Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tu!

por Jorge Soares, em 03.04.08

 

O blog Estou estupefacta foi um dos primeiros que frequentei na blogosfera , a sua autora é uma pessoa de quem aprendi a gostar e é sempre um prazer lá voltar.

 

Ontem o tema do post era "Tu e você", lembrei-me imediatamente dos meus primeiros dias em Lisboa.......

 

Os hispânicos são muito mais práticos que nós, tem muito menos convenções e é tudo muito mais directo, tratamento de Usted e Señor , é muito menos habitual que por cá, sem que isso signifique menos respeito. Nunca me vou esquecer de um Professor que tive na Universidade em Caracas, era um Matemático Russo, um senhor com uns 70 anos que tinha escrito não sei quantos livros, por quem tínhamos um enorme respeito e que tratávamos por tu... assim como a todos os restantes professores.

 

Bom, mas cheguei eu a Lisboa, falava um português com um sotaque latino pouco disfarçável , assim tipo Figo no ultimo ano em Madrid e não tinha a menor ideia das normas de educação que por cá imperavam. Fui parar a um quarto na zona de Sete Rios, uma senhora à antiga Lisboeta.. que logo no segundo dia começou a implicar com as minhas falas e os meus estranhos hábitos... ... imagino que estaria a tentar marcar o território  e eu no meu recente Português:

 

-Mas você!

-Você não, a senhora!

 

Fiquei mudo e foi quando decidi que estava na altura de encontrar outro poiso. Encontrei um quarto donde estive 4 anos... é claro que logo de entrada expliquei o porquê dos meus estranhos hábitos e linguajar.

 

Confesso que 20 anos depois continuo a não perceber algumas coisas, no outro dia estive num aniversario de uma criancinha, donde reparei numa situação que para mim foi no mínimo caricata. As personagens eram o neto de 6 anos, a mãe e os avós... não vou descrever o dialogo, mas sim o tratamento. Era assim: a criancinha tratava a mãe por tu, esta tratava a criancinha por "O menino não faça isto, o menino não faça aquilo", ou seja, por você, ao mesmo tempo que tratava os pais, avós da criancinha, por tu.

 

Confesso, eu devo ser um pindérico, mas trato os meus pais por você, e os meus filhos por tu!

 

Recentemente voltei à faculdade, aconteceu-me um caso engraçado, havia um assistente que tinha pouco mais que metade da minha idade, que sabia muito menos do que eu do que estava a falar, e que numa discussão num grupo de mail , caiu na asneira de me chamar a atenção por não o tratar por senhor professor. Teve sorte, o mail só me chegou depois de me terem avisado..e de o professor titular, a quem eu tratava por tu, se ter atravessado.

 

Felizmente a blogosfera é um mundo à parte, e tratamo-nos todos por tu.... ou eu já teria sido expulso...

 

Jorge

PS:Imagem retirada... do estou estupefacta!

Ps2:Desculpa amiga!

publicado às 22:08


10 comentários

Imagem de perfil

De Sofia a 03.04.2008 às 23:29

Olá!

Eu penso da mesma forma...tratar alguém por tu, mesmo que seja mais velho, não implica que não se tenha por essa pessoa o mesmo respeito.

Eu cá quando for "mais crescida", velha nunca, lool quero que me continuem a tratar por TU...de certa forma aproxima-nos mais às pessoas.

Beijinho*
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 04.04.2008 às 12:01

Olá

É isso mesmo, o respeitarmos ou não alguém, não tem nada a ver com a forma como o tratamos....

Eu cá... também!

Beijinho
Jorge
Sem imagem de perfil

De xana a 03.04.2008 às 23:57

Pah, eu já apanhei de todos os géneros de tu, de você, o(a) senhor(a), enfim... Contigo ia levando bronca... porque te tratava por você... Numa altura que trabalhei numa área de combustivel na auto-estrada A2, apanhei todo o tipo de tratamento entre as pessoas, porque aquilo é a caminho do Algarve e assim como assim, passa lá de todo o género. Mas as que me "partiam" toda e me faziam morrer de riso depois de sairem eram as (pseudo)tias e respectivos esposos e crias... aquilo era do mais cómico que te possas lembrar, entre tratamentos de o menino isto, o menino aquilo, para o esposo, metiam os pés pelas mãos e pelo meio saíam os maiores pontapés na gramática. Outras tratavam o marido por você, e eu a rir-me a pensar como é que seria quando se encontram na cama... com tanto você pelo meio, e tanta etiqueta acho que vão de luvas de cirurgia para a cama e uma pinça para não terem de tocar em certas coisas... lolol (isto já sou eu a aparvalhar).
Deus me livre, eu seria incapaz de me deitar ao lado de alguém com tanta etiqueta... só mesmo em Portugal.
bjks
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 04.04.2008 às 14:12

