Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Adopção por homossexuais

Imagem do Sol

 

A maioria das conversas sobre adopção por homossexuais e até por candidatos singulares, já seja em blogs, fóruns ou em grupos de amigos, terminam da mesma forma: " mas o que vão sentir as criancinhas ao terem dois pais ou duas mães?" ou então " O que vão sentir ao ser gozadas na escola?" E salvo em raras e notáveis excepções, é dificil convencer as pessoas que as crianças estarão sempre melhor numa família, seja esta "normal", homo ou monoparental, que encerradas em instituições onde crescem sem referências, sem carinho e numa enorme solidão.

 

É claro que ir perguntar às crianças está fora de questão, pelo menos para mim, bom, ao colocar em destaque o post da passada sexta feira, o pessoal do SAPO veio em minha ajuda. Entre os mais de 200 comentários, entre muita homofobia, muitos insultos a quem é diferente, muita imcompreensão, ignorância e discriminação, ficaram os 3 comentários que copio abaixo:

 

Rodrigo

 

Sou heterossexual com 30 anos e casado e tive 2 pais. Sim sou um caso, raro eu sei, de filho que num lar onde os pais são homossexuais.


Não sofri nem mais nem menos que muitos amigos meus cujos pais tiveram muitos problemas. Sempre senti que os meus pais (quer o biológico, quer o não biológico, se preferirem) me incutiram bons valores e tudo fizeram para que eu fosse feliz. 


Como já disse sou heterossexual e nunca senti uma pressão para ser homo. Isso é biológico. Ou se é ou não se é. Não se é homossexual apenas aos fins de semana. 


Sei que este comentário vai ser apoiado por alguns, desprezado e ridicularizado por outros, mas tudo na vida é assim. No entanto agora já conhecem um exemplo de alguém que foi adoptado por um casal de Homossexuais e "sobreviveu" à sua homossexualidade sendo hetero casado e feliz.

 

Vivi

 

Como órfã até aos 18 anos, vivi sempre em instituições da misericórdia, e devo dizer que a solidão que passei, só eu a senti, pois a mim tanto me fazia ter um pai, uma mãe , dois pais, duas mães, o que eu queria era alguém que tomasse conta de mim e me desse atenção e educação, não falem em nome das crianças órfãs que ficariam traumatizadas por pais homossexuais, traumatizados ficamos por não ter ninguém nas nossas vidas.

 

André

 

Eu, infelizmente, fui criado sem pai a minha vida inteira. O meu pai desertou e resolveu ir constituir família para outro lado. E isto? não e' uma aberração? Quantas crianças pelo mundo fora não tem pais e vivem em instituições ate aos 18 anos? sem família e pais que os amem? e' melhor ter dois pais independentemente de que sexo forem? ou e' melhor viver sem família para sempre?! 

 

 

Resta-me dizer que não conheço nenhuma das 3 pessoas que deixou os comentários e desde já agradeço aos 3 a forma como souberam colocar por palavras aquilo que eu tantas vezes tento explicar e não consigo... espero que as vossas palavras ajudem a que se faça luz em tanta gente que se acha dona da verdade e do conhecimento.  

 

E já agora, o meu agradecimento ao pessoal do SAPO por terem colocado o post em destaque.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:32


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Avelino Anonimus a 13.09.2011 às 19:53

1º Quando derem passos mais concretos relativamente á informação sobre dados de adopção.
2º Quando acabarem com as leis que "protegem" Pais que simplesmente visitam as crianças institucionalizadas.
3º Quando permitirem aos casais proponentes á adopção, de modo a serem tratados e informados correctamente sobre o dito processo.
4º Quando quiserem dar a ideia de que é melhor dar um lar a uma criança, do que não ter lar nenhum. Independentemente de saber que tipo de lar vai ter. Ou como será o futuro dessa criança perante a sociedade e as outras crianças.
5º Quando não se fechar os olhos ás adopções escondidas por membros singulares e depois se vêm a saber que está como casal envolvido com outrem. Em detrimento do tempo de espera de um casal "convencional".

Depois eu dou a minha opinião sobre a adopção de crianças por casais homossexuais ou singulares.

Avelino Anonimus

Ps Em primeiro lugar façam o favor de ir ao cerne da questão relativo á adopção. Depois falem de casos laterais. Ou os casais a que se chamam de convencionais, não têm direito de ver os seus casos em primeiro lugar esclarecidos?
Carro á frente dos bois?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D