Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Presidente da Liga Portuguesa, quer alargar a desgraça

Imagem do Público

 

A sede de poder por vezes dá nestas coisas, o senhor ali na fotografia, Mário Figueiredo de seu nome, conseguiu chegar a presidente da Liga de Futebol Profissional porque acenou aos clubes com a cenoura do alargamento do número de clubes nos campeonatos profissionais. Não conseguindo chegar aos ricos e poderosos, ele chegou aos pequeninos, aqueles que todos os anos fazem das tripas coração para se manterem à tona num futebol que cada semana que passa tem menos dinheiro, menos qualidade, menos espectadores e cada vez mais, menos moral e verdade desportiva.

 

Entre os que votaram a favor deste alargamento estava João Bartolomeu,  o demissionário presidente do União de Leiria, um clube que normalmente conta pelas (poucas) centenas o número de adeptos que assistem aos seus jogos e que desde Novembro não paga aos seus jogadores. Um senhor que vem para a televisão acusar os futebolistas que decidiram que já estava bom de pouca vergonha, de falta de profissionalismo. Ora ele é presidente de um clube de futebol, conseguiu apresentar um orçamento que não durou mais que dois ou três meses, tem na equipa jogadores que não tem dinheiro para pagar nem o almoço, e acha que eles é que tem falta de profissionalismo... e ele terá falta de quê?, de vergonha não é de certeza.

 

Alguém me explique como é que numa liga em que é raro o clube que paga aos seus funcionários a tempo e horas, num mercado em que os patrocínios são cada vez menos, se pretende alargar ainda mais os clubes pelos que se terá que dividir o cada vez mais pequeno bolo? Mais equipas significa mais procura de futebolistas e portanto inflação dos salários o que levará a mais gastos e como é evidente a mais incumprimento, é assim tão difícil de perceber?

 

Se na liga estivessem dirigentes sérios e responsáveis, em lugar de um alargamento, estaríamos de certeza a falar na hipótese de se diminuírem os clubes, de se implementarem medidas de fiscalização reais que impedissem que clubes com orçamentos  mirabolantes que depois se verificam que não tem uma base real, de participar.

 

Do meu ponto de vista não há em Portugal adeptos nem condições de mercado para mais que 12 clubes... e mesmo assim não sei se não estarei a exagerar o número, para que insistem em alargar a vergonha e a desgraça?

 

Jorge Soares

publicado às 22:00


16 comentários

Sem imagem de perfil

De José A a 03.05.2012 às 23:06

Poderá muito bem ser o princípio do fim...
Sem imagem de perfil

De Nuno Ferreira a 04.05.2012 às 03:21

Provavelmente interessa alargar para ver se encaixam o Boavista e assim não terem de pagar avultadas compensações ao Clube. Mas não entendo para quê alargar o nº de clubes se a maioria está em falência técnica!!!
Sem imagem de perfil

De Jferreira a 04.05.2012 às 04:29

Estes iluminados do futebol continuam a ser, diz muito bem, iguais a tantos outros que por ali já passaram e que muitas risotas nos proporcionam todos os anos. A resposta é simples.
O futebol é um interesse nacional. Não misture futebol com outra coisa qq (exceto fado e fatima). A revoluçao do futebol em Portugal, só poderá acontecer, vindo de baixo, dos pequenos clubes, eles é que poderão um dia alterar este futebol patetico que vamos tendo. Se irá ser para melhor ou pior, não sei dizer. Saudações.
Sem imagem de perfil

