Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Agora sobra dinheiro, Onde????!!!!

por Jorge Soares, em 04.12.11
Sobra dinheiro, onde?
Imagem do Público

 

É a notícia do fim de semana, afinal sobram dois mil milhões e até vamos ficar com um défice de fazer inveja por essa Europa fora, tudo porque alguém se lembrou que ainda havia uns fundos de pensões onde ir pescar, um subterfúgio a que  Sócrates e os seus ministros recorreram nos últimos anos para enganar os números e que invariavelmente era objecto de critica por parte do PSD, principalmente porque eram medidas extraordinárias e dificilmente repetíveis nos anos seguintes. Afinal....

 

Esta vez foram 6000 milhões de Euros que vieram das reformas dos bancários, feitas as contas parece que sobram dois mil mihões... sobram?, sobram como?.. a mim quer-me parecer que faltam 4000 milhões, é que no ano que vem não vai haver fundo de pensões dos bancários... e o défice é suposto ainda ser menor que o deste ano.

 

Mas há mais coisas que eu não percebo, eu tinha entendido que o défice deste ano estava controlado, afinal faltavam 4000 milhões? porquê?

 

Vamos lá ver: dizia o Sócrates que as coisas estavam controladas e que o Pack 4 resolvia, depois veio a Troika e supostamente passou a pente fino as contas,  não deram pelo buraco de 4000 milhões? A seguir veio o novo governo e entre outras coisas: aumentou o IVA da energia, levou metade dos subsídios de natal, etc... e isso não ia resolver o buraco?, agora faltavam mais 4000 milhões? é ideia minha ou andam a brincar com a malta?

 

Isto é assustador, eu nem quero pensar no que serão as coisas a partir de Janeiro, não é com medidas extraordinárias que se resolvem os problemas das contas, os subsídios de natal e de férias da função pública significam pouco mais de 2000 milhões de Euros...então e o resto vem de onde?... não sei, mas tenho uma leve suspeita, algures já deve estar escrito um decreto que vai criar um novo imposto sobre os subsídios do privado.... vai uma aposta?

 

Portanto, a quem acha que realmente sobra dinheiro e que até já pergunta porque não devolvem o imposto sobre o subsidio de natal, aconselho uma revisão da tabuada e das contas de somar e subtrair... principalmente nas de subtrair, porque sobrar, não sobra nada, bem pelo contrário e a partir de agora vai ser sempre a subtrair...e quem sabe que mais surpresas nos reserva este governo que afinal, foi eleito pela maioria do povo.

 

Jorge Soares

publicado às 21:44

Quem ganhou e quem perdeu estas eleições?

por Jorge Soares, em 05.06.11

Quem ganhou as eleições em Portugal?

Imagem Minha do Momentos e Olhares

 

Ao contrário da maioria das eleições anteriores, esta vez é fácil dizer quem ganhou e quem perdeu, em primeiro lugar eu acho que perdeu o país, 42% de abstenção é uma clara derrota para o país. Estas eram umas eleições muito importantes, talvez as mais importantes desde o 25 de Abril, metade das pessoas não quis saber, metade das pessoas não quer saber quem os governa. É bom que alguém reflicta muito seriamente sobre o que isto significa realmente. Estamos a criar uma sociedade sem consciência civica e politica e isso é muito perigoso.

 

Dos resultados dos votos expressos, acho que está muito claro quem ganhou e quem perdeu, ganharam claramente o PSD e o CDS. Tenho para mim que há nesta vitória do PSD muito mais demérito do Sócrates, que mérito do Passos Coelho, este soube estar no lugar certo no momento certo, a mim ficam-me sérias dúvidas sobre a sua capacidade politica, espero sinceramente estar enganado, a situação do país já é suficientemente grave como para termos à frente alguém sem pulso.

 

O outro grande vencedor da noite é sem dúvida alguma Paulo Portas, o Partido do táxi já quase chega a partido do autocarro e está às portas do poder. Quer-me parecer que não vai ser fácil o entendimento, Portas vai vender muito caro o seu apoio ao governo, Passos Coelho falou de um governo com 10 ministros,  bom, a mim quer-me parecer que depois da noite de hoje, Portas vai querer 5 só para ele ...

