Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Homossexualidade e adopção II... qual o objectivo da adopção?
Imagem Minha do Momentos e Olhares



Há coisas que me fazem confusão, fazem mesmo, uma delas é que se veja a adopção como a ultima saída para que os casais que por um ou outro motivo não podem ter filhos biológicos. A Adopção não tem como objectivo arranjar criancinhas para quem não teve sorte com a natureza, serve para arranjar pais para as crianças que por qualquer motivo não os tem.

Assim de repente pode parecer que não há diferença, mas acreditem, há muita diferença. O meu post de ontem motivou a aparente indignação de alguém que me deixou o seguinte comentário:

"1º Quando derem passos mais concretos relativamente á informação sobre dados de adopção.
2º Quando acabarem com as leis que "protegem" Pais que simplesmente visitam as crianças institucionalizadas.
3º Quando permitirem aos casais proponentes á adopção, de modo a serem tratados e informados correctamente sobre o dito processo.
4º Quando quiserem dar a ideia de que é melhor dar um lar a uma criança, do que não ter lar nenhum. Independentemente de saber que tipo de lar vai ter. Ou como será o futuro dessa criança perante a sociedade e as outras crianças.
5º Quando não se fechar os olhos ás adopções escondidas por membros singulares e depois se vêm a saber que está como casal envolvido com outrem. Em detrimento do tempo de espera de um casal "convencional".

Depois eu dou a minha opinião sobre a adopção de crianças por casais homossexuais ou singulares.

Avelino Anonimus

Ps Em primeiro lugar façam o favor de ir ao cerne da questão relativo á adopção. Depois falem de casos laterais. Ou os casais a que se chamam de convencionais, não têm direito de ver os seus casos em primeiro lugar esclarecidos?
Carro á frente dos bois?"

Caro Anónimus,

A diferença entre tu e eu, é que para mim, não há diferença entre candidatos, para mim, depois de aprovados pela segurança social, todos os candidatos são iguais. Eu não faço diferença entre candidatos singulares e casais, nem entre homossexuais e heterossexuais, porque para mim, desde que saibam amar e educar, todos tem o mesmo valor.

Conheço muitas crianças adoptadas, da adopção nacional, da internacional, brancas, negras, loiras de olhos azuis, mulatas...algumas que foram adoptadas ainda bebés, outras que foram adoptadas já com 10 anos... e sabes uma coisa?, olhando para elas, eu não consigo distinguir os pais, não sei se foram adoptadas pelos casais a que chamas "convencionais", por uma mãe solteira, por um pai corajoso, ou por um casal de gays. O único que consigo distinguir em todos eles é a enorme alegria e felicidade porconhecerem amor e carinho.

Alguns dos melhores e mais ponderados pais e mães que conheço são pais e mães solteiras, as únicas pessoas que conheço que adoptaram crianças com sida, são singulares.., Curiosamente não conheço nenhum dos teus casais "convencionais" que tenha adoptado uma criança seropositiva.

A única pessoa que conheço que adoptou uma criança deficiente, é singular. Não vou por aí a perguntar as preferências sexuais a ninguém, mas tenho a certeza que conheço pessoas que adoptaram e são homossexuais ...e sabes uma coisa, só conheço crianças felizes, crianças amadas, crianças que crescem em paz e harmonia.

E depois de tudo isto, ainda achas que estou a falar de casos colaterais?

Quanto ao resto das questões, este blog acaba de fazer 4 anos, tem 1217 posts, a tag adopção tem 121 entradas, 10% dos posts são sobre adopção, tenho a certeza absoluta que não encontras nenhum outro sitio na internet portuguesa onde se tenha debatido e defendido mais a adopção que aqui.... se isso não é ir ao cerne da questão... ninguém vai.

 

Jorge Soares

publicado às 22:15


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria a 14.09.2011 às 11:12

É assim mesmo. Faz-me imensa confusão como ainda há tanta gente a pensar de forma errada. Porque é disso que se trata. Não é uma questão de opinião mas sim de puro preconceito e egoísmo. De não perceber que AMOR é AMOR, independentemente das características de quem o dá...

E tu, Jorge, és um especialista em adopção. Se existisse um ministério para tutelar a coisa, tu serias ministro! E farias um óptimo trabalho!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.09.2011 às 23:11

Eu? .... exagerada.

O preconceito existe em tudo... e este é típico daquelas pessoas mais religiosa que se acham donas da verdade e do saber... como se a religião e os seus ensinamentos fossem a única realidade.

