Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Crianças da Casa Pia foram Cobaias em estudo

Imagem do Público 

 

 

Não vi a reportagem na RTP e infelizmente não está online, o que sei foi o que li no Público e no DN que é muito pouco, segundo o Publico, durante oito anos, 500 crianças da Casa Pia foram submetidas, sem saberem, a experiências que “nunca tinham sido feitas sequer em animais”. Experiências que visavam descobrir o efeito do mercúrio nos dentes.

 

Imagino que não seja novidade para ninguém que o Mercúrio é altamente tóxico e nocivo para a saúde de qualquer ser humano, muito mais para crianças entre os 8 e os dez anos, que são as que são referidas na reportagem.

 

Ainda segundo a notícia, tudo isto terá sido feito com conhecimento das autoridades... autoridades?, que autoridades?, quem na instituição ou no estado pode autorizar que se utilizem crianças institucionalizadas como cobaias? Convém saber quem e como se autoriza uma coisa destas... porque isto é inacreditável... completamente surreal.

 

Já aqui defendi, neste post, que no caso da pedofilia faltou apurar os responsáveis da instituição que permitiram que dezenas de crianças fossem usadas e abusadas dentro e fora da instituição durante anos, recuso-me a acreditar que ninguém dos responsáveis sequer ouviu falar do que se estava a passar. Agora ante mais este caso na mesma instituição, reafirmo, deverão ser encontrados os responsáveis, estas coisas não podem simplesmente ficar impunes... é de crianças que estamos a falar.

 

A sensação de que ficamos de tudo isto é que as crianças institucionalizadas, as crianças que estão ao cuidado do estado e de outras instituições em que este delega as suas responsabilidades, são os parentes pobres da nossa sociedade, já não basta o abandono a que foram votados pelas suas famílias para que o próprio estado as descure e até utilize desta forma.

 

Espero sinceramente que tudo isto não caia no esquecimento, espero que se apurem dentro e fora da instituição os responsáveis por mais este absurdo.

 

Update, podem ver aqui o vídeo da reportagem, colocado online pelos responsáveis do Aventar

 

Jorge Soares

publicado às 21:32

Projecto E.scol.A  despejado pela policia de intervenção

Imagem do Público

 

Numa escola primária abandonada há cinco anos, um grupo de jovens decide recuperar as instalações e nelas desenvolver actividades que para além de darem  nova vida a todo um bairro, retiram os jovens da rua e afastam-nos da delinquência, um projecto com evidente sucesso, muita criatividade e em prol da formação da juventude e da comunidade.

 

Numa cidade normal o projecto seria acarinhado, promovido, incentivado, apoiado e até financiado pelos responsáveis políticos. No Porto, uma cidade que tem tanto de bonita como de anormal, a câmara municipal não só não dá o mínimo apoio ao projecto, como envia a polícia para acabar com ele.

 

O projecto ES.COL.A tem como objectivos "criar um espaço autónomo, autogestionado, livre, não discriminatório, não comercial e aberto a diferentes actividades... Daí chamar-se Espaço Colectivo Autogestionado do Alto da Fontinha. Nasceu com o bairro e para o bairro, com a comunidade e para a comunidade."

 

Num momento como o que vive o nosso país, em que as prioridades do estado estão cada vez menos viradas para a vertente social, este tipo de projectos da comunidade e para a comunidade são muito importantes. A verdade é que o estado não pode,  não quer,  ou não consegue chegar a todos os que necessitam de apoio, logo, é muito dificil de entender que situações como estas aconteçam.

 

Não faço ideia quais serão as ideias de Rui Rio e da Câmara do Porto para aquele lugar, a maior parte das noticias que li ou ouvi fala de obras previstas, não diz que tipo de obras nem com que finalidade, sejam estas quais forem, de certeza que haveria outra forma de se resolver a situação, sem policia, sem confrontos e sem destruir pela base um projecto em prol da comunidade que deveria servir de exemplo não só para a cidade, como também para o país. 

 

 

Vídeo retirado do Blog do Projecto

 

Jorge Soares

publicado às 20:55

Privacidade, sabem o que é?

por Jorge Soares, em 01.04.12

Privacidade

Imagem de aqui

 

privacidade 

s. f.
Intimidade de pessoal ou de grupo definido de pessoas.



