Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A propósito do Rio+20

por Jorge Soares, em 19.06.12

Aves mortas por ingerirem lixo

 

Um documento com novos princípios para dar impulso ao desenvolvimento sustentável foi aprovado nesta terça-feira, na conferência Rio+20, das Nações Unidas, no Rio de Janeiro. 

 

Há uns três ou 4 anos apanhamos o barco em Troia para atravessar para Setúbal, como sempre saímos do carro e encostamos à amurada para desfrutar da paisagem ou com um pouco de sorte vermos os golfinhos.

 

Ao meu lado a olhar para fim de tarde no rio ia uma senhora de idade acompanhada de uma criança, o miúdo estava a beber água por uma garrafa. Quando terminou de beber virou-se para a senhora e disse:

 

- Olha, bebi toda, o que faço com a garrafa?

- Dá cá.

 

A senhora que estava a meio metro de um caixote do lixo e com o neto ao lado, pegou na garrafa e deitou-a ao rio. Foi um daqueles momentos em que o meu mau feitio veio ao de cima, esqueci a idade da senhora e a presença do neto ao lado, quando dei por mim estava a dar um sermão de todo o tamanho e a perguntar-lhe se ela não tinha vergonha do exemplo que estava a dar ao neto? Se ela gostava de chegar à praia e encontrar a areia imunda com o lixo que pessoas como ela deitavam à água? Se não tinha visto o caixote do lixo mesmo ao seu lado?..

 

No fim de despejar o mau feitio e a raiva que aquilo me causou, tinha o miudo a olhar para mim de olhos arregalados e ela de boca aberta a balbuciar qualquer coisa sem muito nexo...

 

É verdade que conferências como esta do Rio+20, ou Kioto, ou as várias outras são importantes para que se debata a situação ambiental do mundo em que vivemos, mas é triste que passe o tempo e o que vemos é que os países com maior culpa na situação, os que mais poluem e mais influenciam o clima e o meio ambiente, como os Estados Unidos, a China ou a Rússia, ou se negam a assinar os tratados ou simplesmente fazem tábua rasa daquilo que assinam.

 

Por outro lado não é com conferências internacionais que se mudam as mentalidades como a daquela avó que simplesmente achou que o seu caixote do lixo era o rio Sado, é com educação e formação.

 

Muita gente já terá visto, mas eu vou repetir, termos consciência do mal que fazemos ao mundo que nos rodeia nunca está demais.

 

Midway é uma ilha em pleno oceano Pacífico, que fica a 2.000 milhas de qualquer costa continental. Esta ilha é desabitada, os seus únicos habitantes são aves marinhas, no entanto... Vejam o que se passa por lá!

 

 
Jorge Soares

publicado às 22:16


8 comentários

Sem imagem de perfil

De JC a 19.06.2012 às 23:26

Uma pequena correcção, fica a 2000 Milhas de qualquer continente, ou seja mais 3 200Km.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 19.06.2012 às 23:30

Tem razão, muito obrigado, já corrigi o post.

Jorge
Imagem de perfil

De poetazarolho a 20.06.2012 às 00:49

“Planeta deserto”

Um futuro por encontrar
Para este nosso planeta
No Rio a conferênciar
Não há proposta concreta

E o planeta preocupado
Com esta inépcia atroz
Diz enfim muito zangado
Estou-me lixando p’ra vós

Estava cá muitos anos antes
Da vossa ínfima existência
E muitos ainda vou continuar

Pois vós sois extravagantes
E com os tiques d’opulência
Ides com a humanidade acabar.
Sem imagem de perfil

De Susana Carvalho a 20.06.2012 às 12:45

Já tinha visto este vídeo há alguns meses e o que pensei na altura foi: "nós só fazemos merda"...
Sou capaz de andar com lixo nos bolsos até casa, só por não me encontrar perto de um caixote. às vezes pequeninos gestos fariam toda a diferença. Somos descuidados com o nosso lixo e ele a algum sítio vai parar... mesmo que não vejamos esse lixo, nalgum sítio ele vai parar e fazer estragos.
Magoa muito saber que somos responsáveis por mortes. Somos criminosos com um gesto tão "inocente" como atirar um copo de plástico para o chão.
Magoa-me ainda mais saber que os pobres animais inocentes morrem por causa da nossa falta de consciência, falta de civismo e falta de respeito pela vida.
Magoa-me saber que provocamos dor e morte aos animais. Como o lamento... Fico tão triste; custa-me pensar no sofrimento dos animais... de tantos animais que nem temos noção...
Precisamos de ser educados, precisamos de mudar de atitude, todos nós. Enquanto houver uma só pessoa que não respeite o ambiente, é uma pessoa que estará a fazer estragos.
Sem imagem de perfil

