Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




E o bullying volta a atacar, morreu o Rafael

por Jorge Soares, em 24.10.11

Bullying infantil

Imagem de aqui

 

A noticia é do Correio da manhã, na versão online não merece mais que umas poucas palavras, as mesmas que são repetidas por um outro jornal online e diz o seguinte:

 

"Um menino de 10 anos era gozado na escola por causa das orelhas grandes e pôs termo à vida." 

 

Ontem a Teresa no Energia a mais esclarecia um pouco mais:

 

"...tinha dez anos, andava no quinto ano

 e para além de todas estas coincidências com o meu filhote, partilhava ainda a patologia - sofria também de PHDA....e dos «inevitáveis» problemas na escola....

 que ninguém soube resolver, que ninguém conseguiu contornar!"

 

Foi há pouco mais de um ano que todos ouvimos falar do Leandro, o menino de Mirandela que farto de ser gozado e agredido pelos colegas, um dia saiu da escola e deitou-se ao rio.

 

Ontem foi o Leandro, hoje foi o Rafael, amanhã pode ser um dos meus filhos, ou os filhos de outra pessoa qualquer e a sensação com que fico é que nada muda, não há responsabilidades, não há culpa, não há culpados.

 

A semana passada o meu filho que anda no quinto ano na Secundária do Bocage, o ciclo de Setúbal, contava que a meio do dia um grupo de adolescentes entrou na escola munido de paus e correntes com o intuito de agredir um dos alunos, passeou-se alegremente até que o encontrou e espancou de tal forma que teve que ser levado para o hospital.

 

Como é que um grupo de estranhos consegue entrar numa escola pública e agredir um aluno?, fácil, pela porta principal, a mesma por onde depois saíram.

 

Nós entregámos os nossos filhos na escola todos os dias, eles passam lá a maior parte do dia, mas na realidade estão entregues a quem? está a escola obrigada a cuidar da sua segurança e bem estar enquanto eles lá estão?, há alguém que seja responsável e a quem pedir contas pelas coisas que lá se passam? É a escola responsável por garantir a segurança dos nossos filhos? Alguém me sabe responder? Quantas crianças tem de morrer para que alguém encontre respostas para todas estas perguntas?

 

Este é o estado actual do nosso sistema educativo, em tempos havia algo chamado escola segura, não sei se efectivamente servia para algo, mas a verdade é que pelo menos víamos os carros parados na porta da escola. Há dois anos que vou buscar os meus filhos à porta da Bocage, não me lembro de por lá ter visto um policia.

 

Toda esta situação é deveras preocupante, porque a ideia que fica é que existe uma total impunidade por parte dos agressores e uma total desresponsabilização  por parte dos conselhos directivos das escolas e associações de pais..... desculpem lá, mas isto é assustador.

 

Update: Depois do comentário da DH investiguei melhor, o espancamento com paus e correias em Setúbal não foi dentro da escola, foi na porta da escola... não é muito diferente, porque se existisse vigilância nessa porta isto não acontecia...

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40


16 comentários

Imagem de perfil

De miilay a 25.10.2011 às 10:13

Jorge, compartilho de toda a tua preocupação! Temos que saber quem se responsabiliza? Quem é que detecta o mau estar que os alunos estão a sentir? Os pais têm que perguntar muitas e muitas vezes se alguém lhes anda a fazer mal. O que não é fácil eles dizerem pois estão assustados. Mas, Todos da comunidade Escolar terão que estar mais atentos e responsáveis.
Um Bom Dia
miilay
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.10.2011 às 23:07

Olá

Sim, os pais temos que andar muito atentos e sobretudo, não deixar arrastar o assunto.... cá em casa já passamos por isso, felizmente consegui fazer ver à escola que tinham duas hipóteses, ou eles faziam algo, ou eu ia fazer e ia ser um enorme problema com muita gente chateada. Felizmente entenderam a mensagem ...