Intimidade pessoal, é isso que se supõe que a privacidade protege, bom, parece que a privacidade anda nestes tempos pelas ruas da  amargura, na época em que vivemos a privacidade já não é o que era.

 

A semana passada foi notícia que há nos Estados Unidos empresas que nas entrevistas pedem aos candidatos a empregos o utilizador e a password do Facebook e quem se nega é evidentemente descartado.

 

Ao invés da Golimix, eu não vejo nesta situação um sinal de que os tempos estão a voltar para trás, vejo sim um sinal de que as empresas estão atentas ao que se passa á sua volta e tentam tirar partido da falta de consciência que a maioria de nós tem sobre as consequências de alguns dos nossos actos.

 

Eu tenho Facebook, não lhe dedico muito tempo, mas o pouco que dedico dá para perceber como a maioria das pessoas não tem a noção de como o Facebook é um livro aberto, desde declarações de amor mais ou menos veladas, a  fotografías comprometedoras, fotografias às claras de família, amigos e filhos, caso especialmente grave quando se trata de crianças adoptadas, há de tudo um pouco.

 

As pessoas não tem noção, mas no segundo a seguir em que colocamos algo na net, já seja num blog, num site pessoal ou numa rede social, não há forma de o esconder ou apagar, e não, o facto de termos o perfil protegido não serve de nada, porque não impede que alguém simplesmente copie o que mostramos e o coloque noutro sitio.

 

É evidente que não concordo nem desculpo estas empresas, mas também é verdade que se queremos privacidade devemos ser nós os primeiros a proteger-nos e a verdade é que a maioria não o faz... e para ser sincero, não sei se quem utiliza o Facebook para espalhar ao mundo a sua vida social, as suas taras e manias, será digno de confiança.

 

Por cá a notícia é que há organismos do estado que na altura da prorrogação dos contratos de quem está a recibos verdes, exige uma declaração de afinidades politicas, económicas e familiares com outros colaboradores e ex-funcionários. 

 

E de repente percebemos que sim que a Golimix tem razão, porque isto nem é uma questão de privacidade, é uma questão de cumprir leis, fazer cumprir o que diz a nossa constituição... e sim, já foi tempo em que neste país não havia liberdade de pensamento ou associação, felizmente há muito que esse tempo passou... o facto de isto aparecer agora é sinal de que ainda há quem tenha saudade desses tempos e muito mais grave, que há quem se aproveite da precariedade de quem está a falsos recibos verdes, muitas vezes há anos, para tomar atitudes destas.

 

Quero crer que isto seja a excepção, assim como uma andorinha não faz a Primavera, também não será uma atitude destas que irá fazer o tempo andar para trás.... não Golimix, não consigo sequer conceber que um destes dias apareça por aí uma nova Pide... tu, eu e muito mais gente como nós, nunca deixaríamos que isso acontecesse.

 

Jorge Soares

 

PS: O Blog vai entrar em modo automático até depois da Páscoa, desejo uma boa Páscoa a todos.. não comam muitas amêndoas.

publicado às 22:02

 

Barrigas de aluguer já são um negócio em Portugal.

 

Imagem do Público  

 

Já se tinha falado sobre isto por cá, foi neste post, hoje voltamos ao assunto. Ficámos a saber que alugar a barriga de uma mãe pode custar entre 30 e 100 mil Euros e pelos vistos acontece muito mais que aquilo que estaríamos à espera. Como dizia no primeiro post, não tenho uma opinião formada sobre o assunto, haverá quem o faça por altruismo e a pensar em ajudar quem desespera por ter um filho, haverá quem o faça por necessidade, há de certeza quem o faça porque é só mais uma maneira de vender o seu corpo.

 

O aluguer do útero é desde 2006 “punido com pena de prisão até dois anos ou pena de multa até 240 dias” O trabalho de investigação é da Jornalista Sandra Martinho, da Lusa, e pode ser lido aqui, o assunto é tratado em profundidade e nas suas várias vertentes.

