Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Barrigas de aluguer já são um negócio em Portugal.

 

Imagem do Público  

 

Já se tinha falado sobre isto por cá, foi neste post, hoje voltamos ao assunto. Ficámos a saber que alugar a barriga de uma mãe pode custar entre 30 e 100 mil Euros e pelos vistos acontece muito mais que aquilo que estaríamos à espera. Como dizia no primeiro post, não tenho uma opinião formada sobre o assunto, haverá quem o faça por altruismo e a pensar em ajudar quem desespera por ter um filho, haverá quem o faça por necessidade, há de certeza quem o faça porque é só mais uma maneira de vender o seu corpo.

 

O aluguer do útero é desde 2006 “punido com pena de prisão até dois anos ou pena de multa até 240 dias” O trabalho de investigação é da Jornalista Sandra Martinho, da Lusa, e pode ser lido aqui, o assunto é tratado em profundidade e nas suas várias vertentes.

 

Na verdade nada do que lemos na noticia me estranha, há uns dias estava a olhar para os logs aqui do blog e seguindo o google, fui parar a um fórum brasileiro onde para além de muitas senhoras a oferecerem-se para serem barrigas de aluguer, encontrei um casal português que se oferecia para "com urgência, contratar uma barriga de aluguer ou comprar uma criança", era o que estava lá escrito preto no branco e com telefone para contacto.

 

O trabalho jornalístico é interessante e permite retirar algumas conclusões, do que foi dito e sobretudo, do que não foi dito. Podemos discutir se será mais ou menos ético, mas de uma coisa não há dúvida, é ilegal!.

 

Sendo ilegal levantam-se algumas questões, a começar por, como registam estas pessoas a criança? partimos do principio que quem entra num esquema destes vai querer registar a criança, ninguém paga cem mil Euros para depois ficar com um filho de outra pessoa, por outro lado, o estado português é picuinhas nestas coisas, não descansa até saber quem é o pai e a mãe das crianças.

 

A principal conclusão que eu retirei, é que há alguém, um hospital?,  uma clínica?, um médico?, que está a fazer desta situação um negócio. Não só as pessoas pagam pelo aluguer da barriga, como pagam pelo esquema de legalização da criancinha.

 

Parece que depois da legalização do aborto e com o fim de uma galinha dos ovos de ouro, outra terá nascido, é urgente que o estado português se debruce sobre este assunto, não vale a pena fazer de conta que não se passa nada, as mulheres portuguesas e os seus filhos não se podem tornar numa mina de ouro para gente sem escrúpulos. É urgente um debate aberto sobre tudo isto.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:22


7 comentários

Imagem de perfil

De poetazarolho a 01.06.2011 às 00:33

“A bosta nossa”

Caracol dá vitória ao coelho
Lebre dera vitória à tartaruga
Esta é a fábula triste do tuga
Rola a bosta se és escaravelho

As moscas é necessário mudar
Se as bostas ficam as mesmas
Vêm outras moscas às resmas
Muda tudo pr’a nada se alterar

Neste território do faz de conta
Onde perfume permanece igual
O cheiro que se sente é bestial

É da bosta e atrai a barata tonta
A conclusão surge consensual
Este cheirinho é bem natural.
Imagem de perfil

De Kok a 01.06.2011 às 12:01

Nem tudo o que parece é.
Porém tudo o que não parece, normalmente, é!
Não me parece que seja a maneira mais correcta de ter filhos e menos ainda de "produzi-los".

1 abraço!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.06.2011 às 22:03

Como digo no post, eu não tenho uma opinião formada, é daqueles casos que se a lei for alterada e deixar de ser um negócio, aceitarei.

O que me choca realmente é a forma como se vai contra a lei e se forjam situações e documentos sem que o estado se mostre interessado.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Entremares a 01.06.2011 às 12:30

Amigo Jorge

O que escreveste fez-me perceber que também sei ainda muito pouco sobre o assunto. E como tal... resolvi pesquisar. E deixo-te aqui algumas coisas que encontrei, que no mínimo... nos farão reflectir.

"Ofereço-me para ser barriga de aluguer, sei que aqui em Portugal é proibido por isso poderá ser feito todo o procedimento no Brasil, tendo em vista que sou brasileira e tenho lá casa, sou casada, saudavel, tenho dois filhos, sou enfermeira e tenho conhecimento muito bem do assunto, favor contactar somente pessoas serias e interessadas"

Anuncio no olx.pt, com data de 28 de janeiro

"Meu nome é Rita de Cássia Carvalho, sou brasileira, moro em Campinas estado de São Paulo Brasil tenho 45 anos, branca, l,60 de altura, 75 kg., excelente saúde, já tenho um filho com 25 anos, SOU VIÚVA, posso perfeitamente gerar uma gravidez para casais com problemas de fertilidade, ofereço-me para “barriga de aluguel”,não tenho nenhum vício,estou saudável, e pretendo resolver logo um problema meu financeiro, então quero alugar minha barriga, sou muito bem resolvida quanto este assunto, só quero que os óvulos sejam do casal, nada meu, Média de valor para este procedimento, é em torno de 180.000,00, Favor entrar em contato pelo fone 055 21 19 92149804 ou 55 21–19 32388099 meu e-mail ritaccarvalho@hotmail.com Aguardo contato, pois estou passando por problemas financeiros e necessito resolver o mais rápido possível."

Anuncio em pt.pararede.com e 18 de janeiro

O que pensar?
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.06.2011 às 22:04

Olá Rolando

Não é algo que me choque, já tinha visto este tipo de anúncios, que são a prova de que já se converteu em mais um negocio,

Jorge
Sem imagem de perfil

De Cristina a 01.06.2011 às 14:52

Sendo legal, nada tenho a opor às barrigas de aluguer, embora duvide que alguma vez optasse por essa solução. Custa-me a entender.

O que me surpreende realmente é o desespero ou a falta de escrúpulos que conduz casais a estas opções ilegais. E a forma aberta como estes negócios são apresentados. Como é possível escrever-se que se 'quer comprar uma criança' (já para não falar do acto em si)? Será ignorância, estupidez, ingenuidade?

Cristina
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.06.2011 às 22:06

Olá Cristina

Concordo, se for legal acho que cada um é livre de fazer com a sua vida o que entender.

De resto, o que me choca é que já se tenha convertido num negócio e que haja tanta gente disposta a pagar fortunas para ir contra a lei.

Jorge

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D