Jorge
Imagem de perfil

De Abigai a 14.09.2011 às 15:11

Olá Jorge, tens todo o meu apoio...
Não que eu acompanhe muitos blogs mas na verdade desde que descobri o teu não vi nenhum que tanto debate a adopção. E confesso que me revejo em tudo o que escreves.
Faz-me imensa confusão todo o preconceito que existe à volta da adopção. As crianças são feitas prémio ou presente para pais desejosos de ter filhos, quando, como bem o disseste, deveriam ser o centro da questão, elas é que precisam de pais, sejam eles quais forem.
Confesso que nunca irei entender esta forma de pensar e de discursar!
Continua assim que tu é que estás certo!
Anabela
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.09.2011 às 23:15

Olá

Acontece que as pessoas colocam-se sempre a si em primeiro lugar... somos egoístas por natureza, e achamos-nos donos da verdade ...

Obrigado pelas tuas palavras.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Avelino Anonimus a 14.09.2011 às 18:45

Longe de mim querer argumentar que nas suas palavras já escritas aqui no seu blogue, elas não debatem ou são um contributo importante para informar ou discutir abertamente a adopção.
Antes pelos contrario... Dou-lhe grande valor por tal.
E como Pai adoptante agradeço-lhe por isso.

Mas do mais gostaria que envereda-se por outro caminho que não fosse o de descriminar os casais convencionais em detrimento dos singulares ou quando envolvem questões de orientação sexual.
Porque apesar de gostar de ler o seu blogue nos assuntos que envolvem o assunto adopção, sinto que está a "desrespeitar" ( está entre aspas o sentido), os casais convencionais, para poder enlevar os outros casos.

Principalmente quando envolve os casos que referi anteriormente.
Peço-lhe imensa desculpa por discordar da maioria dos seus fieis leitores e ter ter uma opinião diferente.

Como casais que somos ( os convencionais adoptantes), sinto que está a desvalorizar os referidos casais nas suas capacidades, em favor dos outros.
Pode até não ser a sua intenção. mas se ler atentamente os sues últimos postes, que englobam estes assuntos, inadvertidamente( penso eu), sai-lhe a tendência para esse seu lado.

Quanto aos comentários que leio e li.
Só lhes posso ( com a sua leveda autorização) deixar aqui a resposta em forma de endereço. através de palavras minhas anteriormente: http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/305021.html#comentarios

Avelino Anonimus

PS: Não me dê importância demais, transcrevendo as minhas palavras para hiper valorizar o que chama de mentalidade retrograda. Sou um Adoptante que se preocupa com o seu filho e com a situação de milhares de crianças infelizes. Mas somos pessoas como os outros. Minorias ou não
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.09.2011 às 23:27

Precisamente o que eu tento é que não se descrimine ninguém, todas as pessoas devem ter os mesmo direitos, e isso é válido para tudo. Quando alguém diz que os homossexuais não podem adoptar, estão a descriminar, a orientação sexual não pode ser um motivo para alguém não poder adoptar.

Quando alguém diz que uma pessoa solteira não deve adoptar, está a descriminar.

Todos somos humanos, todos somos pessoas e temos os mesmo deveres e direitos, para mim não faz sentido classificar os adoptantes... e nunca fará sentido que os casais "normais" possam ter mais direito que qualquer outra pessoa que queira adoptar.... mas eu sou lírico.

O facto de ter dado destaque ao comentário tem a ver com que eu acho que é da discussão e do debate que se faz luz..e estas coisas são para se debater.

Jorge Soares

Imagem de perfil

De Kok a 14.09.2011 às 22:51

Porquê tanta discordância relativamente à adopção?
Se o que interessa é proporcionar às crianças um lar (e um lar é: família, educação, saúde, amor...) que não é mais do que o que elas próprias desejam, então...?
Quem adopta (ou deseja fazê-lo) não considerando primordialmente a criança (em vez de: gostava de ter um filho; vou-me/vamo-nos candidatar à adopção), não estará a escolher a melhor maneira.
É o que eu acho.
Mas eu não sou adoptante e se acaso digo algo que incorrecto, peço desculpas.
1 abraço!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.08.2012 às 04:17

Convido a assinar a petição pela legislação da parentalidade por casais do mesmo sexo:

http://www.avaaz.org/po/petition/Legislacao_da_Parentalidade_por_Casais_do_Mesmo_Sexo_em_Portugal/?fMitKbb&pv=9
Sem imagem de perfil

De LígiaFF a 15.11.2013 às 15:00

Obrigada Jorge por tudo o que escreve sobre a adopção. Apesar de para mim ser um "tema recente" já aprendi muito com os seus posts. Obrigada!

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D