De Marão a 04.05.2012 às 08:13

Não há nenhuma razão para furar uma regra de ouro fundamental a determinar que encolhimentos ou alargamentos só poderiam produzir efeito se tal for estabelecido antes de iniciada a época a que eventuais alterações digam respeito. Alterar regras com a prova a decorrer, somando a agravante da proximidade da recta final, constitui e assume em qualquer actividade contornos de escandalosa batota. A verdade desportiva ficaria ferida de morte, porque os diferentes escalões não são ilhas estanques e isoladas, antes fazem sentido pela interdependência entre eles, em função das articulações que comportam e das disputas a que obrigam. Por maioria de razão, o alargamento agora aprovado pela Liga para aplicação imediata deve ser liminarmente rejeitado, á luz elementar do direito, que condenando crime mais elaborado e bem-parecido, não pode deixar de penalizar a intenção mais abusiva e grosseira. Deve ser condenada com todo o vigor e erradicada qualquer hipótese de tal ultraje á moral e aos costumes, decretando-se em conformidade linear e inapelável impedimento. Em todo o caso aqui fica uma sugestão para reorganização do futebol, com a vantagem de ser oferecida de borla.
Liga de Honra (seria o topo da pirâmide ) com 12 clubes a 3 voltas, de onde sairia o campeão e acessos ás provas europeias, e em que desceriam os 2 últimos. 1ª divisão com 18 clubes em que subiriam os 2 primeiros e desceriam os 3 últimos. 2ª divisão com 2 zonas (norte e sul) em que subiria o 1º de cada zona e ainda o 2º melhor, e desceriam em cada uma delas os 2 últimos e o pior 16º. 3ª divisão com 3 zonas (norte, centro e sul) em que subiriam os primeiros de cada zona e os 2 melhores 2ºs e em que desceriam os 2 últimos de cada zona e o pior 16º. 4ª divisão com 4 zonas (norte, centro norte, centro sul e sul) em que subiriam os 1ºs de cada zona e os 3 melhores 2ºs , descendo aos regionais os 5 últimos de cada série. As dependências de subidas e descidas entre zonas nos diferentes escalões seriam muito úteis até do ponto de vista competitivo. Nos regionais subiria o 1º de cada distrito (quem tiver qualidade vai-se mantendo nos nacionais ). A taça de Portugal seria a primeira prova a entrar em cena, numa 1ª fase com grupos de 4, em que um dos critérios seria a existência de cabeças de série, e a uma única volta para eliminar o último de cada uma delas e tantos quantos os penúltimos necessários de modo a dar número par para a fase eliminatória lá mais para diante, evitando-se as ridículas isenções por falta de parelha e constituindo-se assim um útil raid de aquecimento de entrada para a época, Espero não me ter enganado nas contas do sobe e desce.
Imagem de perfil

De aespumadosdias a 04.05.2012 às 09:02

Este homem está a dar cabo do futebol português, que já não estava de muito boa saúde.
Sem imagem de perfil

De M.Abreu a 04.05.2012 às 09:09

LIGA-SUGESTÃO REDUÇÃO P/ 14 EQUIPAS

[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

LIGA-SUGESTÃO REDUÇÃO P/ 14 EQUIPAS <BR><BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Exs.Srs</A> . Favor pensar na seguinte sugestão: <BR><BR>Em vez de aumento deveria era ser feito uma redução p/14 Equipas <BR><BR>1ª Fase jogariam todos contra todos em 2 voltas= 26 Jogos <BR>depois haveria 2 Tipos de Campeonato, os 1ºs 6 classif. Jogariam p/campeão e ap.uefa, <BR>Faziam mais 10 jogos cada c/ os anteriores 26 dava 36 jogos por época nesta competição e acabava a Taça da Liga, (que os clubes dão pouco interesse, e as assistênçias só se vêm na final e que está feita para os grandes clubes estarem sempre lá). <BR><BR>Os outros 8 jogariam p/evitar a descida de 1 ou 2 equipas, daria mais 14 jogos, cada equipa destas faria 40 jogos p/epóca. <BR><BR>Na fase dos primeiros haveria mais equilibrio e mais receitas porque em vez de cada equipa fazer 2 jogos entre si /epoca passaria a fazer 4 jogos por época. <BR><BR>Na fase dos últimos também haveria mais equilibrio. <BR><BR>Haveria na competição desde inicio até final um sistema de atribuição de prémio por pontos (quer p/fase dos 1ºs como fase dos últimos) dentro deste molde: <BR><BR>1 Ponto =10,000,00€ <BR>3 Pontos=30,000,00€ <BR><BR>Este sistema iría contribuir com mais receitas, porque iría haver mais jogos entre as equipas grandes <BR>que iríam gerar mais receitas, que depois uma percentagem dessas receitas seriam transferidas para as equipas da fase dos últimos de modo a repor a falta de receitas destes. <BR><BR>Obs: Vou enviar a Sugestão p/Liga/FPF/ Clubes/Jornais etc.... <BR><BR>E também aproveito p/dizer o seguinte : Só deveria haver foras de jogo p/lá da linha de entrada da G.area, iría haver mais espaço p/jogadores e as defesas iriam defender mais atrás, e com o fora de jogo a ser controlado por 2 fiscais de linha de cada lado (só da linha g.area até linha final) iria haver menos erros devido a estar 1 de um lado e outro no lado oposto. <BR><BR><BR>Funchal, 14 de Março de 2012 <BR><BR>Mário Abreu <BR>
Sem imagem de perfil