 

Todos os restantes partidos perderam, e esta vez não há meias derrotas, só derrotas a sério a começar pelo Bloco de esquerda, que de quarto partido passa para quinto. Quanto a mim o bloco deslumbrou-se com o resultado de 2009 e esqueceu o seu norte. O Bloco passou de ser a esquerda moderna para uma cópia, muitas vezes pobre, do partido comunista. 

 

Eu sou votante do bloco desde que este apareceu, esta vez tive uma enorme dificuldade em decidir-me em quem votar, porque senti que o partido deixou de me representar. Eu não me senti representado naquela moção de censura fora de tempo e de lógica, e sobretudo não me senti representado na decisão de não ir falar com a Troika. Não era necessário assinar o memorando ou estar de acordo com as medidas propostas, mas era muito importante lá ir, dizer porque não se está de acordo e quais as medidas alternativas. Eu e muita gente sentimos que ficamos sem voz.

 

Não ouvi o que disse Jerónimo de Sousa, mas esta vez não há vitórias morais, num momento em que o PS caiu para baixo dos 30%, a CDU tinha que crescer muito, tinha que saber mobilizar os votantes da esquerda, tinha que crescer à custa do PS, não cresceu..de resto, foi igual a si mesmo... 

 

Por ultimo, o PS perdeu, deixou de ser governo e face ao resultado do CDS, mesmo com a renuncia do Sócrates, não tem a menor hipótesse de vir a fazer parte alguma coligação. Pior, a saída do Sócrates vai deixar um vazio, não se vê neste momento quem possa ter o carisma politico para voltar a fazer do PS um partido com aspirações de poder.

 

Esperam-nos tempos conturbados, veremos se PSD e CDS conseguem criar uma aliança forte que consiga manter-se no governo pelo menos até ao fim do periodo de intervenção do FMI... veremos quando são as próximas eleições.

 

Jorge Soares

publicado às 21:45

Sócrates anuncia ao país o que não vai estar nas medidas da Troika

Imagem do Público

 

Andámos durante semanas com o credo na boca, cada dia que passava alguém lançava mais um boato de uma suposta medida catastrófica que teríamos que enfrentar. Ontem finalmente o primeiro ministro deu um ar da sua graça e bem ao seu estilo de one man show, veio dar a boa nova...  afinal o céu não nos vai cair em cima.... e por todo o lado, em especial nas repartições públicas, se ouviu um enorme suspiro de alivio.... afinal vamos poder ir de férias e comprar as prendas de natal sem ter que andar a negociar títulos do tesouro ao desbarato... Não, não estou a brincar, cá em casa há um funcionário público... e consta-me que o terror era verdadeiro.

 

Mas se é verdade que as medidas não são tão penalizadoras como muito arautos da desgraça vendiam, também é verdade que a coisa não está para embandeirar em arco. Convém perceber que a crise existe mesmo, que é resultado de asneiras de muita gente que está ou já esteve no governo, e que ou nos mentalizamos que temos mesmo que apertar o cinto e deixar de viver como novos ricos, ou a coisa pode correr muito mal.

 

Estive a ler o resumo das medidas propostas, estão no Público, na generalidade concordo, lendo os comentários à noticia, parece que há pessoas que acham que a montanha pariu um rato, isto só mostra que há muita gente que ainda não percebeu nada do que se está a passar. Convém que a malta perceba que ninguém nos está a dar dinheiro, estão a emprestar, com juros de 5%, o que comparado com os 12 em que a coisa já ia, é muito bom, mas vamos ter que pagar na mesma... 

 

Voltando um pouco atrás, tal como era mais ou menos de esperar, as medidas propostas são mais ou menos as que estavam no PEC IV, eu continuo a achar que a oposição fez um mau serviço ao país quando fez cair o governo, até porque nas condições actuais, quer-me parecer que não vai haver maioria absoluta, a dizer verdade, quem tem mais possibilidades de ganhar as eleições até será o PS, tal a baralhação que vai nas hostes do PSD.

 

Bloco de Esquerda e PCP não tem condições para fazer parte de qualquer governo, quem faz questão de não aceitar a ajuda externa NÃO PODE aceitar governar com as medidas propostas pela troika. Restam PS, PSD e CDS... depois de tudo o que tem sido dito pelo Passos Coelho alguém acredita que os dois maiores partidos se entendam para formar governo?..e se os votos do CDS não forem suficientes para uma maioria com PS ou PSD?, o que fará Cavaco?

