Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A montanha pariu um Portas

por Jorge Soares, em 21.07.13

Presidente mantém governo

Imagem do Público

 

E no fim, voltamos ao inicio, afinal andamos três semanas às voltinhas, com conversas da treta, negociações de chacha, para nada, o Senhor presidente na hora das decisões escolhe sempre o mal menor... esquecendo que há 10 dias tinha dito que este governo não tinha condições para levar o país a bom porto... esquece também que o mal menor não deixa de ser um mal.

 

Cavaco decidiu manter o governo em funções até ao fim da legislatura, resta saber qual governo, o de antes da renuncia de portas? Outro qualquer formado por PSD e CDS? O que Passos Coelho lhe apresentou com Portas a Vice ministro e que ele não aceitou?

 

Neste ultimo caso, Paulo Portas saiu como único vencedor de tudo isto, foi ele que causou a crise ao demitir-se irrevogavelmente, no fim será empossado como vice ministro, terá muito mais poderes e controlará a pasta da economia.

 

Cavaco diz que é necessário que o governo aplique políticas de incentivo à economia e ao crescimento do emprego, que no fundo era o que dizia portas na sua carta de renuncia, mas não terá sido isso que pediu o PS e que levou ao fracasso das negociações?

 

Será que era mesmo preciso estarmos quase três semanas à nora para isto? Era mesmo necessário criar desconfiança nos mercados, fazer aumentar os juros e termos o país político parado durante três semanas? Quanto custou tudo isto ao país?

 

Três semanas, muita conversa, muita treta e no fim, a montanha pariu um Portas

 

Jorge Soares

publicado às 21:07


6 comentários

Imagem de perfil

De sentaqui a 21.07.2013 às 21:49

Depois de ouvir a resposta do Seguro, pensei logo que não restava ao Cavaco outra solução que não esta. É cómoda e não corre riscos, esses já nós sofremos na pele nestes dias de impasse.
Conclusão ficamos na mesma, ou pior ainda.
Está visto que não temos governantes com eles no sítio
Imagem de perfil

De DyDa/Flordeliz a 21.07.2013 às 23:34

Talvez devêssemos começar por uma limpeza em Belém e depois das mangas arregaçadas seguir até ao Palácio de S. Bento.
Depois destes desinfetados, dava-se uns dias para arejar e eliminar bactérias indesejáveis. De seguida, metia-se gente com vontade de trabalhar em prol do país (poucos e bons), que se preocupassem menos com a imagem e o interesse individual.
Talvez devêssemos fazer como nos empregos privados. Prestar provas. Fazer testes. Contratos a prazo. Incentivos no vencimento pelos resultados alcançados. Contratava-se os melhores trabalhadores em lugar de "bem falantes".
Se bem que o último ministro - falava lento e mal...
Ok! Estou a delirar. Isto não é democracia...
É que esta também não é democracia. É mais uma anarquia.

Já nem sei que pense?!
E como eu, acredito que imensos.

A melhor semana possível para ti.



Imagem de perfil

De Equipa SAPO a 22.07.2013 às 09:26

Bom dia,
este post está em destaque na área de Opinião do SAPO.
Cumprimentos,
Ana Barrela - Portal SAPO
Sem imagem de perfil

De Nuno Valente a 22.07.2013 às 10:45

O que penso sobre tudo isto está fantasticamente ilustrado nesta canção. Leiam a letra com atenção.
http://youtu.be/rj3-nPnqAnc
Imagem de perfil

De Kok a 22.07.2013 às 15:32

A frase que me quer sair boca fora é:
-porta que os pariu!
Eu sei que não é correcto! Sei que este circo foi armado para que, quem o armou possa dizer que:
-fiz tudo para encontrar a melhor solução para o país.
E também sei que a palavra correcta daquela frase não é: porta!

1 abraço!
Imagem de perfil

De golimix a 22.07.2013 às 22:54

Deixa lá que pelo menos os mercados estão calmos. Não vivemos para os acalmar?

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D