Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Deitava o seu bebé numa caixa de papelão?

por Jorge Soares, em 08.01.14

Bebe a dormir numa caixa de papelão

 

Imagem da BBC 

 

É daquelas coisas que nos passam pelo Facebook que meio mundo partilha, que quase ninguém lê e de que ninguém duvida. Também é daquelas que a mim me deixa com a pulga atrás da orelha e que me levam a investigar... e parece que esta vez é mesmo a sério.

 

Diz aqui a BBC, um jornal que se presume sério,  que desde à mais de 75 anos a grande maioria dos bebés durante os primeiros meses de vida dormem numa caixa de papelão. Não, não é por falta de meios dos pais, é mesmo por tradição, ou por comodidade, ou por cultura, ou por bom senso....

 

A Finlândia é um dos países mais desenvolvidos do mundo, por lá desde há 75 anos todas as mulheres grávidas recebem um kit de maternidade do governo. O kit inclui uma caixa com roupas, lençóis e brinquedos, e a ideia é que a própria caixa seja usada como cama durante os primeiros meses de vida do bebé.

 

As mães podem escolher entre receber a caixa e o seu conteúdo ou uma ajuda financeira de 140 euros, 95% optam pela caixa já que os materiais que ela contém valem mais que esse valor.

 

A ideia é garantir a igualdade entre todas as crianças e que todas tem direito ás mesmas comodidades independentemente da classe social dos pais.

 

Será que por cá as mães seriam capaz de usar uma caixa de papelão como cama para os primeiros meses de vida dos seus filhos? Duvido muito, apesar da crise continuamos a ser um povo que vive mais das aparências que da realidade e do bom senso.

 

Do que  não há duvida é que este era um exemplo que bem podíamos copiar por cá, o do kit oferecido pelo governo e o da caixa, até porque tudo o que tem a ver com roupa, mobiliário e cuidados infantis, custa os dois olhos da cara.

 

Jorge Soares

publicado às 22:22


5 comentários

Imagem de perfil

De Kok a 09.01.2014 às 17:56

Parto do principio que seja verdade e não me incomoda o facto de deitar um bebé numa caixa de cartão, limpa e provida do conforto necessário e exigido.
A estranheza é uma questão de cultura e não porque um berço seja melhor.
Aliás o bebé nada sabe de usos e costumes, né?

1 abraço!

§-a despropósito: um título de um jornal, hoje, afirma que Portugal não tem estratégia para tempestades marítimas.
Pergunta-se: e para outras (sejam ou não tempestades), tem?
Imagem de perfil

De sentaqui a 10.01.2014 às 14:10

A Finlândia é um país muito à frente, sem dúvida e esta iniciativa não conhecia, duvido que os papás portugueses a aceitassem, assim como não aceitariam muitas outras coisas que por lá se praticam , por exemplo, os livros escolares ficam sempre na escola e servem para outros alunos é por estas e por outras que este país está na vanguarda dos países mais desenvolvidos, é que eles pensam sobretudo no futuro e continuam a banir o supérfluo e a optimizar o essencial.
Imagem de perfil

De golimix a 11.01.2014 às 10:02

Eu diria que custam os dois olhos, os dois braços e uma perna!

A caixa de papelão fornece um ambiente aquecido, parecido com o útero materno. Eu acho que as alcofas são caixas de papelão envolvidas em tecidos giros, pelo menos algumas são.

se os Portugueses fariam isso? Julgo que não. Tal como dizes a aparência é a preocupação da maioria.
Isto fez-me lembrar uma história que se passou comigo. No ano em que o meu filho nasceu o verão foi horrível de quente, e eu tinha o meu filhote com os pézinhos sem meias e sem sapatinhos, achava que isso não lhe proporcionava nenhum conforto e não via necessidade de gastar uma pipa de massa em algo que serviria para uns dias e para nada, só para parecer bem. Pois fui imensamente criticada pelas más línguas, que não tinham mais que fazer. Muitos me diziam directamente "Ó coitadinho ponha-lhe umas meinhinas ou uns sapatinhos!" respondia invariavelmente "Para quê? Não lhe apetecia tirar os seus? Não acha que o conforto do meu filho é mais importante do que a forma como os outros julgam que ele deve estar?"
O que sei é que passados uns tempos alguns seguem o meu exemplo nos Verões impossíveis aqui do Norte ;)
Imagem de perfil

De DyDa/Flordeliz a 12.01.2014 às 02:21

Claro que deitávamos.
Compramos uma cama e depois cada um de nós a enfeita, ou não?!...Depende do gosto da mãe/pai e dos meios financeiros que dispõe. Com a caixa seria exatamente a mesma coisa.
A pergunta deveria ser: porque não toma esta iniciativa o governo?
Pergunto eu: De enviar um Kit com uma caixa de papelão?
- Porque não somos a Finlândia.
Não é por termos medo de que o bebé não goste do cartão. Estando confortável, qualquer local é bom para um recém-nascido tirar a sua soneca.
Jorge uma mãe que recebesse algo desse género, aproveitaria tudo, menos a embalagem. Porque para nós a caixa não é uma cama - é uma caixa.

Como bem referes, por lá a ideia já tem 75 anos.
Por cá, é óbvio que se estranharia. Não faz parte da nossa tradição, faz parte é da deles. Nós vivemos em Portugal. Nunca vimos (eu nunca dormi, o meu filho também não, acredito que os teus também não) uma criança a dormir dentro de uma caixa de cartão.
Portanto: Pede um Kit, mas algo que se identifique connosco, com a nossa cultura e vida dos dias de hoje.
Fralda, roupa, biberão, chupeta, leite, mobiliário...

A ideia é boa Jorge. Venha o KIT que os futuros papás agradecem, mas pode vir mesmo em saco plástico ou de papel.

Imagem de perfil

De Padrinhos Civis a 13.05.2015 às 20:17

Sim, Jorge, deitava. Acho muito benéfico no que toca ao síndrome da morte súbita, já que a superfície é dura e não contém panos nem adereços que podem ser perigosos para o bebé. Por outro lado, a caixa tem as características "uterinas" ideais para o conforto do bebé, por ser de tamanho diminuto (e não um berço enorme, onde ele pode escorregar para baixo de lençóis) e rodeada à volta.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D