 

Na verdade nada do que lemos na noticia me estranha, há uns dias estava a olhar para os logs aqui do blog e seguindo o google, fui parar a um fórum brasileiro onde para além de muitas senhoras a oferecerem-se para serem barrigas de aluguer, encontrei um casal português que se oferecia para "com urgência, contratar uma barriga de aluguer ou comprar uma criança", era o que estava lá escrito preto no branco e com telefone para contacto.

 

O trabalho jornalístico é interessante e permite retirar algumas conclusões, do que foi dito e sobretudo, do que não foi dito. Podemos discutir se será mais ou menos ético, mas de uma coisa não há dúvida, é ilegal!.

 

Sendo ilegal levantam-se algumas questões, a começar por, como registam estas pessoas a criança? partimos do principio que quem entra num esquema destes vai querer registar a criança, ninguém paga cem mil Euros para depois ficar com um filho de outra pessoa, por outro lado, o estado português é picuinhas nestas coisas, não descansa até saber quem é o pai e a mãe das crianças.

 

A principal conclusão que eu retirei, é que há alguém, um hospital?,  uma clínica?, um médico?, que está a fazer desta situação um negócio. Não só as pessoas pagam pelo aluguer da barriga, como pagam pelo esquema de legalização da criancinha.

 

Parece que depois da legalização do aborto e com o fim de uma galinha dos ovos de ouro, outra terá nascido, é urgente que o estado português se debruce sobre este assunto, não vale a pena fazer de conta que não se passa nada, as mulheres portuguesas e os seus filhos não se podem tornar numa mina de ouro para gente sem escrúpulos. É urgente um debate aberto sobre tudo isto.

 

Jorge Soares

publicado às 22:22

As tolerâncias de ponto e os danos ao estado.

por Jorge Soares, em 28.04.11

Tolerância de Ponto

 

Quando comecei a trabalhar há 15 anos era tradição que a empresa desse o dia 24 de Dezembro, véspera do natal, passados uns dois ou três anos foi criado um calendário de férias que por motivos de manutenção de equipamentos, incluía o período entre o natal e o ano novo e claro, o dia 24. Estamos a falar de uma empresa privada, é claro que houve quem nas conversas entre colegas mostrasse o seu desagrado.. mas a coisa não passou daí. Como tenho horário flexível,  há anos  que  trabalho até ao meio dia e compenso à posteriori e outros  que meto um dia de férias... tendo o cuidado de combinar com os meus colegas de modo a que exista sempre alguém que garanta os serviços.. que a informática, tal como a empresa, nunca pára.

 

Sou e sempre fui contra as tolerâncias de ponto: as da Páscoa,  do Carnaval, do Natal, as do Papa, as da Nato, todas, para mim tolerância de ponto é sinónimo de aberração. Qual pode ser a justificação para que num dos paises na Europa que mais feriados tem, num país em que o estado é dos mais deficitários da Europa e dos que tem das piores taxas de produtividade, os sucessivos governos decidam distribuir ainda mais feriados a seu bel prazer?

 

Como é que alguém consegue justificar que numa situação como a que estamos, em que vamos pelo mundo de mão estendida a pedir dinheiro e ajuda, se tenha decidido dar mais um feriado na quinta-feira passada? A propósito de quê? O calendário eleitoral do PS?

 

Quanto a mim isto é vergonhoso.. mesmo. É preciso ter em conta que cada um destes dias custa ao país a módica quantia de mais ou menos 40 Milhões de Euros.... foi essa quantia que o governo deitou fora com mais este presentinho aos funcionários públicos.

 

Hoje era notícia no Publico online o seguinte:

 

O advogado Alfredo Castanheira Neves apresentou na terça-feira ao Ministério Público (MP) uma denúncia visando o primeiro-ministro, por eventual administração danosa, resultante da tolerância de ponto concedida à função pública na tarde de quinta-feira santa.

 

Concordo completamente, isto é gestão danosa, e só é pena que alguém não tenha pensado nisto antes, já viram a quantidade de milhões que se tinham poupado por exemplo no ano passado?

 

Tal como acontece comigo no natal e nos restantes feriados, quem quer fazer pontes que meta um dia de férias, o país não está para brindes.

