Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As alegrias de ser pai

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Já por aqui se falou de comida muitas vezes, foi no post sobre a geração do Bacalhau escondido que falei na primeira e principal regra a ser seguida à mesa cá em casa: todo o mundo pode gostar ou não do que está no prato, ninguém é obrigado a gostar, desde que coma tudo não há problema nenhum em não se gostar da comida.


Há quem me ache um tirano e quem tenha aprendido a usar estas minhas palavras nas refeições lá em casa, certo certo é que cá por casa só há sempre um prato à mesa, não há cá pratos especiais para ninguém e em maior ou menor quantidade, todo o mundo come em todas as refeições e já seja porque aprenderam a gostar um pouco de tudo ou porque já perceberam que dizer que não gostam não os leva a lado nenhum, "Não gosto" são palavras que cada vez se ouvem menos por cá.

 

À medida que vão crescendo vai sendo mais dificil conciliar os estudos com as refeições, o ano passado durante o período escolar ou durante os períodos de férias, havia sempre alguns dias em que os dois mais velhos almoçavam no ATl e soube muito bem ouvir da boca das responsáveis lá do sitio que "vocês não imaginam o inferno que é dar comida a estas crianças, não há maneira nenhuma de conciliar uma refeição que agrade a todos..e há até aqueles que não há dia nenhum em que gostem do que aparece. Os vossos filhos são os únicos que comem sempre e raramente dizem que não gostam"

 

O meu método pode não ser lá muito democrático, mas de que funciona, funciona.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:40


23 comentários

Sem imagem de perfil

De Mini_Saia a 01.10.2012 às 09:40

Olá Jorge!
Fui uma "vítima" desse método, mas a verdade é que ainda hoje como de tudo sem reclamar...
Beijinhos e boa semana!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.10.2012 às 23:40

A prova viva de que funciona :-)
Sem imagem de perfil

De Catarina a 01.10.2012 às 11:49

Plenamente de acordo :))) Ontem mesmo, o almoço era bacalhau assado com batatas a murro, o piolho lá de casa engelhou o nariz e disse não ter muita fome, concordei com ele e disse-lhe que se não comesse naquele momento, então eu guardaria o prato e quando tivesse fome seria o que comeria... bastou chegar a sobremesa, uvas, veio pedi-las e eu disse-lhe que só as comeria depois de comer o que tinha no prato! Comeu tudo, sem refilar ;)))
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.10.2012 às 23:52

Olá

Lá está um truque que utilizei muitas vezes...e foi mesmo a única maneira de meio resolver o assunto com o do meio.

Jorge
Imagem de perfil

De sentaqui a 01.10.2012 às 14:27

Eu moro ao lado de um colégio que tem ao lado um bar que serve refeições rápidas que rondam os 5 euros, costumo lá ir e de vez em quando está à pinha com miúdos da idade da tua R. Perguntei à funcionária como era possível vir ali tanta gente com havendo uma cantina na escola, ela respondeu-me que quando a ementa é peixe ou outra coisa que não lhes agrada vem tudo ali. Claro que os culpados são os paizinhos que não tiveram com os filhos a mesma atitude há aí em casa.
Eu na minha infância levei muita bofetada por não comer tudo o que levasse hortaliça, mas foram bem dadas, porque hoje como de tudo e cá com descendente houve a mesma política.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.10.2012 às 23:54

Sabes o que me faz confusão? a semanada dos meus filhos não é de cinco Euros por semana... como é que essas crianças tem 5 Euros por dia para irem comer fora?

Cá não chegamos a extremo da bofetada.. mas evidentemente que há formas de os fazer comer...

Jorge
Sem imagem de perfil

De Susana Carvalho a 01.10.2012 às 20:50

- Sobrinha: Tia quero chocolate!

- Eu: Não, come o que tens no prato.

- Sobrinha: Não quero.