De Abel Dinis a 20.06.2012 às 13:23

O que mais me impressiona, além da falta de educação das pessoas em geral, é a incapacidade do poder público de dar essa educação. De facto, daqui do Brasil donde vos escrevo, há um deficit tremendo de educação. Os políticos são os mais manipuladores que se possa imaginar. É muito lindo fazer conferências no Rio de Janeiro sobre a sustentabilidade no ambiente, mas é muito difícil promover os meios para que isso seja uma realidade. Passo a explicar: Eu vivo aqui numa cidade de turismo que dá pelo nome de Fortaleza. Em Fortaleza não há recolha de lixo diária. O camião do lixo passa às 2ªs , 4ªs e 6ªs feiras, e o lixo é colocado em sacos de plástico nos passeios em frente às portas das casas. Entretanto, e enquanto o camião do lixo não passa, passam os famosos catadores " à procura de garrafas de plástico e latas de cerveja e de refrigerantes. É claro que não voltam a fechar os sacos de plástico. Depois vêm os animais, principalmente cães e gatos à procura dos restos de comida, espalhando tudo pelos passeios (aqui diz-se calçadas). De maneira que, e como os recolhedores do lixo só recolhem os sacos, o que está fora dos sacos fica a criar bichos e sendo pasto de ratos e baratas, que são os verdadeiros "processadores" do lixo restante. Agora eu pergunto: de que me interessa que um governo brasileiro se arme em 6ª economia do mundo se tem políticas de ambiente de terceiríssimo mundo? Como posso aceitar que numa cidade como esta em que vivo, habitada por dois milhões e meio de habitantes, só 49% da cidade tenha saneamento básico? Onde esgotos a céu aberto passam em frente a restaurantes? O que devo pensar de um poder público que nada faz para incentivar o transporte público de qualidade e promove antes sim a compra de automóveis, sendo que se vendem mais de cinco mil carros por mês nesta cidade? e não se vê a construção de estradas em consonância com este aumento do tráfego automóvel? Onde um Metro de superfície de 12 quilómetros demorou mais de 13 anos a ser posto em acção? Onde não há corredores de "bus" e a má-educação na estrada e geral e democrática? Ora deixemo-nos de demagogia e comecemos a fazer mais e a calar a boca. Os romanos diziam: RES NON VERBA" e tinham razão. Quem muito fala pouco acerta, dizia também a minha avó. De forma que é muito lindo convocar grandes reuniões internacionais e depois cá dentro as pessoas viverem, e conviverem, com o lixo, e ver o ex-presidente Lula dar aos catadores do lixo" um estatuto que num outro país desenvolvido seria recusado pela maioria das pessoas, porque em nada as dignifica. A quem interessa este estado de coisas? Aos políticos é claro, que mantendo o povo na ignorância os submetem às suas políticas de assistencialismo degradante. Ora! Vamos é ter um mínimo de senso. Haja paciência para tanta inconsistência, petulância e prepotência. Haja Deus que nos livre de gente assim.

Nota:
Esta mensagem, assim como todos os textos por mim assinados, não respeita o Acordo Ortográfico de 1990, vulgus Novo Acordo Ortográfico.
Sem imagem de perfil

De teixei a 20.06.2012 às 17:15

Abel, penso que você é português e mora em Fortaleza. Seja sempre bem-vindo em terras brasileiras. Mas, tenha paciência com a solução dos problemas no Brasil. São muitos e exigem enormes investimentos em infra-estrutura, por exemplo. Já foi tudo pior. A melhora é gradual. Há algumas compensações de se viver em Fortaleza e você sabe disto. Por outro lado, não há como encaminhar a resolução de problemas da sociedade sem passar pela política, embora a descrença de que somos tomados por vezes. As ditaduras já foram testadas em muitos continentes e só fizeram aumentar o tamanho dos transtornos sociais. Encontros como em curso no Rio de Janeiro são sempre de conclusões imperfeitas, todavia fazem com que os dirigentes tenham que tomar um tempo para pensar em conjugar desenvolvimento com preservação. Um abraço.
Sem imagem de perfil

De simonfla a 20.06.2012 às 14:39

Pois é nós designamo-nos como os seres vivos mais inteligentes deste planeta e aonde nos leva essa dita cuja "inteligência "?Á destruição do planeta em todos os sentidos a um ritmo galopante e se isto continuar assim e os responsaveis maximos de cada país e a propria consciencialização dos povos não se unirem e com isso obrigarem a criar leis serias para parar com este genocídio silencioso e nada fizerem para proteger o planeta do lixo que nós produzimos o fim deste planeta não levará mais de 50 a 100 anos e deixo aqui um pequeno exemplo de que nós somos os unicos responsaveis por este genocídio imaginem que neste planeta tal como o conhecemos não havia a presença humana que paraíso seria sem guerras,lixo atómico,poluição do solo,mar,ar,desertificação do planeta,buraco do ozono,virus e novas doenças etc. por isso temos que repensar toda a nossa maneira de coexistência com o planeta porque somos as únicas verdadeiras bestas a habitar nele e responsáveis por todo o mal nele causado e chamam a isso inteligência.
Imagem de perfil

De sentaqui a 20.06.2012 às 17:30

Estive há pouco tempo no Rio e é escandaloso ver como é camuflado o lixo que está ao longo da auto-estrada que vai do aeroporto até ao centro da cidade, onde foram colocados painéis espelhados ao longo do caminho, para não dar uma imagem degradante aos visitantes nos próximos eventos que aí vão decorrer.
E são as grandes potências que deviam dar o exemplo, mas que se esquivam a fazê-lo, porque os interesses económicos se sobrepõem ao futuro do planeta.
Restam acções como a tua e outras tantas de gente anónima, de professores e pais que ainda dão bons exemplos às gerações vindouras e que esperamos venham a dar frutos.
Este foi um destaque mais que merecido, parabéns!

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D