 

Jorge Soares

publicado às 21:12

Parabéns ao INEM

 

Eu sou uma pessoa com mau feitio, é um facto,  se há coisa que não faz parte da minha personalidade é comer e calar, sou dos que reclama, muitas vezes,  principalmente quando sinto que os meus direitos estão a ser pisados, ou quando sinto que estou a pagar um serviço e este não corresponde ao que estava contratado... eu reclamo, e peço o livro de reclamações e já  muitas vezes aqui escrevi sobre estas situações

 

Já aqui relatei vários casos com empresas privadas  e organismos do estado,  ontem falei do INEM, ainda que em si o post não era uma reclamação contra esta instituição, era uma chamada de atenção para uma situação que aconteceu e que teve como protagonista uma criança na escola.

 

Mas assim como reclamo quando sinto que fui maltratado, também acho que se devem reconhecer os bons exemplos e os bons serviços, hoje fiquei muito surpreendido quando recebi o seguinte email:

 

"Exmo. Senhor Jorge Soares,

 

Boa tarde,

 

Teve o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) conhecimento da denúncia publicada no seu blog, na data de hoje, com o título «Como cuida o estado da saúde dos nossos filhos na escola?».

 

Neste sentido, vem o INEM questionar sobre a possibilidade de nos informar relativamente ao dia e hora aproximada em que a ocorrência relatada teve lugar.

 

Efectivamente, todas as reclamações/denúncias são devidamente analisadas neste Instituto, pois essa é uma das formas que temos para melhorar continuamente a qualidade dos serviços prestados.

 

Muito obrigado."

 

O INEM utiliza uma funcionalidade do google que os avisa cada vez que algo é publicado com a palavra INEM.. e na posse dessa informação dão-se ao trabalho de tentar perceber o que aconteceu, mesmo quando o que eu escrevi não é uma denuncia ou uma reclamação directa, nem podia ser, dado que o que contei não se passou comigo.

 

Desde aqui dou os meus parabéns ao INEM, é um exemplo que deveria ser seguido por muitas gente, por muitas empresas, por todo o estado e são atitudes como esta que me fazem pensar que ainda restam coisas positivas neste nosso país.

 

De minha parte tentarei obter a informação que me pedem de modo a ajudar no que for possível.

 

Jorge Soares

 

publicado às 21:56

Não há censos 2011 para ninguém...

por Jorge Soares, em 21.03.11

Não há censos para ninguém

 

Hoje é o primeiro dia para o preenchimento do Censos 2011 pela internet, todos sabemos que Tuga que se preze deixa tudo para o último dia, ora, se o prazo de preenchimento termina a 10 de Abril, eu imaginei que lá para o dia 6 o sistema começasse a ficar lento,  há bocado e ante a insistência da minha meia laranja para que eu despachasse a coisa, tentei aceder ao Site... com o resultado que podemos ver acima.. isto às 10 da noite quando por norma as coisas estão mais calmas.

 

Eu sou informático, sei que não há forma nenhuma de desenhar e montar um sistema que seja infalível aos picos de utilização, por muito robusta que a coisa seja, por muito bem desenhado que esteja, se todos os seus potenciais utilizadores tentam lá chegar ao mesmo tempo, vai haver engarrafamento... lentidão e em casos extremos, o arriar de todo o sistema.

 

Ninguém desenha um sistema para ter ao mesmo tempo 10 milhões de portugueses, porque a probabilidade de eles lá irem ao mesmo tempo será muito próxima de zero, quer dizer, até era possível desenharem e montarem algo assim, mas o preço de tal sistema ia levar o défice nacional aí para uns 90%.. e ninguém quer tal coisa.

 

Mas que um sistema colapse logo no primeiro dia quando se supõe que o número de acessos até nem é assim tão alto, é mais difícil de aceitar, até porque há bem pouco tempo tínhamos tido um problema semelhante com o site do número de eleitor,  se há coisa que os informáticos costumam fazer é aprender com os erros, pelo vistos os informáticos do estado não aprendem nada... bom, também é verdade que podem não ter sido os mesmos.

 

Ora, se o problema com o número de eleitor que nem foi assim tão grave, o site esteve sempre em cima só ficou mais lento, fez rolar cabeças de directores, desta vez com o site completamente em baixo no mínimo vão cair ministros, não?