- Eu: Se não tens fome para comer o que tens no prato, também não tens fome para comer o chocolate.

Conclusão: sobrinha come o que tem no prato sempre. Não há cá "não me apetece", nem "não tenho fome".

Confesso que quando era miúda era difícil porem-me a comer coisas, como iscas ou carne com muita gordura. Levava a minha mãe ao desespero. Ela dizia que eu não me podia levantar enquanto não comesse. E o que acontecia? Começava a comer à hora do almoço e por volta da hora do lanche ela desistia e deixava-me sair, porque eu não comia quando não gostava mesmo do que tinha no prato. Comia pouco e a muito custo.
Comia bem muita coisa, mas havia uma ou outra coisa que eu não gostava mesmo nada e quando calhava isso, era um desespero para a minha mãe. Nunca fui esquisita com sopas, legumes, peixe, etc. Sempre comi um pouco de tudo, mas sempre me recusei a comer coisas de que não gostava mesmo. Depois de provar, se não gosto, não quero, muito obrigado.

Acho que há uma grande diferença em ser-se armado em esquisito e entre não se gostar mesmo de alguma coisa e regra geral, esta malta de hoje em dia é esquisita. Acredito que muita malta nem saiba a que sabe uma couve de Bruxelas e dizem que não gostam, só porque não tem aspecto de cheeseburger.
Pelos vistos, hoje em dia os pais não insistem tanto como o Jorge ou como a minha mãe. Aliás, começo a achar que na casa de muito jovem não se comem legumes nem peixe (e em muitos casos, nem comem sequer comida cozinhada em casa... é tudo comida processada).

Moro numa zona de liceus e às vezes, quando vou ao Minipreço (ooops, publicidade) aqui da zona, se for hora do almoço a loja está a abarrotar de malta jovem que vem dos liceus para comprar: latas de refrigerante com gás, cachorros quentes, sandes, merendinhas, batata frita de pacote, tabletes de chocolate e coisas do género. E fazem isto todos os dias! Muitas vezes a polícia tem de lá estar a guardar à porta, porque alguns meninos (meninos adolescentes, claro está) chegam a roubar, porque se calhar os pais já não estão para lhes dar 5 euros por dia (ou mais!) para eles comprarem porcarias para comer. E aos pais que ainda o fazem, eu pergunto: vocês são ricos para darem aos filhos tanto dinheiro para comerem porcarias na rua quando na cantina da escola pagam menos e comem mais? Será que os pais sabem que os filhos comem fora? Os cafés à hora do almoço também estão cheios de adolescente lá das escolas secundárias da minha zona nas esplanadas a comerem batatas fritas com hamburgueres e a fumarem. Pois, nesse dia o almoço devia ser peixe com batata cozida.

Os meninos estão muito mal educados, porque não recebem educação em casa. Para isso, é preciso muuuuuuuuuuuuita paciência e os papás não estão para isso, portanto "toma lá mais 5 euros e come qualquer coisa que queiras".

Acredito que hajam pais que não saibam que os filhos andam a comer por fora (e até a roubar para comerem porcarias com os amigos), mas deve haver muitos pais que não só sabem que isto se passa, como ainda ajudam ao incentivo.

São pais para quê? É só para os fazer? Também é preciso educar e isso passa pelos hábitos alimentares. Não é saudável comer só porcarias. Peixinho também é bom. E couves de Bruxelas também!!
Sem imagem de perfil

De Susana Carvalho a 01.10.2012 às 20:54

P.S. Nem de propósito. Hoje o meu jantar é peixe, batata e legumes cozidos.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.10.2012 às 23:56

Susana, muitas vezes o exemplo vem de casa, há muito paizinho por aí que só come bifes com batatas fritas..e que manda batas fritas de pacote e bolicaos para os lanches dos filhos... é pelo exemplo que se educa.. quer dizer, a maioria será pelo mau exemplo.

Depois fazem-se as vontades todas das criancinhas.. ..