 

Falta um mês para as eleições, neste momento não faço a menor ideia em quem vou votar...... esperemos que o ambiente desanuvie...

 

Jorge Soares

PS: quem quiser pode fazer download do Memorando de Entendimento (em inglês) e ler com detalhe

publicado às 22:11

As tolerâncias de ponto e os danos ao estado.

por Jorge Soares, em 28.04.11

Tolerância de Ponto

 

Quando comecei a trabalhar há 15 anos era tradição que a empresa desse o dia 24 de Dezembro, véspera do natal, passados uns dois ou três anos foi criado um calendário de férias que por motivos de manutenção de equipamentos, incluía o período entre o natal e o ano novo e claro, o dia 24. Estamos a falar de uma empresa privada, é claro que houve quem nas conversas entre colegas mostrasse o seu desagrado.. mas a coisa não passou daí. Como tenho horário flexível,  há anos  que  trabalho até ao meio dia e compenso à posteriori e outros  que meto um dia de férias... tendo o cuidado de combinar com os meus colegas de modo a que exista sempre alguém que garanta os serviços.. que a informática, tal como a empresa, nunca pára.

 

Sou e sempre fui contra as tolerâncias de ponto: as da Páscoa,  do Carnaval, do Natal, as do Papa, as da Nato, todas, para mim tolerância de ponto é sinónimo de aberração. Qual pode ser a justificação para que num dos paises na Europa que mais feriados tem, num país em que o estado é dos mais deficitários da Europa e dos que tem das piores taxas de produtividade, os sucessivos governos decidam distribuir ainda mais feriados a seu bel prazer?

 

Como é que alguém consegue justificar que numa situação como a que estamos, em que vamos pelo mundo de mão estendida a pedir dinheiro e ajuda, se tenha decidido dar mais um feriado na quinta-feira passada? A propósito de quê? O calendário eleitoral do PS?

 

Quanto a mim isto é vergonhoso.. mesmo. É preciso ter em conta que cada um destes dias custa ao país a módica quantia de mais ou menos 40 Milhões de Euros.... foi essa quantia que o governo deitou fora com mais este presentinho aos funcionários públicos.

 

Hoje era notícia no Publico online o seguinte:

 

O advogado Alfredo Castanheira Neves apresentou na terça-feira ao Ministério Público (MP) uma denúncia visando o primeiro-ministro, por eventual administração danosa, resultante da tolerância de ponto concedida à função pública na tarde de quinta-feira santa.

 

Concordo completamente, isto é gestão danosa, e só é pena que alguém não tenha pensado nisto antes, já viram a quantidade de milhões que se tinham poupado por exemplo no ano passado?

 

Tal como acontece comigo no natal e nos restantes feriados, quem quer fazer pontes que meta um dia de férias, o país não está para brindes.

 

Jorge Soares

publicado às 21:12

Portugal vai da mentira ao disparate pegado

por Jorge Soares, em 13.04.11

25 de abril sempre

Imagem de aqui

 

Vou começar pelo disparate,  "Se soubesse como o país ia ficar, não fazia a Revolução" (Otelo Saraiva de Carvalho), com todo o respeito que me merecem ele e as pessoas que tornaram possível o 25 de Abril, isto só pode ser visto como um disparate dito por alguém que está a perder a noção da realidade, é verdade que a situação é complicada, mas mesmo no meio de toda esta crise, não há comparação possível... é muito diferente um país com  alguma miséria que um país que é uma miséria.

 

Quanto às mentiras, bom, o difícil é escolher, os líderes dos dois maiores partidos têm-nos brindado cada dia com um novo capítulo de uma telenovela mexicana que à medida que o tempo passa vai descendo de nível.  Toda esta história do PEC IV e da sua discussão ou não antes da sua apresentação pelo governo, é de bradar aos céus. E o mais incrível é que já é difícil perceber se o mais mentiroso é o Sócrates, que nos dizia que estava a correr tudo bem e que não eram necessárias mais medidas ao mesmo tempo que discutia e preparava mais um PEC, ou o Passos Coelho, que primeiro não sabia de nada, depois tinha sabido por telefone, e afinal tinha estado a discutir a coisa com o ainda Primeiro ministro... isto para já não falar do "deitamos o governo abaixo porque as medidas são más demais", que agora se transformou num, "As medidas apresentadas pelo governo no PEC eram insuficientes"

