Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A espera:Oficialmente....à espera!

por Jorge Soares, em 09.10.08

Crianças

 

Hoje foi finalmente o dia da primeira entrevista, na altura achamos um pouco estranho que em Julho marcassem a entrevista para Outubro,  agora não parece assim tão estranho, desta vez tinham feito mesmo o trabalho de casa, a psicóloga é a mesma do primeiro processo e lembrasse muito bem de nós. Para nosso espanto despacharam hoje todo o processo, as 3 ou 4 entrevistas habituais, ficaram resumidas a esta, duas horas de conversa franca e agradável encerraram o assunto. Teremos que esperar que chegue o bendito certificado de aprovação, mas segundo elas já estamos na lista....resta portanto esperar que algures apareça a nossa menina.

 

Evidentemente não vou contar aqui tudo o que se falou, na realidade falou-se mais de adopção, de candidatos e de crianças, que de nós e do nosso processo. Ficamos a saber que para as nossas condições o tempo de espera poderá ir até dois anos, evidentemente existem muitíssimos candidatos à nossa frente, só que segundo elas, 95% desses candidatos querem exclusivamente crianças brancas até 3 anos, não há candidatos que aceitem crianças de cor, o que nos coloca imediatamente no topo da lista, nós não colocamos restrição de raça.

 

Há sempre coisas que causam aflição quando se fala destes temas, o racismo das pessoas, a discriminação, as famosas listas nacionais que afinal não existem, mas sobretudo, as crianças devolvidas, sim, porque há quem devolva crianças..... haverá coisa mais cruel que abandonar novamente uma criança que iniciou  a sua vida sendo abandonada? mas disto, falarei outro dia... somos um país de gente racista e sem escrupulos....sem dúvida.

 

 

Creio no mundo como num malmequer,

Porque o vejo. Mas não penso nele

Porque pensar é não compreender...

 

O Mundo não se fez para pensarmos nele

(Pensar é estar doente dos olhos)

Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

 

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...

Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,

Mas porque a amo, e amo-a por isso,

Porque quem ama nunca sabe o que ama

Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

 

Amar é a eterna inocência,

E a única inocência não pensar...

 

Alberto  Caeiro

In Guardador de rebanhos

 

Jorge

Imagem retirada da internet

 

publicado às 21:55


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Maria Eugénia Pinto a 20.10.2008 às 15:45

Pois é, cá estou eu... Acho que me vou viciar...
Tenho o computador de casa avariado e no trabalho não dá muito "geito" andar por aqui... mas como hoje estamos com um problema tenho um pouquinho mais de tempo. Pela minha experiência, as pessoas são realmente racistas... embora digam que não que não são... A minha menina é "um pauzinho de canela" como nós lhe chamamos. Em doia anos que está connosco já passei por algumas situações embaraçosas, principalmente quando o meu filho tb está connosco (é biológico... de raça branca!). O ser humano é muito mauzinho, mas tb muito hipócrita!
O comentário mais comum é "coitadinha... teve muita sorte!", quando questiono porquê o motivo é o facto de uma família de raça branca ter adoptado uma criança de raça negra!!! Não imaginas as respostas que já dei!!!!
Infelizmente a maioria das pessoas que querem adoptar ainda encaram a adopção de uma forma muito básica... quase como uma ida ao supermercado. Bébé, loiro, de olhos azuis como o pai, de preferência bem comportado, caso contrário pega-se na factura e vai-se reclamar... Não era aquilo que nós queriamos!!! É esta a realidade... E é esta forma de encarar a adopção que tem que ser questionada aos candidatos por quem de direito. Tens razão numa coisa que disses-te: hoje está na moda adoptar! depois vem a realidade e chegam à conclusão que não era bem aquilo! Resultado: Devolve-se!
No entanto e é preciso salientar isso, nem sempre é esse o motivo da "devolução". Conheço uma situação de uma família que adoptou uma criança já com 8 anos (tinham dois filhos biológicos de 12 e 15) e realmente a adaptação tanto da criança (com um passado muito problemático) como da família foi muito complicado. Ao fim dos seis meses dados antes da adopção definitiva foram dados mais seis e as coisas realmente não funcionaram. Aquela família estáva a ficar competamente destruturada e não tiveram alternativa ...
Já chega por hoje!!!!
Mais uma vez as melhoras e boa sorte para vós
Bjs

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D