De Marão a 04.05.2012 às 10:36

Também não está nada mal pensado. Acho mesmo que esse tipo de solução já foi levado á prática na 2ª divisão.
Sem imagem de perfil

De José Gonçalves a 04.05.2012 às 09:21

Oh senhor Jorge,
Não se percebe a sua admiração. Será que tem andado distraido? Como a parasitagem que grassa neste país é pequena que venha mais. Se todos fossem ao futebol como eu já tinham falido todos. Ía ao futebol quando eram amadores e a verdade desportiva quase não era manchada. Agora nem na televisão perco tempo a ver. Mas que país é este em que quem não produz uma grama é quem melhores salários tem? Bom país não. Como já dizia o grande EÇA isto não é um país. Isto é um sítio e ainda por cima mal frequentado.
Tenha um bom dia
Sem imagem de perfil

De Susana Carvalho a 04.05.2012 às 10:56

Não percebo o porquê de quererem alargar a principal Liga de futebol... não encontro razões válidas para tal.
Há alguns (poucos) anos resolveram diminuir o número de clubes na primeira liga para tornar o campeonato português mais competitivo. Tudo na boa, achei bem e justificava-se.
Agora querem voltar atrás? Para quê? Para daqui a uns tempos decidirem que o campeonato deveria ter menos clubes? Fiquemos como estamos e deixem-se de tretas!
Sem imagem de perfil

De arc a 04.05.2012 às 12:14

São as promessas eleitorais.
Nesta fase reduziria a 1ª Liga para 14 Equipas e mesmo assim não sei se não seriam de mais. Estas pessoas vão arruinar o futebol e a culpa é de pessoas como Fiúzas, Bartolomeus e etc, depois vão arrepender-se destas atitudes mas já será tarde de mais....
Sem imagem de perfil

De Susana Carvalho a 04.05.2012 às 12:56

Pois, promessas, promessas, mas razões válidas para tal, não encontro, nem percebo o interesse. Somos um país pobre e com dificuldades, para quê querermos ter o mesmo número de clubes na primeira liga tal como acontece nos países mais ricos?
Se não temos possibilidades para um campeonato com muitas equipas, então "vivamos de acordo com as nossas possibilidades".
Só estragam o futebol.
Sem imagem de perfil

De José Pinto a 04.05.2012 às 11:15

O pecado de ser pequeno.
Em opinião não a mal algum em ser pequeno. o importante é mudar as regras, a legislação e até os estatutos dos clubes, liga e federação. deve haver um maior equilíbrio na distribuição de verbas e dar oportunidade aos pequenos para se reestruturarem . Os pequenos hoje podem ser grandes amanha independentemente da classificação ou liga que estejam a competir.
Sem imagem de perfil

De Portuga Sofredor a 04.05.2012 às 11:22

Se na liga estivessem dirigentes sérios e responsáveis,

"Se"...

To be or not to be....

Comentar post


Pág. 1/2



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D