Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Plano DOM suspenso

Imagem de aqui

 

Hoje à hora do almoço, ao ler o Jornal de notícias, deparei-me com duas notícias que aparentemente não têm nada a ver uma com a outra, mas que na realidade podem ter tudo a ver.

 

Na primeira falava-se de um jovem de 16 anos que foi encontrado morto numa instituição de acolhimento de Fafe, tinha sido sinalizado pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Peniche e institucionalizado. A notícia, que não está online nem foi referida em mais nenhum meio de comunicação, não era clara sobre a forma como terá morrido o jovem, mas indica que terá ocorrido após ele ter tido conhecimento de um castigo que lhe iria ser aplicado na escola... que é na própria instituição.

 

A segunda notícia, fala sobre a suspensão por parte do governo do plano DOM nas instituições de acolhimento nacionais. O Plano DOM – Desafios, Oportunidades e Mudanças, tem como objectivo principal a implementação de medidas de qualificação da rede de Lares de Infância e Juventude, incentivadoras de uma melhoria contínua da promoção de direitos e protecção das crianças e jovens acolhidas, no sentido da sua educação para a cidadania e desinstitucionalização, em tempo útil.

 

Este plano foi iniciado em 2007 nas instituições que aceitaram aderir e tinha como objectivo dotar as instituições de pessoal qualificado e preparado para lidar com os jovens institucionalizados.

 

Segundo a notícia, a suspensão do plano fez com que a grande maioria das instituições ao não ter financiamento do estado para pagar os salários, optassem por não renovar os contratos com as pessoas contratadas ao abrigo do plano. Na prática o que isto significa é que tudo voltou às condições que existiam em 2007, sendo que no exemplo que davam no jornal, uma instituição para a que tinham sido contratados dois técnicos e várias auxiliares, ficou só com o pessoal que tinha antes do plano: 1 técnico e 3 auxiliares. Isto na prática significa que as crianças estão entregues a auxiliares que são em número insuficiente.

 

Não faço ideia se a instituição onde morreu o jovem é uma das que despediu os técnicos ou não, mas será que com o acompanhamento necessário e adequado o jovem teria morrido?

 

O Plano DOM foi um enorme salto em frente na institucionalização de crianças no nosso país, o último que tinha ouvido sobre o assunto é que todas as instituições seriam obrigadas a aderir ou teriam que encerrar, porque o que o plano implementava era considerado o mínimo exigível para o bem estar das crianças....a sua suspensão é um erro terrível que representa um enorme retrocesso na qualidade de vida das mais de 10000 crianças que estão institucionalizadas.

 

A crise e a Troika não podem justificar tudo, é da vida das crianças que estamos a falar

 

Jorge Soares

publicado às 22:59


1 comentário

Imagem de perfil

De miilay a 13.10.2011 às 15:51

Jorge, tive conhecimento da morte do jovem pelo teu post, e lamento imenso.
Mas, se foi por má actuação da Instituição então estamos ,duplamente mal.
Primeiro as pessoas têm que ser tratadas como isso, com respeito e Amor , principalmente, nestes casos. Por outro a retirada de subsídios estatais para estas Instituições que , quero acreditar tentam fazer o seu melhor.
A maioria das Instituições, foram criadas para dar resposta a quem não tinha quem os acolhesse, e amasse.
Mas, por este andar, vão aumentar os sem Abrigo.
Jorge estou a exceder-me, por isso ficamos por aqui ,sem antes eu te dar os Parabéns pelo destaque, mais que merecido.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D