 

Segundo as últimas sondagens, o PS e PSD no seu conjunto tem mais coisa menos coisa, 70% das intenções de voto dos portugueses... alguém me explica o que se está aqui a passar? como é que as pessoas conseguem pensar em eleger algum destes senhores?, como é que alguém pode pensar em votar em quem diz e desdiz como se nada fosse?, como podem querer a governar pessoas que brincam assim com o futuro do país e de todos nós?

 

Não sou dos que acham que os políticos são um bando de corruptos e mentirosos, mas o que é demais é moléstia, e o triste espectáculo que estes dois senhores tem dado ao país é tão evidente que nem tem nome... será que as pessoas não vêem?

 

Jorge Soares

publicado às 23:14

E agora Portugal?

por Jorge Soares, em 06.04.11

Portugal pediu ajuda externa.. e agora?

Imagem do Público

 

A dificuldade de Portugal em aceder “em condições de normalidade” ao financiamento dos mercados de crédito internacionais tornou-se “uma ameaça real” ao financiamento do Estado, do sistema bancário e da economia nacional....

 

Andávamos há uns dias no jogo do empurra, o governo chegou ao ridículo de sugerir que seria o Presidente da República quem deveria fazer o pedido de ajuda. A campanha eleitoral está instalada, a oposição aproveitou os últimos dias de funcionamento da assembleia da república para num claro acto de atirar areia para os olhos do povo, chegar finalmente a acordo para deitar abaixo normas e decretos do governo.  

 

O governo não soube tomar as medidas em tempo útil, estas  foram sempre tomadas com pelo menos um ano de atraso, mais que resolver foi tapando buracos.. até que o buraco era maior que ele.

 

O que se segue será muito duro, a chegada de dinheiro ao pais terá contrapartidas que irão incidir sobre todos nós, basta ver a crise social que se instalou na Grécia após a chegada da ajuda.... virá dinheiro sim, mas ninguém dá nada a ninguém. Estamos há dois anos sobre medidas de austeridade... mas virão mais, muitas mais.

 

Entretanto há coisas que são difíceis de perceber, no mesmo dia que pede ajuda exterior, o governo anuncia que suspende portagens nas SCUTS, não sei quantos milhões representa isto nas contas do estado, mas é mais uma medida eleitoral. Estas portagens foram uma exigência do PSD, o governo quis sacudir a água do capote... quanto a mim de forma completamente irresponsável..  porque em época de crise, todos os milhões contam.

 

Entretanto parece que a maioria da população ainda não percebeu a verdadeira situação do país, dizia-se hoje de manhã na Antena 1 que as viagens para as Caraíbas, Brasil e Cabo Verde, estão esgotadas para a época da Páscoa, e que os hotéis no Algarve prevêem reservas de quase 100%.... pois é, crise!

 

Jorge Soares

 

publicado às 21:41

Caiu o governo, Portugal é um país à Rasca

por Jorge Soares, em 23.03.11

Sócrates apresentou a demissão

 

Imagem do Público

 

Haverá muita gente que está feliz, finalmente o Sócrates disse basta, na verdade não me parece que exista motivo algum para estarmos felizes, esta crise politica vai trazer consigo mais desconfiança por parte de quem tem dinheiro para financiar o nosso país e essa desconfiança vai ter um custo enorme para todos nós.

 

Como estavam as coisas já era complicado que conseguíssemos seguir em frente sem ajuda do FMI ou da união europeia, agora será quase certo que seja mesmo necessário apelarmos a essas instituições, o custo a pagar por essa ajuda vai fazer com que estas medidas propostas agora pelo governo pareçam brincadeiras de criança... basta olhar para o que aconteceu na Grécia e na Irlanda após a entrada do FMI. Toda a oposição votou contra este PEC, o próximo governo sairá desta oposição, veremos como explicam depois que vão aplicar estas medidas e muitas mais, todas a penalizar o país.