Pois é... havia uma altura em que tu achavas que me tinhas que tratar por você... e eu já estava a achar que querias que eu fizesse o mesmo contigo :-)

Não tinha pensado nessa do tratamento na cama... fartei-me de rir com o teu comentario :-)

Beijinho Xana.
Jorge
Imagem de perfil

De Teia d´Aranha a 03.04.2008 às 23:58

Olhe, o menino nem pense em tratar-me por VOCÊ!!!! LOL

Tanta etiqueta para umas coisas e tão pouca para outras, neste nosso país, não achas?

Por acaso, esta coisa da blogosfera até nisso é fantástica: tratamo-nos por TU e não há cá peneiras!

Beijo para TU! :-)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 04.04.2008 às 14:16

Só se a menina me passar a tratar por O SENHOR! :-)

É verdade, somos um pais cheio de etiqueta e tantas vezes vazio de classe.,... o que nos vale é mesmo a blogosfera..

Beijinho Dona Teia.

Jorge
Imagem de perfil

De Teresa a 04.04.2008 às 15:11

Hola!
Não me tinha apercebido que eras hispânico :)

Bem eu também prefiro tratar as pessoas por tu, tive uma educação bastante liberal e por isso também trato os meus pais por tu...quando não conheço as pessoas trato por você porque na volta melindram-se ou pensam que é falta de respeito, mas assim que haja alguma empatia e se vir que há abertura do outro lado passo a tratar por tu...

Aqui em Espanhei reparei que é precisamente como relataste no teu post, quase ninguém se trata por você..eu própria acho que o meu professor espanhol não gosta que o trate por Professor. Já a minha orientadora portuguesa não consigo deixar de a tratar por você e ela também me trata assim.
Acho que também passa um bocadinho por ser uma questão cultural e mentalidades um pouco mais fechadas (em Portugal), tratar por TU qualquer pessoa não implica falta de respeito!

Beijinho***

P.S.- Agora sabes porque no inicio te tratava por você, porque não te conhecia sou assim mesmo neste mundo paralelo , assim que vou conhecendo as pessoas ou quando me pedem trato-as por tu (como tu pediste) :)
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 04.04.2008 às 19:15

Olá

Bom, nesta altura de hispânico.. resta pouco, o cavalheiro, o romântico e talvez uma certa forma de estar na vida...... 20 anos é algum tempo.

mas tens toda a razão, é uam questão de mentalidades, e cultural... damos importancia a coisas que no fundo... não interessam a ninguém... hummm, acho que a Estupefacta não me volta a falar....

Ainda bem que TU e eu já passamos essa fase. :-)

Besos
Jorge
Sem imagem de perfil

De António Manuel Dias a 05.04.2008 às 01:34

Na escola ensinaram-me a conjugar os verbos com "eu, tu, ele, nós, vós, eles". Dirigir-se a alguém na terceira pessoa pode ser uma tradição, mas não deixa de ser um erro gramatical.

Já agora, falando de outras línguas, temos o caso da inglesa, que simplesmente não tem esta forma verbal (ou seja, todos são "tu") e o do português do Brasil, onde o "você" é o tratamento familiar.

Em relação a Portugal, não nos esqueçamos das formas extremas do tratamento na terceira pessoa, como "Excelentíssimo senhor primeiro ministro engenheiro José Sócrates". Se não fosse tão deprimente até dava vontade de rir...
Imagem de perfil

De cigana a 01.02.2009 às 23:39

Não trato os meus pais por tu, nem os meus sogros, nem os meus tios, enfim, ninguém que seja duma geração anterior à minha. Tal como a Estupefacta, fui assim educada e são hábitos enraizados.
Não é só em espanhol, em inglês também é tudo "you" e acabou-se. Mas cá não e isso exteriorizava um sinal de respeito pelos mais velhos, que ainda cumpro seja com quem for.
Mas os tempos mudam e deixo os meus filhos tratarem-me por tu, mas não os avós ou as professoras. Não é nada do outro mundo, cada país e cada família tem as suas regras.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D