Jorge
Imagem de perfil

De golimix a 01.10.2012 às 22:15

Descobri que as crianças são anti-verde e carnívoras. ;)
Não faço grandes dramas à refeição, Fui vítima de dramas à refeição! Não gostava não comia, e estava horaaaasss a comer. Comia muito pouco. Mas não era anti-verde e a favor da carne, só não gostava mesmo era de comer.
Cá por casa não há segundos pratos, há é uma certa habilidade em disfarças legumes, fazemos guisados, no empadão, ... há sempre maneira de os tornar mais atractivos. E peixe já sabe que tem que ser, mesmo que não goste tanto, é-lhe explicado porque é que tem que ser e ele compreende. Por acaso, tenho um filhote curioso e que experimenta tudo, se não come é porque não gosta de todo. Mas prova e tenta comer, se não lhe agrada, come é menos. Afinal nós, adultos, também não gostamos de tudo.
Não faço é drama se ele não quer comer tanto. E a sobremesa é frutinha. Embora ele também não vá muito à bola com doces.
Acho que tive mais sorte que a minha mãe, ou mais habilidade

Bj
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.10.2012 às 23:49

Olá

Não são nada, a minha mais velha sempre adorou saladas e vegetais crus, lembro-me de um dia estar a cortar os vegetais para a sopa e ela com 5 ou 6 anos estar ao meu lado a roubar couves, abóbora, alho francês......

As crianças são todas diferentes e os sabores e paladares educam-se, por isso é que agora os meus comem tudo... é claro que quando os pais não gostam de algo, é muito difícil que as crianças gostem... porque raramente lhes aparece à frente... lê lá este meu post:

http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/89424.html

e depois lê este:

http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/199232.html

Beijinho
Jorge
Imagem de perfil

De golimix a 03.10.2012 às 17:45

Enchi-me de rir do teu segundo post ;)
Eu detesto pimentos, mas o meu pequeno come, aliás o tipo é muito menos esquisito que eu. Se calhar eu até poderia ter sido uma má influência para ele, mas ele não percebeu que eu sou assim, uma "biqueira", e muito da minha biqueirice vinha dos dramas da minha mãe e do seu "Como LMaria!" isto repetido centenas de vezes, não me apetecia comer, e mesmo que a sobremesa fosse bolo de chocolate, quando não cabia mais nada não cabia mesmo, fosse lá o que fosse!! Não tenho culpa de ser filha de Transmontanos com a mania de prato cheio!! eu não sou assim, como pouco e pronto! E quando chegou ao limite não entra nem mais uma colher de café sem risco de acidente!!

Com o meu filhote tentei evitar os dramas, os pratos de substituição e sobretudo as cedências. E olha que é difícil para uma mãe ver que o filho comeu pouco e deixá-lo sair da mesa sem mais nada. Mas lá está, se não tem fome não tem. Se antes de ir para a cama tivesse fome podia comer fruta ou o que sobrou do jantar (isto porque o tipo era mesmo magro, ao contrário dos teus estava num percentil muito abaixo da média).
Agora come que se farta e continua no raio do percentil abaixo da média... mas cada um é como cada qual o que interessa é que seja saudável e que tenha hábitos de alimentação saudável que incluem esses bons hábitos à mesa ;)
Imagem de perfil

De energia-a-mais a 01.10.2012 às 22:46

os meus não comem de tudo...nunca fiz drama com isso, eu também não como de tudo (houve até uma altura em que não comia nada). Não os obrigo a comer, nunca faço é segundo prato, nem deixo que andem a «petiscar» à sucapa. Se não gostam do que está no prato, não comem mais nada. E acredita que muitas vezes, o que não gostam volta a aparecer outras vezes no prato - até que um dia resolvem comer e descobrem que gostam
A variedade de pratos e ingredientes é muita cá em casa e por isso na escola não costuma haver problemas - a única coisa que me dizem é que na cantina servem pouco...

