Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Tiago e o André já não se tratam

Imagem do Expresso

 

É verdade que aquilo que se passava no transporte de doentes era vergonhoso, qualquer desculpa era boa para se chamar os bombeiros e havia muito boa gente a utilizar as ambulâncias como transporte para ir ás compras, era mais que evidente que a situação não podia continuar, havia que por cobro aos abusos,  definir regras e prioridades.

 

O que na realidade aconteceu é que com a nova politica passamos do 80 em que os bombeiros eram choferes, para o 8 em que há doentes que deixam de ser tratados porque não tem mesmo condições. Na saúde a politica do custe o que custar do nosso primeiro ministro está na realidade a  custar vidas humanas.

 

As noticias são do Expresso, numa coluna que não sei bem porquê se chama "Solidariedade Expresso", para além de noticiarem os casos não vi em lado nenhum alguma solidariedade, e entre outros casos apresentava o da Família do Tiago e do André e o da Glória Lucas. Ambos tem em comum pessoas, seres humanos, que sofrem doenças que exigem acompanhamento e tratamento permanente e que devido às novas regras de transporte de doentes, deixaram de ser tratados.

 

É difícil acreditar que estas coisas aconteçam, é de pessoas que estamos a falar, num país em que o direito à saúde está inscrito na constituição, há pessoas que deixamos de tratar porque o governo de turno decidiu que a forma de poupar era cortar a direito... recuso-me a acreditar que este seja o caminho, tem de haver outra forma, uma forma em que não se deixem as pessoas à sua sorte.

 

"A última vez que fui à médica, já depois de algumas faltas, ela perguntou-me como é que eu quero ser tratada se não vou às consultas e não faço os exames. Eu perguntei-lhe como é que ela quer que eu faça se não tenho dinheiro. Ficou calada. E ficámos assim."

 

E Ficamos assim?

 

Jorge Soares

publicado às 22:31


10 comentários

Imagem de perfil

De Rosinda a 17.05.2012 às 07:35

Bom dia Jorge,
"e ficamos assim" ficamos... por vezes não há outra solução. Sei do que falo, muito já me aconteceu e muito já vi. Ultimamente tenho ido ao hospital com o meu pai duas vezes por semana, com o que vejo por lá e pelo centro de saúde, fico "doente" mas aprendi que sou melhor atendida se calar a revolta.
Talvez por isso, vamos engolindo estes sapos vivos e pouco podemos fazer.
Hoje por exemplo é dia de "mendigar" uma consulta necessária para o meu pai (perdeu 6 quilos em 15 dias) e a médica que o acompanha no controle de sangue, mandou ir ao médico de família, que entretanto acabou o contrato e foi embora.
Conclusão; Tenho que pedir com muito jeito ao Director que me arranje uma consulta . E lá vou eu com o meu pai com 84 anos passar uma tarde inteira à espera de médico.
A saúde anda muito doente em Portugal.
Abraço
Rosinda
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 17.05.2012 às 22:23

É muito triste que as pessoas trabalhem a vida toda e no fim tenham que mendigar pela saúde... muito triste mesmo.

Jorge
Sem imagem de perfil

De cris a 17.05.2012 às 09:13

Esperavam o quê? É que esta gente gosta de cortar, mas não é nos seus benefícios nem na chusma de institutos que nos andam a chular, é, sim, no básico. E a torto e a direito, como dizes, porque, aqui, em Portugal, as coisas são sempre pensadas em cima do joelho. Não há planos a médio e longo prazo, que é lá isso? O povinho que sofra, que é para isso que cá estamos! E o chico espertismo, que também abunda no povinho, não ajuda muito, mostra que, de facto, as pessoas só pensam no próprio umbigo. O maior desafio da humanidade é conseguir a capacidade de se colocar no lugar do outro. O mundo seria um encanto...! Utopia minha...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 19.05.2012 às 23:59

O problema é que por cá a culpa é sempre dos outros, o povo culpa os governantes, os governantes culpam os governantes anteriores, e estes culpavam os anteriores.. na verdade a culpa é de todos, porque somos nós que os elegemos e na hora de cumprir com as nossas obrigações há muito boa gente que acha que não tem que pagar....


Jorge
Imagem de perfil

De golimix a 17.05.2012 às 12:09

Muitos, ignorantemente, podem pensar que isto é alarde da comunicação social. Mas eu desafio qualquer um a ver para crer! Desafio a viver com reformas de miséria e a ter que "mendigar", sim, mendigar por um atendimento digno que não é possível oferecer porque os profissionais de saúde estão, muitas vezes, de pés e mãos atados!
Desafio a terem um problema crónico, a terem que lutar para debelá-lo, a não conseguirem trabalhar, a terem que receber uma miséria, a terem que gastar para se conseguirem tratar e a verem o dinheiro a voar-lhes das mãos para poderem pagar os tratamentos!
Isto! Isto é a realidade no nosso país! Mas há que nos chame piegas, há quem nos diga que temos que rastejar, custe o que custar... ARRE! E como custa!!!
Mas muitos perecerão, está aí a nova selecção "natural"!Vingam os fortes morrem os fracos e doentes. Resolve-se o desemprego, os gastos de reformas e da segurança social... limpinho!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 20.05.2012 às 00:04

Étriste que assim seja.. é muito triste que as coisas tenham chegado a este estado.

Jorge
Imagem de perfil

De Kok a 17.05.2012 às 18:22

Quem se preocupa com números (porque o principal são os resultados "positivos") não se preocupa com pessoas.
Se para eliminar gastos há pessoas a morrer... paciência!
E enchem a boca com o terror de que o estado social está falido, como se isso fosse verdade, possibilitando a criação de uma "seg. Social" privada que é sinónimo de mais bolsos para encher de seguradoras e afins!
Recordo-me da campanha que P.Portas fez anos atrás a este propósito! Ele pode ter-se esquecido, mas eu lembro-me!

Há dinheiro para tudo, menos para ajudar quem pouco ou nada tem, para além de doenças.
Quantos milhões já "nos" custou o BPN? Quem usufruiu dele foi impelido a devolver o que de lá "sacou"?
E ainda há mais dinheiro para lá por, para que o eventual comprador, o compre? Mas por menos dinheiro do que "nós" lá pusemos! Isto não é uma tristeza?

1 abraço!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 20.05.2012 às 00:12

O Problema é mesmo esse, parece que este governo só vê números, e as pessoas não contam.

Jorge
Imagem de perfil

De Dona das Chaves a 18.05.2012 às 00:42

Diziam as notícias de dia 16, há dois dias portanto, que Portugal, num estudo feito por suecos, está apenas à frente dos países da Europa de Leste ( em 37 países analisados) no que concerne à saúde, em termos de marcações de consultas, tempo de espera para exames, cirurgias, e acesso a médicos especialistas. Acho que isto diz tudo.

Xana
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 20.05.2012 às 00:13

Ainda estamos à frente de alguém?... dá mais um tempinho a este governo e vais ver como passamos a lideres... da desgraça.

Jorge

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D