Jorge
Imagem de perfil

De Sofia a 25.10.2011 às 11:02

Assustador?! eu diria mais forte...aterrador mesmo!
A verdade é que há muitas escolas com falta de segurança nesse sentido.
Este ano já necessitei ir a uma das escolas onde estou, em horário de aulas, para buscar um papel. Pois entrei o portão, subi para o recinto escolar, entrei dentro da escola fui à sala dos professores peguei no papel e saí. Não vi ninguém...nem um único funcionário. E eu perguntei-me, se eu entrei qualquer um entra.
Eu acho sinceramente que há muitos culpados nestas situações, mas infelizmente não sei quantas crianças mais terão que perder a vida para que alguém faça algo de uma vez por todas.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.10.2011 às 23:07

Infelizmente as coisas só vão piorar, cada vez há menos dinheiro..e isso significa menos pessoas e menos segurança ... e quem paga são as crianças.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Maria a 25.10.2011 às 13:20

Se tiver tempo, vou escrever um post sobre o mesmo assunto. É assustador, preocupante e dá uma revolta enorme... Mas que raio de sociedade e de escolas temos? Eu vejo pelos exemplos que me são próximos: segurança é pouca ou nenhuma. Ou a população estundantil é calma e não levanta problemas, caso contrário, só quando acontecer uma desgraça é que alguém nota...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.10.2011 às 23:09

O problema é que cada vez menos a população estudantil é calma e bem comportada..e este tipo de coisas só se vai agravar,porque sem dinheiro vai haver menos pessoas e segurança.

O teu post está excelente, como é teu apanágio.

Jorge
Sem imagem de perfil

De DH a 25.10.2011 às 15:26

Olá Jorge.
O que se passou com um aluno da escola do N., que por acaso também é onde anda a M., foi no exterior da escola, pelo menos é essa versão que eu conheço por parte da associação de pais da escola.
Nessa mesma semana outro aluno de uma escola de Setúbal (a Sebastião da Gama) foi parar ao hospital muito mal tratado, creio que foi notícia na TVI (mas eu não vi).
Sim, é no mínimo assustador.
Beijinhos
Dulce
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.10.2011 às 23:18

Olá

Já esclareci, tens razão, não foi dentro da escola, foi na porta,.. o que vale o mesmo, porque se existisse vigilância na porta estas coisas não aconteciam.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Cris a 25.10.2011 às 20:45

É assustador sim. E porque é que continuam a assobiar para o alto como se nada fosse? A nossa sociedade está podre! E as nossas crianças estão a crescer na podridão. Daí não pode resultar coisa boa....
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.10.2011 às 23:20

Cris,

Parece que a nossa sociedade não quer saber.. só isso explica que estas coisas possam acontecer.

Jorge
Sem imagem de perfil

De lagoa_azul a 25.10.2011 às 21:12

É assustador sim Jorge, quando me questiono quantos mais virão a seguir ao Leandro, ao Rafael…

Mas sabes na correria dos dias de hoje quase ninguém quer saber disso, não é assunto para debate…está tudo ensandecido atentos onde cortar que já não ligam nenhuma, nem que se perdeu uma vida e muito menos que medidas tomar ou de quem é a responsabilidade.

Era apenas uma criança a querer tanto ser criança…
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 25.10.2011 às 23:20

É isso mesmo, simplesmente o mundo não quer saber.. não está para se chatear..e assim se perde o futuro.

Jorge
Sem imagem de perfil

De Joana a 26.10.2011 às 21:10

Fico a pensar, como se resolve esta questão do bullying, ou como se pode atacar este problema. Porque há muitos aspectos do bullying que nem estão visíveis como os paus e as correntes, e que se passam bem dentro das salas das escolas. Parece ser tão difícil encontrar soluções para os inúmeros problemas da educação... Será que os pais e as associações de pais podem ter aqui um papel?
Obrigado pela reflexão!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 26.10.2011 às 21:38

Olá Joana

Esta questão só se resolve se todos formos parte activa, se estivermos atentos.

Até agora a maioria finge que não se passa nada, e as crianças sofrem em silêncio. E tem muita razão, a maior parte das vezes não há apus nem correntes, nem sequer há agressões, porque há coisas que marcam mais que as agressões físicas.

A minha experiência diz-me que isto só se resolve se formos pais activos, o ano passado a minha filha estava a ser vitima, a maneira de resolver o assunto foi falar com a escola e avisar que ou eram eles que resolviam, ou eu ia resolver e aí ia haver muita gente chateada. ... e resolveu-se

Jorge Soares


Imagem de perfil

De golimix a 28.10.2011 às 09:12

Só agora vi este teu artigo (ando atrasada :().
Agora temos outro problema, não há dinheiro para colocar contínuos para vigiar a escola e os intervalos.
Atenção redobrada para os pais, que devem denunciar sem medo.
Assustador? Muito!
Bj
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 28.10.2011 às 23:09

A crise vai fazer as coisas piorarem ainda mais .. e nós temos que estar muito atentos, cada vez mais atentos.

Jorge

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D