Teresa
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 01.10.2012 às 23:51

Tocas um ponto importante, eles não comem tudo.. porque tu também não comes, aposto que eles não gostam do que tu não gostas...

lê lá este meu post:

http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/199232.html

Beijinho
Jorge
Imagem de perfil

De energia-a-mais a 02.10.2012 às 07:32

bem, aceito a crítica...verdade que odeio língua de vaca, fígados e outras entranhas e nunca as preparo como refeição lol. Mas no resto mesmo quando não como, ou não gosto tento ser o mais democrática possível - nunca preparo nada diferente para mim, a nossa mesa é variada e acabamos sempre por comer todos. Legumes e saladas cruas, eles comem bem, carnes brancas também e leguminosas são bem vindas. Batatas fritas aparecem uma vez por semana e gostam de peixe assado, grellhado e caldeiradas porque nunca arranjo peixe cozido (não achas sem sabor?).

Teresa
Sem imagem de perfil

De joana mendonca a 02.10.2012 às 19:19

Tambem tenho essa postura. Nao obrigo, insisto, mas não obrigo. Eu tambem não gosto de tudo.
Imagem de perfil

De Kok a 01.10.2012 às 23:10

Em criança não gostava de peixe (tem espinhas) nem de feijão nem de favas (sabem a farinha) nem de legumes cozidos (são amargos), nem de leite (sabe a leite).
Mas com o passar do tempo todo esse gostar me passou.
todo não, pois continuo não gostando e não bebendo leite. Mas queijos gosto de quase todos.
E habituei-me a comer a fruta antes. E gosto!
À, e também fui algumas vezes obsequiado com tabefes no sentindo de me "abrirem" o apetite!

1 abraço!
Imagem de perfil

De Kok a 01.10.2012 às 23:12

claro que quis dizer: ..."todo esse NÃO gostar me passou".

sacanas das teclas nunca estão quietes no mesmo sítio
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 02.10.2012 às 00:00

Tu também não leste o Post das favas e do bacalhau escondido ... vai lá e lê:

http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/89306.html

Abraço

Jorge
Imagem de perfil

De Kok a 02.10.2012 às 14:47

Já fui! Já li! E encontrei um ponto comum entre nós:
também tenho uma filha que não gosta de bacalhau porém "escondido"... gosta!
Manias!!!

1 abraço!
Sem imagem de perfil

De joana mendonca a 02.10.2012 às 19:12

Acho que pela 1 vez escrevo para discordar de ti :). Porque sempre fui esquisita e sofri, vim a saber e a perceber que por vezes somos esquisitos porque o nosso próprio corpo não se dá bem com certo tipo de alimentos. Também acho que é possível educar para comer bem sem se obrigar a comer. O prato preferido da minha filha é peixe cozido com espinafres e batata, algo pelo qual é gozada na escola. Não a obrigo, mas há regras bem definidas que a ensinam a comer bem, e ja a vi confrontada com situacoes em que pode escolher qualquer coisa para comer e faz uma escolha saudavel. Claro que somos todos pais diferentes, e ainda bem, mas acho que é possivel educar bem e para uma alimentação saudável, sem se obrigar a comer tudo o que se tem a frente. Bjs
Sem imagem de perfil

De joana mendonca a 02.10.2012 às 19:17

Esqueci-me de duas coisas. Acho que não há A forma certa, acho que há várias formas certas, eque o que é a forma certa para ti pode não ser a forma certa para mim. E adoro a foto, os teus filhos irradiam nela um misto de felicidade e tranquilidade!
Bjs
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.10.2012 às 23:29

Concordo, não há a forma certa.. cada criança é uma criança e cada pai um pai.. mas o facto de a maioria das crianças que conheço terem uma alimentação péssima e não gostarem de quase nada... deve ser sinal de algo...

Jorge

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D