Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Assim não se cria emprego

por Jorge Soares, em 06.11.13

Estagiária para loja comercial

Imagem do Facebook

 

Infelizmente as situações como a que vemos no anuncio são cada vez mais, há muita gente que se aproveita da crise para abusar, cada dia que passa vão aumentando os relatos de empresas que se escondem por trás da palavra estágio para arranjar mão de obra barata e até gratuita...

 

Estágios não remunerados, empregos a tempo parcial de mais de 30 horas por semana com ofertas de salários de 300 Euros ou menos, ofertas de estágios profissionais em que se exigem conhecimentos e experiência a troco de nada ou de migalhas, tudo isto é o pão nosso de cada dia.

 

Um destes dias numa reportagem da RTP, um empresário da área do calçado explicava que tem dificuldade de encontrar mão de obra, e que até já teve que recusar mais que uma encomenda porque não tem empregados suficientes.

 

-Quanta paga aos seus empregados?- Perguntou a jornalista.

-O salário mínimo! 

 

Se calhar isso explica porque é que não consegue arranjar empregados... mas será que o senhor já se pôs a fazer contas? Quando dinheiro perderá ele com cada encomenda que recusa? Se calhar aquele cliente até arranja quem lhe faça os sapatos e para além daquela encomenda perde um cliente... será que não compensaria aumentar os salários e assim ter a  mão de obra suficiente e qualificada para responder a todos os seus clientes? Será que com mais mão de obra e melhor paga não teria oportunidade de fazer mais e melhor, arranjar mais clientes e mais mercados onde apostar?

 

É claro que com empresários e mentalidades como esta será muito difícil diminuir o desemprego no país, este senhor com esta forma de olhar para os negócios dificilmente sairá da cepa torta. A industria deste país só conseguirá ressurgir e marcar a diferença se tiver mão de obra qualificada e competente e não  será de certeza com baixos salários que isso se consegue...

 

Todo o mundo acha que a culpa da crise é só dos políticos, mas na realidade muito do que se está a pasar também é culpa de mentalidades como esta e de coisas como estas, assim nunca se irá criar emprego e a crise vai durar para sempre

 

Ainda não consegui encontrar o vídeo da reportagem, mas assim que o encontre coloco aqui.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:34


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D