Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fugir de casa

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Há alturas na vida em que somos apanhados em contramão, esteve prestes a acontecer um destes dias. Ter um filho hiperactivo não é nada fácil, não o é quando ele tem 4 ou 5 anos, não melhora quando ele vai para a escola e a julgar pela amostra, a adolescência vai ser um caso bicudo.

 

As coisas na escola vão indo, está a ser muito bom para o que eram as nossas expectativas, o que não quer dizer que quase todas as semanas não apareça mais uma coisa qualquer... no Sábado apanhamos o N. em falta, como o caso era mais ou menos grave e ainda por cima repetido, levou umas palmadas, há muito que eu não lhe batia, mas ante a tentativa de mentir para esconder a falta, perdi a paciência.

 

Apesar do grave do assunto, a coisa ficou pelas palmadas e por uma advertência de que de modo algum poderia repetir a graça. Não demorou muito, na segunda feira voltou a pecar. Acho que ele não tem muita sorte, porque na terça já eu tinha descoberto.

 

Ao fim do dia estive mais de uma hora à conversa com ele, não era bem conversa, ele ia balbuciando umas coisas e eu puxando pelas pontas e descobrindo até onde ia a coisa, no fim descobri que: Não almoçou na escola, na hora do almoço saiu da escola e foi comprar gomas e pastilhas com os colegas, em lugar de comer o lanche, leva dinheiro às escondidas e compra sandes e sumos nas máquinas da escola, o lanche de casa é sandes e sumo. Está proibido de sair da escola, mas sai montes de vezes com os colegas... entre outras coisas, algumas bem mais graves.

 

A conversa não foi fácil, a dada altura virou-se para mim e disse-me:

 

- Se continuas a ameaçar-me, saio de casa!

- Sais de casa como?

- Sim, saio de casa

- E vais para onde?

- Para onde gostem de mim e não me façam sofrer!

 

Aqui perdi a paciência

 

- Mas tu julgas o quê?, que me assustas com isso?, se queres sair de casa a porta está aberta.

- Mas é que vou mesmo - aqui levanta-se e sai disparado para a porta da rua.

- ..... 

 

Desta eu não estava à espera.....

 

- Ouve lá, onde é que tu vais?

- Não sei, vou-me embora!

- Ok, tu podes ir, mas não levas nada que seja desta casa

- Mas eu não levo nada

- Levas levas, esses sapatos e essa roupa são de cá, tira lá os sapatos e a roupa

- Mas tu queres que eu vá para a rua de cuecas?

- De cuecas não, que essas também são de cá.

- Eu não vou para a rua nú!

- Isso é problema teu, tu não dizes que não precisas de nós?.

 

Voltou para o quarto, ... foi por pouco, com a chuva que estava lá fora ele não ia longe, mas.....

 

Acho que tirando a minha meia laranja, não conheço ninguém que não tenha alguma vez pensado em sair de casa, o facto de ser adoptado e de passar a vida a aprontar não nos facilita a vida, nem a ele nem a nós... 

 

Eu senti que ele estava a utilizar  a ameaça como estratagema para assustar a mãe, e decidi mostrar-lhe que não podia ser, por pouco não era eu o apanhado na minha ratoeira... as crianças hiperactivas tem uma memória curta, dizem os médicos que os castigos devem ser firmes e imediatos, castigos prolongados não resultam porque passado pouco tempo já não tem a noção de porque estão castigados. O facto de ter sido castigado no Sábado e na segunda estar a aprontar de novo mostra que a ciência sabe do que fala.... mas não é fácil para mim como pai interiorizar, e claro, é muito complicado explicar ao mundo, e em especial à maioria dos professores que não é uma questão de atitude ou má criação das crianças, é sim uma doença. 

 

Entretanto falamos com a escola, que nos diz que não tem forma de controlar se eles saem ou não do recinto, havia um projecto de implementação de entradas controladas por cartão que estava quase pronto,.....  foi cancelado pela crise.... a nós resta-nos estar com o coração nas mãos.... 

 

Pai sofre.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:04


27 comentários

Sem imagem de perfil

De Cristina M. a 11.11.2011 às 20:15

Pois, é assustador.

Mas o N. está na pré-adolescência, como agora se diz, e esses desafios não serão raros. A hiperactividade e a adopção não ajudam, mas estou certa que saberão gerir bem a situação. Tenho é algumas dúvidas sobre a eficácia das palmadas.

A estratégia da roupa foi fantástica. Eu não teria esse sangue frio.

Cristina M.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.11.2011 às 22:59

A estratégia da roupa foi o primeiro que me veio à cabeça naquele momento para evitar que ele abrisse a porta e saísse .... mas olha que eu estava a ver a coisa mal parada....

Jorge
Imagem de perfil

De C.M. a 13.11.2011 às 12:27

Não percebo como a escola não consegue controlar as saídas dos alunos. Isso nunca se viu em lado nenhum e não é preciso ser-se privado para arranjar um porteiro....
Quanto ao resto, espero que tenhas a força necessária para lidares com o problema.Não há soluções milagrosas, por isso, segue o coração e há-de correr bem.
Força!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.11.2011 às 23:02

Olá

Não percebes tu e não percebe ninguém , mas é um facto, foi essa a resposta que eles nos deram, não conseguem controlar... e nós temos que ouvir e calar.

Quanto ao resto, é mesmo assim, fazemos o melhor que podemos e sabemos... e como dizes, tudo há-de correr bem.

Jorge
Sem imagem de perfil

De essência a 14.11.2011 às 17:43

Olá Jorge,

Eu enquanto mãe, acho que agiste da melhor forma possível. Normalmente eles dizem essas coisas, mais para nos assustar, se demonstrasses medo que ele o fizesse mesmo, ele de cada vez que fosse repreendido, voltava a ameaçar que sairia de casa.

Com uma amiga aconteceu que o filho uma vez ameaçou que se mataria e como viu que ela ficou em pânico, a partir daí à menor contrariadade lá voltava ele a ameaçar. Ela entendeu levá-lo a um psicólogo e em conversa particular com ela, mãe, o conselho que ele lhe deu foi que ignorasse as ameaças do filho, só assim elas cessariam.

Paula
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.11.2011 às 23:04

Olá

Foi exactamente esse o meu pensamento, até porque já o conheço de gingeira, se ele topa que nos está a afectar, é certo e sabido que vai utilizar o estratagema a seu favor...

O que eu pretendia era mostrar que o que ele dizia não me chateava... quase corria mal...

Jorge

Comentar post


Pág. 2/2



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D