 

Por certo, o senhor.. ou senhora, do censos, passou por cá durante o dia quando só estava a dona Cacilda, que nem aqui mora e só cá passa para dar um jeito na arrumação. Só deixou o impresso do alojamento familiar e a senha para a internet, ou seja, mesmo que eu queira preencher em papel... népias... não há censos 2011 para ninguém

 

UPDATE

 

Por volta das 11 da noite consegui entrar, mas ao meter senha e password... obtenho a seguinte mensagem:

 

ATENÇÃO: 

 

Jorge Soares

publicado às 21:54

Wikileaks.. algo vai muito mal no nosso mundo.

por Jorge Soares, em 16.12.10

Quem quer calar Assange?

 

Imagem do ionline

 

Nunca li o 1984 de George Orwell, sim, eu sei, é grave, mas não é preciso ter lido para conseguir imaginar que toda esta história criada à volta de Julian Assange e do Wikileaks será digna de um novo capitulo deste livro.

 

Há muito que sabíamos que Assange tinha sido acusado na Suécia de um crime de natureza sexual, acusação que teria sido arquivada há uns meses por alegadamente não ter pés nem cabeça, esta semana fomos esclarecidos, o caso foi reaberto e ficamos a saber que o senhor é acusado de ter tido relações sem preservativo.. acusação feita por duas senhoras que o convidaram a ir dormir com elas.

 

Entretanto Assange foi detido em Inglaterra e foram precisos dois juizes para decidir que o caso é o suficientemente parvo como para que ele possa ficar em liberdade. Na mesma Inglaterra onde um senhor Chamado Vale e Azevedo se refugiou depois de roubar o Benfica e mais meio mundo e de onde não há forma de o fazer regressar, e não me consta que tenha estado alguma vez preso... está-se mesmo a ver que ter sexo sem preservativo é muito mais grave que abusar da posição de advogado para roubar descaradamente.

 

Hoje ficamos a saber que a revista Time elegeu como homem do Ano o fundador do Facebooks, Mark Zuckerberg, isto depois de uma votação pelos seus leitores onde ele teve perto de 30000 votos, nada  que se compare aos mais 400.000 votos que teve Assange e que a revista ignorou num acto de vergonhosa censura.

 

Não me lembro de alguma vez ter lido a Time, mas não me parece que uma revista que presta uma vassalagem de este tipo ao estado, seja minimamente digna de confiança, quem é capaz de ignorar assim a opinião dos seus leitores é capaz de muito mais... não?

 

Tudo isto deixa um enorme amargo de boca, o que podemos ver é um estado soberano que supostamente é democrático e respeitador dos direitos humanos, que não duvida em lançar mãos de qualquer método, já seja directamente ou através de outros estados que também eles se dizem democráticos, para em lugar de esclarecer as noticias, tentar matar o mensageiro.... é ou não digno de Orwell?

 

Quem sabe um dia podemos ler no Wikileaks os documentos que deram origem a toda esta caça ao homem.... entretanto, algo vai muito mal no reino em que vivemos...e até eu que não tinha uma opinião formada sobre a legitimidade de se mostrarem assim os segredos.. começo a achar que sim... que eles devem mesmo ser mostrados.. quantos mais casos e embrulhadas como esta estarão para aparecer?

 

Jorge Soares

publicado às 22:06

João Jardim e os roubos d eigreja

 

Imagem do Público

 

É uma medida que no seu conjunto irá poupar ao estado umas poucas centenas de milhar de Euros.. umas gotas no grande oceano das contas nacionais.. mas que para nós, que temos todos os dias que apertar o cinto porque os impostos não param de aumentar, enquanto os salários na melhor das hipóteses não diminuem.. tem um enorme significado moral.

 

Porque é da mais elementar justiça que alguém que serve o estado porque quer, não receba a duplicar ou em casos como o de Cavaco Silva a triplicar. Era uma medida que já pecava por tardia.. assim como peca por muito tardia o facto de não haver um limite máximo para  o valor das reformas.

 

O estado decidiu que a partir de e Janeiro, não vai ser possível acumular salários do estado e reformas, como disse antes, uma medida da mais elementar justiça. Só vai para a politica quem quer, as pessoas devem encarar os lugares de governo como uma missão e não como mais uma forma de ter mais uma remuneração.. quem não está de acordo com esta medida tem uma saída muito simples, abandonar os cargos e passar a viver da reforma dourada que a maioria tem. Haverá de certeza muita gente capaz que estará disposta a ocupar os seus lugares.

