deve nem pode passar impune, a mensagem que se passa ali é forte e má demais para que possa passar impune, se queremos pensar num futuro melhor para nós e para os nossos filhos, não podemos simplesmente tolerar que este tipo de coisas aconteça.

 

Acho que está na altura de nós, como pais, como responsáveis pela educação de toda uma geração, comecemos a pensar o que estamos a fazer de errado, porque não tenham dúvida, a culpa é nossa, não é de mais ninguém. Hoje eles não respeitam os professores porque já não respeitam os pais e amanhã não vão respeitar ninguém.

 

 

Jorge Soares 

Update: Entretanto parece que afinal apareceram os meios, foram todos identificados, esperemos que não se perca nos meandros da justiça

publicado às 22:19


2 comentários

Imagem de perfil

De DyDa/Flordeliz a 25.05.2011 às 01:30

Vi o vídeo e tentei mostrar ao meu filho (não o da notícia) aquele, onde se escutam as vozes, as risadas da assistência, a troca de galhardetes e a alegria do que parecia ser um ESPECTÁCULO de DIVERSÃO...

Fiquei chocada com a maldade, com a violência, com a falta de camaradagem, solidariedade e diria mesmo compaixão.
Como se "aquilo" não passasse de um mero campeonato ou um ensaio teatral.

Houve tanta violência que até fazia doer olhar para a rapariga a ser pontapeada, arrastada pelos cabelos pelo chão (só tinha ouvido falar deste tipo de relatos quando se comentava sobre épocas antigas em que os maridos chegavam bêbados a casa e tratavam assim as mulheres). Nunca tinha assitido a nada igual.

Mas sabes Jorge, o que mais me afligiu?

É que depois de tamanha tareia. Tanto maltrato. A jovem que apanhou, levantou-se como se já fosse hábito. Como se fosse algo normal. Como se "aquilo" fizesse parte do dia-a-dia...

Resumindo: PARA ELES AQUILO FOI ALGO BANAL.

E AQUILO não pode ser normal. A violência não pode ser normal. Sentir PRAZER com a maldade e ainda gravar para mostrar não pode e não deve ser normal.

Eu ainda tenho esperança de que não seja.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.05.2011 às 22:16

Tens razão, parece que para aquela gente toda, tudo o que ali se passa é normal... e sabes uma coisa, é preocupante... porque é assim que eles vão viver a sua vida no futuro... no meio da violência,a criar mais violência... é muito triste o nosso futuro.

Jorge

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D