 

Haverá eleições daqui  a pouco tempo, foi há pouco que toda uma geração acordou para o facto de estar à rasca, agora toda essa geração terá oportunidade de mudar o seu futuro, porque é nas eleições que neste país se fazem as escolhas, a abstenção nas últimas legislativas esteve perto dos 40%, veremos como será nas próximas e veremos sobretudo se esta geração, que como o resto do país está à rasca, vai querer continuar à rasca ou vai criar as condições para que as coisas mudem mesmo. Veremos o que vale realmente esta geração.

 

Jorge Soares

publicado às 21:21

Fórum de gerações

 

Imagem do Público

 

Hoje falta-me o tema e a inspiração... há dias assim, há pouco estava a dar a volta pela vizinhança e deparei-me com este post da Marta, concordo com ela em quase tudo, excepto na importância que se dá às músicas e em especial ao JEL. A mim quer-me parecer que mais que fazer andar o que quer que seja, ele soube aproveitar muito bem o andamento da carruagem.

 

Ouvindo tudo o que ele diz no vídeo fico a pensar que já ouvi tudo aquilo, mas isso sou eu, que costumo dar atenção ao que se diz nos discursos da festa do avante, ou ao que dizem os deputados do bloco de esquerda no parlamento. Não, ele não diz nada de novo, ele não inventou nada, nem anda a ler livros que outros não tenham lido antes... mas é muito triste que num país como o nosso, tenha que aparecer um palhaço para que as palavras façam sentido.. com todo o respeito pelo profissional da comunicação que é o JEL.

 

 

 

 

 

Jorge Soares

 

PS: Acabo de ver uma nova petição do Facebook que pede 1 Milhao no facebook para DEMISSÃO DO GOVERNO... se calhar era melhor darem uma palavrinha ao Passos Coelho antes, não vá a ser que ele não esteja interessado em ficar com o menino e o tenham que dar para adopção...sabe-se lá de quem.

 

publicado às 21:52

Sócrates dá tolerância de ponto outra vez.. então e a crise?

Primeiro-ministro decreta tolerância de ponto na 6.ª feira e tarde de dia 31 de Dezembro

Alguém contou quantas tolerâncias de ponto deu o governo este ano?.. e alguém consegue fazer as contas quanto dinheiro custou isso ao país? .. e quanto contribuiu para o défice que vai fazer descer os salários e aumentar os impostos em Janeiro? Então e a crise?

 

Jorge Soares

publicado às 13:32

 

Missa de capacete em Lisboa

 

Imagem do Público

 

No fim de semana passado foi noticia a missa celebrada na igreja de Campolide em que todos, padre incluído, se apresentaram de capacete dadas as condições da igreja,  que segundo eles está muito próxima da ruína total. O edifício é do estado e a instituição Igreja exige a sua entrega a custo zero. Entretanto, não há quem faça obras...  que o estado não tem dinheiro... e a igreja não está para fazer obras no que não é seu.

 

Eu disse o estado não tem dinheiro?... pelo menos é o que nos dizem todos os dias, crise, orçamento, aumento de impostos, diminuição de salários, cortes nas despesas, etc, etc, etc. Mas parece que afinal não é bem assim, hoje no Público podiamos ler o seguinte:

 

Câmara de Lisboa ocultou gastos de 228 mil euros com visita de Bento XVI

 

O mais engraçado é que na altura a igreja fez uma enorme operação de charme para ver se a autarquia de Lisboa seguia o exemplo da do Porto e arcava com os gastos do famoso altar do cais das colunas..e o que nos foi vendido é que todos os gastos seriam pagos por doações de particulares.

 

Afinal não era bem assim,  aquela missa saiu-nos a todos muito cara, sim, porque é dos nossos impostos que saem estes 228 mil Euros..  Olhando para tudo isto, se calhar é mais fácil entender porque é que não há maneira que o raio da crise nos dê descanso..se até o papa cá vem para lixar ainda mais o Zé povinho.

 

Digam lá que os mais de 75 milhões de Euros que nos custou a malfadada visita, não dariam agora um jeitão para ajudar a diminuir o défice ... e já dizia a minha avó, quem não tem dinheiro não tem vicios, façam favor de não convidar mais ninguém para visitas destas!

 

E Já agora, sou só eu que acho que estes 228 mil euros tinham sido mais bem utilizados nas obras da igreja de Campolide?

 

Jorge Soares

publicado às 23:10


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D