 

Mas basta uma medida destas para saber o que faz correr as pessoas, como podemos ler nesta noticia do Público, há quem ache mal...Alberto João Jardim acumula uma reforma de 4400 Euros por mês com o salário de presidente de governo... e quem sabe com quanto mais em ajudas de custo... e acha que esta medida é um acto de gatunos. O estado está-se a preparar para roubar os pobres reformados que ocupam os cargos politicos.

 

Dr Alberto João, na minha terra costuma-se dizer que quem está mal, muda-se...  faça lá um favor à Madeira, ao País e a todos nós... não se deixe roubar ..  deixe lá o lugar a alguém que não  o queira pelo valor do salário.. alguém que queira governar pelo bem da Madeira e do país... pode ser? olhe que já vai tarde.

 

Jorge Soares

publicado às 22:01

Casa Pia será caso único?

 

Imagem do Ionline

 

A noticia no ionline falava da hipótese de vir a ser o estado a pagar as indemnizações a que foi condenado o Carlos Silvino (Bibi) , na verdade quando lemos as letras pequenas percebemos que não é o estado e sim a Instituição Casa Pia quem deverá assumir as despesas, dá-se o caso que esta instituição é propriedade do estado e no fim será ele, ou seja, todos nós, quem terminará por pagar.

 

Passaram 8 anos desde o início deste processo, ninguém sabe quantos anos terão passado desde o início dos abusos, sabemos sim que o assunto era conhecido dentro da instituição e até da tentativa de alguns dos jovens de chamar a atenção para ele numa visita do então presidente da República Ramalho Eanes. Durante estes 8 anos que durou o processo, para além dos nomes dos agora condenados, foram lançadas acusações e suspeitas sobre muitíssima mais gente e a acreditar nas insinuações de Carlos Cruz, muitos mais nomes irão aparecer.

 

No meio de tudo isto há algo que não entendo, se as vítimas estavam ao cuidado da Casa Pia, se eram levadas para os locais dos abusos por um funcionário da instituição e segundo consta, muitas vezes numa viatura da instituição, a que se deve que a instituição nunca tenha sido acusada ou responsabilizada?

 

Durante todos estes anos passou muita gente pela Casa Pia, funcionários, professores, gestores, subdirectores, directores, será possível que todos tenham passado por lá sem verem aquilo que era evidente? As crianças estavam entregues à guarda da instituição, ninguém reparava nas ausências dos jovens?  Ninguém reparou nos sinais? Ninguém viu? Ninguém ouviu? Eram todos cegos, surdos e mudos?

 

Todos ouvimos as palavras emocionadas de Catalina Pestana na passada Sexta Feira, não estava Catalina Pestana na instituição na altura em que os jovens eram levados para Elvas? Em que eram levados e abusado por um funcionário e por um dos subdirectores da instituição? Não ouvia os boatos?  Não conhecia os jovens? O que fez nessa altura para evitar ou denunciar a situação?

 

Quanto a mim, a Casa Pia era a família destes jovens, era responsável pela sua formação, educação e o seu bem estar, terá falhado claramente em várias destas  responsabilidades, qualquer família que não cuida dos seus filhos é julgada e penalizada por isso, porque não foi a Casa Pia julgada e responsabilizada por tudo isto?

 

Existem em Portugal mais de 10000 jovens institucionalizados, entre Cats e lares existem quase mil instituições de acolhimento em Portugal, alguém acredita que a Casa Pia é caso único? Em quantas mais instituições haverá jovens a serem abusados, ou maltratados? Na passada Sexta Feira na Antena 1 Eduardo Sá chamava a atenção para o facto de neste caso só haverem rapazes abusados, e mostrando a sua incredulidade sobre a não existência de raparigas abusadas. O que faz o estado Português para garantir que as instituições cumpram o seu papel de guarda dos jovens?  Para garantir que não há mais casos como este nas centenas de instituições deste país? Para garantir que não há mais cegos, surdos e mudos? O que fazemos todos nós?

 

Jorge Soares

publicado às 22:18


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D